DARK (Tradução PT BR)

Ela era inocente; ele, perigoso. Mas logo ela percebeu que, algumas vezes, é preciso conhecer a escuridão antes de poder apreciar a luz.
-----------------------------------------------------------------------------------------------

Esta fanfic não é de minha autoria, é apenas a tradução para o português brasileiro.


Autora desta Fanfic : Hannah (http://han-rawr.tumblr.com)


Idioma original: Inglês (http://dark128.tumblr.com/)


IMPORTANTE: O material nesta fanfic é impróprio para menores de 18 anos.

4Likes
0Comentários
444Views

4. 04

 

“Oi linda”.

Não me movi e Harry segurou meu braço e se inclinou para me beijar. Eu rapidamente virei minha cabeça para o lado, seus lábios carnudos cheios de vontade de fazer contato acertaram o meu rosto em vez do seu alvo. Ele se afastou com um sorriso puxando seus lábios. Seus olhos fixados nos meus até que abaixei a cabeça, meus dedos brincando com a alça da minha bolsa.

Senti seus dedos quentes se entrelaçarem com os meus, sua mão estava quente e se eu não me sentisse tão ameaçada por ele o toque teria me confortado. Atravessamos a rua para onde o carro preto estava estacionado. A porta do passageiro estava aberta e Harry olhou para mim com expectativa.

“Entre, amor.”

Obedeci, minha respiração trêmula enquanto ele bateu a porta atrás de mim. Minha cabeça virou olhando ao redor do interior do carro. O carro era surpreendentemente limpo para um cara. Ele deu a volta no carro e entrou no lado do motorista, seu corpo alto subindo facilmente no veículo e então fechou a porta. Assustava-me o fato de eu estar sozinha com ele agora.

“Não fique tão nervosa, Bo.” Harry sorriu.

Seus olhos verdes permaneceram em mim por alguns segundos antes de travar  o cinto de segurança, e eu fiz o mesmo. Pousei meus olhos de volta em Harry enquanto ele rapidamente virou a chave na ignição e trocou o carro em marcha à ré. Ele sorriu para mim, piscando antes de retirar do espaço e descer a rua.

Notei enquanto ele dirigia que suas mangas do blazer foram empurrados para cima de seus braços fortes. Ele empurrou a franja que estava em seus olhos, limpando a visão para ver os carros acelerando passando por nós. Eu me vi olhando para seu rosto até que seus lábios se curvaram em um sorriso e eu sabia que tinha sido pega. Olhei para baixo e olhei para minhas unhas para disfarçar e percebi que estava corando.

“Quantos anos você tem?” Eu perguntei em voz baixa.

Olhei para o rosto dele. Ele virou para mim por um segundo antes de olhar para o pára-brisas.

“Vinte”.

“Ah”.

O resto da viagem foi bem tranquila, eu passei o tempo olhando para fora da minha janela. A luz sol estava se enfraquecendo lentamente no céu e então entramos em um estacionamento. Eu dei um pulo na cadeira quando Harry colocou a mão no meu joelho, e o impedi que ele pudesse movesse a mão mais para cima. Ele riu profundamente, e em seguida tirou a mão.

“Chegamos.”

Eu tirei o cinto de segurança, e tentei abrir a porta, meus olhos se arregalaram quando eu percebi que estava trancada. Eu tive que esperar por Harry para abrir minha porta pelo lado de fora. Eu tremi um pouco com a idéia de ser trancada com ele. Eu não consegui disfarçar, e fiquei com vergonha quando ele me ajudou a descer do carro. Uma reação que não passou despercebida por Harry.

Eu apertei um pouco mais o casaco junto ao meu corpo, o vento girava em nossa volta.. Harry me segurava pela mão e foi me guiando até o caminho. Respirei fundo, o cheiro do mar preenchendo meus sentidos. Viramos a esquina e percebi que estávamos no porto. Meus olhos vagavam de um barco para o outro, todos eles atracados no cais.

Nós continuamos a caminhar pela orla, uma grade sendo a única coisa que nos separava da água profunda. Paramos do lado de fora de um restaurante, Harry tirou o braço do meu ombro e me girou para encará-lo. Engoli em seco quando ele empurrou meu cabelo para longe do meu pescoço. Ele soltou um sorriso enquanto passava as pontas dos dedos sobre a marca que ainda era visível em meu pescoço.

“Mmm, talvez eu deveria lhe dar outro, só para garantir que todos saibam que você é minha.” Sua voz rouca sussurrou.

“Não.”

Eu comecei a recuar, mas ele pegou meu pulso antes e me puxou pra perto dele.

“Talvez mais tarde.” Ele sorriu.

***

Harry deu seu nome para o homem na frente do restaurante e nós fomos levados para as mesas do fundo. Eu tive uma sensação horrível que Harry tinha pedido para ser colocado aqui para que nós ficássemos mais escondidos. Sentei-me em frente a ele na mesa pequena, encolhi os ombros e tirei o casaco, o colocando no encosto da cadeira.. A garçonete nos entregou nossos cardápios antes de anotar os pedidos das bebidas e se afastou rápido.

Harry estava concentrado na lista de pratos em oferta, aproveitei que ele não estava olhando e tirei o celular de dentro da bolsa. Segurei o cardápio em frente de mim, me escondendo e abri a mensagem que tinha chegado.

De: Zoe

Como é que vai? Você está bem? Xx

Eu estava prestes a responder quando meu escudo foi tirado. Eu rapidamente coloquei o celular dentro da bolsa antes de olhar de volta para o olhar escuro de Harry. Ele decidiu não mencionar o meu telefone e me perguntou o que eu queria, em vez.

“Eu não estou com fome.” Eu respondi.

“Escolha ou eu vou escolher pra você.” Disse meio irritado.

Eu fiquei em silêncio, e ele chamou a garçonete. Seu rabo de cavalo balançava quando ela correu para nossa mesa e anotou nosso pedido rapidamente.

“Mais alguma coisa?” Ela perguntou educadamente.

Seu olhar hesitante pousando em Harry antes de olhar para mim. Eu poderia dizer que ela sentiu a situação ao seu redor, me deu um olhar de simpatia, quase como se ela soubesse que eu estava aqui contra a minha vontade.

“Não, obrigado.”, Sorri.

Então ficamos sozinhos. Harry inclinou a cabeça ligeiramente para o lado, seus olhos travando no meu rosto.

“Eu te assusto?”

Eu estava prestes a dizer que foi uma pergunta muito idiota, mas me contive. Eu não quis lhe dizer o quanto ele me assustava. Tenho certeza que ele teria usado as respostas em sua vantagem, embora eu não veja como ele não poderia ter percebido o efeito intimidador que ele tinha sobre mim.

Meu silêncio foi tudo o que ele precisava para a confirmação. Suas covinhas apareceram denovo quando ele sorriu para mim. A mão de Harry estava prestes a chegar na minha, quando a garçonete voltou com nossas bebidas. Falei obrigada pela água, mentalmente elogiando-a por nos interrompido, e aí ela se afastou e eu fiquei sozinha com Harry novamente. Eu me senti desconfortável quando seus olhos pousaram em meu rosto.

“Alguém já te tocou antes?”

“Q-quê?”, Eu respondi em confusão.

Ele não disse nada, mas eu ofeguei ao sentir a sua mão no meu joelho por baixo da mesa quadrada. Ele riu da minha reação e se levantou. Ele deu a volta na mesa e se sentou na cadeira à minha direita. Sua mão imediatamente voltou à sua posição anterior. Minha respiração engatou na minha garganta e seu toque deslizou lentamente até minha coxa, meu corpo estava congelado. Harry observou atentamente o meu peito se levantando bruscamente para cima e para baixo. Eu agradeci a Deus por não decidir usar um vestido, quem sabe onde suas mãos poderiam ter alcançado. Quando seus dedos deslizaram pela minha virilha eu meu coração disparou. Afastei a cadeira e a empurrei de volta fazendo um barulho irritante no chão.

“Eu-eu preciso fazer xixi.” Eu disse..

Ouvi-o profundamente rir e caminhei em direção ao banheiro, não tive tempo de pegar minha bolsa, eu só queria fugir.

“Não demore muito.” Harry disse atrás de mim.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...