Seja Gentil

Antoni Michell, é um cara arrogante que faz de tudo para ver seus irmãos felizes, as vezes ultrapassa limites, usa as mulheres como forma de obter prazer, até que um certo dia uma garota nada haver com sua maneira de vida cruza seu caminho e vira seu mundo de cabeça para baixo.
Lucy Maia, ou Luciana que é seu nome, estuda artes plásticas na faculdade mais seu sonho é virar skatista profissional, garota rebelde sem filtro na língua fala o que quer, até conhecer um charmoso empresario que não consegue tirar da cabeça.
Uma história divertida, com amor, brigas, ciumes e tudo mais que um casal como Antoni e Lucy merecem.

1Likes
0Comentários
47Views
AA

2. Provocações

Lucy

           Nossa ele tem um andar só para ele, pareço uma menininha seguindo o cara e uma menina louca, estou presa aqui e nem sei com quem, ele abre uma porta entra e nem me espera, claro que já o odeio, eu entro e me espanto, parece um Flat só que o pai dos flats, mas como o dono é um apartamento frio, sem alma.
-Cindy vem aqui.
-Já disse que é Lucy... Uau que cozinha em da pra fazer um banquete.
-Não sei nunca usei.
               Ele vem até mim, aí meu deus parece que ele vai me agarrar.
-Nervosa Lucy
-já disse que é... Ah você falou certo Sr playboy.
-Espera...
          Ele me pega nos braços e coloca na mesa começa a olhar nos meus olhos abre o botão da minha calça e começa a descer, ah essa não eu tô usando calcinhas de vovó, espera num é nem pra ele tá tirando minha roupa... E já foi
- Machuquei feio seu joelho, dói em mais algum lugar?
-na... Não 
-ok tenho kit de primeiro socorros não se mecha. 
            Aí acho que fiquei excitada e estou corando, Lucy Lucy se comporta, lá vem o gato novamente e sem camisa só de calça jeans com uma caixa na mão. 
            Ele puxa uma cadeira, senta e começa a tratar do meu joelho, o arranhão no fim é pequeno, ele pega um creme e começa a massagem na minha perna, aí ele precisa parar ou vou gozar aqui mesmo, o safado me olha parece que está adivinhando meus pensamentos.
-Algum problema Cindy, esta corada.
-imagina está tudo gostoso quero dizer bem.
             Ele solta uma gargalhada e que gargalhada gostosa, ele tem covinhas é lindo, acho que estou ficando doida.
             Preciso ir embora, é preciso muito ir embora, aí ele deixou a mão dele em cima da minha coxa e me olha.


Antony

               Cara confesso que não sei o que me deu de trazer ela aqui, quando vi já estava assim ultra excitado, e ela nem é meu tipo confesso que no começo só queria dar uma lição nessa garota boca suja e que boca sem batom nem Maquiagem, mas tem uma beleza exótica linda olhos verdes um pouco puxados e cabelos leves e longos da até para enrolar na mão e puxar, ou Antony, Antony para com esses pensamentos.
-Você tem quantos anos Lucy?
-20 por quê?
-Nada em especial.
                Tão nova tá eu só sou quatro anos mais velho, mas mesmo assim ela tem um jeito doce inocente que eu com certeza iria, vou acabar estragando, eu não mereço e nem quero uma garota assim na minha vida, é melhor deixar ela ir, mas por que não consigo.
               Quando ela me encara com esses olhos de esmeralda minhas pernas tremem, acho que só um beijo pra saber que gosto ela tem não faria mal.
              Ela continua me encarando, Beijo a coxa de Lucy, e espero com a cabeça baixa nem uma reação Beijo de novo, escuto um gemido e ah meu pau se anima com isso continuo subindo agora explorando com a língua,  ela é gostosa, nossa ah encaro nos olhos que estão embaçados de desejo, retiro a blusa e o sutiã a deito na mesa, ela tem um corpo lindo com curvas nos lugares certo, aperto um dos mamilos e o gemido dela é mais alto, tenho que prova - lá, minha outra mão puxa a calcinha e não espero mergulho minha língua,  nesse buceta saborosa exploro com vontade e contínua apertando o mamilo e lambendo o clitóris aí,  não consigo esperar, retiro a mão do peito e abro meu cinto, sei que minha Cinderela vai gozar mas quero que seja no meu pau, retiro a calça e a cueca, meu pau nunca teve tão duro, com relutância retiro minha língua e minha cabeça das pernas dela afasto mais um pouco e ataco seus seios, ela geme mais e mais alto e gostoso, acho que encontrei uma gata selvagem, ela tá toda molhadinha para mim, e é assim que enfio meu pau de uma vez, com tudo nessa buceta gostosa, só que ela grita, eu paro, não foi um grito de quem está gostando.
-por que você não disse.
               Essa garota é doida, eu aqui preocupado com ela, e ela está rindo aqui feito uma histérica com a cabeça no meu ombro e meu pau dentro dela.
-Isso é estranho eu acabo de ter minha primeira vez em cima de uma mesa e com um cara que me atropelou e...
                 A calo com um beijo que rapidamente ela me corresponde meu pau acorda e ela geme, que gostoso vou Devagar, meu pau entra e sai, ela é toda apertada, aumento o ritmo e ouço Lucy gritar dessa vez de prazer, ela goza gostoso pra mim e eu não agüento, é o paraíso a acompanho e me derramo dentro dela, estou tão fraco que caio por cima dela ainda dentro.
Lucy

          Sinceramente sou louca, acabo de ter o melhor e primeiro sexo da minha vida com esse mauricinho arrogante, só posso ser doida, tenho que sair daqui e não vê-lo nunca mais, sacudo o ombro dele, ele levanta a cabeça e me olha com um sorriso sexy de matar, aí tô encrencada preciso sair de perto dele para pensar.
- poderia sair um pouco sr playboy 
-claro Srta Cindy
             Ele beija minha testa, é isso mesmo o cara é capaz de um gesto de carinho e sai pega a calça dele e veste, me olha e sorrir -- e meu nome é Antony Michell só para você saber.
- o quê... (isso eu acabei de gritar, transei com o inimigo)... Puta que pariu você, você é um Michell.
              Me levanto da mesa, visto minhas roupas as pressas nem sei se coloquei certa, mas sem dúvidas esse é o momento de sair daqui e nunca mais ver o Antony de novo, nos somos tipo água e óleo, essa mistura não dá certo.
- olha o sexo foi bom, você não me deve nada, mas eu tenho que ir.
- foi bom? ... E a saída é por ali...
           Ele aponta a porta e eu corro, corro mesmo escorrego sem querer dou um sorrisinho sem graça para ele e fujo meu Deus se meu pai sabe ele vai me matar, ainda bem que ele tá do outro lado do país, a nossa família que tipo se resume no meu pai, odeia os Michell é uma longa história, e o quê eu preciso mesmo é de um táxi para o campus e um bom banho. Ótimo um táxi subo e indico o caminho ao motorista.
-moça moça chegamos 
-ah desculpa Obrigado.
          Acho que dormi pago ao motorista e desço corro para o meu pequeno apartamento do lado do campus é não moro precisamente dentro do campus divido o aluguel com meu melhor amigo na terra Gabriel, um garoto sim, homens e mulheres podem ser amigos por que não, ele me vê como irmãzinha dele e eu o vejo como o irmão que eu nunca tive, abro minha porta Gabriel como sempre está esparramado no sofá da nossa minúscula sala assistindo o jogo, corro para o meu quarto jogo minhas coisas volto e vou direto para o nosso banheiro e tomo o banho mais maravilhoso que eu já tomei, além do meu joelho doendo, doem outras partes do meu corpo que não estavam sendo usadas, aí me lembro dele sei que não devo, para ele não passo mais do que mais um sexo fácil, aquele homem é perigoso, não de me matar e tal, mas ele é capaz de partir  meu coração em vários pedaços, e isso eu não vou deixar, posso ser uma garota pobre de família humilde, mas sou sensível corro riscos como qualquer outra mulher, o bom de tudo é  que eu nunca mais verei Antony Michell, e por que isso tudo me entristece. Sento no chão do banheiro e tento relaxar com a água na minha cabeça.

              De volta ao meu mundo normal, passei o fim de semana todo despistando o Gabriel ele desconfia que algo muito importante aconteceu na minha vida, mas não tenho coragem de contar para ele, tenho vergonha, até papai que só falo três vezes por semana desconfia de algo, mas deixa quieto agora é foco nas aulas hoje é dia de aula de Nu sobre o tablado adoro pintar pessoas, pegar as pequenas características.
             Consegui pegar um lugar bem a vontade aqui tem pessoas de todos os tipos espero me sair bem nessa aula, e logo vejo minha colega de turma Maira, ela é toda feminina ao contrário de mim, usa roupas justas e o cabelo loiro faz inveja a qualquer mulher, mas tem um grande coração.
-Lucy você não acredita quem veio ver a aula e verificar nossas notas.
- quem?
            Sentamos e estamos aguardando a aula começar, a Maira acaba me deixando curiosa.
- o curador do museu central, eles abriram um estágio para restauração.
-puta merda sério.
             Caralho não acredito quando entrei na faculdade meu sonho era me tornar uma skatista profissional, mas depois que entrei no mundo das artes plásticas tudo mudou, essa é minha paixão, e trabalhar restaurando obras, recuperando-as é um passo a mais na minha carreira eu preciso passar para esse estágio.
            Finalmente acho que esse foi meu melhor retrato de um homem nu,  hora da professora verificar, estou bem Nervosa, mas só teremos uma resposta amanhã, ela passa por mim, olha meu desenho e sorrir, aí adoro, depois de liberada junto minhas coisas e volto pra casa, Gabriel está na sala, corro para ele e me jogo nos braços dele.
-ô esmeralda da minha vida o que houve? 
            Ele me segura nos braços, envolvo a cintura dele com as pernas, e quando ele me roda, começo a gargalhar, - pode estar olhando para a mais nova contratada do museu central.
-sério, puta que pariu demais Lucy.
            Ele continua a mim girar e cheirar meu pescoço, ele para dirrepente   está encarando a porta, eu olho e quem eu vejo, ninguém menos que Antony Michell nos observando com uma cara de poucos amigos.
               Desço dos braços protetores de Gabriel e o olho, ele esta lindo com uma calça jeans e uma camisa pólo branca nada casual.
-Podemos conversar? 
-Vou lá no quarto...Vai ficar bem?
-Sim Gaby.
             Gabriel beija minha testa e sai,  Antony senta no meu sofá e não  combina nada com ele.
-Então você tem um namorado, contou a ele da nossa transa, ou você queria ganhar experiência pra demonstrar pra ele.
-Oi para tudo que eu vou descer, primeiro não tenho que te dar explicações e segundo o que você quer Michell.  
              Estou com ódio como pude me deixar levar por esse idiota, quem ele pensa que é.
- A nossa transa pode ter tido resultados, a não ser que você tome pílula.
              O que ele quer dizer com isso, aí droga entendi tudo, como eu posso ter sido tão burra, grávida.
-Não, não pode ser eu não posso estar grávida eu só tenho 20 anos não sei cuidar nem de um filhote de cachorro imagina de um bebê.
- por isso estou aqui, esses são meus cartões o pessoal, o da empresa e meu endereço você sabe onde é.
-Espera,  espera eu não estou entendendo.
             Ele se levanta, e me encara confesso que estou assustada, com tudo isso mas não vou deixar ele perceber.
-Só vou dizer uma vez assim que você tiver uma resposta sobre esta grávida ou não você vai me dizer, aí você tem duas saídas Luciana tirar a criança ou me entregar.
-Cara você enlouqueceu de vez eu não vou tirar nada e nem te entregar meu filho seu babaca arrogante.
          Isso mesmo mauricinho se espante com meu tom, a agora ele me deixou com ódio mortal, bem que meu pai sempre diz os Michell só servem para destruir nossa vida, mas não vou deixar.
-Você esta avisada Luciana você não tem chances contra meus advogados eu já entendi seu jogo, mas não vou deixar você e seu namoradinho me tirar nenhum centavo.
-ou ou....
-sei que tipo de mulher...
          E lá se foi minha sanidade junto com o tapa que eu meto na cara dele, ele não vai entrar aqui e me ofender não, a casa é minha ele que é o intruso, ele me encara e sai, bato a porta e desabo, choro mesmo. Gabriel aparece e senta ao meu lado, encosto a cabeça no ombro dele e essa foi minha primeira decepção com Antony Michell.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...