O Guerreiro e a Princesa (Continuação de Salva-me)

Hemon Forthwind e Amyra Martell saíram do Norte com vida e chegaram à Dorne. Tudo parece bem, mas eles terão de continuar fortes e unidos, pois o Norte se lembra e muitos outros desafios se colocarão no caminho deles.

0Likes
0Comentários
151Views
AA

15. Confesse

Oberyn lê o bilhete sobre a morte de Alston Forthwind e sente algo estranho e inquietante que vai além da tristeza e do choque de saber da morte de um amigo íntimo da família Martell. Sua sobrinha aparece em sua mente. Ele se lembra dela pequenina, sentada em seus joelhos e pedindo que ele contasse mais histórias. Depois se recorda das aulas de lanças e do quanto ela sempre foi destemida e focada. Ele sorri com essas memórias, sente saudades dela. Se preocupa pois sabe que a atenção que ela passará a receber como senhora de Deserto Vermelho poderá trazer malfeitores para perto dela.

- Está na hora. – Jayme Lannister entra no quarto em que Oberyn está. Oberyn nota algo que se assemelha a gratidão no olhar do loiro. Ele então assente e sem dizer nenhuma palavra o segue até o local escolhido para o combate que decidirá o futuro de Tyrion Lannister.

- Obrigado por fazer isso por meu irmão. – Jayme diz, de repente, antes de chegarem ao local.

- Não faço isso por ele. - Oberyn finalmente quebra o silêncio. - Faço por minha irmã. 

 

*****

 

Tyrion está acorrentado e caminha vagarosamente, com o semblante triste. Apesar de confiar nas habilidades de Oberyn Martell, toda a situação é devastadora. Ele sempre soube que o pai e a irmã o odeiam, mas agora demonstram isso com sorrisos em seus rostos e para todos os moradores de Porto real verem.

Uma multidão aguarda o combate. Nos lugares de honra ele vê seu pai e sua irmã beberem vinho e conversarem, como se estivessem em alguma festividade. Isso o destrói ainda mais, se é que isso é possível.

Ele se aproxima de Oberyn, que aguarda a entrada de Clegane bebendo vinho.

- Você poderia ao menos ter colocado um capacete! – Tyrion diz em um tom desesperado de voz. Oberyn age como se estivesse em um passeio por um lindo jardim, sua autoconfiança é aterradora. – E você não deveria beber antes de uma luta.

- Aprendeu isso em seus muitos anos lutando? – Oberyn pergunta com desdém. – Eu sempre bebo antes de lutar.

- Isso poderia te matar... isso poderia me matar!

- Hoje não é o dia em que morro, pequeno homem. Nem você.

Gregor Clegane entra no pátio e todas as pessoas ali reunidas o recebem com algazarra. Ouve-se assovios e gritos de alegria.

Uma trombeta é tocada e um mensageiro diz algumas palavras.

“Na presença dos deuses e dos homens, nos reunimos para saber se Tyrion Lannister é culpado ou inocente. Que a mãe tenha misericórdia dele, e o pai lhe dê o que ele merece. Que o guerreiro guie as mãos de nossos combatentes...”

O mensageiro não consegue terminar sua mensagem. Com a impaciência de Cersei, Tywin faz sinal para que a trombeta seja tocada novamente, dando assim o sinal para que o combate se inicie. 

Oberyn pega sua lança e faz movimentos rápidos, rodopiando em volta de Clegane, que o observa impassível. A multidão grita de excitamento enquanto batem palmas. Cersei e Tywin o observam contrariados.

- Eles te disseram que eu sou? – Oberyn pergunta a Clegane em voz alta, para todos ouvirem.

- Um homem morto. – Clegane responde partindo para cima de Oberyn com sua espada em posição de ataque.

Oberyn bate na espada com sua lança, afastando-o. 

- Sou o irmão de Ellia Martell. – Oberyn continua enquanto caminha ao redor do gigantesco guerreiro. – Vim de um lugar distante até essa cidade fedorenta, por você.

Com golpes rápidos, Oberyn quase acerta Clegane na garganta, mas é empurrado para trás.

- Antes de te matar vou ouvir você confessando. – Oberyn diz. – Você estuprou minha irmã. Você a assassinou. Você matou os filhos dela. - O rosto de Oberyn, antes desdenhoso, agora toma ares de extrema raiva. Ele fica sério e as veias de seu pescoço saltam. – Confesse agora e podemos fazer isso de forma rápida.

Clegane, sem paciência, vai para cima de Oberyn com sua espada novamente, mas Oberyn é mais ágil que ele e com movimentos rápidos e precisos, derruba o capacete de seu oponente.

- DIGA!  - Oberyn grita enquanto continua acertando Clegane com sua lança. – VOCÊ A ESTUPROU! – Mais golpes. – VOCÊ A MATOU! – Mais golpes. – VOCÊ MATOU OS FILHOS DELA!

Clegane quase o acerta, mas Oberyn dá um pulo alto, seguido de outros pulos menores, formando uma meia-lua, e escapa.

Oberyn continua jogando suas acusações contra Clegane enquanto o acerta nos joelhos com sua lança. Clegane quase cai, mas volta no último segundo, derrubando Oberyn e quebrando sua lança.

Tyrion olha para os combatentes com nervosismo. Sua garganta fica seca e suas mãos passam a suar e a ficarem geladas.

Outra lança é jogada para Oberyn. Clegane o derruba novamente e quando se preparava para acertá-lo, Oberyn se levanta com um movimento rápido das pernas. Ao se colocar em pé, ele perfura o abdômen de Clegane.

- VOCÊ A ESTUPROU! VOCÊ A MATOU... – Oberyn grita a plenos pulmões.

Clegane corre em direção a ele com mais determinação, mas não consegue acertá-lo. Oberyn rasga a perna dele com sua lança. Clegane se ajoelha por causa da dor.

Cersei leva as mãos a boca, apreensiva. Jaime sorri, confiante.               

- ... VOCÊ MATOU OS FILHOS DELA! – Oberyn corre até Clegane e o acerta no peito com a lança. Clegane cai e um jato de sangue sai por sua garganta.

Tyrion e Jaime sorriem, aliviados, mas Cersei e Tywin não sentem o mesmo. Seus rostos não escondem a raiva.

- Você está morrendo? – Oberyn pergunta olhando para Clegane deitado no chão, com a lança ainda fincada em seu peito. – Oh, não, não. Você não pode morrer ainda, você ainda não confessou. – Ele arranca a lança do peito de Clegane e todos ali o olham com espanto e dúvida. – Diga... diga o nome dela... Ellia Martell! Você a estuprou. Você matou os filhos dela. – Lágrimas caem dos olhos de Oberyn. Ele aponta para os lugares de honra. – Quem te deu a ordem? QUEM TE DEU A ORDEM? DIGA O NOME DELA! VOCÊ A ESTUPROU, VOCÊ A MATOU... VOCÊ MATOU OS FILHOS DELA. - Oberyn anda ao redor de Clegane enquanto grita, transtornado de raiva. O sangue fresco de seu oponente pinga de sua lança, manchando o chão. – Me diga... fale quem te deu a ordem para matá-los. – Oberyn odeia o silencio de Clegane, pois sabe que ele ainda não está morto. - DIGA!

Em um movimento rápido, Clegane puxa o pé de Oberyn e o derruba. Ainda deitado, levanta Oberyn com suas mãos e dá um soco no rosto dele, quebrando vários de seus dentes. Depois o joga no chão novamente e se coloca em cima dele, enforcando-o.

- Elia Martell. – Clegane diz, afundando seus dedos nos olhos de Oberyn que grita em agonia. – Eu matei os filhos dela e então eu a estuprei e estourei a cabeça dela.

Clegane continua afundando seus dedos nos olhos de Oberyn, até que estoura a cabeça dele.

Clegane deita ao lado do corpo de Oberyn, cansado.

Pedaços de crânio, cérebro e dentes estão por toda parte.

O sangue de Oberyn Martell mancha o chão de vermelho.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...