X-Men: A Nova Era

Com a implementação do Programa EQUALITY pelo governo americano, a raça Homo Superior finalmente encontra a paz e igualdade política que tanto desejava. A guerra entre homens e mutantes chega ao fim, possibilitando que instituições de ensino como o Instituto para Jovens Superdotados do Professor Xavier se popularizem ao redor do mundo. É neste contexto que a jovem Sarah Winston, portadora de um curioso poder de detectar mentiras e segundas intenções, se inscreve no Colégio Interno de Jovens Extraordinários Kitty Pryde. E o seu instinto não engana; há uma grande mentira escondida dentro desse suposto período de paz.

NOVOS CAPÍTULOS SEMPRE QUE DER NA TELHA. MAS SÁBADO ÀS 20H É CERTEZA. ;) || NÃO PERCA!

1Likes
0Comentários
397Views
AA

4. CAPÍTULO 3: Toda Pergunta Merece Uma Resposta.

17h43. Colégio Interno de Jovens Extraordinários Kitty Pryde. Londres, Inglaterra. 

 

Assim que Duncan estendeu a mão para ajudar Sarah, o som de passos estalou no fim do corredor. Sarah aproveitou a distração do rapaz para poder encará-lo com um pouco mais de ousadia. Duncan se enquadrava perfeitamente na categoria "garoto-problema": tinha uma pele morena e macia, apesar de sua mão (que ela ainda estava segurando) ter uma textura rígida, como de alguém que realizava muitos trabalhos braçais; era alto o suficiente para tocar facilmente o teto se levantasse os braços e tinha uma sobrancelha grosseira que o deixava com uma eterna expressão de contrariado. O  trajava um sobretudo vermelho cor de vinho que, junto com suas luvas de lã pretas rasgadas nos dedos, lhe davam um aspecto de mendigo feat. hipster.  Mas eram os seus olhos que o tornava mais deliciosamente perigoso; eram  pequenos e rasgados, como os de um gato traiçoeiro pronto para pular em sua presa.

 

"Hey, Duncan. Não foi treinar hoje?", perguntou a negra gorducha de lábios volumosos que se aproximara dos dois, "Ou preferiu acompanhar a princesinha para a porta do castelo?", ela acrescentou em um tom jocoso. 

 

"BJ, BJ, sua língua ainda vai te causar sérios problemas", Duncan esboçou um sorrisinho torto e foi em direção da recém-chegada, "Você tem sorte de ser uma das minhas preferidas, bolinha", ele deu uma piscadela carinhosa e virou o rosto para Sarah, "A BJ é gente fina, se ficar junto dela tenho certeza que estará em boas mãos. Um pouco pegajosas talvez, mas ainda assim, boas. Tenho que ir, baixinha. Fui!", ele levou as mãos até a testa, fez um aceno ao estilo militar e seguiu caminho pelo corredor, apagando as luzes das paredes a cada luminária que passava perto.

"Exibido", BJ disse, revirando os olhos, "Ele adora fazer esse truquezinho velho das luzes com os calouros. Se acha o David Copperfield." ela tinha um perceptível trejeito malandro em seu modo de falar. BJ entrou no alojamento e seguiu para uma das camas perto da parede, no fundo da sala. "Então, novata, já escolheu a sua cama? Somos apenas quatro garotas no momento, agora cinco com você, então o que não falta é opção."

 

Sarah seguiu BJ e deu uma zapeada rápida com os olhos pelo quarto. Havia pelo menos vinte camas no aposento, sendo visível as que já estavam ocupadas. Ela sentou na cama de frente para BJ e olhou, deitando as mãos no colo em um gesto apreensivo. 

 

"Bem, eu só quero ficar em uma cama o mais distante possível da Narcisa. Esta aqui está vaga?"

 

Ela balançou a cabeça, consentindo. Logo depois seus olhos se encurtaram em duas pequenas fendas, com a cara zombeteira de quem tinha descoberto um segredo guardado a sete chaves, " Mas peraí, você já conseguiu arranjar problemas com a nossa cobrinha preferida?", BJ soltou uma gargalhada esganiçada, "Até imagino o porquê: Não caiu no velho trote de calouro."

 

"É meio difícil cair em qualquer lorota quando se tem um poder como o meu." 

 

"Como assim?", BJ sentou na cama também, o brilho escarlate da curiosidade transparecendo em seus olhos de jabuticaba.

 

"Bem... Desde que eu me entendo por gente eu sinto uma espécie de pontada na cabeça quando alguém me conta uma mentira ou tenta me enganar de alguma forma", Sarah jogou a mochila que carregava em suas costas na parte debaixo da cama, "É horrível, e a maior parte das vezes eu não tenho noção do que esses sinais estão querendo me avisar." A jovem fechou os olhos, percebendo a situação cautelosa que poderia se colocar se falasse demais. Esse era o grande motivo por ela ter decidido estudar no Kitty Pryde. A sensação de que o seu poder tinha muito mais a revelar do que ela jamais compreendera a matava internamente. Nos últimos meses, seu detector mental tinha se manifestado com mais frequência e com mais força, em situações que ela sabia que não estavam diretamente conectadas as pessoas a sua volta. O que quer que estivesse afetando o seu poder, era algo maior do que as mentirinhas que já tentaram lhe passar.   

 

"Tenho certeza que Eterna poderá te ajudar com isso. Todos os novatos fazem a primeira sessão de treinamento sozinhos diretamente com ela. É uma forma de ela analisar as dimensões do seu poder e sua possível aplicação caso tenha interesse em se tornar uma mutante ativa.  E não se engane", BJ deu um sorriso amarelado, "Todos aqui te pressionarão para ser uma mutante ativa. É quase um ultraje para eles que você, sendo da raça Homo Superior, queira apenas aprender a controlar os seus poderes para viver como uma típica Homo Sapiens. "

 

"Eu imagino. A Víbora lá quase me estrangulou porque perguntei sobre a necessidade de ser mutante", Sarah percebeu que havia contado seu questionamento dúbio para BJ e que ela também poderia compreendê-la mal, "Não que eu ache ser ruim ser mutante, é que apenas...

 

"Relaxa, branquela", BJ olhou para as próprias unhas, distraída, "Todos tem o direito de se fazer essa pergunta. Só tenha cuidado com quem você procurará para respondê-la." 

 

Sarah refletiu por um tempo. Talvez fosse apenas uma impressão equivocada, mas BJ parecia estar viajando para outro lugar em seus pensamentos. O clima havia ficado pesado no simples estalo de uma mudança de assunto indevida. 

 

"Mas bem...", Sarah tentou consertar a situação, "O Duncan te chamou de bolinha. Você não acha isso um pouco ofensivo?"

 

"Ai meu deus", Sarah pensou, "que diabos de comentário é esse, garota estúpida?"

 

"Ah, o Duncan é uma piada!", BJ aliviou os músculos e soltou mais uma gargalhada, "A gente se conhece desde muito antes de entrarmos aqui. Morávamos na mesma vizinhança em um bairro da periferia de Liverpool. Somos amigos de infância. Foi com ele que eu me lembro de ter manifestado meu poder pela primeira vez."

 

Sarah se segurou para não fazer mais nenhuma pergunta, por mais que estivesse curiosa para saber qual era o poder de BJ. Ela sorriu e ia perguntar algo sobre o relacionamento dela com Duncan, quando...

 

"Sarah Winston, Eterna Pide falando", Sarah olhou para uma parede no lado esquerdo do alojamento. No topo dela, havia um alto-falante que imitava um pequeno planeta Terra, com toda o território terrestre coberto de verde e pequenas plantinhas de plástico, "Seu primeiro treinamento acontecerá na Câmara de Treinamento 3, no final do jardim traseiro da escola. Todos os alunos também estão convocados para participar do teste."    

 

E em um espaço de cinco segundos, o mundo de Sarah virou de cabeça para baixo.

 

"É. Acho que há uma primeira vez para tudo aqui em Kitty Pryde", BJ comentou, coçando a cabeça. 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...