Stage Lovers


5Likes
0Comentários
725Views
AA

9. Maquiagem Borrada

 

Foi como se o tempo tivesse parado. A presença deles tinha, de alguma forma, afetado o clima do ambiente. É claro, Liz estava encarando sem entender nada. Assim como eu não estava entendendo absolutamente nada. Ele realmente estava disposto a machucar Liz ainda mais?

Casey não esperou a loira se aproximar, caminhou em direção de Liz e a abraçou de lado, a expressão dela se suavizando. 

- Oi, meninos! - a loira disse com uma alegria excessivamente expressiva.

James respondeu com um leve aceno de cabeça. Por instinto, aproximei-me dele e passei as mãos por seus ombros, descendo para o peito. Possessividade? James sorriu de leve, quase imperceptivelmente. 

Ninguém falou nada por um tempo. O que estava realmente acontecendo? Havia mais alguma coisa que eu não sabia? 

- Por quê a gente não pede uma pizza? - Barclay tentou aliviar a tensão.

- Boa! - Tom ajudou.

Estavam todos indo para cozinha, eu seguia James, mas pelo canto do olho pude ver Liz segurando o braço de Casey. Aquilo não poderia terminar nada bem...Mas eu não podia me intrometer, não mais do que já havia feito. Então segui atrás do resto, saindo do corredor em direção à sala. Barclay e Tom eram os únicos que falavam alto. Levei um susto de leve quando senti os dedos de James se entrelaçando nos meus. Foi como naquela vez em que ele fez a mesma coisa sob a mesa na casa de shows. Encolhi-me sentindo o calor da mão dele na minha, aproveitando o momento. Passávamos em frente a uma porta quando James parou de andar e me puxou para dentro do quarto. O ato foi tão súbito que senti o coração acelerando daquele jeito que só ele sabia fazer. 

- James! - disse enquanto ele fechava a porta - O que voc...

Ele devia - devia mesmo - para de me beijar daquele jeito. E ele era alto, o que me fazia arquear as costas quando ficava na ponta dos pés. A mão dele segurava meu rosto de um lado e a olha apertava minha cintura. Dávamos passinhos desordenados, eu quase rindo. Com certeza não conseguiria andar e beijá-lo ao mesmo tempo. Então - era como uma conexão que tínhamos - dei um impulso e ele me pegou no colo, minhas perna agarrando sua cintura. A boca dele se abrindo para respirar enquanto ele dava meia volta para apoiar minhas costas na parede.

- Dessa vez você não escapa. - sussurrou com seus lábios roçando levemente nos meus.

Aquilo definitivamente me causou arrepios. O beijei de novo, querendo ele cada vez mais próximo de mim. Dessa vez não deixei que ele descesse para o meu pescoço. Eu beijei o dele. Não sabia bem como fazer aquilo, mas tentei lembrar de como James o tinha feito em mim. Comecei beijando o pescoço de leve, melhorando até chegar ao nível de chupões. Não consegui evitar o sorriso quando James gemeu no meu ouvido. Foi tão rápido, baixo... Eu precisava ouvir de novo. Deslizei minha mão para baixo, as pontas dos dedos sentindo o corpo de James. A adrenalina que corria dentro de mim era tão grande que nem consegui senti o rubor no meu rosto quando minha mão se aproximou do botão da calça dele. Era eu mesma que estava fazendo aquilo? James se afastou do beijo um pouco e olhou para baixo. Mordi o lábio. Eu só queria aquilo logo. Não era isso que ele queria também? Desci minha mão, a palma aberta. Ele já estava excitado, pelo volume. Acariciei o volume, no início com receio. Deixe a vontade tomar contaO quê? Não faça nada de que venha a se arrepender depois! 

Comecei a massagear o membro com vontade. Eu estava mesmo deixando a vontade tomar conta? Maldita sensação de frio na barriga, aquilo só me dava uma vontade ainda maior. James gemia baixinho, não como o gemido da primeira vez. Perguntava-me qual seria o efeito se eu juntasse os chupões. Foi o que eu fiz. Tocava-o mais rápido enquanto beijava seu pescoço. Efeito imediato.

- Ahhh, mas que merda, Natalie. 

Sua cabeça estava apoiado entre meus pescoço e o ombro, então sentia sua respiração acelerada e quente. 

- Não parece nem que eu nunca fiz isso, não é? - perguntei sorrindo entre uma chupada e outra.

Grande. Erro. 

James parou na hora. Senti o músculo de seu pescoço e dos braços se tensionarem. Seu olhar fixando-se nos meus olhos. Não pareciam estar me julgando, apenas...admirando.

- Você quer mesmo que eu seja o primeiro? - ele perguntou sério.

Era sério mesmo? Ele sabia que sim, pelo menos eu esperava que soubesse. Mas aí ele riu.

- James! 

Desci do colo dele, parando em pé. 

- Qual é, desculpa! - disse segurando meu rosto para me beijar.

Os lábios deles já estavam quentes, depois daquele fogo todo. Até onde teríamos ido? Não vou mentir, eu tinha curiosidade para saber como era. Liz já sabia como era. Se não com o Casey, já sabia desde a época em que namorou Mike Delaynow. Eles viviam se pegando desde o ensino médio. Era até.... nojento. Já eu? Estava sempre focada em cantar. Agora tinha minhas dúvidas. Talvez eu pudesse ter uma vida e ao mesmo tempo me empenhar na carreira.

- Vou buscar a comida.

James disse e me deu um selinho rápido antes de sair do quarto. Finalmente tive um tempo para normalizar minha respiração. Estava sorrindo para o nada. Ai meu Deus, eu estava sendo infectada! Sentei-me na cama e olhei em volta. Havia uma certa bagunça típica de um quarto masculino, mas senti um aquecimento no meu coração quando me deparei com algumas fotos na mesinha de cabeceira. Levantei-me e caminhei até lá lentamente. Eram fotos de família. Não era como se eu estivesse invadido uma propriedade reservada, mas... Minha mão estava um pouco gelada quando segurei a foto em que ele estava ao lado da mãe. Pude ver quem ele realmente era, o sorriso, o olhar, o brilho que irradiava. O jeito que segurava a mãe do seu lado. Ele era... James. Simples assim. Queria que pudesse continuar assim, mas sabia que um dia isso iria mudar. Porque a fama nos faz mudar. Se não completamente, então por fora, em frente às câmeras, algo sempre mudava. 

Devo ter ficado hipnotizada pela foto. Fui pega desprevenida quando James me abraçou pelas costas. 

- Admirando minha beleza? - perguntou dando em cheirada no meu rosto. Sorri.

- Mas é claro, o que mais poderia estar fazendo? - disse entrando na ironia dele. 

Coloquei a foto no lugar e me juntei a ele na cama. Lá estávamos, sentados um de frente para o outro com dois pedaços de pizza no meio. O que mais eu poderia pedir? 

- O que a Betsy está fazendo aqui? Não sabia que ela vinha.

- Eu também não. Ela mora longe, não sabia que estava vindo pra cá.

- Tem alguma coisa que eu ainda não sei? - perguntei.

James respirou fundo. Aquilo já me deu um certo medo do que viria a seguir.

- Casey já vinha andando com ela há um tempo. Desde a época em que estávamos no X Factor. Mas nunca pareceu nada demais.

Só isso?

- Estou falando a verdade. 

E eu decidi acreditar, é claro. Esperava que não viesse a me arrepender mais tarde.

- Como você se vê daqui uns dez anos? - perguntei aleatóriamente dando uma mordida no meu pedaço.

James deu de ombros.

- Sei lá... fazendo música com certeza. E, asim espero, junto com você.

Sorri. Hoje, apesar dos apesares, o dia estava sendo cheio de sorrisos. 

- Awww! - sorri tombando a cabeça para um lado. 

James levantou os olhos e depois voltou a morder a pizza. Não aguentei e comecei a rir. Descontroladamente. Meu Deus, tive de deixar o pedaço pela metade sobre o papel, quando vi que James vinha me fazendo cócegas. Parecíamos duas crianças, ele sobre mim. 

- Não! 

Mal conseguia gritar com aquelas malditas cócegas. A risade dele era tão gostosa, mas seria muito melhor se eu pudesse respirar para apreciá-la! 

- Natalie!

Parei imediatamente. James também. Ambos olhando para a porta.

Liz. E quem dera fosse apenas ela. E não Liz e a maquiagem borrada pelas lágrimas. Sua voz estava embargada, fina e indefesa igual uma criança.

- Vamos embora. 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...