Uma babá mais que perfeita- Livro 1

★Livro 1» Uma babá mais que perfeita: O começo™★ Jasper Hale é dono de uma popular revistas masculina, casado com a gananciosa Maria e pai de uma linda e amorosa menininha de três anos chamada Mellody. O casal vivia uma linda história de amor, mas após o nascimento de Mellody, Maria se torna uma pessoa terrível. Além de não amar mais Jasper, a mesma maltratava sua filha pois a odiava, mas mesmo assim a pequenininha continuava a amá-la. Jasper resolve dar um basta nessa situação e se divorcia de sua esposa, pensando que assim os seus problemas iriam diminuir. Como ele trabalha boa parte do dia, ele não possuía tempo para cuidar de Mellody, então ele resolve contratar uma babá, que consequentemente desencadeará algo que Jasper não sentia a muito tempo...O Amor.

1Likes
0Comentários
465Views
AA

3. Confusões e mais confusões...

P.D.V. Jasper

Uma semana se passou rapidamente e minha filha estava se dando cada vez melhor com sua nova babá. Mellody parecia já ter se esquecido de sua mãe e estava mais feliz do que nunca. Realmente meus problemas estavam desaparecendo aos poucos e o meu maior problema havia desaparecido sem deixar pistas.

Acordei de manhã e escutei as risadas de Mellody, que todos os dias vinha me acorda. Continuei deitado a esperando entrar, mas ela não veio. Depois de alguns minutos decidi me levantar já que minha pequena não havia entrado. Segui até o banheiro e após fazer minha higiene, segui em direção ao corredor. Destranquei a porta e fui surpreendido por Mellody que me deu um banho de água fria .Olhei para minha roupa e para o chão que estava encharcados.

Eu não acredito que ela havia feito aquilo.

— Isso ai abelha olhuda . — Emmett parabenizou Mellody que estava com um dos baldes de limpeza na mão.

—Mell, não pode fazer isso como seu pai. —Alice falou a ela enquanto subia as escadas vagarosamente. Ela parecia estar muito cansada, pois bocejava enquanto esfregava os olhos que estavam pequenos.

— Tio Emmett que disse que era um ótimo jeito de acordar o papai.— explicou a Alice que cruzou os braços a encarando séria e logo depois encarou Emmett que levantou as mãos em forma de rendição.

— Não me olhe assim, a culpa não foi minha. Eu apenas sugeri.— Emmett se defendeu e eu revirei os olhos. Sempre tão infantil.

—Os dois estão ferrados. — Avisei a eles e Mellody arregalou os olhos desesperada.

—Papai foi ideia dele . — Mellody se defendeu apontando para Emmett que arregalou os olhos. — Eu não sabia que o senhor ia ficar bravo.

—Mais foi você que aceitou minha sugestão e fez a cagada toda. — Emmett lembrou a ela que o encarou com os olhos serrados cruzando os bracinhos.

— Seja maduro Emmett não discuta com a menina, ela não tem nem a metade da metade da sua ideia. — pedi a ele enquanto eu torcia a barra da minha blusa.

—Mas foi culpa da zoiudinha. — insistiu apontando para Mellody que pulou em sua perna tentando derrubá-lo.

— Alice me ajuda.Vamos nos vingar do tio Emmett. —Mell pediu a ela enquanto Emmett não se movia um milimetro. Alice foi até ela a ajudando a empurrá-lo.

—Querida, isso é igual a muro!— Emmett riu enquanto estava igual Cristo redentor não fazendo o mínimo esforço enquanto as duas quase se matavam.

—Papai, vai ficar só olhando ? — Mellody me perguntou se virando pra mim, me encarando, esperando alguma reação minha. Fui até elas e as ajudei a empurrar Emmett em direção a escada. Como ele estava de costas para ela, o mesmo que não a viu e após chegar nela Emmett desequilibrou e desceu rolando escada abaixo. Mellody rapidamente subiu no corrimão e desceu escorregando por ele enquanto gritava e comemorava como se aquilo fosse algo divertido.

— MELLODY. — Eu e Alice gritamos enquanto corríamos pelas escadas. Pulamos por Emmett que estava caído no chão e ficamos de frente para o corrimão e se tivéssemos demorado mais um segundo, não teríamos chegado a tempo de pegá-la viva.Mellody veio como trem bala levando eu e Alice para o chão junto a ela.

— MISERICÓRDIA GENTE, QUE PORRA É ESSA? UMA HORA DESSA DA MANHÃ E JÁ ESTÃO COM ESSE FOGO TODO. — Rose, que estava sentada no sofá assistindo TV, se levantou assustada olhando confusa para todos nós que estávamos caídos no chão da sala enquanto Mellody e Alice se matavam de rir.

—Culpa do seu noivo. — apontei para Emmett que parecia ter desmaiado.

— EMMETT, MEU DEUS DO CÉU! — Rose correu até ele se ajoelhando perto do corpo do mesmo que resmungou. — EMMETT NÃO MORRE, A GENTE NEM CASOU AINDA. — o sacudiu o fazendo acordar.

— Calma. — pediu a ela. — Ai minha cabeça. — comecei a rir.

— Isso foi pelo banho gelado. — avisei a ele. Me levantei e quando me virei dei de cara com Bella que me encarava assustada.

— Senhor Jasper, estou vendo que resolveu tomar banho de roupa. Iniciativa econômica interessante. — se virou para os outros.— Credo gente! Todo mundo deitado no chão, se está calor é só ligar o ventilador ou ir pra piscina que fica ali lindamente vazia, não vejo necessidade nenhuma de deitar no chão frio. Que mania de pobre!— comentou indignada e saiu em direção a cozinha.

Comecei a rir junto com os outros.

— O que seria de nós sem a Bella. — segui em direção a varanda.

—Jasper, se o Emmett tiver se machucado você será um Hale morto!— Rose avisou vindo até mim e eu a encarei.

— Não posso fazer nada se ele é um idiota.

— Não fale assim dele, não seja um babaca. — ergui a sobrancelha para ela. — BABACA! — gritou voltando para a sala.

— Volte aqui. — Comecei a rir e voltei para a sala onde Mellody tentava acordar Alice que estava cochilando sentada no sofá.

— Alice, amiga acorda. — a sacudiu. —Temos que brincar muito hoje. — Alice abriu os olhos lentamente e depois se levantou.

—Mellody deixa Alice descansar um pouco, ninguém aqui é de ferro. — falei a Mell que fechou a cara e cruzou os bracinhos.

—Não. — Alice riu. — Está tudo bem, é que ontem eu cheguei meio tarde da faculdade. — me explicou.

Assumo que senti pena. Ela parecia estar bem cansada e pelo pouco tempo que ela estava aqui a mesma se mostrava super empenhada e em momento algum deixava de dar atenção a Mellody, que aparentemente estava se apegando cada vez mais a ela.

— Eu queria pedir desculpas por isso, mas... — olhou para Mell. — Não sei se consigo continuar cuidando de Mell, por mais que eu goste. — me encarou. Era só o que estava faltando. — Me desculpe, foi uma semana muito boa, mas não estou conseguindo permanecer com a escola e vindo para cá, que é bastante longe da minha casa. — olhou novamente para Mell .

— Sai da escola e fica cuidando de mim pelo resto da sua vida. — Mellody sugeriu a Alice. Começamos a rir. Mellody e suas ideias...

— Não irei cuidar de você pelo resto da minha vida. Vai chegar um momento, um momento em que você irá crescer e vai saber se cuidar sozinha e não precisará mais de mim. — Alice explicou a ela que ficou de pé no sofá.

— Claro que não.— contestou nervosa. — Sempre vou precisar de você. — Alice sorriu. — Não vá embora. — implorou.— Quem vai cuidar de mim? —Alice deu de ombros.

Rose me cutucou. Olhei para ela que estava sentada enquanto Emmett estava deitado com a cabeça em seu colo. Rose continuou me encarando e eu dei de ombros não entendo o que o olhar dela queria dizer. A mesma revirou os olhos e fitou Alice que estava amarrando o cabelo de Mell em um rabo de cavalo.

—Alice, seria melhor se você viesse morar aqui com a gente, não é Jasper?—Rose propôs me dando um beliscão.

— Aiii. — a encarei.— Sim, seria uma honra tê-la aqui conosco. — respondi enquanto eu massageava minha costela que estava dolorida por causa do beliscão.

— É verdade e ia dar mais tempo para brincarmos. — Mell a abraçou enquanto a mesma parecia um pouco perdida.

— O que? Não. — Alice riu.

— Sim. — Eu, Mell e Rose concordamos.

— Não se preocupem com isso, eu farei o máximo possível para continuar cuidando dela. Não vou desistir tão fácil. Não há necessidade de tentarem arrumar soluções absurdas.

— Não estamos tomando decisões absurdas Alice. — ela me fitou. — Estamos apenas tentando fazer com que todos fiquem felizes no final.

—Desculpe, mas eu não vejo necessidade de me mudar para cá. Eu estou bem no meu apartamento. Fico grata pelo convite. — agradeceu a todos nós.

— Estamos tentando apenas facilitar as coisas para você. Realmente ficaria mais fácil para todos nós caso você viesse para cá, eu não irei descontar em seu salário. De forma alguma— Alice negou novamente.

—Não. —disse calmamente. — Eu realmente prefiro continuar morando em meu apartamento. Ok? — concordei.

—Serio Alice, na minha opinião você deveria se mudar para cá. — Rose se virou para ela. —Imagine o quanto ficará mais viável a você já acordar no outro dia aqui, após a faculdade.— Rose tentou convencê-la.

—Não.—respirou fundo. — Gente é serio, muito obrigada de coração, mas eu já estou acostumada com meu cafofo. Se eu sair de um ambiente em que eu já estou socializada as vezes acaba, sei lá... é ruim. — explicou para nós. Olhei para Rose que deu de ombros.

Me sentei ao lado de minha irmã. Pelo visto não havia dado certo. Seria interessante a ideia de Alice morar com a gente.Talvez Mellody iria ficar mais feliz, pois ambas passariam mais tempo juntas.

—Olha... — Bella apareceu na sala com uma toalha na mão. — Realmente seria melhor se você viesse para cá. — Bella me cutucou e piscou. Mais uma do nosso lado, ainda mais Bella que era a melhor amiga de Alice.— Eu morava com você e já me acostumei com aqui. Não é tão aterrorizante, apesar que a maioria do pessoal aqui é maluco. — comecei a rir. — Mas é legal!. — me entregou a toalha para que eu me secasse.

— Nem pensar, eu não quero incomodar. — Começamos a resmungar. Era só o que estava faltando!

— Ficou maluca? — falei rindo. — Você incomodando? Aparentemente você foi uma das melhores coisas que apareceu para mim e Mellody. — assumi.

— Menina do céu, vou lançar um olhar suspeito pro Jasper só pra poder deixar a cena mais tensa. — olhei para Bella que estava me encarando de rabo de olho. — Frase impactante em patrão.

Bella sendo Bella...

—Para com isso gente. — Alice pediu escondendo o rosto. Pelo visto estava corando.

— Estamos apenas falando a verdade Alice. — Rose disse a ela.

— Alice, você me ajuda demais cuidando da minha filha , que te adora muito, você sabe disso. — ela me encarou com as bochechas coradas.

— Gosto mesmo. — Mell, que estava em seu colo a abraçou. — Por favor. —Mellody a encarou fazendo bico. —Fica com a gente?

Alice encarou a todos nós.

—Ok, eu vou pensar. — respondeu nos fazendo comemorar.

— Já foi meio caminho andado. — falei a ela que riu.

— E esse clima de festa? O que eu estava perdendo ? —Edward perguntou entrando na sala de repente.

— O que te trás aqui a uma hora dessas?—perguntei e ele começou a rir e encarou Bella. Ok... já entendemos.

—Como eu sou de casa agora, eu estava com saudade do excelente atendimento de sua empregada querida. —Ele respondeu apontando para Bella que sorriu.

—Que amorzinho. — Bella riu. — Acho que vou chorar. — se abanou dramaticamente. —Não espera. EI VOCÊS. — Bella gritou e algumas empregadas apareceram na porta da sala. —CHORA RECALQUE. — riu para elas. —VIU MENINAS ,EU SOU DE MAIS. — disse a todas elas que estavam boquiabertas.— No que posso ajudar ? —perguntou a Edward dando um sorriso largo para ele.

—Jasper, posso levar sua empregada pra mim ?— perguntou e Bella o abraçou.

— Claro, sempre que quiser. —Bella respondeu a ele.

—Sem fogo Bella. — Alice pediu a Bella que lhe mostrou a língua.

—Não. — Bella fechou a cara. — É a minha melhor empregada, não posso deixar ela ir embora dessa maneira.

— ISSO MESMO, LUTEM POR MIM. — deu sua risada maléfica.

—Menos Bella. — Rose pediu rindo.

— É eu realmente não posso ir. — lamentou a Edward. — Eu tenho que ficar aqui já que talvez aquela mula, vai vir morar aqui. — Alice a encarou serrando os olhos. — Tenho que saber como estão as cosias, porque vai que...pah. — riu.—Mas mesmo assim, muito obrigada pelo convite. — se aproximou dele. — Mas qualquer coisa a gente dá um jeito e eu vou pra lá. — cochichou, aos berros, fazendo Edward gargalhar.—Deixa eu continuar o meu trabalho, pois vejo que hoje o almoço vai ter que ser mais reforçado. — riu se retirando. — QUERO VER SE A PRAGA DE VOCÊS VAI CAIR EM MIM. SOU PODEROSA QUERIDA. MEU CORPO É BLINDADO , USO DEUS DE ESCUDO !—Bella gritou para as outras empregadas.

—Está gostando da sua babá, Mellody ? —Edward perguntou pegando Mellody nos braços e a mesma concordou.

—Ela é muito legal! —Mellody respondeu encarando Alice que estava cochilando novamente no sofá. — ALICE. — gritou a fazendo pular do sofá.

—Pronto, estou nova. — respirou fundo.— Aliás, trouxe uma coisa para você. — disse pegando Mell no colo. Ambas seguiram em direção as escadas a subindo provavelmente indo em direção ao quarto da minha filha.

— Nossa, Alice é uma moça muito bonita!— concordei com Edward assim que Alice sumiu de nosso campo de visão.

Mas era a verdade, ela era bastante bonita.

—Semana passada ela se vestiu de princesa, porque estava brincando com Mell, e faltou pouco pra esse daqui —apontou para mim. —pular em cima dela. — Encarei Rosalie que começou a a rir. — Para Jasper, raramente você elogia uma mulher de forma igual estava elogiando ela, você estava suando frio.

Exagerada!

— Mas ela estava muito bonita e também eu me lembrei da Maria na festa de um ano de Mellody. — expliquei Rose que começou a rir.

— Por favor Jasper, convenhamos que Alice não tem a mesma cara de merda que aquela desgraçada. — concordei com minha irmã. — E é mil vezes mais bonita do que ela coisa que você era casado.— concordei novamente.

—PAPAI , PAPAI , PAPAI. —Mellody desceu escorregando no corrimão pela milésima vez em tempo de se esborrachar o chão. A peguei no colo quase caindo no chão com a mesma.

—O que eu lhe pedi? — perguntei a ela e a mesma deu de ombros.

— Desculpa — pediu.

— Tudo bem. — a encarei enquanto a mesma estava com uma roupa totalmente diferente. —Que roupa é essa ? — pelo que eu me lembrava a mesma não tinha uma roupa de bailarina.

—Alice me deu de presente. — encarei Alice que estava descendo as escadas. — E eu posso fazer aula de balé? Alice disse que pode me levar.

— Pode só se a Alice vier morar aqui. HAAA. —encarei Rosalie que se levantou do sofá derrubando Emmett no tapete.

— O que foi isso mulher? Que susto! Encarnou o capeta em você?— Emmett perguntou assustado.

— O que? — encarei Alice que descia as escadas.

—Alice por favor, vem morar aqui. Senão eu não vou poder fazer aula de balé.— Mell implorou.

Olhei para Alice que encarou a todos nós. Acho que alguém iria ceder...

—Não façam isso comigo. — pediu.

— Fazemos sim. — Rose riu ficando ao meu lado.

—A decisão é sua. — falei a ela que fez uma cara de sofrimento.

—Pessoal, isso é golpe baixo. — nos avisou nos fazendo rir. — Agora vocês mexeram com o meu psicológico. — completou irônica.

—Por favor. Eu sei que você me ama. — Mellody implorou.

Alice nos encarou respirando fundo.

—Ok, eu venho morar aqui já que não tenho opção. — respondeu rindo.

— Claro que você tem outras opções Alice. — Falei a ela que me encarou surpresa.— Ou você se muda para cá, ou... você muda para cá.— ela riu me mostrando a língua.

— Engraçadinho. — disse enquanto pegava Mellody do meu colo.

— Valeu Alice. — Mell disse dando seus ataques de beijo em Alice que começou a rir.

—Tudo certo então ? — Perguntei e Alice que concordou.

— Jasper, pode colocar a Alice no meu quarto. Irei desocupá-lo já que eu vou ir morar com Emmett de vez . — minha irmã me informou me fazendo arregalar os olhos.

—O que? — perguntei a ela. — Não antes de se casarem.

— Pare de ser antiguado. — pediu. — Eu vou sim. — serrei os olhos para ela. —Ah qual é Jasper, para de encher o saco. Eu passo a maior parte do tempo na casa do Emmett, não vai fazer diferença nenhuma.

— Faça o que quiser. — falei a ela que revirou os olhos.

—Rose vai morar comigo ? — Emmett perguntou a si mesmo levantando do sofá.

—Sim, vamos ficar juntinhos agora. — respondeu a Emmet.

O encarei com um olhar mortal já que eu seria preso caso eu o matasse.

—Se você fizer algo de mal com minha irmã, já se considere um homem morto.— avisei a ele que concordou.

—Sem mortes. — Rose pediu. — Vamos começar a arrumar minhas malas.— seguiu em direção as escadas.

— Rose pra que malas ? Dá para juntar suas roupas e sapatos na mão, pois você já levou praticamente tudo que tem para casa de Emmett. — a mesma me encarou sobre o ombro.

—Maninho,entenda. Eu sou uma pessoa chique! Mesmo que eu tenha apenas uma peça de roupa ou um pé de um par de sapato desgastado eu coloco na minha mala gloriosa — revirei os olhos me lembrando daquele globo de luz rosa ambulante que ela chamava de mala.

—Tudo bem. — me rendi. — Boa sorte.— falei a ela antes de seguir para a sala de jantar.

Após tomar o café e ler o jornal da manhã, fui para meu quarto e após tomar um banho e me vestir, peguei a chave do carro e desci as escadas. Passei pela sala onde Alice dormia sentado no sofá enquanto Mellody estava com a cabeça em seu colo assistindo Bob Esponja.

—Tchau — cochichei para não acordar Alice.

—Tchau papai.

Assim que sai de casa vi que o tanque do carro estava quase na reserva, decidi então passar no primeiro posto que encontrei. Assim que encontrei um posto, estacionei o carro e desci para abastecer. Enquanto eu estava abastecendo algo me chamou atenção. Uma mulher de longos cabelos castanho escuro estava de costas limpando o restaurante do outro lado da rua.

Tranquei o carro e segui em direção ao outro lado da rua. Abri a porta e entrei no restaurante que ainda não estava funcionando.

— Me desculpe, mas estamos fechados. — assim que a mesma me reconheceu revirou os olhos. — Acabou com meu dia. — se virou de costas para mim.

—Maria? — comecei a rir. Quem diria que um dia eu veria aquela vagabunda trabalhando. — Como está? — me encostei na porta e a mesma se virou.

— Será que poderia dar o fora daqui? Não está vendo que não estamos funcionando? — perguntou nervosa.

— Olha, olha. Se continuar me tratando desse jeito vou reclamar com seu chefe. — avisei a ela que fechou a cara. — Recebeu todo o dinheiro.

— Sim.

— O que está achando da sua nova vida? — perguntei. — Deve ser emocionante voltar a ter a vida que tinha antes, não é mesmo?

— Como Mellody está? — perguntou para o meu espanto.

—Ela está melhor agora que Alice está cuidando dela.— me olhou surpresa.

—Sua nova namorada? Como consegue esquecer tão rápido das pessoas? Você é desumano. Quer dizer então que já havia outra a bastante tempo? E que ela estava esperando apenas o divórcio para que ela em fim aparecesse?— perguntou indignada. — Claro que tinha. —Tirou suas próprias conclusões. Comecei a rir com tamanha imaginação que a mesma tinha. — Seu vagabundo. —a segurei antes que a mesma me batesse.

— "Não" para a primeira e a segunda pergunta. — a soltei. — Alice é a babá da minha filha e ela está cuidado muito bem dela. O mais interessante é que as duas criaram um laço de amizade muito maior que aquele que havia entre você e Mellody . — assumi. —Se eu fosse você ficava esperta. Mellody vai te esquecer também, o mais rápido possível.— seus olhos se marejaram instantaneamente. — Até mais. — sai do restaurante e atravessei a rua seguindo em direção ao meu carro.

[...]

Cheguei em casa correndo para que Alice não perdesse o horário da faculdade. Uma das reuniões havia se prolongado desnecessariamente.

—Me desculpe Alice, é que tivemos uma eeunião e ai...

— Tudo bem, não se preocupe. Ainda dá tempo de chegar no horário. —me disse calmamente enquanto pegando seus livros.

—Oi papai. —Mellody veio da cozinha vestida com um pijama de macacão comprido de bolinhas tomando achocolatado.

— Oi meu anjo.— a peguei no colo. — Alice se quiser eu posso te levar na faculdade. — prôpus a ela.

— Muito Obrigada, mas dá tempo de pegar um táxi. —sorriu indo em direção a porta.

—Meu papai podia te levar, porque eu quero conhecer sua escola. — Mell disse a ela.

—Não Mell, seu pai está cansado.

—Não se preocupe, não estou cansado . —informei a ela.

— Finja que está. — me pediu me fazendo rir.

— Por favor Alice. — pediu novamente a Alice que respirou fundo.

—Tá bom. Só Hoje. — pegou Mell no colo.

—Eba! — comemorou enquanto saíamos.

—Entrem enquanto eu pego a cadeirinha. — entreguei a chave da Mercedes a Alice enquanto eu seguia em direção a BMW. Peguei a cadeirinha de Mellody e a levei para o outro carro e a prendi no banco de trás. Alice a me entregou e assim que seguia para o assento da frente escutamos um assovio.

Olhei para a janela e lá estava ela... nossa querida Bella...

—QUE ISSO EM AMIGA— riu. — PODEROSAAAAAAAAAAAAA — Bella gritou sorrindo para Alice que fechou a porta do carro.

— Misericórdia! Essa Bella só me faz passar vergonha! — comecei a rir assim que olhei para Alice que estava corada.

— Onde você estuda? — perguntei assim que liguei o carro.

—UNY . — respondeu e eu assenti.

— Também estudei lá. — contei a ela que me olhou surpresa.

— Uau!

—Serio papai? Posso conhecer lá dentro ?

—Se Alice não se importar, pois você está de pijama.

— Não tem problema algum ela estar de pijama. —Alice me respondeu e eu comecei a rir. — Pelo menos ela está de roupa, já outras pessoas de lá...

— Ainda não respeitam as regras sobre como devem se vestir ?

— Não. Na sua época era assim?

— Sempre foi.

— Trágico!— concordei.

Em poucos minutos chegamos de frente a universidade que estava bastante movimentada. Assim que estacionei o carro várias pessoas olharam em nossa direção. Não me intimidei com aquilo e desci do carro. Alice desceu logo depois, o que fez com que muitas pessoas ficassem surpresas. Alice abaixou a cabeça enquanto parecia corar. Abri a porta do banco de trás e peguei Mellody no colo. Segui até a Alice que estava me esperando.

— Vamos. — a puxei pela cintura a fazendo me acompanhar. . A mesma se afastou um pouco e caminhamos em direção a entrada.

Alice parecia estar incomodada com as pessoas que a encaravam enquanto cochichavam algo entre elas.

— Que saco! Esse povo é muito curioso. — resmungou se estremecendo de ódio.

—Sempre foram. — ela concordou.

— Por que eles ficam nos encarando? — Mell nos perguntou nos fazendo rir.

—Quem diria que a esfarrapada da Alice estava de caso com o senhor Hale. Olhe o seu nível para o dele meu amor. Você não se enxerga não? —Uma mulher ruiva, que estava com um vestido vermelho ultra decotado e justo, insultou Alice que abaixou a cabeça.

Olhei para a garota que havia a chamado de esfarrapada. Senti o ódio embrulhar meu estômago.

Que vagabunda!Quem ela pensava que era?

—Fica na sua Victória. — Alice pediu calmamente a ela.

— Que coisa lixenta! —Mellody disse apontando para a tal Victória com fazendo cara de nojo.

— Olha aqui sua coisa fútil... — seguiu em direção a minha filha.

— Ei,ei,ei.Calada! — Ordenei a ela que me encarou. —Não vou permitir que fala nesse linguajar com Alice e nem com minha filha. Por favor, antes de se dirigir novamente a palavra a alguma das duas, olhe o seu nível primeiramente. — A garota revirou os olhos e saiu pelo corredor pisando alto. Puxei Alice que começou a rir assim como algumas pessoas que estavam no corredor. — Vamos. — a chamei.

— Uau, isso foi sensacional! — Alice gargalhou. — Obrigada.

— Não há de que. —respondi antes de entrar na biblioteca.

— No que...— a bibliotecária se calou assim que me olhou sobre o óculos. — Não creio. — riu saindo de trás do balcão. — Quem diria que iria voltar aqui um dia garoto. — Renata veio até mim. — Não o vejo desde que se formou.

— Nem me fale, graças a Deus que me formei. Nunca gostei desse lugar. — admiti a ela que riu.

— Por que papai ?— Mell me perguntou.

—Seu pai era muito bagunceiro.— concordei com Renata. — Ele já tacou ovo na minha cabeça— me encarou. — Muitas vezes. Isso tirando as vezes que tive de cortar meu cabelo, porque ele colava chiclete. — comecei a rir. — Apesar disso, esse local não é a mesma sem você e sua trupe da bagunça. —A abracei novamente. Renata era uma pessoa muito especial para mim, ela também fazia falta. — Vejo que está bem de vida e prossegue com os negócios da família. — concordei. — E essa garotinha?

— Essa é a Mellody, a única filha que eu tive com Maria. — respondi e Mellody sorriu.

—E Maria como ela está ? Vi algumas fotos dela na internet. Ela está bastante bonita.

—Ela não está mais comigo. — eu disse.

— Oh céus, vocês pareciam estar tão felizes e...

—Tudo deu certo no primeiro ano. Depois as coisas começaram a ficar estranhas e resolvemos nos divorciar.

— É uma pena. — ela disse. —Senhorita Brandon não me contou que o conhecia. — Renata disse e Alice que estava distraída ao nosso lado mexendo em alguns livros.

— Ah, sim. — riu. — Sou Babá de Mellody. — Explicou.

— Agora eu tenho que ir . — falei lhe abraçando novamente.

— Até mais, apareça mais vezes.

— Pode deixar, viremos sim. — prometi a ela.

Saímos da biblioteca e seguimos pelo corredor.

—Eu tenho quer ir. — me abraçou me pegando de surpresa e deu um beijo na testa de Mellody. — Nos vemos amanhã.

—Até amanhã. — sorri para ela que sorriu de volta. A mesma se virou e seguiu até uma menina de cabelo curto que quase se esparramou no chão de susto assim que Alice se aproximou dela.

—Você e a Alice estão virando melhores amigos ?— Mellody me perguntou e eu a encarei.

— Nos já somos amigos. —respondi e olhando para Alice entrando na sala. — Eu acho. — completei.

— Vai ser igual o Tio Emmett e a Tia Rose? Eram amigos e agora vão se casar?— arregalei os olhos. Mellody e suas perguntas malucas.

— O que? Não. — ela riu. — Pare de pensar nisso. — pedi a ela. Caminhamos pelo corredor enquanto haviam no máximo 10 pessoas que corriam para as suas salas.

— Papai você acha a Lice bonita ?

— Sim ela é muito bonita. —respondi. — Sei que também a acha bonita; — Concordou.

Passamos por uma sala e quando olhei dentro dela o direto, o mesmo diretor da época em que eu estudava. Senhor Voluri apenas acenou pois estava falando ao telefone. Acenei novamente para ele. Senti meu telefone vibrar em meu bolso, pus Mellody no chão e o peguei o atendendo.

 Alô ?

Jasper aonde você está ? — Rose perguntou rindo.

— Vim trazer Alice na escola. — respondi e a mesma

— Não vai me dizer que levou só por que Mellody pediu ?

—Exato maninha, Mellody insistiu para que Alice deixa-se.

Kate , Irina e Tanya ligaram e falaram que estão com saudades.E também avisaram que Paris está em um inverno horroroso. — bufou.

—Mande um abraço para elas. — pedi. — Mas o que você quer ?

— Desculpa, mas é que vi uma foto onde estava você, Alice e Mellody saindo do carro, e eu queria saber se era verdade. Que coisa não ? Mãozinha na cintura da Alice.Desde quando se intimidaram tanto assim e não me contaram nada? — revirei os olhos. Era só o que me faltava, ter que aturar Rose me enchendo o saco. — Vocês ficaram bonitos juntos! Olha só que está escrito na primeira pagina de site de fofocas: "Dono de famosa revista masculina, parece não perder tempo. Após se divorciar de sua esposa, depois de quase quatro anos de relacionamento, há boatos de que está com outra mulher, dessa vez uma jovem universitária." — A mídia era um lixo... — Uau maninho, arrasou! — caiu na gargalhada.

—Tchau.— desliguei o telefone já não tendo um pingo de paciência com suas gracinhas.

—Quem era ? —Mellody perguntou.

— Sua tia Rosalie. —respondi guardando meu telefone no bolso.

—Vamos dar tchau pra Alice papai . —Mellody pediu me puxando em direção a sala onde Alice havia entrado.

— Nós já demos tchau para ela, e ela está tendo aula.

— Vamos papai, por favor. — me puxou e eu a segui.

Assim que chegamos na porta de sua sala, Mell colocou á cabeça pra dentro da sala acenou para Alice que fez o mesmo e sorriu para ela.

—Até amanhã. —Alice disse para Mellody que continuou mandando beijos fazendo que as outras alunas, e até mesmo o professor que estava ali, rissem de suas palhaçadas.

—Tchau.—falei a Alice que olhou pra mim e sorriu.

—Tchau.— disse enquanto eu pegava Mellody no colo. Sorri para ela e logo depois sai junto a Mellody e fomos para casa.

Enquanto estávamos no carro Mellody vinha cantando sozinha até que me chamou.

—Papai.

— Sim.

— Alice é tão legal!

— Sim, ela é muito legal. —concordei a encarando pelo espelhinho do carro.

Realmente Alice, era uma ótima pessoa.   

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...