Mina Loka(volume 1)

Maria e Isabela sempre compartilham todos seus problemas, principalmente as decepções amorosas que colecionam a cada ano que passa. Após ambas serem iludidas por seus atuais namorados e levarem um pé na bunda dos galãs, Maria e Isabela se unem para construir um exército de garotas iludidas com um único objetivo, se vingar de seus ex-namorados.
Uma vingança divertida e ao mesmo tempo diabólica de lindas garotas que já foram sensíveis.
esse volume começa com a vingança de Rosa

0Likes
0Comentários
227Views

Author's note

uma ficção criativa para todas as garotas se divertirem um pouco lendo e esquecer esses caras que não sabem valorizá-las
AA

3. O inicio

- Você está bem?

- Acho que não. - respondi tremendo igual a um pintinho molhado.

A menina segurou minha mão e me levou até um galpão velho que ficava mais a frente da fábrica. Nesse galpão as portas não existiam mais, a luz do sol invadia alguns buracos que apesar de pequenos, permitiam sua entrada. Se sentei no chão, apoiando as costas na parede que de tão velha parecia estar prestes a desmoronar, a menina se aproximou de mim com um olhar de medo e tristeza.

- Aonde você mora?

- Não é muito longe.

- Porque veio até este lugar horrível, não sabe que aqui é perigoso? - perguntou, olhando ao seu redor.

- Não conhecia muito bem aqui, mas depois de tudo que aconteceu comigo, o melhor seria morrer mesmo.

- Porque diz isso? Você é tão jovem.

- Fui traída por  meu grande amor. Hoje mesmo vi ele com outra.

- Nossa, sinto muito.

- Só confirmei minhas suspeitas, mas não quero falar disso.

A menina ficou a me olhar por alguns segundos e então respondeu a pergunta que seria feita por mim em instantes, parecia até que ela tinha adivinhado.

- Eu vim parar nesse lugar horrível por causa de amor também... confiei na pessoa errada e fiquei desiludida, e hoje se encontro aqui, a base de química para esquecer e sobreviver a esse inferno urbano.

- Esses homens só servem para nos magoar.

- Sim, não quero mais acreditar neles, acho que vou morrer aqui, anestesiando minha dor há cada dia com minhas drogas.

- Eu acho que podemos resolver esse problema e se libertar dessas dores internas.

- Como? - perguntou a menina que se chamava Rosa.

- Estou disposta a se vingar desses imbecis, uma vingança divertida que terá como foco principal, resgatar o tempo que perdemos com eles.

- Interessante, mas será que vai dar certo?

- Sim, se você aceitar, poderemos se unir para aperfeiçoar a vingança que já está arquitetada em minha mente. Juntas, seremos imbatíveis amiga.

Após pensar por alguns segundos, Rosa respondeu.

- Eu aceito.

- Prometo que a partir de hoje, seremos mulheres de verdade. Está na hora de nos libertarmos desses machistas.

 

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...