Hearts Of Sapphire

"Ter coração nunca foi tão importante."

Corinna desde que nasceu soube que não seria capaz de se acomodar numa vida subjugada pelo sistema.

Num lugar onde seres com poderes fantásticos e humanos vivem uma relação de opressores e oprimidos, ela vê-se obrigada a ir de acordo com as regras de seus governantes para conseguir uma chance de derrotar esse sistema de dentro para fora.

Em meio a aventuras, disputas e intrigas, Corinna descobre ser agraciada com uma dádiva que os outros à sua volta perderam há muito tempo e ela terá de escolher se usará isso para o bem ou para o mal.

0Likes
0Comentários
3485Views
AA

19. ¨18¨

 

Faltavam menos de cinco horas para chegarmos ao Setor Superior e estávamos tendo nossa segunda reunião oficial, dessa vez no vagão de Mattia.

Estávamos discutindo sobre no que éramos bons e eu não fazia a mínima ideia de onde me encaixava.

Conall era bom nos combates físicos, Mattia, no combate psicológico.

Eu sabia ler, caçar e... materializar canetas. Não que isso fosse ajudar em alguma coisa e eu também não havia revelado essa última parte para eles e não poderia revelar para ninguém no Setor Superior.

Era visível nas feições dos meus amigos que eu seria uma dos mais vulneráveis

O alvo mais fácil.

Talvez eu não mantivesse meu bom senso e materializaria milhares de canetas sobre o primeiro que me ameaçasse.

Ri sozinha com o pensamento ridículo.

—Do que está rindo?— Mattia perguntou e eu ri mais um pouco. —Isso é porque estamos a menos de cinco horas do lugar onde seremos massacrados prontamente? Acha isso engraçado?

Eu e Conall já havíamos nos adaptado com a rispidez de Mattis quando ela estava nervosa. Era uma boa técnica de defesa.

—Ei, não precisa ficar nervosa, não é você que não tem nenhuma habilidade útil e vai ser a primeira a morrer.—eu disse puxando um fio solto de sua colcha.

—Ah, tudo bem, vou fingir que continuo acreditando que você não tem nenhuma carta na manga...está bem, continue mantendo segredo de seus aliados.— ela disse cética.

—Eu realmente gostaria de ter algo guardado, mas não tenho.

Conall cutucou o meu ombro:

—Olha, você sabe caçar. Isso é uma habilidade.

—Nós não vamos ficar caçando uns aos outro como numa floresta.— murmurei.

—Não, mas você provavelmente tem os sentidos e os reflexos aguçados, além de uma resistência maior.— Mattia disse com uma mão no queixo refletindo.—Você pode prever golpes ou até mesmo analisar uma pessoa pela linguagem corporal. Droga, garota, acabei de concluir que ser uma caçadora te faz ter vantagem sobre todos nós.

Rolei os olhos.

—Você é praticamente uma fusão entre Conall e eu.

Conall me abraçou de lado:

—Você é o bebê que eu e Mattia tanto queremos.— a garota fez uma cara de nojo e jogou uma almofada no piadista do grupo. —Mas, sério, se algo der errado você não vai ter tanto remorso ao enfiar uma lança em algum infeliz.

—Fala como se eu fosse uma máquina de matar.—resmunguei.

—E isso não é legal? Eu queria ser uma máquina de matar.—ele fez movimentos estranhos com as mãos.

—Só você acha legal ser algo assim, Conall.—Mattia revirou os olhos e o moreno soltou um som frustrado.

—É horrível ser o único menino do grupo.

—Corinna talvez poderia conversar com o garoto do vilarejo dela. Ele está sob o interesse de sete Simpatizantes, você já falou com ele alguma vez?

Minha mão involuntariamente havia parado na pequena safira de meu colar, que naquele momento fazia meus dedos formigarem no ponto de contato.

—Nós somos amigos.—minha voz saiu quase como um sussurro. Mattia arqueou as sobrancelhas e pareceu desvendar toda a minha história com Kallien.

—E ele não gostaria de se juntar a nós?— ela disse cada palavra cuidadosamente.

—Kallien já está numa aliança.— Conall disse simplesmente.

Suspirei.

—Oh,— Mattia tocou meu ombro como se me confortasse.—Então, Conall, o senhor se contente em ser único garoto do grupo, foi você mesmo que nos colocou nessa.

—Pensando bem prefiro estar rodeado de duas belas moças, do que por marmanjos sanguinários.— ele piscou para nós duas e fez uma tentativa falha de um abraço coletivo.

Eu estava na janela há quase uma hora. Fearis havia aparecido no meu quarto um pouco antes disso avisando que estávamos chegando ao Setor Superior e que os Escolhidos geralmente gostavam de apreciar a vista. Em seguida, ela me agradeceu pela ajuda oferecida, me deu um abraço apertado e já era possível sentir a proeminência de sua barriga.

Deixei que ela arrumasse meu cabelo pela primeira vez e ela fez uma trança única que chegava praticamente na base de minha coluna. Era simples, mas parecia muito mais elaborada aos olhos. Meu único conjunto de roupas foi entregue a mim limpo e passado, depois disso Fearis foi atrás de Laeni e Marjorie.

Um grande terreno coberto por escombros e ruínas eram a separação das terras humanas para as terras superiores. O veículo percorria o caminho por uma pista elevada do chão onde estava a terra arrasada. Em ambos os lados era possível ver o oceanos que aguardava onde a paisagem acabava.

Florestas e matas atrativas e fantásticas vinham logo depois. Eram uma mistura de cores harmônicas que pareciam brilhar à luz do dia. Depois de mais ou menos vinte minutos, residências apareceram no campo de visão. Mansões de magnitude majestosa que iam ficando cada vez mai altas até o ponto em que viravam os chamados edifícios que vez ou outra eram exibidos em telões em meu vilarejo.

Estruturas tecnológicas diferente de tudo que era visto nos vilarejos mais pobres. Estávamos no Centro do Setor Superior.

De repente, concreto cobriu minha visão e uma sensação de descida me fez dar um passo para trás. Olhei para a janela do outro lado, mas estava coberta da mesma forma.

—Estamos passando por túneis.— Laeni disse e um segundo depois a paisagem voltou para as janelas apenas para sumir novamente.—Passaremos por mais alguns daqui para frente. Quanto mais longos eles ficam significa que estamos mais perto de chegar.— ela sorriu para mim solidária.

Talvez pelo quase pânico estampado em meu rosto.

Estar ali era algo que eu sempre quis, pois significava que chances maiores de conseguir influenciar uma mudança no modo em que nós, humanos, vivíamos.

Já tinha visto aquelas paisagens e ruas e cidades rapidamente várias vezes, mas estar tão próxima, a poucos quilômetros de distância de mim com toda aquela soberania e magnitude, parecia um pouco demais para mim. Como se a dimensão dos meus planos fossem muito maior do que eu imaginara.

—É normal se sentir um pouco intimidada pela cidade mesmo. Eu admito que fiquei, na primeira vez que vim ao Centro. Eu tinha, o que seria para os humanos, 19 anos.— Laeni se sentou no batente da janela.

—Como assim? Você não morava no Setor Superior?

—Sim, eu morava e moro. Só que eu vivia na parte campestre do Setor, não na cidade ou no Centro.— ela mexeu em uma mecha solta de seus cabelos negros, que hoje estava metade preso e metade solto ornamentando suas vestes elegantes de cor neutra.—Logo você perceberá que os homens daqui são mais autoritários do que os de sua espécie.

—Mais? Acho impossível.—nós rimos e Laeni sacudiu a cabeça.

—Acredite. A menos que você tenha outra característica para dar ao meu pai que me prendeu em casa por décadas até minha maioridade, pois não achava correto que mulheres, principalmente suas filhas, participassem de eventos políticos, sociais e até mesmo festividades.

Arregalei os olhos.

—Que absurdo. Isso é insano. —Laeni riu mais um pouco.

—Insano ele ficou quando eu e Marjorie afugentamos todos os pretendentes escolhidos para nós.—eu ri e senti a velocidade do trem diminuir.

Marjorie apareceu do nada com um vestido extravagante que parecia ser formado por feixes de luz quando ela se movia.

—Graças aos Céus, chegamos. Eu odeio viagens de trem.— foi então que reparei que realmente seu rosto tinha uma coloração meio esverdeada, que não tinha nada a ver com seus cremes exóticos, durante toda a viagem.

—Seja bem-vinda ao Setor Superior, Corinna.— foi Laeni que disse quando o exterior foi tomado por luzes e o barulho das travas das portas sendo desligadas foi ouvido.

  ❖❖❖ 

 

Notas Finais:

como vocês estão? o que acharam do capítulo?

deixem seu comentários, opiniões etc...

não se esqueçam de votar/favoritar e indicar para os amigos.

a playlist da história está em construção, mas já está disponível no link: bit.ly/hosplaylist

me sigam no twitter: @whodat_emmz

até mais
xx

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...