Perfeição

Emy é uma garota de 14 anos que luta pra seguir um grande sonho, mas seus pais não apoiam e dificultam que chegue até onde deseja. Criada no berço de ouro, é tratada como uma princesa e controlada semelhante uma marionete, como todos os jovens, ela também quer sair e tomar atitudes sem que alguém tome por si.
Pra piorar, seu coração bate mais forte por um garoto mais velho que a deixará louca de paixão, só provocando a ira de seus pais. Uma guerra familiar envolvendo diversos problemas, fará de Emy a grande vitima ou talvez a única sobrevivente.

2Likes
0Comentários
843Views
AA

15. Perdão (final)

- Deus sempre faz o melhor para todos, apenas somos ignorantes e não conseguimos ver. Disse Tiago, trazendo uma xícara de café para meu pai.

- Me perdoa Tiago? Eu fui muito covarde, reconheço que você é um homem especial, minha filha não poderia ser feliz sem você e o Ballet. Obrigado por encorajá-la a não desistir de batalhar pelo seu sonho.

- Não precisa pedir perdão, eu só quero ver vocês dois unidos. Só depende de vocês, eu apenas quero virar as costas nesse momento, levar as xícaras de volta para seu lugar e ver ambos abraçados.

Tiago fez o que disse, se afastou e levou as xícaras para a lanchonete do hospital. As palavras de Tiago haviam tocado meu coração, realmente eu não podia deixar o ódio me corromper, tinha que aprender a perdoar e ainda chorando, abracei meu pai, fazendo o que realmente era certo.

- Me desculpa pai, desculpa!

- Eu te amo filha.

Presenciando a cena, Tiago veio até nós e nos abraçou, feliz por não ter se decepcionado comigo.

Desde que perdi minha perna, aprendi muitas coisas na vida, aprendi a amar o próximo, a usar a empatia, aprendi a valorizar e deixar de reclamar por pequenos problemas, perdi o medo de quebrar a cara, pois descobri que se não tentarmos, nunca saberemos se vamos conseguir realizar nossos sonhos. 

A palavra superar foi a munição para minha arma chamada esperança, superei o preconceito de todos quando perdi minha perna, superei o auto preconceito, pois nem eu me aceitava como uma deficiente física, e superei o ódio que tentou dominar meu coração. Talvez não haja outra palavra para definir essa minha grande jornada, sempre idealizei a perfeição, exigindo de mim ser a melhor bailarina do mundo e ser perfeita no palco e na vida, mas hoje, vejo que tudo isso eram luxos e ambições desnecessárias, que só podemos alcançar a perfeição se soubermos identificar os nossos erros e aprender a perdoar e amar quem já nos fez chorar. Tiago me mostrou que nada é impossível, e com a ajuda de Deus, conseguiu fazer de meu coração, um ninho de amor, aonde alimento ele através do convívio com meu pai, resgatando o nosso tempo perdido.

 

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...