Prisioneiros

Elise e Rafael foram sentenciados a passar a vida na prisão. Em busca pela liberdade Elise encontra uma competição de luta na qual ela é proibida de participar por ser mulher, Rafael busca um plano de fuga para se livrar da competição que certamente significará sua morte. O que os dois estão dispostos a fazer para alcançar a liberdade não só de si mesmos mas de sua família?

0Likes
0Comments
152Views

1. Bruxaria

- Elise? - chamou Maria, uma pequena garota de 8 anos cabelos loiros e olhos azuis fazendo sua irmã mais velha se virar para encara-la. Elise parecia muito com a irmã, o mesmo rosto em forma de coração, os mesmos olhos claros que agora expressavam terror ao olhar o sangue que escorria do braço da irmã, a maior diferença entre as duas era que diferente dos cabelos loiros e lisos de Maria, Elise, tinha os cabelos negros caindo em cachos pelas costas.

- Mari, o que você fez? - perguntou a mais velha limpando o braço da criança com um pedaço velho de pano molhado.

- Eu estava brincando. - informou a outra com cara de culpa.

- Vem, vamos te levar na Ana. - disse Elise pegando a loira no colo e caminhando 30 minutos até uma pequena casa suja com vários tipos de plantas estranhas e amuletos com símbolos variados. As garotas entraram sem bater, uma vez do lado de dentro a casa cheirava a sangue e algo queimando.

Elise chamou pela dona da casa, uma mulher baixa de cabelos brancos vestida de trapos veio andando na direção da garota, ela tinha um andar curvado como se seu próprio corpo fosse pesado demais para ela mas seu olhar era rápido e inteligente e ao ver as meninas um grande sorriso apareceu em seus lábios.

- Meus amores, fazia tempo que vocês não me visitavam! - exclamou a mulher antes de ver o corte de Maria. - o que você andou aprontando. - reclamou ela revirando os olhos, Elise colocou a mais nova em uma cadeira e Ana começou a olhar seus ferimentos. - Eli, pegue a jarra azul para mim. - ordenou a velha fazendo Elise sair de perto da irmã.

Haviam centenas de jarras azuis pela casa, mas Elise estava tão acostumada a ajudar Ana que ela sabia exatamente de qual ela falava. Quando o pai das meninas morreram Elise não sabia como cuidar de Maria, seu pai a havia ensinado a se proteger já que trabalhava fora e não queria deixar as filhas sozinhas e desprotegidas, por um tempo Elise se unirá a lutadores de rua e ganhará seu dinheiro nas apostas assim como vários órfãos faziam, ela era boa mas com 15 anos, na época e sendo a única garota a batalhar a garota nem sempre era bem sucedida, foi assim que ela conheceu Ana que a tirou das ruas e dera trabalho como sua ajudante, além de convencer o ferreiro a deixar Elise ajudá-lo quando o dinheiro não era suficiente para ela e Maria, as meninas deviam tudo a Ana.

- Eu estava brincando. - contou Maria outra vez enquanto a velha amassava as folhas da jarra azul e fazia com elas uma pomada e aplicava cuidadosamente.

- Obrigada Ana. - Agradeceu Elise quando um homem entrou correndo na casa. - Maria vá para o quarto e não saia! - Ordenou Elise fazendo a mais nova obedecer.

- Eles estão vindo! Os homens do rei estão chegando! - Contou o homem exasperado.

- Ana, precisamos ir.

- Elise pegue sua irmã e vá embora. Eu não sou rápida o suficiente. - Ordenou a velha. Elise tinha os olhos cheios de água, ela tirou uma adaga da perna que ficava encoberta pela saia longa.

- Leve a Mari, eu atraso os soldados. - Avisou a menina, mas Ana não quis ouvir.

- Elise, pegue a sua irmã e vai embora! - Ordenou de novo, dessa vez a garota obedeceu, ela entrou em uma das portas onde Maria esperava sentada em uma pequena cama.

- Vamos embora. - informou a mais velha pulando a janela antes de ajudar a irmã a fazer o mesmo.

As garotas ouviram um barulho alto e pessoas gritando, Elise pegou a irmã no colo e começou a correr, elas não sabiam aonde o homem que havia informado nos guardas estava mas agora aquilo não era prioridade, o lugar mais perto da casa de Ana era sua própria casa e mesmo isso era a 30 min de distância.

- Procurem para ver se não há mais ninguém! - Gritou um dos guardas enquanto vários passos podiam ser ouvidos. Não haviam lugares para se esconder, as únicas árvores em volta da casa só serviam para que seus vultos não fossem vistos da casa. Elise corria mas os passos estavam cada vez mais perto e logo elas foram avistadas. - Vocês paradas! Pelo poder investido em mim pela vossa majestade o rei Marcos VI eu ordeno que vocês parem! - Elise não parou, má correr era inútil, os soldados chegaram nas meninas e logo eles estavam em volta delas, Elise empurrou a irmã para trás de si, ainda segurando o punhal com uma das mãos.

- Algum problema senhores? - perguntou a mais velha com um sorriso forçado.

- Você deve ser Elise Ferreira, ajudante da feiticeira Anabella.

- Desulpe, acho que vocês tem a pessoa errada, não conheço nenhuma feiticeira. - informou a garota mantendo o sorriso.

- Você foi encontrada fugindo da casa de uma criminosa e vai ser levada a julgamento. prendam-na! - Ordenou o homem fazendo dois soldados se aproximarem de Elise, a garota soltou a irmã e atacou, o primeiro soldado estava esperando que a garota cooperasse e foi pego desprevenido quando Elise lançou seu peso em cima dele que cambaleou o suficiente para que ela conseguisse segurar seu braço com a espada e torce-lo até que sua espada estava no chão, a garota a pegou com um movimento rápido, lançando o braço de seu punhal contra o rosto do soldado o fazendo cair no chão desacordado.

O segundo soldado estava preparado, ele tinha a espada pronta na mão mas ele não tinha a agilidade da menina e seu uniforme de metal fazia com que seus movimentos ficassem ainda mais fáceis de esquivar e logo ele estava no chão ao lado do outro. Elise tentou lutar contra todos, mas quando um deles pegou Maria a morena soltou suas armas e deixou que a levassem.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...