Hidden |H.S|

'It isn't a revenge is just a reckoning' O que acontece quando todo o seu passado se torna o presente e o futuro? Uma garota mimada que todos amam na escola pode virar uma garota arruinada no futuro... Ela causou dor nele, ele causará dor nela. 'Isto não é uma vingança, é apenas um acerto de contas' Drama|Romance|Comédia

2Likes
0Comentários
190Views
AA

1. 1. Olhe por onde anda !

POV's Alexia

Mais insuportável do que este frio? Só mesmo se for o calor do inferno, não sei como vim parar neste fim de mundo mas vou ter que me habituar pois agora este é o meu lar, agora? boa já a alguns anos... Como pude deixar aquele pais tropical por este cubo de gelo, é a treva... Antes fosse a treva, pelo menos não senteria as pontas dos meus dedos assim, quer dizer pelo menos sentiria as pontas dos meus dedos!

E estas ruas, não da mesmo para andar, cheias de pessoas que nem olham por onde andam batendo aqui e ali olhando as vitrines das lojas Londrinas sem prestar atenção em nada. Hoje especialmente as ruas estão mais agitadas, não sei porque.

Talvez se eu me pusesse no lugar dessas pessoa entendesse como não se sentem incomodados com esse tipo de coisas... Mas as pessoas em si são a pior coisa, em Londres encontra-se todo o tipo de pessoa possível, vestidos estranhamento e mal educados... God !

Como disse, andam distraídos e não prestam atenção a nada.

Do nada, mas do nada mesmo, vejo um ser correndo em minha direção, tento afastar-me mas a população não ajuda me apertando fazendo aquele homem vir contra mim.

Cai com tudo indo parar a um beco escuro e vazio fora daquela população, senti minha cabeça bater em um caixote de lixo que ali estava e em seguida escorregar até ao chão ... É A TREVA !

"Ai desculpa, estava distraído" O ser se aproximou de mim mas não consigo ver muita coisa pois alem de estar num beco escuro estava tonta porque ELE ME JOGOU NO CHÃO !

"Nossa, distraído? Imagina" digo com toda ironia existente em mim.

"Você esta bem?" Nossa, ótima, adorei cair e bater com a cabeça, sensação maravilhosa fora que estou de salto e cair de salto, bem devem imaginar o estrago no meu pé.

"Ótima" digo seria com uma tentativa falhada de me levantar.

"Não esta nada" ele diz serio me agarrando para não cair.

"Ohh serio?" Caguei em esconder a porra da ironia.

"Vem eu te ajudo" ele me ajuda a levantar e eu levo a mão à cabeça pois esta a doer. "Nossa, desculpa mesmo eu não sei onde estava com a cabeça"

"Bom, você realmente não sei mas eu vim parar com ela no chão" digo arrogante.

"Ta doendo muito?" Ele se aproxima de mim tocando na minha cabeça o que me causa dor.

"Ai, você ta louco?" Quase grito o que o faz rir. "Não tem piada isto ta doendo e vou ficar com um calo enorme"

"Vem até o meu carro, podemos ir ao hospital ver isso"

"Sim, você é louco" arregalo os olhos "Nem sei seu nome acha mesmo que vou entrar num carro com você?"

Ele riu, muito engraçado, ele quase me mata e agora fica ai rindo.

"Meu nome é Harry" esticou sua mão "Harry Styles" ele sorriu, muito bom como se não bastasse rir da desgraça agora ficou sorridente.

"Sim e o que isso vai mudar a minha vida?" Olhava sua mão assustada.

"Bom, não sei, talvez mude que você consiga chegar viva em casa" ele diz chateado e tirou sua mão de perto de mim.

"Bom, se mais nenhum psicopata como você vier contra mim sim eu chego viva em casa" reviro os olhos falando também chateada.

"Aceita logo a minha ajuda venha até o carro" ele se demonstrava impaciente, impaciente estou eu, eu não vou aceitar!

"Please, eu não te conheço de lado nenhum, porque iria para o seu carro? Sei lá se você é algum tipo de psicopata ou assim.." bom, até agora era essa a imagem que eu tinha dele.

"Pelo amor de Deus, depois o louco sou eu" ele riu " Só estou oferecendo ajuda porque você não esta bem" ele revirou os olhos, agora parecia mais impaciente mas ao mesmo tempo parecia achar a situação engraçada. "E outra, se eu realmente fosse algum tipo de psicopata eu já teria feito alguma coisa não acha?!" ele sorri de canto.

"Pois, mas se eu não estou bem é porque você me jogou no chão" cruzo os braços chateada.

"Mais um motivo para eu te ajudar"

"Eu não preciso de sua ajuda obrigada" digo arrogante.

"Ok, eu nem conheço você e estou aqui discutindo com você na rua" ele ri "sim, isso esta realmente engraçado"

"Pois eu não estou achando nada disso engraçado, sou eu que estou cheia de dores de cabeça e não consigo andar porque tenho o tornozelo torcido" quase grito.

"Shiuu, fala baixo, a gente esta no meio da rua" ele faz gestos com as mãos.

"Serio e quem vai me obrigar a isso? Um cara que quase me matou?" Supero meu nível de arrogância.

"Deixe eu ajudar" ele riu de leve o que faz eu passar dos limites.

"Você esta rindo do que? Da para parar estou ficando irritada" falo espevitada dando pequenos pulinhos o que faz ele rir mais. Eu vou na cara desse idiota!

"Ta ficando irritada? Nossa imagina se tivesse então" ele ri alto e eu lanço à ele um olhar de juízo final que significa, ou você para agora, ou você morre. "Ta, ta bom, desculpa" ele tose "então vai aceitar minha ajuda?"

"Claro" eu sorri sarcasticamente "Saia da minha frente me deixando ir embora que você já estará me ajudando e eu estarei eternamente agradecida" continuei sorrindo.

"Por favor deixe..."

"Ta, ta bom" disse impaciente o interrompendo "Aonde esta seu carro?" revirei os olhos me dando por vencida. Nossa, esse cara é muito chato.

"Aqui perto" vi ele sorrir vitorioso.

Ele colocou suas mãos na minha anca para me ajudar a andar, mas que abusado...

"Ei cara, não preciso de ajuda para andar não ta ?" Tirei suas mãos da minha anca e comecei a andar muito devagar mancando e ele ficou para trás olhando para mim com desprezo "Que foi? Vai ficar ai olhando? Agora que sei meu estado não vou andando até em casa" parei de andar olhando para trás, ou seja para ele.

Vi ele se aproximar de mim com alguma presa, talvez com medo que eu mude de ideia.

"Você é sempre assim?" Reparei que ele prendia uma gargalhada.

"Assim como?" Disse já sem paciência, bom, neste caso, disse normalmente porque sem paciência já estava antes desse gorila vir contra mim.

"Orgulhosa" ele ri mostrando agora com as luzes noturnas da cidade um sorriso encantador acompanhado de duas fundas covinhas e um par de olhos verde esmeralda, esse cara é bonitão, mas CHATO.

"HA HA" rio falsamente. "E você é sempre assim? CHATO" me inclino dando ênfase ao meu 'elogio' ...

"Persistente" ele me corrige e se aproximando mais sem me dar tempo de me afastar me pegando no colo.

"VOCÊ TA LOUCO? ME COLOCA NO CHÃO" bom, acho que deu para entender que eu gritei né...

"Bom vamos fazer assim, se você não para de gritar eu vou te beijar" ele sorriu como se tivesse dito a coisa mais natural do mundo.

"Se fizer isso, eu acabo com você" falo baixo e com raiva.

"Melhor assim" ele ri e começa a caminhar até o carro que não estava muito longe. Ele parou em frente a um carro que nossa, que-carrão ! Me colocou cuidadosamente no chão tirando a chave do bolso e apertando o botão que fez as grandes luzes acenderem e apagarem, ele abriu a porta do carro do meu lado "Entre Madame"

Entrei me sentando balbuciando as palavras "Seu grande idiota" bem baixinho.

Assim que vi ele dar a volta passando pela frente do carro para chegar até seu lugar vi ele tropeçar o que me deu um ataque de risos.

"Não teve piada" ele disse tentado prender seu riso.

"Ta, desculpa" parei de rir mas em seguida a gente se encarou serio o que me fez ter outro ataque mas desta vez ele ria comigo.

Depois de uns segundos de loucura, olhei em volta "Bom, agora que estou em seu carro chegou a hora que vai me estuprar ou algo do gênero? Ri de leve.

"Ainda a pouco parecia que você queria me matar agora ta fazendo piadinha?" Ele arrancou com o carro.

"Eu não queria te matar, eu pensava que você queria me matar"

"O que na verdade não faltou muito né, eu quase te matei" ele riu

"É, quase" ri também.

"Você esta bem mesmo? Acho que vou te levar no hospital" ele me olhou preocupado.

"NÃO... Quer dizer, não precisa, eu estou bem" sorri tímida pelo meu grito.

"Mas você bateu com a cabeça, e esta mancando"

"Não precisa, isso passa, apenas me leve para casa por favor" sorri fraco.

"Tudo bem, onde mora?"

"Conhece o condomínio Casa Grande?"

"Humm... Acho que sim" ele disse pensativo "Ahh, sim, conheço sim " ele levantou o dedo 'alegre' parecendo um pirata.

"Então, moro ai" sorri

"Esta em casa em alguns minutos, é..." se ele soubesse teria dito meu nome ahahah.

"Alexia" sorri.

"Alexia" ele repetiu "Alexia que?"

"Alexia Granger" vi seus olhos saltarem da estrada arregalado até mim.

"Alexia Granger?!" Ele disse parecendo surpreso.

"Simm" disse devagar assustada com o seu sobressalto.

"Meu Deus" ele disse voltando seus olhos para a estrada, ele deve me conhecer das revistas ou assim...

"E você, como disse que se

chamava mesmo?"

"Harry Styles, Styles para os amigos"

"Não somos amigos" disse seca.

"Mas podemos ser"

"Conheço você" disse pensativa

"Eu?" Ele arregalou os olhos como se eu tivesse tocado num assunto aterrorizante "Impressão sua, a gente nunca se viu na vida" sorriu timidamente.

"Não, falo do seu nome, já ouvi falar ele em algum lugar"

Ele respirou aliviado "Talvez sim, mas e você, também conheço seu nome"

"Talvez sim" imitei sua resposta numa tentativa de provocação.

Pouco antes de chegarmos acabei por deixar escapar que amanhã teria um dia muito cansativo no trabalho e onde trabalhava o que fez eu me arrepender logo de seguida.

"Chegamos" sorriu parando o carro.

"Obrigada" me preparei para sair.

"Me desculpe mais uma vez"

"Tudo bem" sorri saindo do carro.

"Obrigada mesmo" fechei a porta virando costas.

Ele abriu o vidro e me chamou "Xau" sorriu.

"Xau" disse com cara de quem diz 'eu não vou te dar meu numero'.

"Quem sabe a gente não se ve de novo" acho que ele não entendeu..

"Não, eu não vou te dar meu numero" andei de costas sorrindo.

"Por favor" ele fez beicinho.

"Bom, tenho que entrar, esta tarde" ri de leve.

"Tudo bem, você deve ter sua família te esperando" ele revirou os olhos.

"Porque teria?" Franzi a sobrancelha me aproximando um pouco do carro.

"Bom, imagino que não vai passar o natal sozinha" ele também franziu a sobrancelha.

"Natal?" Arregalei os olhos "Nossa eu nem sabia, na verdade nem lembrei que..." Parei de falar, odeio essas datas, não por simplesmente odiar mas não tenho boas memórias dessas datas que passamos em família, quer dizer, ter até tenho mas apenas até meus 13 anos de idade.

"Não sabia que era natal?" Ele arregalou os olhos "Como pode esquecer com toda a rua enfeitada?" Ele me olhou incrédulo apontando para os enfeites.

Não que eu não tenha reparado nisso, sabia que estávamos em época natalícia mas não sabia que hoje era dia 24...

Então, então...Bem sou nova aqui 'Ohh serio, não nos digas?!'

Espero que gostem da minha fic e de mim também. Bem, coloquei um capitulo bem grande como presente de natal kkkk 🎁🎄 Já agora, feliz natal a todos 🎅🎅

Mas sobre a fic, porque será que a Alexia odeia tanto essas datas?

Porque gritou ouvindo 'te levar para o hospital'? Que memórias ruins serão essas? O que terá acontecido aos seus 13 anos? E quem será Harry na vida dela? Ele teve uma reação estranha ao saber seu nome...

Muitas perguntas para os próximos capítulos ✌️

OBS: Comentem e digam o que acham please 🙏❤️

Bjs Ramires 🙊🙊

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...