"Feliz natal? Só se for pra você"

E se o bom velhinho não viesse mais no natal? E se papai noel abandonasse seu título e deixasse as crianças o esperando?
Na cidade de São Bernardo, o encanto do natal se perdeu, estranhamente, sem nenhuma explicação, o bom velhinho desiste do natal e traz uma revelação a tona que destruirá o natal de muitas crianças.
Após essa revelação o natal nunca mais será o mesmo, pois sem papai noel, o natal não tem graça!
OPÇÃO ESCOLHIDA: alegria perdida de natal, personagens clássicos

1Likes
0Comentários
334Views
AA

3. Presente antecipado.


"O momento está chegando, as crianças já estão loucas para tirar as folhas do calendário para verem o número 25 e receberem os presentes do Papai Noel, e como em todos os anos o bom velhinho já deixou sua mensagem, vamos ouvir"

- Venha ver, você vai aparecer na televisão! Gritou minha mulher.

Como sou gordo, não consegui correr muito, mas felizmente cheguei a tempo para me ver na televisão.

" Esse natal, será o melhor de todos. Vocês crianças vão se surpreender com a surpresa que o velhinho Noel tem para vocês!" Disse na entrevista dada pelo jornal da cidade.

- Nossa, você ficou lindo na televisão. Até eu estou ansiosa para ver a surpresa que esta fazendo as crianças.

- Vai ser uma grande surpresa.

Estávamos no dia 18, reuni os elfos novamente e passei as tarefas para cada um, e entusiasmados com o dinheiro prometido, se apressaram para executar as minhas ordens. Eram 7 elfos que se dividiram em dois grupos, eu fiquei acompanhando o segundo grupo que tinha 3 anões, aonde se direcionamos para uma fábrica de brinquedos, a única da cidade que distribuía para todas as lojas. Já era 10 da noite e tinha poucos seguranças, o primeiro que estava na porta, os elfos desmaiaram ele com alguns socos, imagina a cena, um guarda de aproximadamente 1,80 de altura sendo atacado por 3 elfos que gritavam com vozes finas? Em vês de ficar nervoso, gargalhei muito.

Os outros guardas estavam dormindo, então nem foi preciso apelar para violência. Já dentro da fábrica, tirei um fósforo de dentro do bolso e dei para os elfos riscarem, mas antes despejamos gasolina ao redor dos brinquedos que já estavam prontos para serem transportados. Quando acendi o fósforo, só vi elfo correndo de um lado para o outro desesperado, pois eles tinham medo de fogo, talvez porque seguiam a teoria de viver no Pólo Norte e quase não ficar a presença do fogo.

- Se acalmem elfos, se ficarem correndo, vão se machucar!!

- Fogo! É fogo!! Gritavam eles, desesperados.

- Se continuarem correndo não terão dólares!

A palavra dólar serviu como uma luva, todos ficaram imóveis, repetindo a palavra dólar, fiquei até preocupado, pareciam estar hipnotizados. Aproveitei e tirei todos dali, antes que alguém nos pegasse.

O fogo já tomava conta do local, e por causa dos alarmes de incêndio os guardas despertaram, felizmente, porque a minha intenção não era machucar ninguém.

Saímos correndo a quase 100 KM/H, o trenó que tinha um bom recurso de tecnologia, servia como carro também, tinha a altura de uma Charrete, mas corria mais do que qualquer carro naquela noite. E presenciando a fábrica sendo queimada aos poucos, começamos a gargalhar, o meu "Ho Ho Ho", saiu mais cruel do que pude imaginar.

Passava pelas ruas e gritava para todos que me viam.

- Feliz Natal palhaços!

Uma missão já estava cumprida, e na mesma noite o prefeito me ligou para me parabenizar sobre o ocorrido.

- Continue assim senhor Noel! Vou até te dar um adiantamento, você merece!

- Obrigado senhor, pode contar comigo.

Desligando o telefone, minha mulher me chamou, como odiava ouvir ela gritar e não queria que fizesse esforço pra não levantar do sofá, corri até ela.

- Chegou tarde, já está trabalhando?

- Sim minha velha, esse natal será mais corrido do que o passado. 

Enquanto conversávamos, meu neto entrou com seu Tablet querendo me mostrar algo.

- Mas você ainda está acordado menino?

- Quem disse que ele me obedece. Disse minha mulher, já bocejando de sono.

- Vovô, a fábrica de brinquedos do Papai Noel queimou!

- Como?! Perguntou minha mulher surpresa.

- E agora, como ele vai dar o meu presente?

- Seu presente foi guardado por ele. 

- Ele te disse isso vovô?

- Sim. Agora vá dormir vai.

Meu neto não sabia que eu era o Papai Noel, na realidade se eu contasse, ele não acreditaria. Mas nesse natal, infelizmente, ele também saberia que o Papai Noel não existia.

- Velho, e agora? Como vai entregar os presentes?

- Vou dar um jeito, vou dar um jeito. Respondi, pegando minha mulher no colo, pois ela não conseguia andar e por isso precisava levá-la para o quarto, usando minha força.

O dinheiro de minha aposentadoria não possibilitava que comprasse uma cadeira de rodas decente para minha mulher, mas essa dificuldade terminaria quando recebesse o meu adiantamento que chegaria amanhã. Afinal, minha velha merecia ter um final de vida feliz.

Acordei bem cedo, antes do que todos e fui ao banco pegar o dinheiro, e antes de chegar em casa, comprei a cadeira de rodas mais tecnológica que tinha na loja e paguei para levarem até minha casa. Por um bom dinheiro que dei, embrulharam a cadeira e colocaram um laço enorme pra enfeitá-la. Chegando em casa, peguei minha mulher no colo, e a coloquei no sofá, então ela viu o enorme presente e já deduziu que era pra ela.

- É pra mim?

- Sim, pode abrir!

Como ela não conseguia se levantar, ajudei a abrir o presente, quando viu que se tratava de uma cadeira de rodas, começou a chorar, eram lágrimas de felicidade, pois eu não tinha lhe comprado uma simples cadeira, mas sim, lhe dei a liberdade que ela tanto queria há mais de 10 anos. 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...