BEST FRIENDS - O tempo não apaga... - Season 1

Adolescência, fase da vida em que descobrimos o corpo, fazemos os amigos que levaremos pro resto da vida, os sentimentos são uma montanha russa, descobrimos o que é certo e errado. Mas seria justo, pagar por algo que não foi você que fez? Pior ser vitima da inveja de alguém que você nem conhece, ou acha que não conhece? Marcela, Gabriela, Harry, Lucas, Bruna e Luan, seis amigos, que entre, amores, conflitos, brigas e um segredo em comum, serão forçados a provar, até aonde se pode ir em nome da amizade...

4Likes
5Comentários
681Views
AA

6. CAPITULO 6

PAULO...

- Como a gente vai fazer isso? – Bernardo era o mais nerd, mas tinha hora que parecia que ele se fazia de burro...

- Seu burro, já ta tudo armado. Vai ter um assassinato.

- Ta. Mais quem vai morrer Paulo?

- Leticia querida, se eu soubesse, já tinha falado pra vocês.

- Não to gostando nada dessa história. Tudo bem que a gente tem que ficar de olho nesse grupinho, mas daí a ter um assassinato, já é demais.

- Leticia, quem vai matar não é a gente. Vai ser um dos seis, só não sei qual.

- Ta bom Paulo, mas porque um deles vai matar? Eles são todos inofensivos.

- Ai onde você se engana. – Bernardo disse sem parecer preocupado. – Cada um tem um temperamento diferente, e basta um motivo e eles ficariam com muita raiva.

- Eu só fui informado que vai haver um assassinato, só isso, quem vai morrer e quem vai matar eu não sei...

- Maldita hora que eu aceitei participar de disso. – Leticia fala com raiva.

- Péssima hora pra se arrepender. Você foi escolhida, temos que fazer justiça em nome dos seis de 83. – Falo determinado.

- Reunião encerrada – Bernardo fala saindo.

Então eu e Letícia também saímos.

Fechei a porta e fomos embora.

MARCELA...

Enfim chega o dia do baile. Pego meu vestido, sandália, acessórios e bolsa  e vou pro banheiro me trocar, as meninas já haviam chegado e tavam se trocando. Bruna já estava quase pronta  e Gaby também. Quando estávamos prontas, minha mãe nos levou pro colégio.

Quando chegamos, ficamos esperando os meninos que logo chegaram, Os três estavam de terno, Luan tava com uma mascara bem bonita , Lucas também estava impecável de terno e mascara vermelha e o Harry? Ah ele tava lindo de terno e mascara . Ficamos de braços dados com os meninos e entramos no baile, tinha jogos de luzes, parecia uma balada, tava linda a decoração. Quase me perdi do Harry logo na entrada, tava muito cheio, se não tomássemos cuidado, nos perderíamos um do outro.

A festa tava animada e tive a impressão que o Harry não parava de olhar pra Bruna, mas desencanei, afinal ela é afim do meu irmão, nunca iria querer nada com o Harry...

Dançamos muito e bebemos muito também... Até demais por sinal, Já estávamos meio alterados, mas dançávamos como loucos. Por varias vezes, os meninos foram buscar bebidas pra gente, alguns minuto depois, saíram os três, foram buscar mais bebida.

- Luan, troca de mascara comigo?

- Pra que Harry?

- A minha ta me apertando.

- Para de drama Harry.

- É serio.

- Ta bom.

- Satisfeito?

- Mais ou menos. Mas por enquanto ta bom, cadê as meninas?

- Não sei. Cê viu elas saindo Lucas?

- Não to vendo nem dois dedos a minha frente, imagina as meninas kkk.

- Faz assim, cada um procura seu par. Se não der pra irmos embora juntos, quando cada par chegar em casa, liga avisando pros outros dois.

- Ta bom Luan.

LUAN...

Lucas saiu com o Harry e eu fui atrás da Gaby. Um tempinho depois meu celular toca e era o Harry, tinha encontrado a Bruna, iria ligar pro Lucas pra ele procurar a Marcela. Entro na quadra da escola, tava escuro, a única luz que tinha, era a do luar. Vejo alguém deitado em um dos colchões de educação física. Vou até lá. Quando chego perto, era uma das meninas, a Marcela... Eu tava bêbado, mas reconheci por causa do vestido que era preto com rosa. Ela tava de olhos fechados, mas logo abre e mostra um dos lindos sorrisos que ela tem.

- Até que enfim chegou, tava te esperando.

- Me esperando?

- É... Vem cá, deita do meu lado.

Depois de muita insistência dela, me deito, minha cabeça roda, ela coloca a cabeça sobre meu peito.

- Você é quente rs. – ela fala com a voz meio embargada.

- Ok, esse foi o elogio mais estranho que já ganhei rs.

- Eu acho que to bêbada rs.

- Eu tenho certeza. Vou te levar pra casa, vem. – Me sento e tento fazer ela se sentar, mas ela desequilibra e cai sentada no meu colo.

- Ops, minha cabeça girou.

- Também, bebeu quase um litro de tequila.

- Tava bom rs. Minha noite ta ótima, mas pode ficar bem melhor rs. – ela fala, puxando minha gravata de leve, como se fosse tirar.

- Ei, não faça nada que vá se arrepender.

- Mas eu quero fazer...

- Acho que ta me confundindo por causa da mascara. Eu não sou o...

Ela toma minha boca com um beijo, tento empurrar ela sem machucar, mas ela segura meu cabelo com força e me puxa pra ela. A mão dela solta do meu cabelo e desce veloz pros botões do meu terno. Afasto ela.

- Para Marcela, vai se arrepender disso, ta bêbada.

- Para você, me deixa.

Ela volta a me beijar, nossa línguas se entrelaçam , meu corpo tava quente não sei se resistiria. Ela começa a abrir a minha camisa, depois tira e começa a distribuir beijos pelo meu peitoral. Ergo o queixo dela e a beijo, ela começa a abrir o vestido, tento evitar, mas ela empurra as minhas mão, minha cabeça girava, a droga do álcool que não passava o efeito. Quando ela começa a abri o vestido não agüento, viro ela de costas pra mim, e abro o zíper do vestido, quando ela se vira pra mim, desço o vestido dela. Como ela era linda a luz do luar, colo meu corpo no dela e volto a beijar ela intensamente, acaricio o corpo dela entre beijo e toques, o que a faz gemer. Ela começa a tirar a minha calça, mas me levanto e tiro sozinho.

Quando vou me deitar, ela me puxa pra cima dela. Tenta tirar o vestido que estava da cintura pra baixo, rapidamente tiro o vestido dela. Pronto, ela tava ali, praticamente nua e eu estava pronto pra ter ela em meus braços. Meu sangue ferve nas veias, beijo ela com agilidade, nosso corpos se tocam e parece duas brasas de fogo que estão quente, queimam ao se tocar, ela toca meu sexo e eu gemo de prazer, faço o mesmo com ela, o que faz ela arquear o corpo até se colar no meu, que estava em cima do dela. Nos beijamos, e quando ela estava pronta, me coloquei dentro dela, com calma e devagar, ela arranhava as minhas costas, e eu sentia prazer com aquilo. Fui aumentando a velocidade dos movimentos, cada vez ela me pedia mais e minha única vontade, era satisfazer ela. Já estava ofegante, quando uma onda de prazer me invade e me vem uma sensação maravilhosa, logo despenco em cima dela que só respira fundo...

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...