Hearts Of Sapphire

"Ter coração nunca foi tão importante."

Corinna desde que nasceu soube que não seria capaz de se acomodar numa vida subjugada pelo sistema.

Num lugar onde seres com poderes fantásticos e humanos vivem uma relação de opressores e oprimidos, ela vê-se obrigada a ir de acordo com as regras de seus governantes para conseguir uma chance de derrotar esse sistema de dentro para fora.

Em meio a aventuras, disputas e intrigas, Corinna descobre ser agraciada com uma dádiva que os outros à sua volta perderam há muito tempo e ela terá de escolher se usará isso para o bem ou para o mal.

0Likes
0Comentários
3609Views
AA

23. ¨22¨

 

 

O almoço foi a nossa última refeição juntos. Todos os vinte e dois, apesar de não ter durado muito.

Tanto as garotas quanto os garotos queriam começar seus preparativos para a noite o mais rápido possível. Fui uma das últimas a sair do Salão das Refeições, não tinha pressa. Não havia muito o que eles pudessem fazer para me tornar minimamente apresentável para um Deorum Superior ou um Governante, disso eu tinha certeza.

Enquanto Marjorie preparava os produtos para passar em minha pele, Laeni passava comigo como eu deveria agir diante dos "poderosos", como eu gostava de ironizar. Apesar de sempre receber uma careta dela.

Nunca manter minha cabeça mais elevada do que a deles. Sempre cumprimentá-los com uma reverência digna. Evitar comentários atravessados ou, como Marjorie deixou bem claro, "segurar minha língua o máximo possível."

Já era "Tarde Baixa", segundo o indicado pelo o monitor ao lado da minha cama. Deveria ser umas quatro, cinco horas da tarde. O Galpão não estava tão cheio. Alguns Escolhidos começariam as preparações no cômodo dos Examinadores.

No momento em que os produtos ficaram prontos, Laeni se pôs a arrumar o meu cabelo. Fearis terminava os últimos detalhes do tão esperado vestido.

Quando eu estava quase finalizada, foi até uma sensação estranha tocar minha pele. Estava mais lisa e macia e viva do que em qualquer dia da minha vida. Era como se eu tocasse em um bebê, sem as tão conhecidas imperfeições. Marjorie só se deu por satisfeita com o seu trabalho quando conseguiu traçar em meus olhos uma linha fina e preta com um líquido meio grudento, então passou o rouge nas minhas bochechas —apesar do sol de Fortuna me garantir uma boa coloração de pele— e uma pasta que fazia o papel de uma gosma chamada gloss que Callandrea costumava usar.

Pensei em minha amiga. Como ela deveria estar naquele momento. Se o seu mais atual marido já havia partido dessa para melhor ou ainda a paparicava dos pés à cabeça. Ela adoraria estar ali, só por aqueles produtos milagrosos. Na verdade, não sei o que ela não daria por eles. Acima de tudo, esperava que ela estivesse bem. A família de Kallien era muito ligada a ele, e eu não sabia o que a possibilidade de perder o filho que levaria o nome da família adiante poderia estar fazendo com eles.

Laeni também havia feito um trabalho espetacular em meus cabelos rebeldes e eu me perguntava se os Deorum tinham alguma coisa especial nas mãos para fazerem tantas coisas na melhor qualidade possível.

O movimento de entrada e saída das pessoas só aumentava conforme o tempo passava. Já era possível ver alguns rapazes nos trajes mais elegantes que eles seriam capazes de usar em quase toda as suas vidas, e as garotas em seus vestidos nada modestos que me faziam perguntar a mim mesma se o meu seria tão monstruoso como o de algumas.

Dentro do Galpão, não era muito fácil deduzir quantas horas faltavam até a Cerimônia, porém, quando os Escolhidos começaram a sair e não retornar mais, era presumível que já estávamos próximos ao horário combinado.

A atmosfera estava bem leve, os Escolhidos sorriam uns para os outros— sorriam para mim— como estivéssemos todos unidos e com um objetivo que pretendíamos alcançar juntos. Como se não acordaríamos daqui a alguns dias e marcharíamos até uma arena e enfrentaríamos uns aos outros como inimigos de longa data. Talvez essa fosse a intenção dos Deorum, que cultivássemos essa vaga imitação de paz. Que víssemos que essa dádiva era algo oferecido e destinado por eles e apenas para eles. Que, se não fosse por um punhado de genes "mal formados", poderíamos ser dignos de uma paz eterna. Verdadeira.

Não que nada disso descesse por minha garganta, mas também não era como se eu pudesse pôr tudo o que queria para fora.

A cada vez que chegava perto de colocar uma unha na boca, eu era repreendida tanto verbalmente quanto fisicamente por Marjorie. Entretanto, eu não tinha culpa por estar ansiosa para ver o que esperavam que eu vestisse. Não podia negar que ver Mattia e as outras garotas arrumadas deixou parte de mim um pouco animada. Embora eu não tivesse muito orgulho em admitir isso.

Fearis entrou pela porta agilmente com um pano preto no formato de um vestido, mas que era apenas uma proteção para a verdadeira peça.

—Perdoem a demora, mas epifanias demoram a acontecer.—ela olhou para mim com um sorriso.—Senhorita, estou muito feliz com o resultado, mas o meu objetivo é que te agrade também.

E, com isso, ela descobriu finalmente a peça.

Era a coisa mais linda, fina e elegante que eu já havia visto.

—Num primeiro momento, parece um vestido,mas,—ela ergueu a parte inferior do vestido pondo em evidência os dois espaços para as pernas. —Um macacão.

Laeni e Marjorie estavam com a minha expressão refletida em suas faces: olhos brilhantes e desacreditados e a surpresa estampada nos lábios.

A última arrancou a vestimenta das mãos da funcionária e rodopiou para um espelho ali próximo, fazendo menção para que eu levantasse também. Naquele momento, não havia mais ninguém no recinto além de nós.

—Apesar de pensar que isso vai ser uma afronta às regras de vestes para os Escolhidos, essa peça está magnífica Fearis. A cor, o tecido, o caimento.—ela me puxou para a frente do espelho colocando o macacão sobre o meu corpo ainda vestido.—Por que não se esforça para fazer algo assim para mim?

Fearis apenas deu um sorriso tímido e comentou baixinho:

—Tenho uma dívida com a senhorita Lestat.—meu sorriso para ela fora sincero e espontâneo.

—Sabe o que será uma afronta para nossos Governantes?—Laeni se intrometeu pegando o macacão da mão de Marjorie e entregando-o definitivamente para mim.—Se nos atrasarmos mais um minuto sequer para entrar naquele salão.

Quando entrei no banheiro ainda fui capaz de ouvir Marjorie se arriscar a dizer para sua irmã.

"Estamos com tempo. O atraso apenas tornará as coisas mais interessantes. Apesar de que não tenho dúvidas de que quando Corinna entrar ali não terá dificuldades em chamar atenção com aquela peça maravilhosa."

Um mar revolto, indomável. Era como eu me sentia dentro daquela veste.

A gola do macacão subia até o meio de meu pescoço, sem mangas e sem costas, era como se eu estivesse vestida com um próprio oceano azul safira. Ele era justo por toda extensão do meu tronco, mas, um pouco abaixo da cintura ele se libertava até grudar novamente em meus tornozelos, o tecido em cada perna se desprendia como se quisesse seguir o seu próprio caminho.

As três garotas me proibiram de olhar no espelho até que eu estivesse finalmente pronta. Eu não sabia mais o que faltava.

Fearis me contou que com o corte de grande parte da saia que formaria o vestido, ela conseguira uma echarpe prata para que eu não sentisse minhas costas muito expostas durante o evento. Quase beijei seus pés por isso.

Os sapatos também não tinham saltos, eram como uma meia, mas muito menos informal e muito mais adornado.

Por fim, Laeni, pegara uma caixa média retangular e me entregou. Lá dentro havia o mais lindo dos enfeites que eu já vira. Ela tirou o adereço com delicadeza e da mesma forma o posicionou na minha cabeça. Os pingentes caiam sobre minha testa como uma queda de estrelas.

—Acho que agora eu já posso me olhar.—todas me observavam com uma expressão que eu não conseguia decifrar, mas logo descobri quando me observei o motivo.

Retifiquei, em minha mente, o que eu pensara mais cedo. As meninas, surpreendentemente, conseguiram me deixar aceitável para qualquer coisa que estivesse nos esperando naquele salão.

Eu não era mais a Corinna Lestat, uma dos Escolhidos do vilarejo de Fortuna para o Sacrifício desse ano. Eu era alguém irreconhecível até mesmo para mim.

Quase poderosa, imponente.

A cor do vestido parecia aprofundar ainda mais a cor dos meus olhos. Eu era dos pés à cabeça um exuberante mar revolto e quando eu me movia parecia que a echarpe fazia o papel de uma tempestade naquele oceano azul.

Respirei fundo para o meu reflexo, mas não pude admirá-lo por muito tempo. Era tarde.

Não tinha nem palavras para agradecer cada uma das meninas e apenas consegui expressar um olhar e um sorriso agradecido. Elas pareceram estar satisfeitas.

Saímos do Galpão com passos ágeis e um pouco apressados.

Pensei em meu pai e imaginei como as lágrimas inundariam seus olhos se ele me visse daquele jeito. Porém, minha missão era muito maior do que usar vestes bonitas e me sentir bem com elas. Queria que ele sim derrubasse lágrimas de orgulho, mas para algo muito maior. Para a nossa liberdade.

Eu ia na frente, Marjorie e Laeni atrás, como de costume. Lamentei Fearis, que teve tanto trabalhado e se mostrara tão prestativa, não poder participar da Cerimônia. Ela não hesitou em me desejar boa sorte quando eu a agradeci pela milésima vez.

Laeni guiava o caminho com sua voz calma.

Ambas estavam igualmente radiantes à suas maneiras.

Marjorie usava um vestido elegante e verde com várias estampas cor de prata. Laeni também usava um preto como a noite, simples mas cativante, com pequenos detalhes dourados.

Viramos na direção oposta ao salão que geralmente ocupávamos nas refeições.

Em instantes, paramos em frente a portas duplas muito bem decoradas e elaboradas que chegavam ao teto.

Marjorie repassou comigo alguns protocolos rápidos.

—Quando você estiver pronta.— as duas disseram juntas ao pararem ao meu lado e apoiarem, cada uma, uma mão nas portas.

Assenti.

 

❖❖❖

Notas Finais:

como vocês estão? o que acharam do capítulo?

Estou pensando em deixar os capítulos, mais compridinhos como esse, oq acham?

deixem seu comentários, opiniões etc...

não se esqueçam de votar/favoritar e indicar para os amigos.

a playlist da história está em construção, mas já está disponível no link: bit.ly/hosplaylist

me sigam no twitter: @whodat_emmz

até mais

xx

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...