O Guerreiro e a Princesa (Continuação de Salva-me)

Hemon Forthwind e Amyra Martell saíram do Norte com vida e chegaram à Dorne. Tudo parece bem, mas eles terão de continuar fortes e unidos, pois o Norte se lembra e muitos outros desafios se colocarão no caminho deles.

0Likes
0Comentários
109Views
AA

12. Hemon a curou

- A senhora está grávida, Milady. – Meistre Caleotte informa sorridente para Myrcella.

- Deuses... o senhor tem certeza disso? – Myrcella pergunta com os olhos brilhando de alegria.

- Sim, Milady, minha experiência me diz que a senhora está realmente grávida. Além disso, suas regras não vêm já há algum tempo, não?

- De fato, estão atrasadas.

- Isso só confirma meu diagnóstico. – O homem sorri. Serve a família Martell há muito tempo, viu Trystane, Amyra e até mesmo as Serpentes de areia crescerem. Ver a família crescer lhe emociona.  – Parabéns, Milady.

Myrcella corre até Trystane para lhe dar a notícia. Logo, todos em Jardim das Águas ficam sabendo da novidade e a alegria e comoção são gerais. Há festa para comemorar e a notícia viaja por toda a Dorne rapidamente. 

 

*****  

 

Alguns dias se passam quando um mensageiro entrega um bilhete a Amyra.

- Chegou agora há pouco, Milady. – O rapaz entrega o papel a Amyra, que está sentada de frente para Hemon, conversando.

Ela agradece e o rapaz os deixa.

Amyra lê o bilhete atentamente e mesmo antes de terminar de ler, Hemon vê duas lágrimas descendo dos olhos dela. Ele não se preocupa, entretanto, pois percebe que ela sorri ao mesmo tempo, percebe que são lágrimas de felicidade.

- Myrcella está grávida. – Amyra diz com um sorriso radiante. – Seremos tios!

- Isso é maravilhoso! – Hemon também sorri. – Que os deuses abençoem essa criança.

- Vamos brindar! – Amyra propõe.

Ela se levanta, tomada por uma energia e alegria jamais vistas antes por Hemon. Ele sorri ainda mais quando nota a felicidade dela.

Amyra vai até a cozinha. Não é algo usual que nobres entrem em cozinhas e façam qualquer coisa lá, mas Amyra nunca ligou para essas regras sem sentido. Além disso, não gostava de depender dos empregados, se sentia inútil recebendo tudo nas mãos. Hemon sempre se divertiu com essa característica dela. Ela volta para a sala com uma garrafa de vinho Dornês e duas taças. Serve Hemon e depois se serve. Ambos fazem um brinde e bebem, alegres, ao futuro Príncipe de Dorne.

Depois de uma taça e alguma conversa animada, Hemon se despede.

- Detesto ter de deixá-la, mas tenho compromissos agora. – Hemon diz.

- Não se preocupe. – Amyra sorri complacente.

Hemon deixa a taça em cima da mesinha, dá um beijo no topo da cabeça de Amyra e a deixa. 

 

*****

 

É noite. Amyra olha a lua através da janela aberta, com cortinas leves esvoaçantes. Pensou muito sobre o que pretende fazer e chegara a conclusão de que é a coisa certa. A alegria de saber que será tia contribuiu para sua tomada de decisão, mas ela quer isso já há muito tempo. Sente essa vontade e esse desejo queimarem em seu peito, já não quer mais esperar. Decidiu ser plenamente feliz com Hemon pois ela o ama e sabe que ele a ama também. Agora, mais do que nunca, tem certeza absoluta disso. É hora de deixar o passado doloroso para trás, enterrado, e ser finalmente feliz. Ambos merecem essa felicidade. Ela tomou a decisão de não deixar mais seu passado doloroso se colocar entre ela e sua felicidade. 

Tomou um demorado banho morno com óleos perfumados e vestiu sua camisola mais bonita. É longa, de tecido fino, vermelho, que permite que seu corpo seja visto, ainda que não totalmente. Uma fenda se abre na perna direita e há detalhes de renda no decote. O formato da camisola também favorece suas curvas, deixando-a mais atraente.

Hemon bate à porta delicadamente e só entra quando Amyra diz para ele entrar. Ele não tinha certeza do que fazer, se deveria dormir com ela novamente ou não, por isso decidiu desejar boa noite e ver o que ela falaria.

Amyra se vira para a porta e Hemon perde o fôlego por alguns segundos. A luz da lua contra o corpo exuberante dela a deixa ainda mais linda. É a primeira vez que Amyra veste algo tão revelador e íntimo perto dele e isso o desconserta.

- Vim lhe desejar boa noite. – Ele diz em um tom de voz abafado, quase sem ar. Não consegue desviar o olhar do corpo dela, por mais que tente.

- Não vai dormir comigo? – Amyra pergunta se aproximando e tomando as mãos dele. Sua voz sai baixa, convidativa. Ela se sente uma mulher linda e desejada aos olhos dele. As mãos quentes de Hemon a queimam e ele sente a pele dela também queimando. 

Hemon se sente inebriado pelo delicioso perfume que o corpo dela exala. Ele percorre seu olhar por todo o corpo dela e em seguida fita seus olhos, que agora parecem mais escuros e brilhantes.

- Acha que é uma boa ideia? – Ele pergunta.

- Quero que fique.  – Ela sorri.

Hemon respira profundamente. Por mais que queira ficar ali, sabe que não conseguirá se segurar. Ele sempre conseguiu, mas nessa noite há algo diferente e especial nela. Hemon não consegue decifrar o que, se são as vestimentas, a atitude, a liberdade que ela parece finalmente ter, ou se todas essas coisas juntas.

Diante do silêncio e da dúvida de Hemon, Amyra o beija delicadamente. É um selo delicado sobre os lábios, cheio de doçura.

- Eu quero que fique. – Ela diz baixinho, olhando-o nos olhos, colada a ele.

- Tenho limites, Amy. Se eu ficar aqui estarei testando todos eles. Não sei se...

Hemon não consegue terminar a frase, pois Amyra o beija novamente. Dessa vez ela entrelaça os braços ao redor do pescoço dele e aperta seu corpo contra o dele. Os corações de ambos disparam automaticamente. Hemon aperta Amyra pela cintura e se entrega ao beijo apaixonado.

O beijo se intensifica. Hemon a aperta ainda mais, agora descendo as mãos até o bumbum dela. Já não conseguem respirar normalmente e Amyra sente o membro rijo dele contra sua pélvis.

- Amyra... – Hemon para o beijo abruptamente e diz ofegante. – Se continuarmos eu não vou conseguir parar. Tem certeza que quer isso?

- Eu sou sua, meu amor.

Ambos sorriem. O beijo volta a se intensificar. Hemon pega Amyra no colo e a coloca gentilmente na cama. Enquanto ainda a beija, ele abre as pernas dela, delicadamente e se coloca ali. Beija o pescoço dela e então desce os beijos até os seios.

Amyra puxa os cabelos dele delicadamente, mas com vontade. Essa é uma coisa que ela queria fazer há muito tempo, bagunçar os cabelos ondulados e escuros dele, que agora ela sabe, são realmente tão macios quanto ela sempre imaginou, além de cheirosos.

Hemon continua descendo seus beijos até a barriga dela e então até sua pélvis, onde ele retira a calcinha e circunda com mais beijos. Ele quer prepará-la, fazer com que fique mais fácil e confortável para ela. Percebendo que ela está lubrificada e pronta para recebe-lo, Hemon volta a subir com seus beijos.  Terminam de se despir e ficam completamente nus.

Ele passa seus olhos famintos, mas carinhosos, por todo o corpo dela. Amyra tem marcas em seu corpo deixadas por Ramsay, que se certificou de marcá-la para sempre. Por um momento a autoconfiança de Amyra parece deixá-la e ela se sente envergonhada por todas as cicatrizes.  Hemon beija gentilmente a maior delas, localizada na barriga, próximo aos seios.

- Você é linda. – Ele diz com brilho no olhar e amor nas palavras.

Amyra apenas sorri, mas ele percebe no olhar dela que a autoconfiança voltara e que ela está pronta.

Voltam a se beijar e Hemon a penetra.

Pela primeira vez na vida Amyra experimenta uma sensação plena e real de prazer e felicidade. Pela primeira vez a experiência do sexo não é traumatizante ou humilhante. Não há medo, nojo ou nenhum outro sentimento negativo ali, apenas amor, carinho e desejo.

Hemon mantem um ritmo devagar, proporcionando aos dois uma experiência calma e tranquila para que possam aproveitar cada segundo. Seu corpo é tomado por algo que ele nunca experimentou, uma mistura de amor, prazer e alegria que ele nunca sentiu com nenhuma mulher. Já estivera com muitas, mas o que sente agora é algo de outro mundo, uma conexão quase divina e sobrenatural. Ele beija o pescoço dela e aspira o perfume que exala de sua pele, uma pele macia e quente.

Amyra arranha as costas dele levemente e Hemon adora isso. Ele demonstra soltando gemidos leves no ouvido dela.

Voltam a beijar-se e Hemon desce seus beijos até a bochecha dela, e então até o queixo, onde abre os olhos e a olha mais uma vez. Ambos têm brilho no olhar e uma sensação de outro mundo. Sentem-se como se suas almas estivessem se abraçando, como se seus corações fossem um só.

Amyra geme mais alto. Um gemido agudo, mas não escandaloso. Hemon sorri com isso. Ele também geme um pouco mais alto. Chegam ao clímax juntos.

Ele se deita ao lado dela, quase sem forças. Ela também se sente cansada, mas realizada também. Ambos se sentem assim.

Ofegante, Hemon pega a mão de Amyra e vira seu rosto para olhar para ela. Estão suados e sorridentes.

- Vem aqui. – Ele a puxa.

Amyra deita no peito de Hemon. Consegue ouvir os batimentos cardíacos dele, que ainda estão rápidos, e sorri satisfeita. Ela acaricia o peito dele e alinha os poucos pelos de seu peito, que brilha por causa do suor.

Hemon não consegue parar de sorrir. Seu mais profundo desejo tornara-se realidade, ele se sente feliz e sortudo. Acaricia as costas dela.

Sem conseguir se conter, Amyra distribui beijinhos pelo peito dele, depois sobe os beijos até o pescoço e passa a encará-lo.

- Como você se sente? – Hemon pergunta.

- Feliz. – Ela sorri.

- Eu também. – Ele sorri.

Amyra quase chora com a sensação de alegria que toma conta de seu corpo. Toda a dor, todas as marcas de seu passado sombrio, todas as lembranças ruins... se dissipam. Ela sente sua alma sendo curada e todos os seus pedaços que foram quebrados por Ramsay voltam para seus lugares. 

Hemon a curou.  

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...