Runa Angelical

"Diz a lenda, que uma garota ao completar 15 anos, começará uma busca para achar sua Runa Angelical..." Caroline de Sampaio, começará está busca sem saber. Ela vai para em Londres, onde acha umas pistas sobre um símbolo que ela viu em um sonho. Neste sonho ela não viu só esse símbolo, ela viu também seu melhor amigo, Lucas, chorando. Viu um garoto que ela já tinha visto, mas não lembrava onde, e ela viu sua mãe e seu pai pulando de um penhasco! Doideira? MUITA!! Ela vai achar este símbolo e saber o que significa? Ela saberá quem é o garoto nem tão misterioso assim? E seu amigo que estava chorando... Ela saberá o motivo? Será que seus pais irão pular de um penhasco?? São muitas perguntas para se responder, e só uma pessoa saberá responde-las, e está pessoa se chama Caroline de Sampaio!

2Likes
0Comentários
160Views
AA

2. Brasil... Martina!

Lucas Cunha ~ Londres, Inglaterra ~ 13 de agosto de 2015 ~ 11h. 12min.

 

Eu sei para que casa estou indo, sei em que casa a Line foi.

Eu vou morar na casa de Harry Styles, sim, Harry Styles. A Line foi para a casa de um garoto bem legal, eu gosto dele. Ele é alegre e divertido, vai cuidar bem da minha pequena.

Cheguei na casa do Styles, vamos bater na porta e ver o que me aguarda.

Bati e uma mulher atendeu.

- Olá, sou Lucas Cunha. - beijei a mão dela.

- Olá Lucas, você veio do Brasil certo? - assenti. - Sou Anne. Vou te mostrar a sua nova casa.

- Obrigado. - a casa é linda, bem decorada. Ela disse que o terceiro quarto a direita era o meu. Entrei e vi o quão grande ele era, tinha uma cama de casal, uma escrivaninha, roupeiro, pufes, computador, sacada e banheiro! Meu quarto em São Paulo não era nem a metade desse.

- Oi cara. Sou o Harry. - um garoto entrou no meu quarto e eu o cumprimentei.

- E aí. Sou o Lucas.

- O almoço vai ser servido, desce comigo e você nos conta sobre como é o Brasil.

- Pode ser. - descemos e nos sentamos.

- Onde tá a Emma mãe? - Emma é a irmã mais velha de Harry, não tinha visto ela ainda.

- Saiu com o namorado. - Anne disse e Harry revirou os olhos. - Então Lucas, sua mochila está arrumada e amanhã começam suas aulas. - Anne disse.

- Obrigado. - respondi e comi um pedaço de lasanha.

- Como era no Brasil, Lucas. Sempre me disseram que lá é muito alegre e todos são felizes. Isso é verdade? Não acredito muito nisso. - Harry perguntou.

- Bom, vou ter que acabar com a imaginação de vocês. - disse e ri um pouco assim como os dois. - É verdade sim que no Brasil é tudo muito alegre, mas tem partes das cidades, como aonde eu morava, que parece um filme de terror! - eles me olharam.

- Como você morava Lucas? - Anne perguntou.

- Eu morava em um apartamento de 2 quartos. Morávamos de aluguel, na vila Catarina. Eu ficava em um quarto minúsculo, com meu irmão mais novo Rodrigo, e  meus 5 primos. Dormia no colchão que ficava perto da porta, meu irmão dormia no beliche com um dos meus primos. Outros dois primos meus dividiam um colchão de solteiro e meu primo de 2 anos dormia no sofá. - os dois prestavam atenção em tudo o que eu dizia. - Lá no Brasil tem muito roubo, morte. Se você não entrasse em casa antes das 23h, todos seriam assaltados ou mortos. Meu pai, morreu em um assalto. Ele tentou revidar e não conseguiu. Morreu esfaqueado. Na minha casa mora muita gente, e minha mãe não conseguia pagar as contas e alimentar 11 pessoas. Então eu apenas com 16 anos, estudava de manhã e trabalhava de tarde. No colégio, por eu saber muita coisa, sofria bullying. Me batiam todos os dias, e já chegaram a apontar uma arma para mim. Iam atirar, mas meu tio se meteu na frente e levou o tiro por mim. O Brasil é um pais separado. 

- Como assim separado? - Harry perguntou.

- Separado no sentido de ser a sociedade rica de um lado e a pobre de outro lado. Os ricos não ajudam, são pouquíssimos que nos ajudam. Parece que quanto mais tem, menos dá ou ajuda. Mas para ir no solzinho do parque Ibirapuera manifestar que a Dilma, nossa presidente, está dando casa para os pobres em vez de dar para os ricos, eles vão! O Brasil é um pais diferente do que vemos em novelas, revistas, cinema. Acredite, viver aqui é muito melhor do que viver lá. Nesse exato momento está morrendo mais de 100 pessoas no Brasil, por causa de assalto, SUS, atropelamento. Aqui é diferente, lá todos queremos vir para cá, mas são poucos que conseguem. - terminei e eles me olharam. 

- Nossa! Sua vida não era muito boa lá no Brasil. - Anne disse e eu balancei a cabeça de lado para o outro. -Mas aqui vai ser diferente, posso te garantir!

Sorri para eles e eles sorriram para mim de volta.

- Topa jogar futebol hoje de tarde? - Harry me perguntou se levantando.

- Topo sim. - peguei meu prato da mesa, ia levar para a cozinha, mas Anne me impediu.

- Aonde pensa que vai Lucas? - ela me olhou com um sorriso nos lábios.

- Levar o prato na cozinha... - respondi.

- Aqui não é o Brasil. Filho, aqui é Londres! Os empregados, Josh e Cela, tiram os pratos da mesa. - ela apontou para um homem alto que sorriu para mim, e mostrou uma mulher baixinha que me olhou e abriu um sorrisão! - Essa é a educação daqui... Agora vai se divertir. - pegou o prato da minha mão e entregou para Cela.

 

Caroline de Sampaio ~ Londres, Inglaterra ~ 13 de setembro de 2015 ~ 11h.

 

- Prazer Caroline, sou Niall Horan. - ele esticou a mão para mim.

- Oi Niall, pode me chamar de Carol.

- Entre, Carol! - ele abriu espaço para mim passar e logo fechou a porta atrás de nós dois. Uau! Que casa maravilhosa de se morar. - Seu quarto é do lado do meu... - subimos uma escada, ele abriu uma porta branca e tinha um quarto lindo e maravilhoso por trás daquela portinha.  - Espero que goste...

- Eu amei!! - abracei ele com força.

- Que bom!

Entramos no quarto e ele botou minha "malinha" em cima da cama.

- Fiquei sabendo, que você gosta de desenhar e ouvir música, certo?

- Sim... - respondi.

- Eu coloquei um rádio na tua escrivaninha e tem uma mesa ali, - apontou para uma mesa bem grande! - para você desenhar tudo o que vier em sua cabeça! - ela disse isso e coçou a cabeça de um jeito fofo!

- Obrigada Niall!! Você é o melhor!! - abracei ele de novo.

- Bom, só está agente em casa. Eu não sei cozinhar e já são 11:45. Posso pedir uma pizza pra gente? - ele perguntou.

- Claro!

- Ok, vou lá embaixo pedir e já volto. - ele desceu. 

Abri minha mochila e tirei meus lápis de cor, canetinhas, marcadores, giz de cera... Todos os meus materiais de colorir e desenhar e juntei com os que tinham na mesa.

Peguei uma folha e comecei a desenhar a primeira coisa que veio na minha cabeça. Martina, minha irmãzinha de 11 anos. (capa)

- Quem é? - olhei para Niall que havia voltado e respondi com um pequeno sorriso nos lábios.

- Minha irmãzinha, Tina. Ou melhor, Martina.

- Ela é linda, você desenha muito bem.

- Obrigada... - sorri pra ele e a campainha tocou.

- Deve ser a pizza. - ele desceu correndo e eu comecei a desenhar outra coisa...

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...