Mais Um Dia (Diário De Uma Trabalhadora)


0Likes
0Comentários
25Views
AA

1. Mais Um Dia (Diário De Uma Trabalhadora)

 

Eric do Vale

            Acordei às três e meia da manhã, fiz o café e quando deu quatro e quinze, saí para trabalhar. Essa é a minha rotina e o lugar onde moro é bastante perigoso, principalmente nesse horário. Por isso, posso dizer que já vi e continuo vendo muita coisa. Eu estava na parada, quando um taxi estacionou na minha frente e o motorista abaixou o vidro do carro. Era um homem de cabelos grisalhos que beirava a casa dos cinquenta e ele falou:

            -Entra aqui.

            Eu me fiz de desentendida, mas ele insistiu:

            -Entra aqui.

            Continuei ignorando-o e ele se enfureceu:

            -Está surda? Entra aqui!

            -Pra quê?

            -Não interessa, faça o que estou pedindo.

            Saí correndo e ele gritou:

            -Volte aqui!

            Percebi que ele tinha dado a partida do carro e então dobrei a esquina. Quando tive certeza de que ele não estava mais perto, aliviei o passo até chegar a um ponto de ônibus. Nessa hora, avistei uma mulher caminhando em minha direção. Ela vestia trajes curtos e estava com o rosto todo maquiado. Cada vez que essa mulher vinha se aproximando, tinha a impressão de conhece-la de algum lugar e não tive nenhuma dúvida disso, quando eu a vi de perto: era a Vilma! Ainda pensei em chama-la, mas, nesse momento, ela foi abordada por um homem que a chamou por outro nome. Eles caminharam até um beco e ficaram por lá. Foi justamente nessa hora, que o meu ônibus chegou.

            Diariamente, a Vilma e eu íamos para o trabalho e voltávamos para a casa juntas até ela ser demitida por justa causa. Ainda hoje, ninguém soube esclarecer o motivo dela ter sido demitida. Por coincidência, hoje, durante o almoço, o pessoal falou nela:

            - A Vilma andava de caso com o Orlando.

-Ela se envolveu com quase todo mundo, aqui da firma, e dizia para quem quisesse ouvir. Esse foi o vacilo dela.

- E ela ainda cometeu a besteira de sair falando mal do Orlando, atirou no próprio pé.   

Eu não emiti nenhuma opinião e nem falei que a tinha visto hoje, quando estava indo trabalhar.

Ao voltar para a casa, pensei: “Amanhã é um outro dia”.  No entanto, não poderia deixar de transcrever tudo isso que aconteceu, hoje.    

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...