Mina Loka(volume 1)

Maria e Isabela sempre compartilham todos seus problemas, principalmente as decepções amorosas que colecionam a cada ano que passa. Após ambas serem iludidas por seus atuais namorados e levarem um pé na bunda dos galãs, Maria e Isabela se unem para construir um exército de garotas iludidas com um único objetivo, se vingar de seus ex-namorados.
Uma vingança divertida e ao mesmo tempo diabólica de lindas garotas que já foram sensíveis.
esse volume começa com a vingança de Rosa

0Likes
0Comentários
169Views

Author's note

uma ficção criativa para todas as garotas se divertirem um pouco lendo e esquecer esses caras que não sabem valorizá-las
AA

6. Desapego

Umas  das coisas que me arrependi em fazer, foi mentir para Isabela. Menti quando falei que morava com os usuários de drogas, apesar de passar parte de meus dias naquele local horrível, voltava a noite para casa, escondendo meu rosto pela touca da blusa e pela escuridão. Menti também para os pais de Denis, fazia tempo que não ia para a escola, e isso foi o meu grande erro, pois além de usuária, estava me tornando ignorante. Fora meu visual que não estava como antes.

Era difícil pra mim ter que se livrar das drogas, queria muito ficar livre mas não tinha o apoio de ninguém. Portanto, continuaria se drogando, pois era meu único refúgio.

Minha mãe pedia um pouco mais de minha presença em seus dias, tinha medo de morrer nas mãos de meu pai e me deixar nesse mundo nojento, onde os homens continuam tentando impor um poder que não possuem. E por falar em homens, continuei com minha vingança, dessa vez acrescentei um pouco mais de meu veneno. Seguia os conselhos de Isabela que por mim já era uma mestre.

Fui até meu quarto que só não era bagunçado por causa de minha mãe, e abri meu guarda roupa encontrando alguns presentes que Denis havia me dado. Se você quer esquecer o seu ex, você precisa se desapegar de tudo que ele lhe deu e que a faça lembrar de sua pessoa, isso é de lei. Então peguei os ursinhos de pelúcia, bilhetes e bijuterias, e joguei tudo no lixo. Amarrei o saco com luvas para não sentir o perfume nojento que ele usava e cuspi em todo aquele lixo, jogando do lado de fora de casa.

Liguei meu celular e seu contato ainda se encontrava no mesmo lugar como se nada estivesse acontecido, sem nenhuma preocupação, apaguei tudo, se livrei também de seus familiares que estavam em minhas redes sociais e bloqueie todos, principalmente ele. Não fique sofrendo por alguém que não lhe ama amiga, você precisa entender que se ele te deixou uma vez, vai fazer isso todas as vezes que quiser, então não se iluda com palavras.

Aproveitei a semana para se divertir, fazia tempo que não ia para uma balada, e que não fazia novas amizades. Fui ao shopping e comprei muita, mas muita roupa mesmo. Tanto que tive a obrigação de parcelar tudo, pois sabia que o limite do cartão que minha mãe me deu estava se esgotando. Comprei um vestidinho lindo, tinha cor de rosas brancas e estava mais colado em minha pele do que tatuagem. Não importa se os machistas vão lhe chamar de quenga ou fresca, se você sentir que a roupa lhe faz bem, use e abuse.

Fui para uma balada em que nunca antes havia frequentado, dancei tanto que minhas pernas estavam doendo. Nisso, parei pra beber um pouco e logo encontrei um gato me olhando, fingi que não tinha percebido então ele veio em minha direção. Conversamos um pouco, até que nos beijamos, pra ser sincera, beijei a noite toda. Se divertir tanto naquela noite que no dia seguinte, acordei na hora do almoço.

Aos poucos fui percebendo que minha vida estava mudando, mudando pra melhor. Tanto que nem usar drogas estava mais, era uma garota feliz que sabia seu verdadeiro valor.

Mas teve uma noite que preciso falar a vocês, não havia ninguém ao meu lado, só um silêncio bom que me deixava calma. A lua brilhava mais do que o sol e o barulho da batida de meu coração ao ver a natureza, me fazia sorrir, foi aí que percebi o quanto estava sendo feliz. Não precisei de ninguém para me chamar de linda, apenas ter visto a lua e meu rosto lindo no reflexo de uma poça de água no chão, me fez sorrir.

Algo que não me fazia sorrir era o assédio que não só eu mas como todas as mulheres sofriam no dia a dia. Ao sair de um mercado vestida ao meu vestido novo, dois velhos babões começaram a me seguir, dizendo um monte de besteiras.

- Nossa, assim você mata o vovô hein. Vem ser minha princesa! - disse um deles.

Foram tantas ofensas que resolvi reagir, parei no meio da rua e parti pra cima deles.

- O que vocês pensam que são?! Será que não sabem respeitar uma mulher? Eu não sou um pedaço de carne que está a venda, será que não tem família?!

- Cala sua boca! Esse vestidinho aí é pra chamar homem, pensa que somos bobos?

- Cala a boca você, seu nojento! O vestido é meu, o corpo é meu!

Com os gritos, as pessoas se aproximarem para ver o que estava acontecendo, até que um dos velhos tentou me agredir com um guarda-chuva, mas um moço passou na frente e socou o velho que caiu no chão com o nariz sangrando. Até que quando olhei para o rosto do moço, o reconheci. Era Denis, meu ex namorado. Só o que faltava para completar meu dia.

 

Direitos autoriais reservados ao autor Stefen Hermenegildo

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...