If This Was a Movie

É engraçado como às vezes penso que vivo um filme... Talvez ele pense o mesmo. Estou tão envolvida com filmes, roteiros, atores e atrizes que as vezes esqueço que estar atrás das câmeras é também estar “a frente delas”. Acho que vivo um filme... Um filme muito engraçado, e também muito triste... Um filme um tanto bipolar... Eu não pensava que poderia me apaixonar... Não imaginava que ele poderia ser o meu “ par romântico”. Jamais imaginei que precisava dele para um final feliz... /Eleanor. Ela Diz que eu mudei a vida dela... Ela diz que isso parece um filme... Mas as vezes, os melhores filmes vem de adaptações dos livros... E se isso fosse um livro, ela seria meu Prólogo e eu adoraria ser o Epílogo dela. Não sei bem quando nos veremos de novo, mas daria tudo para ser agora. Você chega na Disney e encontra princesas... Quem diria que eu gostaria de levar uma delas para casa... Ela está certa... Se fosse um filme nem tudo seria perfeito. Mas no final, eu a teria em casa. /Zayn.

19Likes
16Comentários
640Views
AA

2. Eleanor Jenner's POV

{1 semana atrás }

Lá estava eu, em uma aparência grotesca, usando pijama de algodão listrado- rosa e cinza-. O cabelo escuro totalmente embaraçado, olhos inchados e vermelhos, meu nariz tinha um tom rubro. O telefone ainda tocava insistentemente, era meu pai, atendi e antes que ele dissesse algo, eu falei:

- Estou bem, Okay?-Então desliguei, não só a chamada, como o celular também.

Ser traída não era algo legal, muito pelo contrário, flagrar seu namorado com uma vadia loira, baixa e magrela, com um vestido laranja fluorescente e saltos de 20 centímetros, é uma das piores coisas do mundo.

Porque 1) Você fica pensando o que aquela vadia tem que você não tem e na verdade 2) Você é melhor que ele em todos os sentidos, mas 3) Ela é puta e 4) Talvez seu namorado não te ame ou 5) Ou talvez nada, ele nunca te amou de verdade e só queria te comer "exclusivamente" enquanto pegava outras e 6) SIM, você perdeu 4 anos de sua vida para nada.

Ouvi o barulho da chave na porta, provavelmente era Penélope ou Barbara, pois eram as únicas que tinha cópias das chaves do meu apartamento.

-ME DEIXEM!- Disse e quase desabei no choro.

Não obtive resposta, então Babi apareceu na porta com seus cabelos ruivos espessos e os olhos azuis atentos, seguida por Penny, a muito alta e loira de olhos verdes.

- Não, não iremos te deixar bonitinha!- Babi disse entrando no quarto, ela trajava um vestido estampado azul e tinha a feição leve, porém preocupada.

-Vocês não precisam ficar de babá, sabem que eu não vou cortar os pulsos!

-Sabemos mesmo!- Penny usava um cropped laranja combinando com um shorts de renda de mesma cor, ela pulou na cama se afundando um pouco ao meu lado.- Mas somos amigas, irmãs, e não vamos deixar você passar por isso sozinha!- Ela me abraçou, fazendo mais lágrimas rolarem dos meus olhos em direção às bochechas.

- Ellie, vai tomar um banho,porque nós vamos passear, Okay?- Penny perguntou, mas eu sabia que era uma retórica, eu seria obrigada a ir de qualquer jeito.

Entrei no banheiro e tomei um longo banho. Aproveitei para desabafar. Um desabafo em forma de lágrimas.

Saí do banheiro e Penny me entregou um vestido rosa com a saia fluída, que por algum motivo eu havia comprado mas nunca havia usado. Sequei os cabelos e vesti-me, calcei sapatilhas e Babi se ofereceu para desembaraçar meus cabelos.

Ela era muito mais baixa que eu, por isso me sentei e ela tratou de desembaraça-los cuidadosamente.

-Eu sei que é difícil, Ellie...

Afirmei.

Mas duvidava de que Penélope soubesse de verdade. Pois bem, ela nunca havia sido traída, mas estava tentando me ajudar, então prestei atenção.

-Minha vontade é jogar uma bomba na casa de Jason! Ou então bater nele até ele pedir clemência.- Barbara falou brava, e então eu e Penny rimos.

Porque Babi tem 1,66 de altura, é magrinha e Jase era jogador de basquete, 1,98 e muitos músculos pelo corpo, então era óbvio que ela nunca bateria nele. E quanto a bomba... Duvido que ela fosse fazer algo que pudesse levá-la para a cadeia.

-Do que estão rindo? Fiquem sabendo que eu posso arrebentar o Jase se quiser!

Então dessa vez, nós três explodimos em risadas histéricas.

Logo estávamos no carro, escutando " Girls Just wanna have fun"  de Cyndi Lauper e era como se nada tivesse ocorrido. Jase era o assunto no qual me faltava na memória e eu estava satisfeita por isso.

Ficamos no shopping por horas. Foi um dia renovador. E ao final do dia quando voltamos pro meu apartamento eu disse:

-Nunca mais irei me apaixonar.

-Não fala isso... Tem muitos rapazes legais no mundo.

-Tanto faz, Penny. Eles vão me fazer sofrer de qualquer jeito.

-Aah bonitinha...- Babi, colocou minha cabeça em seu colo e começou um calmo cafuné.- Seu príncipe vai chegar...

Então adormeci...

                            •••

Minha cabeça doía bastante ainda, mas faltar a faculdade estava fora de questão.

Eu estava recuperada da doença chamada "Jase".

Faculdade era muito melhor que o colegial. Não havia as idiotices do Bullying, ou colinhas durantes as provas... Minto, sempre rolavam umas colinhas... Mas no final, todos se respeitavam, era tudo muito mais maduro. Tive 4 tempos seguidos de redação, no qual tivemos que iniciar um pequeno roteiro, o qual transformaríamos em um curta mais para frente.

Deu o horário de ir embora e eu segui diretamente para a Disney.

Um fato engraçado sobre mim: Eu trabalhava um turno como princesa nos parques da Disney.

E sim, você pode rir... Até eu rio... Mas o salário não era ruim, e trabalhar com crianças, vê-las sorrir é recompensador.

Entrei no parque e fui para o vestiário onde coloquei o vestido amarelo de Bela,fiz maquiagem, prendi o cabelo e o arrumei rapidamente.

Passear pelo parque, tirar foto com as crianças, uma apresentação com a fera, que me perdoem: Mas Ôh ferinha linda...

Então lá estava eu em perfeita pose de princesa quando uma garotinha de longos cabelos negros se aproximou correndo e me abraçou.

-Você é maravilhosa!- Ela disse e eu sorri, retribui o abraço.

-Você que é, minha linda! Qual o seu nome?

-ALICEE! ALICE!- Um rapaz moreno vinha correndo em direção a garota, Alice sorriu sapeca.

-Você é a Alice...- ri.

-ALICE!- Ele gritou ofegante.- EU DISSE PRA NÃO SAIR CORRENDO NO PARQUE!

-Não grita com ela.- Pedi calmamente, afagando os cabelos da garotinha.

- Okay, princesa. Então pede para minha irmãzinha aí, não sair correndo pelo parque, porque se ela se perder eu estou fodido. - Sorri para o garoto e me ajoelhei em frente à Alice.

-Alice, seu irmão não quer que você se perca. O parque está sempre muito cheio, é perigoso. Entendeu?

-Sim, Bela.-Ela me abraçou forte.- Você é tão perfeita!

-Que isso meu bem, você que é perfeita.

-Obrigada princesa.-eu ri.

-Você não precisa me chamar de princesa.

-Eu sei. Então,eu sou Zayn. E você?

-Eleanor.- Ele segurou minha mão e a beijou, rindo em seguida.

Alice olhou para o irmão com uma cara de "Como você é ridículo, Zayn!".

-Você pode soltar ela para eu tirar uma foto, ou vai ficar jogando charme?- Ela falou sarcástica. Devia ter uns 8 anos, era esperta que só.

-Também quero uma foto.- Zayn era charmoso e paquerador, isso me deixava levemente ruborizada, era engraçado, ele me paquerava descaradamente e Alice não estava gostando disso. E algo me indicava que não era ciúmes do irmão.

Ela me abraçou e Zayn tirou a foto.

Depois ele segurou Alice no colo e tiramos uma foto juntos.

Outras crianças chegaram para tirar foto, então de má vontade, Alice cedeu e acabou indo embora com Zayn, este fez um sinal com a cabeça e deu uma piscadela. Sorri.

Então eles se afastaram.

Continuei trabalhando, logo deu o horário e então eu fui para casa.

Tomei banho vesti uma camisola de seda rosa, abri o notebook e me dediquei mais um tempo ao roteiro.

Era um romance meio dramático, não era nada demais, eu estava cansada, mas com bastante inspiração. Do nada lembrei das investidas de Zayn, e então ri sozinha.

 

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...