BEST FRIENDS - O tempo não apaga... - Season 1

Adolescência, fase da vida em que descobrimos o corpo, fazemos os amigos que levaremos pro resto da vida, os sentimentos são uma montanha russa, descobrimos o que é certo e errado. Mas seria justo, pagar por algo que não foi você que fez? Pior ser vitima da inveja de alguém que você nem conhece, ou acha que não conhece? Marcela, Gabriela, Harry, Lucas, Bruna e Luan, seis amigos, que entre, amores, conflitos, brigas e um segredo em comum, serão forçados a provar, até aonde se pode ir em nome da amizade...

4Likes
5Comentários
685Views
AA

8. CAPITULO 8

HARRY...

Foi por pouco, a gente quase fazia amor... Foi tão bom ter ela em meus braços, pena que durou tão pouco. 

Quando chego em casa, tento não fazer barulho, vou até a cozinha e pego três bananas, algumas pessoas tomam café pra curar a ressaca, eu? Bom, eu como banana.

Subo, quando chego no meu quarto, como as bananas, depois vou tomar banho.

Quando deito na cama, me lembro da Bruna, como ela beija bem. Sinto inveja do Lucas, ela ama ele...

Viro pro lado, ahhh não vou conseguir dormir. Queria ter feito amor com ela... Mas um dia isso ainda vai acontecer...

Durmo sonhando com minha boneca...

LUCAS...

No dia seguinte, acordo com uma dor de cabeça terrível... Levanto, tomo meu banho, desço pra tomar um café, a Mah já tava lá. Dou bom dia pra ela.

- Nossa, você ta com uma cara horrível. – A Mah fala fazendo uma careta.

- Bebi demais...

- Todo mundo bebeu demais. – Ela sorri e percebo que tem um brilho a mais no olhar dela.

- A noite pra você foi melhor né?

- Porque ta falando isso?

- Você ta corada, sorrindo toda boba.

- Nada a ver, para Lucas.

- Rs. Tchau maninha, tenho que ir resolver umas coisas.

- O que?

- Nada demais.

- Ok então.

Saio de casa, como vou falar com ela?

Chego na casa do Luan, toco a campainha. Logo a tia Mary atende, ela me da bom dia e eu entro, pergunto pela Bruna e ela diz que a Bruna  já já desce. Ela desce e me abraça. Dá bom dia, é hora de fazer o que vim fazer.

- Podemos conversar a sós? – Disse meio nervoso.

- Claro.

Subimos as escadas, chegando ao quarto, ela fecha a porta.

- Pode falar Lucas.

- Eu não vou ficar enrolando.

- Então fala.

- É verdade que gosta de mim?

Ela me olha assustada e fica um tempo sem falar nada.

- Quem te falou isso? – Ela fala meio que gaguejando.

- Eu fiquei sabendo. É verdade?

- É... Faz um tempinho.

- Desde quando?

- Desde a nossa infância.

- Porque nunca me falou nada?

- Senti medo...

- De que?

- Rejeição...

Fico um pouco em silêncio, sorrio meio triste pra ela.

- Bruna, também gosto muito de você. Mas como minha amiga, se eu soubesse, não teria te dado falsas esperanças, entendi porque ficou tão feliz por eu te convidar pro baile... Desculpa, não era minha intenção, você é irmã do meu melhor amigo, mas não vai rolar... Eu gosto muito de você, mas a gente só pode ser amigos...

Ela tava quase chorando, me doía ver ela sofrendo, mas era preciso, abraço ela que chora, acaricio o cabelo dela, depois beijo a testa dela.

- Porque não pode me dar uma chance? Ela fala me olhando triste.

- Porque não é assim Bruna, não sou apaixonado por você, eu te faria sofrer, ficando com você sem te amar...

- Vai embora Lucas...

- Bruna, eu só não queria...

- Vai embora Lucas, por favor? Vai...

- Bruna...

- Por favor – Ela chorava.

Abaixo a cabeça e saio, quando a porta se fecha atrás de mim, ouço ela chorando...

BRUNA...

Sinto meu corpo doendo, não acredito que isso aconteceu, subo correndo pro meu quarto, minha mãe pergunta o que houve, mas não respondo, entro no meu quarto e me tranco lá.

Deito na minha cama e fico chorando, eu nunca mais, eu juro, nunca mais vou amar ninguém...

Quando paro de chorar, tomo um banho e vou na casa da Mah, preciso desabafar com alguém.

MARCELA...

 A Bruna me liga avisando que vem aqui. Subo, tiro o pijama e tomo um banho, visto uma roupa e fico no computador esperando ela chegar, enquanto isso, fico olhando as fotos do Luan. Me assusto quando a Bruna entra, fecho a pasta das fotos rapidamente.

- Oi.

- Oi, tava fazendo o que?

- Nada, só olhando algumas fotos...

- Ata. Preciso conversar contigo.

A Bruna me conta tudo, dou meu ombro pra ela chorar. Consolo ela, algumas horas depois a Bruna estavatava bem melhor.

A campainha toca e eu desço com a Bruh, quando abro era uma encomenda pra mim.

Assino o papel e pego a encomenda. Corro pro sofá pra abrir, era um ursinho de pelúcia com um coração preso nas mãos. Junto tinha um cartão. Abri e li.

 

CARTÃO

“Bom dia, desculpa por ontem... Eu realmente não tive a intenção de te magoar... Só quero que saiba que foi ótimo pra mim e mais que especial. Desculpa não ter sido tão bom pra você. Obrigada pela noite...”

Beijo, Luan Rafael.

 

Um sorriso aflora nos meus lábios, olho pra Bruna e ela quica de curiosidade.

- Quem te mandou isso?

- Ninguém Bruna.

- mentira. Conta.

- Para Bruna, foi um garoto da escola.

- Lê o cartão.

- Não. Isso só desrespeita a mim.

- Chata. Já vou indo.

- Ta cedo.

- Ta não, tchau, preciso mesmo ir.

- Então ta, tchau, depois a gente conversa sobre a festa.

- Tudo bem.

Ela me abraça e me da um beijo no rosto, me da tchau e vai embora.

Quando ela sai, vou correndo pro meu quarto, leio e releio o cartão que o Luan mandou com o ursinho...

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...