Dance With Me

"We are fool whether we dance or not,so we might as well dance"-Japanese Proverb Jessica Braun Williams, 24 anos, dançarina profissional de classe média. Tyler Stanley Richards,24 anos, herdeiro das empresas "Richards" podre de rico e prestes a noivar com Meredith Braun. Tudo se dá início,quando a notícia de um jantar de noivado começa a mudar a vida e modo de agir de todas as pessoas envolvidas,fazendo com que os caminhos de Tyler e Jessica se cruzem. O que acontece é nenhum dos dois sabiam que tinha uma ligação muito mais próxima,antes mesmo de se conhecerem. Também disponível no Wattpad /Also available on Wattpad : http://w.tt/1oDSAlT

2Likes
4Comentários
7775Views
AA

33. Chapter 33

Jason/Tyler’s P.O.V.

— Surpresa! – Jane segurou meus ombros na frente de Jessica que inclinou a cabeça para o lado, me analisando e logo depois olhou para o figurino que Carmen segurava.

— Não entendi. – ela disse depois de passar um tempo segurando o lábio inferior entre os dedos. — O Jason vai provar um figurino feminino, é essa a surpresa? Eu adorei.

Eu mostrei o dedo do meio discretamente para ela e ela mostrou a língua.

— Não, Jessica – Jane respirou fundo. — Jason vai ser seu par nas competições.

Não consegui decifrar a expressão dela. Ela primeiro arregalou os olhos, depois ajeitou os óculos e então deu um sorriso largo para Carmen, Jane e só então para mim.

—Você faria isso mesmo? Sério? – ela veio até mim e me abraçou forte. Eu fiquei inalando o perfume adocicado dela.

Pude ouvir as vozes de Jane e Carmen se afastando enquanto elas conversavam animadamente sobre a cor de um tal figurino de salsa...

—Por que está fazendo isso? – ela sussurrou enquanto eu apertava meus braços ao redor daquela garota que eu não conhecia nem há um mês, mas que já era importante para mim e que eu faria qualquer coisa por ela involuntariamente.

—Por você. – as palavras saíram da minha boca sem esforço. —Estou fazendo isso por você.

E era a mais pura verdade.

Droga. Eu preciso contar para ela.

Ela se afastou e olhou nos meus olhos com uma distância razoável do meu rosto.

—Você sabe que não precisa... – ela levantou uma sobrancelha para mim — Ainda dá tempo de desistir sem me magoar.

Seus olhos cinzentos brilhavam com se houvessem luzes de LED por trás deles.

—Estou fazendo isso porque eu quero. – ela sorriu fraco e eu coloquei uma mecha do seu cabelo atrás da orelha. —Mas Jessie, eu preciso te contar uma coisa...

—Eu desconfiei. – uma voz grossa falou e pelo jeito como Jessica arregalou os olhos, eu já sabia de quem se tratava.

Eu soltei a cintura dela e me virei na direção da voz.

—Eu sabia que tinha alguma coisa entre vocês dois. Sabia desde aquele dia em que vi vocês juntos na rua. – ele disse como se aquele pensamento o atormentasse. — E você dizendo que eu não tinha o direito de desconfiar de você.

Ele caminhava lentamente em direção de Jessie e eu institivamente dei um passo para ficar na frente dela.

— Você está mesmo culpando alguém, que não tem nada a ver com isso, só porque eu terminei com você? Sério mesmo, Ryan? – Jessica disse com a voz firme, como se já estivesse acostumada.

—Que não tem nada a ver com isso? Você não pensou duas vezes antes de me largar por ele... – ele deu um sorriso incrédulo.

Então, ele está achando que eu e a Jessica estamos juntos? Eu preciso mais do que nunca contar para eles.

— E você? – ele apontou na minha direção — Há quanto tempo você está comendo ela?

Eu arregalei os olhos, minha boca ficou aberta por alguns instantes e Jessica ficou tensa atrás de mim.

—Ryan... – a voz dela saiu como uma súplica, dando a entender que ela já era acostumada a ouvir esse tipo de coisa e isso só aumentou minha vontade de dar um soco na cara dele.

Tudo bem que eu sempre fui de pegar várias garotas, mas nunca cheguei nem perto de usar uma expressão dessas com elas ou falando sobre elas.

—Primeiramente, pelo jeito que você se refere a ela, já dá para perceber porque ela terminou com você. – ele cerrou os punhos ao lado do corpo e eu continuei:

—Em segundo lugar, você acredite ou não, não está acontecendo nada entre nós, porque se estivesse, pode ter certeza, que você não chegaria menos de 1 quilômetro de distância dela.

Jessica segurou meu braço para que eu me acalmasse e nesse exato momento Jane voltou para a sala.

— O que está acontecendo aqui? – Jane se encostou no batente da porta e pôs uma das mãos na cintura.

—Que bom te ver também, Jane. – Ryan ironizou —É sempre bom saber que tem alguém ajudando outro cara a ficar com a sua namorada.

— EX-namorada, querido. Quer mesmo que eu fale razões para você nem ter merecido um dia ser namorado dela?

Jane continuou falando com a maior calma como Ryan havia deixado todo mundo na mão no último minuto, que ele achava que o mundo girava ao redor dele e até sobre tratar Jessica de um modo que ela não merecia.

Ele rebatia e as vozes dos dois só ficava mais alta.

—Jessica, vamos para casa. Agora – ele disse como uma ordem.

Percebi que Jessie não estava mais atrás de mim e que ajeitava seus óculos.

Ela andou lentamente até ele, e seu sorriso de deboche só aumentava para mim , ela respirou fundo uma, duas, três vezes , Jane já estava com uma cara incrédula e eu podia imaginar que a minha estava igual ou pior.

—Ryan – a voz dela era firme e clara. —Vai embora.

 

(N/a: heeey,amorzinhos!! Como vcs estão? Mais um capítulo novo êê...

Falando em coisa nova: quem ouviu Drag Me Down? suuuper recomendoo

Enfim deixem suas sugestões (de músicas tbm), comentários, críticas etc..

Não se esqueçam de votar xxAté a próxima)

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...