O Mala


0Likes
0Comentários
106Views

1. O Mala

 

Eric do Vale 

 

Eu não tinha a menor obrigação de ajudá-lo e mesmo assim, o fiz. Por quê? A única justificativa plausível que encontrei foi esta: tenho um coração mole. Quando vi que ele tinha colado tudo da internet sem se dar ao trabalho de mudar a fonte e ler o conteúdo, pensei “Se ele entregar desse jeito... Não quero nem pensar nisso!”.

 -Você não vai precisar trabalhar muito, só umas coisinhas bobas que eu colei da internet. _ Disse ele.

Lembrei-me dessas palavras, no instante em que me deparei com o trabalho dele: Pensei: “Algumas coisinhas?  Ele está brincando com fogo!”.  

Custo, a acreditar que esse indivíduo não tenha pesquisado na apostila que eu havia lhe emprestado, no início desse semestre, em que destaquei todos os tópicos importantes Bastava apenas um mínimo de boa vontade!

Uma vez, apresentamos um seminário juntos e ele sequer disse uma palavra.

-Como o seu colega falou muito, queria ouvir a sua opinião. _ Falou o professor para ele, após a apresentação.

A medida em que ia enrolando, o professor lhe bombardeava de perguntas. Pensei que, naquele momento, tudo fosse por água abaixo. Após a aula, eu disse para ele:

-Tome jeito, homem!

Ao digitar esse trabalho, encaminhei para o e-mail dele e pensei: “Eu vou para o céu!”. Em seguida, telefonei-lhe:

-Terminei. Aconselho a dar uma lida, antes de entrega-lo.

-Não vai ser necessário.

-Por quê? 

-É só entregar e pronto. Desde já, muito obrigado.

-De nada.

-Você não sabe como nós lhes somos gratos.

-Nós? 

-O trabalho era em grupo, composto por cinco pessoas.

Filho de uma égua!

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...