A Esposa do Malik

“-Abdala, você deve respeitar o seu marido. Ser submissa. Deve respeitar o desejo de Allah, deve encher a casa de filhos. Não deve rir ou falar alto... Deve fazer suas orações e cuidar da casa e das crianças. Não saia de casa sem estar acompanhada de seu marido! Você sabe disso, não sabe, Abdala Khemal?- Minha mãe me olhou séria. -Sei mamãe...” Você foge daquilo que estava destinado a você, mas não pode garantir que está livre disso. Então você está longe... Em outro continente. E lá está o seu destino, batendo desesperadamente em sua porta de novo. Ou no meu caso, cantando pra centenas de garotas, então ele te olha e você pensa: “Okay, fodeu!”

8Likes
11Comentários
484Views
AA

2. Qual o seu Problema?

-Uma foto?- Eu estava embasbacada com o pedido de Megan.

-Sim... Vocês deviam estar tão lindos... Tem quanto tempo?

-5 anos.

-5 ANOS?-Ela falou um pouco alto atraindo a atenção de alguns clientes.- Vocês eram crianças!-Ela acrescentou em um tom mais baixo.

-Ei, eu sei disso... Fui obrigada a me casar com ele. É da minha cultura isso. Lá no Paquistão isso é totalmente normal e aceitável.

- Bem, então amanhã vocês vão se ver. Que fofo. Como vocês mantém contato e como eu nunca os peguei no Skype?

- Nunca pegou porque a gente não se fala por Skype... Nem por nada.

-Como assim?

-Ele nem sabe que estou viva, entende?

-Vai ter que explicar...

-Eu me casei com Malik, 3 meses depois eu fugi do Paquistão...

-Simples assim?- Ela ironizou.- Porque você fugiu?

-Longa história, fica pra depois.

-É por isso que nunca fica com ninguém?

Eu a olhei.

-Eu fico com alguns caras, não vou dizer que é sempre, porque não é. Mas eu prefiro manter em segredo... Algo casual e discreto.

-Você o ama, ou amava?

-Não amava. Mas aprendi a amar.

Foi exatamente como Ayla disse. Eu aprenderia a amar. E não precisei ser louca de paixão por Zayn para amá-lo, apenas aprendi... Não posso mentir dizendo que não o amo. Crescemos "juntos", estudávamos juntos na biblioteca e ele nunca contou a ninguém dos livros que eu lia. E nos casamos. Foram 3 meses intensos...

Eu e Megan fomos para casa em seu carro. Ela não tocou mais no assunto "MALIK", ela sabia que me incomodava e olha que ela havia acabado de saber da história.

Eu estava no meu quarto, ouvindo "cannonball" de Lea Michelle, quando me deu vontade de ver a foto.

Ridículo, eu sei. Mas eu queria ver.

Abri meu armário e tirei de lá uma caixinha de madeira,dentro dela havia várias fotos. As fotos minhas e de Ayla deixaram meus olhos marejados. E lá no fundo estava a foto... Aquela que Meg queria ver.

Zayn estava sem barba, diferente de agora, eu também estava diferente, parecia mais vulnerável, de fato eu era.

Sorri.

Eu adoraria vê-lo de novo, e talvez provocá-lo... Mesmo que não fosse certo.

Guardei as fotos e voltei para a cama.

Lentamente, peguei no sono.

                          •••

Sábado. Devia ser um crime acordar a melhor amiga cedo, num dia de sábado! Mas Meg não pensa assim.

-Bom dia Malika!-Não pude evitar o riso.

-Tenho uma prima chamada Malika.

-Tanto faz!-ela riu.- Vamos ver ele hoje! Está animada?

- Não devo mentir... São 5 anos.-Ela exibiu seus dentes grandes num sorriso imensamente bonito.

-Ele vai ficar tão feliz em saber que você está bem... Ontem eu assisti todas as entrevistas da One Direction e descobri que Zayn já jogou várias indiretas sobre você.

-Oh Allah! Para de sonhar Megan...

-Estou falando sério... Tem uma que ele é perguntado sobre seu atual relacionamento e ele fala: " Faz um tempo que eu perdi alguém muito especial... Não gosto de falar sobre isso. Ela era incrível."

-Uau, que gracinha... Pode ser pra qualquer ex. -Ironizei.

-Mas não é. Ah, já percebeu o colar do Zayn? Tem um anel na corrente. Como o seu.

Abaixei o olhar e acima de meus seios uma fina corrente carregava uma aliança. Por algum motivo eu havia a colocado ali e acabei não tirando. Eu era jovem e boba e depois apenas me acostumei com ela.

-Megan, não crie falsas expectativas. Você não conhece Malik como eu.

-Claro, isso porque não sou a Sra. Malik!

-Sai do meu quarto vadia!- Disse rindo e batendo com a almofada na cabeça dela.

Passamos o dia comendo bobagens e assistindo " Once Upon a time" .

Então deu 19:00 horas.

E até então eu estava calma. Isso porque não esperava que ele fosse me reconhecer.

Coloquei o vestido azul royal com um pequeno decote, calcei botas de cano baixo, sem salto, marrom. Fiz uma maquiagem simples destacando meus olhos esverdeados e deixei os cabelos soltos.

Megan estava usando um macacão rosa e saltos, estes a deixavam com aparência de modelo, me senti mal por estar relativamente simples, mas trocar de roupa estava fora de cogitação. Ela conversava com Yago pelo telefone.

Yago era o garoto ideal para Megan, ele era engraçado, bonito e muito fofo com ela. Meg se despediu mandando um beijo estalado. Ri brevemente e nos  encaminhamos para o shopping em seu carro.

-Ansiosa?

-Megan... Eu e Malik não somos um casal de verdade, não mais, só pela lei.

- E o que seria dos homens sem as leis e as regras Ab? Por acaso você estuda sociologia? Porque pra quem gosta tanto de sociologia e filosofia você está por fora.

Revirei os olhos com o comentário de Megan.

O caminho até o shopping foi um pouco complicado, muitos carros indo para a mesma direção. Não que fosse adiantar, mas poucos ingressos foram disponibilizados, então alguns foram na esperança de conseguir entrar... Ilusão.

Meg queria ficar na primeira fila, eu, um pouco covarde, hesitei e acabei convencendo-a a ficar um pouco mais atrás.

O show começou rapidamente.

E foi quando eu o vi que o inesperado aconteceu: Meu coração acelerou tanto que me segurei em Megan, suspirei de leve e ela sorriu.

-Sentiu saudades?

-Da voz dele... Ele cantava sempre... No banho, de noite, de dia, na hora do almoço... -Sorri.- Sempre.

- Vou dar um jeito de vocês se falarem.

Assenti. Eu não estava com medo. Mas você não tem medo do seu destino até ele arregaçar as mangas e esmurrar sua porta, a fim de que você abra.

Então ele olhou em minha direção, fixou o olhar e mexeu na corrente em seu pescoço, ele continuou me olhando e se perdeu na musica, Harry notando a confusão de Zayn, assumiu o solo e entregou a ele uma garrafinha de água. "Okay,Fodeu."

-Meg, ele me reconheceu.

-Claro que não Abby! Você mudou muito.

-Mas ele me reconheceu.

-Abby impossível!

-MEGAN, ME ESCUTA: OLHA PRA ELE, ELE ME VIU, ELE ME RECONHECEU. EU TENHO QUE FALAR COM ELE. Mas eu tenho medo...

- Você com medo?

-Medo da reação dele. Você não conhece o Zayn como eu...

O show acabou e começou a sessão de autógrafos. Megan me acompanhou até a praça de alimentação onde tomei água e começamos a voltar.

Zayn vinha em nossa direção. Meg sorriu, eu estremeci.

-Abdala!- Sua voz tinha um tom confuso, alegria com raiva. Ele segurou meu braço com força e Megan se assustou.

-Tudo bem, Meg. Vá andando.- Eu disse rapidamente.- Por favor.

-Tem certeza?

-Logo, Meg.- Falei firme. Forcei um sorriso. Ela se afastou e eu disse com a voz sarcástica.-Maridinho, assim você me machuca.

-Abdala você tem noção do que me fez passar?- Ele me segura a mais forte e me empurrava para o banheiro masculino, que felizmente estava vazio.

-Me solta Malik.

-Não solto, MALIK.- Ele deu ênfase ao Malik.- Esqueceu que também é Malik, gracinha?

- Se você não me soltar vai dar um problemão pra você! Não estamos no Paquistão onde os homens podem dar tapas na face de suas mulheres. E eu nem sou sua mulher.

Ele me empurrou na parede com raiva. Me prensou na mesma.

- Você é minha, entendeu? E você me deve uma explicação.

-Me deixe respirar que te explico.

Ele me soltou.

-Qual o seu problema?- Ele perguntou por fim.

- O meu problema? Olha quem fala. Ainda não procurou um psicólogo para essas suas crises de fúria não?!- Ele me segurou pela cintura e me puxou contra ele, me beijando de uma forma brusca e selvagem. Tentei o empurrar,então ele se acalmou e desacelerou o beijo, tornando-o suave.

-Zayn...- Sussurrei tirando meus lábios dos dele.- Está mais calmo?

-Sim, me perdoe.- Ele abaixou o olhar.- Porque você me deixou?

- Você não precisava de mim.

-Como não? Está louca?

-Não quero falar sobre isso agora.

- É bom ter você de novo.

-Você não me tem, Zayn.

-Somos casados.

-Mas isso nos papéis. Não nos vemos a cinco anos.

-Pra mim nada mudou. Olha!- ele me mostrou a corrente com a aliança.

-Eu também uso a minha.

-Então...

- Zayn e as centenas de garotas que você já ficou? E os caras que já fiquei?

- A gente esquece isso. - Ele sorriu como uma criança. Minha vontade era bater nele, esmurrar ele.

- A gente esquece? Sério Zayn? Assim do nada. E o que você vai dizer pra suas fãs?

- Que eu sou casado, que pergunta idiota Khemal! Adoro te chamar de Khemal, embora , você seja a Sra. Malik.

- Para de ser machista, seu filho da puta!- Dei um tapa no ombro dele.

-Calma Ab, depois você pode me bater.- Ele sorriu malicioso, me deixando descontrolada.

-Você só pensa em sexo?

-Nunca forcei nada. Pra você sempre foi de boa...

-Não dá pra conversar com você! Me deixa sair.

-Para... Eu já parei de falar merda. Vem cá... Senti saudades.

-De verdade, Malik?-Perguntei um pouco desconfiada. Ainda estava brava, mas brigar com ele era pior, pois Zayn era imprevisível, ele podia estar bem e se irritar por qualquer coisa. Isso nunca foi um motivo para deixá-lo... Na verdade os 6 meses nos quais 3 fomos noivos e 3 casados eu sempre procurei entendê-lo e talvez por isso, acabei por amá-lo.

-De verdade, Malik...-Ele me abraçou forte, sorrindo. Sua personalidade nunca se alterava, mas suas atitudes eram variáveis... Talvez constantes. Ele não queria entender o que era aquilo, eu não podia obrigá-lo, a única coisa que eu podia fazer era o deixar calmo... O máximo possível. -Preciso dizer que te amo? Ou você já sabe?

-Não acredito em palavras... Vai ter que provar...- Falei um pouco rude.

-De novo.-Ele reclamou. Enquanto afundava o rosto em meus cabelos, os bagunçando levemente.

-É, de novo. E se precisar e você ainda me quiser, de novo e de novo.-Disse rígida e ele riu descontraído me apertando mais. Ora carrasco, amargo, grosseiro, estupido, impetuoso, orgulhoso, mandão... Ora doce, gentil, amável, carinhoso, paciente, compreensivo... Não dava para agir como se ele estivesse errado o tempo todo. Parte daquela "guerra" eu mesma havia travado.

Foram 3 meses casados. Mas foram mais de anos enfiados em uma biblioteca mal iluminada, contando histórias da vida, estudando árabe e inglês... Lendo Harry Potter, Peter Pan e Alice no País das Maravilhas. Como julgar alguém por algumas atitudes ruins se você a conhece pelas boas?

Então era um de nossos momentos no céu...

Mas podia mudar a qualquer momento... Não tinha como saber. E a queda do céu pro Inferno doía...

 

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...