Os Peculiares


0Likes
0Comentários
1051Views
AA

5. V

                      LYSANDRE

Eu estava lendo um livro quando a srta. Peregrine me chama para ir junto com o Nathaniel e com o Castiel para o porão, porque estava com barulhos estranhos lá embaixo e que ela estava com medo de ser um acólito.

Descemos as escadas e ouvimos barulhos que pareciam de luta.

Castiel: *suspiro* o que essa garota está aprontando?

Nathaniel: cala a boca, Castiel! pode ser sério!

Lysandre: Cala a boca, os dois! se for um acólito temos que nos apressar!

Corremos até o final do corredor e vimos uma chama brilhar, corremos em direção desta e quando chegamos no local só havia um rádio.

Será que estava vendo coisas?impossível, todos vimos...mas onde ela está?

Olhei para Castiel e Nathaniel que estavam com a mesma expressão que a minha.

Subimos correndo as escadas para contar o que vimos para a srta. Peregrine.

Lysandre: SRTA. PEREGRINE! A BONNIE...

Rosalya e Alexy também estavam lá.

Srta. Peregrine: o que aconteceu?

Castiel: acho que ela foi pega por acólitos!

Srta. Peregrine: O QUÊ?

Alexy: vamos atrás dela!

Rosalya: sim, o Alexy tem razão!

Nathaniel: tá, mas não sabemos onde ela está!

Lysandre: eu tenho uma ideia! Nathaniel, tenta ter algum sonho profético essa noite, pode ser que ache alguma pista.

Srta. Peregrine: sim, você tem razão! agora vamos para uma sala que possa trancar, porque aqui não é mais seguro!

Fomos para uma sala de aula e trancamos. Estávamos todos meio apertados, mas conseguimos dormir.

Acordamos com um grito do Nathaniel, ele estava suando e parecia nervoso.

Lysandre: o que foi?

Nathaniel: eu sei onde está a Bonnie, e-ela está no recanto do demônio!

Todos: RECANTO DO DEMÔNIO?

Nathaniel: sim, temos que ir para lá, agora! ela está sendo torturada!

Srta. Peregrine: vamos, então!

                      BONNIE

Acordei em um lugar totalmente diferente e quando vi estava cercada de acólitos.

Acólito: os amigos dela chegaram! Como imaginamos, chefe!

Dei-me conta da bobagem que eles fizeram, óbvio que seria uma armadilha.

Estou em uma sala escura e acorrentada.

Tem uma câmera que parecia estar me filmando. No mesmo momento ouço gritos, parecem da Priya.

Comecei a me debater para tentar sair.

Acólito: você não vai conseguir.

Não tinha percebido ele na sala, este apareceu na minha frente.

Acólito: vou ser o responsável pelas ameaças...hahaha.

Ele ligou a câmera.

Acólito: seus amigos agora estão acorrentados como você...só tem uma coisa diferente. Você não consegue vê-los, mas eles conseguem te ver!

                   LYSANDRE

Eu estou vendo a Bonnie, só que ela não parece estar machucada, ela está de cabeça baixa.

Acólito: mostre-lhes como está, VOCÊ causou isso! Se não estivesse tentado fugir ou nos atacar, quem sabe não estaria menos machucada!

Ele levantou a cabeça dela e mostrou os cortes que tinham em seu rosto.

Ouvi a Rosalya gritar. Bonnie está toda manchada de sangue. O acólito mostrou o braço e a perna, que também está com cortes.

Acólito: se tentarem fazer alguma coisa eu a machucarei mais, sei como ela é importante para vocês! Esta garota é uma das mais fortes e cabeça-dura da equipe!

Ele desligou a câmera. Uns acólitos entraram e soltaram a Nina, a Melody, a Debrah e o Evan.

Lysandre: ei, espera! Mas o quê?

Evan: enganamos vocês direitinho!

Elas começaram a rir.

A câmera liga novamente, o acólito aproxima a mesma da Bonnie.

O acólito se vira de frente para a câmera e esta cai com ele em cima.

Provavelmente, a Bonnie deu um chute nele, pelos barulhos parece que estão lutando.

O acólito pediu ajuda aos acólitos que estão cuidando da gente. A srta. Peregrine conseguiu pegar a chave para abrir.

A srta. Peregrine me solta, solta o Armin e solta o Alexy, já que eles podem ficar invisíveis e eu ver etéreos.

Fomos seguindo o barulho até chegar na sala, eu fiquei do lado de fora e eles entraram.

De repente o quarto inteiro pega fogo, sem mais delongas fomos até os outros.

Por sorte não nos encontramos com nenhum acólito. Soltamos todos e saímos, mas tinha uma dúzia de etéreos nos esperando.

Peguei um objeto pontudo que tinha perto e tentei acertar os monstros. Cada um fez sua parte enquanto eu ia dizendo onde os etéreos estavam.

                           BONNIE

A parte de distrair os acólitos foi fácil, até que me resgataram, mas depois nos deparamos com um monte de etéreos.

O Lysandre ia falando e nós íamos atacando, por fim saímos daquela sala e nos encontramos com outro etéreo, mas era apenas um.

Infelizmente, pelas descrições do Lysandre, ele era gigante e bem mais forte.

Ele me disse onde o etéreo estava e eu fui pra cima deste com as mãos em chamas.

O monstro foi mais rápido e me deu um soco no estômago com uma de suas línguas.

Choquei-me contra a parede e caí, o Kentin e a srta. Peregrine vieram me ajudar.

Levantei, cuspindo sangue.

Fui de novo no etéreo, só que dessa vez eu fui mais rápida e como o fogo estava mais forte, eu acabei queimando a sala. Mas consegui matar o etéreo.

Saímos correndo do lugar e felizmente, nenhum acólito nos pegou.

Saímos do recanto do demônio e fomos para o metrô, chegamos na escola e tinha um menino loiro e de olhos verdes.

A srta. Peregrine o chamou de Dake, ela deve conhecê-lo.

Bonnie: srta. Peregrine, quem é?

Srta. Peregrine: meu sobrinho, vamos entrar que eu explico!

Entramos na escola, a srta. Peregrine trancou tudo e fez um lanche para comermos enquanto ela explica.

Srta. Peregrine: vou explicar tudo para vocês! esse é Dake, ele é peculiar como nós, a peculiaridade dele é a telecinese. Mostre a eles, Dake!

Dake pegou uma colher com a mente e ergueu ela no alto para todos verem:

Ficamos de boca aberta, não vemos isso todo dia.

Todos aplaudiram e a srta. Peregrine continuou com a conversa, falando tudo sobre ele.

Parece que o Dake veio da Austrália, só que lá estava cheio de acólitos, e ele resolveu vir para cá.

Ela ia fazer uma surpresa para nós, só que como ocorreu um imprevisto, não deu tempo de fazer.

Depois disso todos foram dormir, por conta do cansaço, exceto eu.

Fiquei lendo um pouco mais sobre os acólitos e etéreos, não conhecia tudo e queria saber um pouco sobre eles.

Ainda mais seus pontos fracos, pelo que li o ponto fraco do etéreo é o olho, e o do acólito eu não achei.

Estava lendo quando alguém entra na sala, é Lysandre. Sorrio para ele e este devolve.

Lysandre: também não consegue dormir?

Bonnie: não, fiquei um pouco curiosa sobre os etéreos e acólitos!

Lysandre: entendi! já leu esse?

Ele estava segurando um livro que nunca vi na vida.

Bonnie: não, este ainda não.

Lysandre: ele fala sobre os pontos fracos dos monstros, deve ter de acólitos e etéreos!

Bonnie: é isso que eu estou procurando! posso ler?

Lysandre: claro!

Lysandre me deu o livro e eu comecei a folhear as páginas.

Bonnie: achei! mas não fala sobre o ponto fraco. Será que é desconhecido?

Lysandre: pode ser, deixe-me ver!

Então a mão dele encostou na minha e nos entreolhamos, meu rosto começou a esquentar.

Não, eu não posso estar corando, que vergonha!

Levantei rapidamente.

Bonnie: vou ver se tem em outro livro!

Lysandre: ok!

Estava procurando algum livro que eu ainda não tenha lido, quando a porta se abre.

Dake: ah, atrapalhei alguma coisa?

Bonnie e Lysandre: NÃO!

Entreolhamos-nos depois de falarmos juntos.

Dake: ah...posso ficar com vocês?

Lysandre: pode!

Sentei-me ao lado de Lysandre e procurei junto com ele, mas não achei nada sobre os pontos fracos dos acólitos.

Dake: o que vocês estão lendo?

Bonnie: pontos fracos de monstros.

Dake: monstros, tipo etéreos e acolitos?

Bonnie: tipo isso!

Dake: falando sobre eles! seus amigos me contaram que você foi muito corajosa distraindo os acólitos! Pode me contar mais sobre essa história?

Bonnie: não fiz nada de mais, só aproveitei o momento!

Dake: entendo! Mas me conta uma coisa. Como você chegou aqui na escola? Você recebeu uma carta? Você teve um sonho?

Preferi mudar de assunto.

Bonnie: estou com sono, vou dormir!

                          ...

Era outro dia e Dake veio falar comigo.

Dake: sobre ontem...desculpa se eu falei algo errado.

Bonnie: está tudo bem.

Fui até o refeitório para pegar meu café, Dake também foi e se sentou comigo. Parece que nós acordamos muito tarde.

Lysandre entra pela porta esfregando os olhos, acho que acordou agora também.

Acenei para ele e este veio em nossa direção com o café dele.

Bonnie: hey, preguiçoso!

Lysandre: não fale nada, que você também acordou agora!

Lysandre colocou na boca uma colher com seu cereal.

Lysandre: ah...bom dia, Dake!

Dake: bom dia...

Acabamos de tomar café e fomos lá fora, estavam todos lá.

Priya nos viu com o Dake e o chamou para ir com ela, eles pareciam estar se divertindo.

Estava pensando, quando o Lysandre me tirou de meus pensamentos.

Lysandre: ei, vamos voltar a fazer nossas pesquisas?

Bonnie: vamos!

Lysandre: vamos!

Fomos até a biblioteca e passamos as últimas 5 horas lá, mas sem nenhum avanço.

Bonnie: esquece, não vai dar certo essa pesquisa!

Lysandre: não, não vamos desistir!

Ele veio para perto de mim e nossos rostos ficaram com poucos centímetros de distância.

Comecei a corar, e quando íamos quebrar essa distância entre nós, ouvimos um grito que parecia ser da Viollete.

No mesmo momento nos afastamos e corremos para o pátio, no local havia um etéreo.

Cada um estava lutando, até Dake que tinha acabado de chegar.

Olhei para Lysandre.

Bonnie: Lys, vamos pegar o seu arco e flecha!

Lysandre: vamos!

Entramos para dentro da escola e pegamos a arma de Lysandre.

Fomos para fora e quase todos estavam deitados e sangrando, quem ainda estava de pé era Dake e Rosalya.

Tive um plano.

Bonnie: Lys, tive um plano! Rosa e Dake saiam daí agora!

Os dois me olharam e saíram do caminho do etéreo. Peguei uma pedra e joguei na cabeça do mesmo.

Bonnie: vem me pegar!

Joguei mais uma pedra nele e acho que este ficou irritado.

Lysandre: está louca?

Bonnie: sai, Lys! agora!

Lysandre foi para o lado, e eu comecei a correr.

Senti o chão tremer, o etéreo estava me seguindo.

Entrei na escola e comecei a subir as escadas para o terraço, e o etéreo ainda me seguindo.

Atrás do etéreo veio Dake, Rosalya e Lysandre.

Bonnie: aqui é melhor pra lutar, porque nossos amigos não estão deitados no chão quase morrendo e não tem uma Ymbryne cuidando de cada um!

Começamos a lutar, como era só um etéreo então foi mais fácil, mas fui atingida e caí de costas na parede.

O etéreo pegou um vaso de pedra grande que tinha ali ao lado e jogou com força na minha cabeça.

Caí no chão com a cabeça sangrando e desmaiei.

Acordei em um lugar totalmente diferente, sentei-me na cama e olhei para o lado.

Lá estava Lysandre dormindo, estava tão fofo que fiquei com receio de acorda-lo.

Toquei em seu ombro e ele acordou assustado.

Continua...

Até a próxima bbs

Bezus :D

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...