O problema Leo

Cativante, espirituoso, engraçado, romântico e imortal. Acordei com minha mãe berrando do outro lado da porta. Ela gritava coisas do tipo " Leonardo, levante dessa cama agora" ou " Você esta dez minutos atrasado, não vai faltar na aula." Tenho até dó dela, quando ela grita eu fico meio que nervoso, e quando fico nervoso com minha mãe fico calado. Por motivos óbvios. Não importa a idade ela vai sempre me bater se eu boquejar com ela, Posso ficar de castigo. e também é muito feio boquejar com sua mãe. Seja lá o que ela for. Mesmo que você não saiba elas tem um esquema muito popular. Todas as mães sabem dele. E de alguma forma as suas filhas também vão saber dele e repassar pra toda eternidade " Ela pode mais você não" esse é um fato histórico, se ela perder o maldito remédio pra diabete da sua vô, ela simplesmente vai ir na farmácia sem reclamar de nada e comprar outro. Mais se você perder a agulha de trico que ela usa pra fazer o caralho a quatro sábado na quarta, se prepare.

13Likes
11Comentários
430Views
AA

2. No meio do caminho

Acordei com minha mãe berrando do outro lado da porta. Ela gritava coisas do tipo " Leonardo, levante dessa cama agora" ou " Você esta atrasado, não vai faltar na aula." Tenho até dó dela, quando ela grita eu fico meio que nervoso, e quando fico nervoso com minha mãe fico calado. Por motivos óbvios. Não importa a idade ela vai sempre me bater se eu boquejar com ela, Posso ficar de castigo. e também é muito feio boquejar com sua mãe. Seja lá o que ela for. Mesmo que você não saiba elas tem um esquema muito popular. Todas as mães sabem dele. E de alguma forma as suas filhas também vão saber dele e repassar pra toda eternidade    " Ela pode mais você não" esse é um fato histórico, se ela perder o maldito remédio pra diabete da sua vô, ela simplesmente vai ir na farmácia sem reclamar de nada e comprar outro. Mais se você perder a agulha de trico que ela usa pra fazer o caralho a quatro sábado na quarta, se prepare porque você vai perder tudo oque se tem direito e ouvir ela reclamando por uma semana. 
Coloquei a roupa de mal jeito e passei voando para a escola. Acabei que ficando no corredor esperando me liberarem para a segunda aula. Abri minha mochila e tirei o caderno de lá já me lembrando da tarefa de ciências que eu não fiz. Dei uma olhada em minha volta. A mulher chata que não deixa os atrasados entrarem no mesmo momento em que chegam, estava lá olhando eu mais uns meninos do 7° ano.
 Uma menina um pouco loira de mais estava do meu lado lendo um livro de capa dura cor de rosa. Ela devia estar me olhando pelo canto dos olhos porque olhou meio tímida para mim depois de volta para o livro e por fim de volta para mim.
Fiquei sem saber o que fazer. Aquele olhar queria dizer o que você quer. Mais a única coisa que eu quero é fazer a tarefa sem pensar nela. Então falei.
-Bom dia?
-Não é educado da sua parte ficar encarando as pessoas assim.
-Encarando?
-Sim, eu não tenho culpa de ter nascido com o cabelo branco. Minha mãe não me deixa pintar de outra cor. Diz que ele é lindo. Só é ... diferente. Não é uma doença.
Então eu entendi, ela estava mal humorada porque achou que eu estava olhando para ela pelo cabelo diferente. Na verdade eu nem sei porque estava olhando para ela. Acho que... sei lá oque eu acho.
-Não desculpa, você entendeu errado, não estava olhando seu cabelo. Estava olhando o livro. Que livro é?
-Não? é Harry Potter. Você gosta de ler?
-Sim. E eu gosto de Harry Potter.
-Imagino. Gosta tanto que nem reconhece a capa. - Ela da uma risadinha. E percebo sua bochecha tomar cor.
Abro o caderno na pagina da tarefa e leio as perguntas, mas imediatamente a cabeça branca da menina do meu lado que não sei o nome entra no meu ponto de vista.
-Não fez a tarefa Léo. Que feio. - Que droga de brincadeira é essa? como uma estranha sabe meu nome?
-Como sabe?
-Sabe oque?
-Meu nome.
Ela fica tão vermelha que parece uma pimenta.
-Ouvi falarem. -Diz ela um pouco seca, um pouco tímida.
-Ah. Mais afinal qual o seu nome?
Ela da uma risadinha tímida e fala.
- Eleonor. Não sei Léo mais acho que conhecer alguém no banco dos atrasados não seja a melhor forma. - Eleonor? Ah meu deus. Fala sério. Ela pode até não ser tão gostosa quanto a minha Eleonor. Mais só de possuir o mesmo nome dela faz ela ficar tão gostosa a ponto da Eleonor, a outra Eleonor.
-Eleonor?- Digo um pouco surpreso.
-É , Eleonor.
-Se não se importa Eleonor vou fazer a tarefa. Eu não fiz.
-Pode pegar a minha se quiser.
-Você é da mesma sala que eu? É nova?
-Não já estou na mesma sala sua dez de... Sempre?
Acho que não estou emprisionando ninguém, agora ela deve estar chateada por nunca ter notado ela antes.
-Desculpa.
-Pelo que?
Não ela não esta chateada. Deve não ter percebido que nunca a notei. Se ela não notou. Não tem porque eu abrir a boca para falar e ela notar e se chatear.
-Nada.
Ela abriu um sorriso mais não deu risada só me entregou o caderno. Assim que se passou a 1° aula entreguei o caderno para ela e agradeci. Tudo ocorreu normalmente até o fim do intervalo quando eu decidi ir no banheiro. E acabei ouvindo a conversa da Eleonor. A minha Eleonor. 
-Nossa, quem merece futebol de sexta. Não deveríamos ter educação física. Só serve para soar as pessoas. E você viu só o cheiro que a sala fica? Por isso minhas roupas ficam empreguiçadas. Com o suor desses mal lavados.
Uma risada. Gostosa e contagiante. A risada da Eleonor.
-Que exagero. Se você não gosta é só não ir. Bom eu não me importo.
-E você vai? - Perguntou a América.
-Porque não? Lógico. Você não?
-Eu não sei. Não vai ter nada pra fazer sexta. Então devo ir sim.
Elas começaram a andar então me atirei no bebedouro. Elas passaram por mim mal notando minha presença. Mas estava faltando uma no quarteto. Minha Eleonor. Levantei a cabeça com tudo apavorado para ir para o outro lado do corredor. Ela devia ter seguido outra direção. 
-Onde está indo? Tá com pressa?
Era ela. Ela viu meu desespero. Que vergonha. Estava atras de mim o tempo todo.
-A-ah. Não. Eu só... Esqueci a caneta no banheiro. Me lembrei agora.
-Porque levaria uma caneta pro banheiro?
-Por... Ah. Escrever.
-Escrever oque? - Ela pareceu confusa, minha nossa que vergonha. Eu estava olhando pro chão mais meus olhos foram para sua coxa. Ela estava com uma calça preta rasgadinha e bem colada. Aquilo combinava com ela. Olhei ela de baixo pra cima. Ela estava com os braços cruzados em baixo do peito, aquilo fazia os peitos ressaltarem um pouco. Fazendo ficar mais  difícil controlar meus olhos.- Não importa. Você vai fazer alguma coisa hoje?
-Não. Quer dizer tem o meu curso de inglês a tarde.
Ela olhou para o chão parecendo triste. Ela devia estar triste por eu ter algo pra fazer. Porque queria sair comigo. Claro que ela queria sair comigo. Mais porque ela iria querer sair comigo. Eu não tenho nada de especial.
-É uma pena. 
-Porque?
-Ia te chamar pra ir comigo. Uma festa que vai rolar hoje a tarde. Eu não tenho um par Léo. Não quero chamar um menino qualquer. Porque você sabe vai tentar alguma coisa e eu não quero nada. E não quero bancar a chatinha e ficar com frescura recusando beijo. Beijar não mata ninguém. Eu acho né. Mais então, não tem como você vir comigo? - Ir para festa com ela ia ser de mais. Eu posso faltar em uma aula por ela. Posso tudo por ela.
-Que horas é a festa moça? - Ela mostrou seu sorriso deslumbrante. 
-As oito.
- Isso não é tarde. É noite.
-Então da pra você ir?
-Nem fui convidado. - Ela cruzou os braços em baixo no peito desta vez deixando metade deles a mostra.
-Eu estou te convidando. E para de olhar meus peitos Léo.
Subi meu olhar imediatamente para o rosto dela que tentava ficar sério mais ela estava quase caindo na gargalhada. Me assustou saber que ela estava me filmando olhando os seios dela. Constrangedor
-Desculpa. É que estão... há...é. Olha.
Ela olhou para a blusa mais voltou para mim.
-Você vem?
-Vou. -Ela deu um pulinho e me abraçou bem forte. "Oh meu deus" os seios dela estão contra no meu pescoço porque ela esta com salto alto e fica mais alta que eu. São tão macis.
-Te encontro hoje. Vou na sua casa as sete.
Nem deu tempo de falar mais nada e ela correu para junto das amigas dela. No fim do corredor estava John, Hassan, Deryke e Nicholas de boca aberta.
-Meu deus - Comentou Hassan
-Eu não acredito nisso.- Comentou Nicholas.
-Você tá pegando a Eleonor Léo?- Perguntou John
-Cara. Como fez isso? Ela é a segunda menina mais gostosa dessa escola. Você não pode pegar ela. Quer dizer. Ela é um 9,9 e você é um 7,0... Não você é um 5,0. Um 5,0 não pega meninas quase 10. - Disse Hassan.
-Ele não é um 5,0 Hassan. - Disse Nicholas. - É no minimo 7,0.
-Não ele e um 8,5. - Disse Deryke. - Ele tem olhos azuis vivos,Um cabelo da hora, É bonito, atraente. Muitas meninas gostam dele só ele que não percebe. Ela pode gostar dele.
-Ela devia gostar de mim também. -Disse Nicholas.- Quer dizer eu sou tão gato quanto ele.
-Não é nada disso. Ela só me chamou pra ir em uma festa com ela.
- Que festa? A festa dos casais?- disse Josh
-Meu deus ela deu o alarme verde.
- É só que ela tava sem par. E pela mor de deus que alarme Hassan?
-É o alarme do avançar colega. - Quando elas chamam é porque tão afim. É só você tacar fé no seu taco e meter ele com tudo.
-Ela disse que estava sem par e não queria chamar outro menino pra não recusar caso ele quisesse a beijar.
-Você acha mesmo que ela ia pedir na cara dura? tem que ter uma desculpa. Iria ficar na cara que ela quer que você agarre ela.
- Quem merece. Eu to indo pra sala.

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...