Angels I- Wings

"Conviver com anjos lhe faz querer ter asas!"

1Likes
0Comments
287Views
AA

12. Capítulo 12- Deixe A Magia Te Levar

As férias começaram. Voltei para a minha casa e o Pedro foi para a casa do Josh. Ele vinha me ver todos os dias e às vezes dormia aqui em casa. Eu amava a atenção que ele me dava. Mas ás vezes não conseguia evitar pensar em qual seria a punição dele. E se teríamos que nos separar.

Hoje nós viajaríamos para a Inglaterra, passear em Londres, visitar meu pai e depois iriamos para Paris. Estava no meu quarto arrumando minhas malas para a grande viagem. Fiquei algumas horas ali, parada pensando que muita coisa aconteceu desde a minha última viagem. Tanta coisa tinha mudado.

Arrumei tudo em uma mala grande. Limpava a casa quando ouvi a campainha.

- Oi, amor! – Disse pulando no pescoço de Pedro.

- Princesa! Eu já estava com saudades.

- Eu também. O que seria da minha vida sem meu príncipe?

- Eu não sei, não! Sou seu príncipe é? – Ele disse me puxando para um beijo.

- Sim. A gente vai perder nosso voo!

- Ah! Estava tão bom... – Ele disse mordendo o lábio inferior, o que me deixava louca.

Peguei minha mala no meu quarto e assim que cheguei à escada, vi Pê correndo em minha direção.

- O que foi? Aconteceu alguma coisa? – Perguntei preocupada.

- Sim. Eu deixei uma dama carregar a mala sozinha enquanto eu ficava sentado no sofá. – Ele deu meio sorriso.

Fomos para o aeroporto, estava cheio. Ficamos alguns minutos na fila para fazer o Check-In e logo entramos na sala de embarque.

- Ansiosa? – Sorriu.

- Sempre! – Respondi empolgada e entrelacei nossos dedos.

Dessa vez, não trouxe livros, filmes nem meu walkman. Sabia que ter o Pepi ao meu lado seria suficiente. Lembrei-me da primeira vez que nos vimos, fazendo o caminho contrário. As memórias dos momentos juntos com ele desde aquele dia vieram a minha mente. Junto com eles uma dúvida.

- Pedro... – Falei e depois suspirei.

- O que foi, Li? Você está triste? – Ele disse carinhosamente.

- Desde aquele dia na floresta... Eu me pergunto o que vai acontecer com você, quando isso vai ocorrer e como a gente vai ficar. – Falei firme, mas com medo.

- Liz, vamos aproveitar enquanto nada acontece. Eu sei que vai acontecer. Mas não tenho as respostas de suas perguntas. Eu penso a mesma coisa ás vezes. – Ele respondeu, ainda incomodado com a pergunta. E logo sorriu me abraçando.

Nós conversamos sobre tudo, a viagem estava tranquila. Sentia-me feliz, realizada e completa.

- Li, me conta mais sobre a sua história. Nós somos tão perfeitos juntos, mas temos tantos segredos...

- Quer saber de tudo? – Comentei agonizada. Suspirei e comecei a contar para o Pedro.

- Minha mãe era uma bailarina jovem quando conheceu meu pai, um menino rico que só queria se divertir. Ela se apaixonou por ele e descobriu que estava grávida. Meu pai se casou só por minha causa, mas não era fiel e não fazia minha mãe feliz. Um dia ela cansou disso e fugiu. Eu morava só com ele. E ele vivia viajando, nunca tinha tempo para mim. Eu me acostumei com isso e resolvi enfrenta-lo no começo do ano. Viver a minha vida. – Eu dei um resumo. – E você?

- A parte que você precisa saber é que o meu superior me disse que depois da batalha da qual eu participei, eu merecia uma promoção... E disse-me que todos os mestres já tiveram contato com humanos e eu não. Então ele falou que confiava em mim e me daria uma missão muito importante. Descobrir o que é ser humano. A casa do Josh foi escolhida para me abrigar porque a Sra. Carter já conhecia o nosso mundo e mantinha tudo em absoluto sigilo e o resto você sabe. – Sorri, processando as informações que ele tinha me dito.

- Como você faz isso? – Disse apontando paras as covinhas da bochecha dele.

- Isso o quê?

- Ser irresistível. Não sei como não te mordia tempos atrás!

- Ah, não! Morder não! Ia doer... – Ele falou em um tom divertido.

- Então para de ser tão incrível.

- Só se você parar de me provocar e deixar-me com vontade de te beijar.

- Beije! – Falei provocativa, buscando a voz mais doce e rebelde. E logo mordi meu lábio inferior.

Ele logo puxou a minha cabeça para perto da sua e beijou-me.

- Liz, você sabe que isso – Pedro apontou para nós – é errado, não?

- Sei. Mas existem coisas que são mais importantes que regras e nós somos uma dessas coisas.

- Eu não quero que você quebre seu coração.

- Eu sei... Mas ás vezes dois corações batem em uma sincronia perfeita. Dois corpos se encaixam perfeitamente. Duas almas se fundem, tornando-se uma só. E quando isso acontece, já era. Não tem como negar, não tem como fugir e a sua vida passa a depender do sorriso da pessoa.

- A minha vida depende do seu olhar. Porque eu sei que algumas meninas são fortes o suficiente para esconder o que sentem atrás do sorriso. Ah... O olhar pode ser seu pior inimigo porque ele não mente. Dizem que os anjos podem analisar as almas. Mas é mentira. Os olhos são avaliados. E sabia que poucas pessoas conseguem sorrir com os olhos como você faz.

Sorri e me aconcheguei nos ombros dele. Logo adormeci e acordei quando sobrevoávamos Londres

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...