Salva-me

Martells e Boltons formam uma aliança através do casamento de Amyra (a filha mais nova de Príncipe Doran) e Ramsay. A vida ao lado de um dos homens mais cruéis e violentos de Westeros não será fácil, mas ela terá a ajuda de Hemon Forthwind de Deserto Vermelho, um nobre Dornês apaixonado por ela.

0Likes
0Comentários
144Views
AA

23. Sangue sobre o chão

Os rumores ganham força. Depois do assassinato de Walda e de todas as acusações que Amyra gritou sobre Ramsay, ele não pôde fazer nada para tentar parar os rumores de se espalharem pelo Norte, todos sabem que ele é louco e perigoso. Ainda assim, as opiniões se dividem. De um lado aqueles que o querem morto, do outro, aqueles que o apoiam, ou por o temerem, ou por terem interesses. 

 

*****

 

Hemon e Jarin ficam sabendo que Amyra está presa na torre e que isso aconteceu depois que Ramsay matou Walda. Sabem também que ele a trancou lá por todas as coisas que ela disse, as quais foram também a razão de a fama de Ramsay piorar muito da noite para o dia. Eles sabem que a hora chegou. 

— Será daqui a três dias, bem cedo. Só precisamos reunir mais homens.  – Um homem ruivo fala enquanto bebe mais cerveja. – Ramsay é louco, não podemos ficar nas mãos de um homem louco.

— Não podemos mesmo. Estou com você! – Um homem loiro bate sua caneca de cerveja na mesa. – Já tivemos um tirano no poder antes e muitas pessoas sofreram e morreram. Se deixarmos Ramsay no poder, padeceremos!

— Sim... me lembro disso. – Um senhor diz igualmente irritado. – Passamos fome e vivemos vidas desgraçadas quando o pai de Roose Bolton governou Forte do pavor. O neto dele é ainda pior. Podem contar comigo!

Jarin e Hemon se aproximam da mesa dos homens. Essa pode ser a deixa de que precisam para salvar Amyra. 

— Olá companheiros. Perdoem ouvir sua conversa, mas, o que planejam fazer contra Ramsay? – Jarin pergunta.

— Porque? – O ruivo pergunta rispidamente. Tem medo que Jarin seja alguém da confiança de Ramsay e diga a ele o que planejam.

— Porque estamos do seu lado e estamos dispostos a lutar contra a tirania e insanidade dele. – Hemon responde.

— Ora, então são bem-vindos! – O homem loiro diz. – Vamos nos reunir daqui a três dias em frente ao Forte e o tomaremos se for preciso. Queremos respostas quanto a morte de nosso Senhor Roose e nossa Senhora Walda e aquele bastardo desgraçado vai ter que nos responder, nem que para isso a gente precise tirar sangue dele! 

 

Mais tarde, naquela mesma noite, Hemon e Jarin discutem os últimos detalhes do que farão. Será no dia em que os Nortenhos invadirem Forte do Pavor. 

 

*****

 

Três dias se passam. 

Theon olha para cima, para a torre, desolado. Ele não sabe o que está acontecendo com Amyra, pois Ramsay proibiu que qualquer um no Forte a visitasse ou até mesmo perguntasse ou falasse dela. Ela se tornou um assunto proibido ali. Qualquer um que mencionasse seu nome sofreria castigos físicos severos.

Amyra não havia conseguido dormir ainda. Ramsay a visitava toda noite e a espancava por todas as coisas que ela disse. Apesar de machucada e com dores fortíssimas, tanto no corpo quanto na alma, ela não consegue mais chorar, suas lágrimas se secaram. Não sabe o que será de seu futuro, mas imagina que Ramsay a matará, assim como fez com o pai, a madrasta e o irmão que nem teve a oportunidade de nascer. 

Ela respira com dificuldade por conta das duas costelas quebradas. Fora isso, há machucados espalhados por todo seu corpo, assim como cortes e muito sangue ressecado e novo. Nem o guarda responsável por sua “segurança” consegue olhar para ela, pois sente-se impotente diante de tamanha atrocidade. 

Ramsay entra na torre mais uma vez e Amyra se encolhe contra o canto úmido da parede, acuada e com medo. Depois de abusar dela mais uma vez, ele amarra a calça e a olha tremer e chorar.

— Porque não acaba logo com isso? – Amyra implora com um fio de voz rouca e triste. – Me mate de uma vez.

— Eu já disse que você fica terrivelmente tediosa quando implora, então faça o favor de parar com isso, você sabe que é inútil. - Ramsay se ajoelha na frente de Amyra, obrigando-a a olhá-lo nos olhos. - Sabe, já não me importo se você morrer agora. Não me deu nenhum herdeiro e não espero que isso aconteça mais. Mas estou procurando outra noiva e você ficará aqui até que eu encontre, porque preciso de algo para me distrair nesse meio tempo. E também porque quero que você participe de minha primeira noite com ela, depois posso dar um fim à sua vida miserável.

Ele termina de se vestir e a deixa, sorrindo maliciosamente.

 

Ao descer as escadas da torre, Ramsay é abordado por um de seus guardas, que tem a voz cheia de urgência. 

— Toda a cidade está aqui, você precisa vir rápido. -  o homem diz.

Ramsay vai até o portão do forte. Um grupo de homens de quantidade considerável está reunido ali.

- O que querem? - Ramsay grita para que todos o ouçam. 

- Queremos respostas! – Um homem diz. – Você matou nosso Lorde e Lady, o que será de nós agora?

- Eu sou seu novo senhor, não se preocupem. - Ramsay diz. - Voltem para suas casas e eu prometo me esquecer dessa tentativa patética de reunião.

Hemon e Jarin estão entre os homens, mas posicionados de maneira que Ramsay não os veja.

- Você nos deve respostas!  Outro homem grita irritado. - Assassino!

- Assassino! - Outro grita.

- Assassino! - Mais homens se juntam ao coro. 

Dentro de pouco tempo, todos os homens ali reunidos gritam que Ramsay é assassino, em uníssono. 

Ramsay fica preocupado e isso é visível em seu rosto. Ele olha para os lados e para frente, e observa que os homens avançam para o portão do Forte. Ele olha para seus soldados, que entendem o recado imediatamente. 

- Afastem-se, bando de vermes malditos! - Ramsay grita. 

- Assassino! - A multidão continua gritando, furiosa, enquanto avançam para dentro do Forte.

Ramsay faz um sinal e imediatamente eles e seus homens começam uma batalha. Ele está em vantagem, mesmo que tenha sido pego de surpresa, pois tem mais homens, além de cavalos e espadas melhores. Ainda assim o grupo não se deixa abater. Avançam sobre ele e seus homens com coragem e determinação.

No meio da agitação Theon vê Hemon e Jarin e tenta levá-los até a torre onde Amyra está presa, mas no meio do caminho são surpreendidos por alguns homens de Ramsay e uma briga acontece entre eles.

Then tem o braço cortado, mas apenas superficialmente. Uma ira profunda se apodera dele, que passa a lutar com voracidade. 

Hemon luta bravamente, mas é derrubado. Ele se reergue e perfura o abdômen do guarda que o derrubou, que morre instantaneamente. 

Jarin também derrota outro soldado, perfurando o crânio do maldito que também deixou sua marca, um buraco na perna dele. 

A batalha não demora. Por serem em maior quantidade, Ramsay e seus soldados saem vitoriosos. O grupo de populares foi massacrado e estão quase todos mortos. O sangue cobre o chão. 

— Isso servirá de alerta para os populares e nobres que ousarem se levantar contra mim. - Ramsay diz enquanto limpa a espada suja de sangue na camisa de um homem morto.

Outros três homens atacam Hemon e Jarin. Um deles é derrubado rapidamente, mas os outros dois conseguem rendê-los. Theon tentou ajudá-los, mas Hemon o fez sair no último minuto, pois precisam dele vivo para tirar Amyra dali. Ramsay ouve a briga.

— Deixem eles vivos! – Ramsay grita e vai correndo para perto deles. Hemon e Jarin são rendidos. – Ora, se não é Hemon, o grandioso Lança da Manhã do exército Dornês!

Os homens que os renderam se entreolham, surpresos com a descoberta.

Ramsay se aproxima dos dois, que agora estão ajoelhados e amarrados.

— Acho que sei o que veio fazer aqui. - Ramsay se abaixa diante de Hemon e sorri. – Isso está ficando muito interessante.

Ele se levanta e bate no rosto de Hemon com o cabo de sua espada, fazendo-o desmaiar. 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...