Perfeição

Emy é uma garota de 14 anos que luta pra seguir um grande sonho, mas seus pais não apoiam e dificultam que chegue até onde deseja. Criada no berço de ouro, é tratada como uma princesa e controlada semelhante uma marionete, como todos os jovens, ela também quer sair e tomar atitudes sem que alguém tome por si.
Pra piorar, seu coração bate mais forte por um garoto mais velho que a deixará louca de paixão, só provocando a ira de seus pais. Uma guerra familiar envolvendo diversos problemas, fará de Emy a grande vitima ou talvez a única sobrevivente.

2Likes
0Comentários
847Views
AA

12. Esperança renovada.

As más notícias começaram a surgir e muitas pessoas diziam que Tiago não sobreviveria a cadeia, pois os presos poderiam o matar, pensando que ele fosse um pedófilo ou algo do tipo, mas o que não sabiam era que ele estava sendo injustiçado, e isso só me desesperava a cada momento.

O pior de tudo é que ninguém se importava com os meus sentimentos, o empresário da nossa companhia em vês de me consolar, me pressionava a cumprir os shows que havia marcado. Mas como dançaria sem a presença do Tiago? Não seria a mesma mulher, além de que eu não era tão insensível de se apresentar enquanto ele  estava preso, correndo risco de morrer.

E o que eu mais precisava era vê-lo, só depois de uma semana, pude fazer uma visita na prisão. Era a primeira vez que entrava em um presídio, e esperava ser a última, pois ser revistada e receber piadas idiotas de prisioneiros era muito humilhante. Quando fiquei frente a frente com Tiago, comecei a chorar, o seu rosto estava todo machucado e corpo pior ainda, tudo demonstrava que tinha sido agredido.

- O que aconteceu com você bebê?

- Me bateram amor, pensaram que eu fosse um pedófilo. Seus pais me acusaram disso, agora estou morto.

- Tenta ficar calmo, prometo que vou convencer meus pais de tirarem a denúncia.

- Não amor, eles não vão aceitar. E também não quero que se humilhe por eles.

- Tiago, deixa eu tentar? Não posso ficar parada, apenas aguardando uma notícia ruim.

- Ok. Mas preciso que você me prometa uma coisa?

- O quê?

Ele respirou, fazendo um pouco de careta pois até para respirar fundo, seu rosto doía.

- Não pare sua carreira, lhe peço que continue.

- Mas amor, eu não consigo.

- Por mim, você vai conseguir, tenta por favor?

Olhei para Tiago e chorando, concordei, me vendo chorar ele se manteve firme e como um bom namorado, tentou me acalmar como sempre fez em nosso relacionamento.

- Eu não quero te deixar aqui, é difícil deitar na minha cama e dormir sozinha, sem ter a sua presença.

- Não chora amor, eu preciso que você se mantenha forte. Promete me esperar?

- O tempo que for preciso. Disse, colocando a mão no vidro pelo qual nos separava.

Se foi difícil para entrar no presídio, sair foi mais complicado, não queria deixar Tiago naquele inferno, e precisando ajudar, fui direto para casa de minha mãe, aonde fui recebida pelo meu "querido" pai.

- Ah, é a sua filha! Disse meu pai, avisando minha mãe.

Depois de muito tempo, entrei na casa aonde fui feliz, claro, enquanto criança pois a adolescência foi um inferno.

- Ao que devo a honra filha?

- Tire a denúncia contra Tiago, ele é inocente mãe.

Minha mãe não disse nada, apenas verificou se meu pai havia subido para o quarto, o que me intrigou. Ela parecia estar bem nervosa, pois pegou um copo d' água e mal conseguia segurar, de tanto tremer a mão.

- Me responda mãe, não foi a senhora que quis denunciar Tiago né?

Ela respirou fundo e respondeu.

- Foi ideia de seu pai, ele me forçou. Você sabe que ele é violento, tenho medo dele.

- Não tenha mais. Tiago está pagando por uma idiotice de meu pai. O meu pai quer fazer o mesmo comigo, quer me prender as suas correntes. Não se acovarde mãe!

- Eu não sei se devo, tenho medo dele descobrir.

- Não vai descobrir, ajuda Tiago por favor.

Minha mãe não conseguia negar nada, todas decisões quem tomava era meu pai, pois por ela não me proibiria de nada, mas o machismo de meu pai, a acovardava e a fazia ficar quieta apenas aceitando tudo, mesmo não gostando. Só que dessa vez ela não tinha opção, tinha que me ajudar, ou teria que suportar a minha ausência, pois sem o Tiago, eu não ficaria mais perto de meu pai, consequentemente dela também.

- Está bem, amanhã mesmo vou tirar a denúncia.

- Obrigada, mãe! A abracei.

Se minha mãe conseguisse tirar a denúncia sem meu pai descobrir, Tiago seria inocentado e poderíamos continuar a viver juntos, só dependia dela, nada poderia nos impedir além de meu pai.

 

 

 

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...