"Feliz natal? Só se for pra você"

E se o bom velhinho não viesse mais no natal? E se papai noel abandonasse seu título e deixasse as crianças o esperando?
Na cidade de São Bernardo, o encanto do natal se perdeu, estranhamente, sem nenhuma explicação, o bom velhinho desiste do natal e traz uma revelação a tona que destruirá o natal de muitas crianças.
Após essa revelação o natal nunca mais será o mesmo, pois sem papai noel, o natal não tem graça!
OPÇÃO ESCOLHIDA: alegria perdida de natal, personagens clássicos

1Likes
0Comentários
301Views
AA

9. Perdas

- Papai Noel!!! 

- Adivinha o que te trouxe?

- Me dá!! Disse o menino, querendo pegar o pacote de presente.

- Esse ano você foi um garoto muito bom, obedeceu sua mãe e a ajudou nos momentos em que ela não tinha força para continuar. Por isso esse presente é todo seu.

Agoniado para saber logo do que se tratava, o garotinho pegou o pacote e rasgou a embalagem apressadamente, quando descobriu que se tratava de pequenas asas de anjo, começou a pular.

- Eeeeeee, agora eu posso ver meu irmão.

- Exatamente, deixá eu colocar essas asas em você meu anjo.

Com muito cuidado, coloquei as asas no garoto e o peguei no colo, se dirigindo a janela, aonde o trenó já me esperava suspenso no ar.

- Vamos ver seu irmão?

- Sim!!!

Coloquei o garoto no trenó e pedi para os elfos decolarem,  e em menos de 10 minutos chegamos as nuvens, e com muito cuidado levantei o garoto e apontei para as estrelas.

- É aqui que o seu irmão está morando. Daqui ele consegue te ver, acompanha sua vida e as vezes até brinca com você. Não sei se vai consegui-lo ver, mas...

- Eu estou vendo ele!!! Billy!! Oiii Billy!!

Realmente não sabia o que dizer, meus elfos ficaram surpreendidos com o que o menino dizia, será que ele estava enxergando a alma de seu irmão? Eu não duvidava porque além da mágica do natal, existia uma força maior, chamada amor.

A emoção tomou conta de todos e começamos a chorar, chorávamos enquanto o menino sorria apontando a mão para o irmão, depois daquele momento, nunca mais duvidei de nada, o amor era mais forte do que eu pensava. Voltando para sua casa, deixei alimentos e doces para sua família, sua casa era pequena e humilde mas sua mãe trabalhava duro pra lhe dar o conforto que qualquer criança merece. E quando já estava saindo, o menino puxou minha roupa.

- Obrigado Papai Noel, feliz natal!!

- Feliz Natal.

O menino pegou de seu travesseiro uma bala que eu havia lhe dado e dividiu ela me dando um pedaço.

- Eu só tenho isso pra lhe dar de presente.

- Você me deu o presente que ninguém conseguirá me dar nesse mundo. Disse segurando o choro.

O garoto sorriu para mim e se despediu, indo brincar com seus presentes. Entrei no trenó e partimos para outro lugar, o que surpreendeu a todos os elfos pois pensavam em ser a última casa.

- O senhor não disse que era a última casa?

- Mas é, agora vamos para o hospital, preciso entregar os presentes ao prefeito e ao seu filho.

- Mas ele não acredita em Papai Noel.

- Mesmo assim, ele acredita em amor.

Chegando ao hospital, entrei sozinho e toquei a porta do quarto do menino, e quem abriu foi o prefeito já me empurrando para fora.

- O que você está fazendo aqui?

- Eu vim entregar os presentes.

- Já te expliquei a situação dele, e você não pode dar o que ele quer.

- Eu não, mas você pode.

- Não estou entendendo porém não vou permitir que entre no quarto de meu filho.

Enquanto ele falava, tirei do saco uma fantasia de Papai Noel o entregando, junto a alguns brinquedos.

- Eu não vou vestir isso.

- Seu filho quer ter o seu pai de volta, ele quer ver o seu sorriso. Não deixe o esperando.

- Eu já disse que não vou vestir.

- O natal é a data do amor, faça com que seu coração fique em paz, o sorriso de seu filho será um presente para todos.

O homem me olhou e após pensar, vestiu a roupa e entrou no quarto. Pela fresta da porta, vi pai e filho se divertindo como nunca, o prefeito era mais carinhoso do que eu podia imaginar, nem parecia aquele homem frio que ameaçava em cortar minha aposentadoria. Presenciar a felicidade daquela criança que mesmo doente, ainda tinha esperança e não reclamava, me fez repensar sobre todos os erros que já cometi, e tenho certeza que naquele momento, a opinião do prefeito mudaria em relação ao natal.

Com a missão cumprida, voltei para casa já ao amanhecer, agora era a hora de curtir o meu natal com minha velha, estava tão animado que entrei correndo, esquecendo o cansaço. 

- Minha velha?

Chamei por ela, mas parecia estar dormindo, então cutuquei o seu braço mais de três vezes e ela não acordou, desesperado, a balancei e foi aí que percebi que já se encontrava morta. Não consegui acreditar, tentei escutar sua respiração mas não havia mais nada a fazer, minha velha morreu na noite de natal, e eu nem pude dizer "feliz natal", a deixei sozinha, sem nenhum cuidado. Me preocupei com a cidade e esqueci de meu grande amor.

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...