Meu querido irmão

Os conflitos são grandes na cabeça de Jenna, ser afastada daquele que mais ama, crescer praticamente sozinha, descobrir que tudo o que acreditava era mentira e sentir despertar um sentimento proibido, perigoso e ardente como brasa que envolve todo seu corpo. [...] Aviso: º O começo da história não fui eu que criei, li uma história que gostei muito e ocasionalmente decidi dar continuidade a ela.

14Likes
8Comentários
1023Views
AA

3. Outro ponto de vista

     

                  Guilherme

Estava completamente confuso, minha irmãnzinha, aquela que eu conhecia e passei anos protegendo simplesmente desapareceu, dando espaço a uma garota completamente linda e de chamar atenção de qualquer um. Quando a avistei no aeroporto e ela me abraçou sente algo extinto, um calor que veio de dentro e também pude me sentir sujo, ela era minha irmã, mais do que isso, a única familia que eu poderia contar, pensei que fosse algo passageiro, um choque depois de tantos anos. No carro me peguei olhando para a perna dela e quando vestiu aquele shortinho tive que me segurar para não agarra-la, o que estava acontecendo comigo ? Não poderia sentir nenhum tipo de desejo pela minha irmã, minha responsabilidade de irmão era defende-lá de quem tivesse esses desejos. Quando estavamos brincando e ela caiu no meu colo o calor veio mais forte que em qualquer hora, corri para jogar uma aguá gelada no corpo, quando voltei para a sala estava me odiando.Durante toda a tarde ficamos bem um com o outro e ela voltou a ser minha pirralhinha que sempre foi. Tudo que eu não queria era que ela me achasse insensível, me preocupei com ela todos os dias durante esses anos, mais não posso explicar a causa de tudo isso.

Mas a noite as coisas só pioraram, com aquele vestidinho ela estava quase me matando, a Jen era a garota mais linda que eu já tinha visto e olha que só estava com quinze anos, suas curvas  eram perfeitas, seus seios redondos e durinhos pareciam querer saltas do vestido decotado, a coxa grossa fazia o vestido diminuir ainda mais, queria agarrar ela ali mesmo e esquecer da festa, eu devia estar maluco, só poderia ser isso, mais eramuito difícil não olhar para ela, fiquei tenso tentando me controlar. Ainda bem que eu tinha planejado a festa com o pessoal pra manter ela um pouco afastada, quando eu fui estacionar o carro encontrei a Bianca no estacionamento, ela era até bonita, loira dos olhos claros, com um corpo esbelto

- Bianca - chamei e ela se virou

- Guilherme, que bom encontrar você - ela falou com uma voz melosa

- Sempre, é aniversário da minha irmã, ta afim de ir? - eu perguntei já puxando ela pra perto

- Claro - ela respondeu já me alisando

Depois que chegamos á festa, fui com ela pra um banheiro afastado e nos trancamos lá. Ela é bem rápida foi logo me agarrando, agente se beijava com vontade, minhas mãos percorriam todo seu corpo, logo nós ja estavamos nus , desci a minha boca até seu pescoço ela me apertava contra seu corpo, desci uma de minhas mãos até sua bucetinha, e comeceia acariciar devagar, brincava com seu clitóris, soltava gemidos de prazer e isso me deixava ainda mais excitado, meu pênis já estava ereto, ela ficou de joelho e começou a me chupar, segurei seu cabelo e forçava sua cabeça para enfiar ainda mais fundo, eu a puxei e a coloquei sentada em um balcão, voltei a acariciar sua bucetinha, enfiei um dedo, depois dois, comecei a enfiar com força - porra Gui, enfia logo - ela implorou. Eu obedeci, tirei a camisinha do bolso e coloquei, comecei a chupar seus seios com vontade, um após o outro, ela gemia, me deixava ainda mais excitado, eu enfiei de uma vez com força,ela deu um gritinho de dor, só sei que quanto mais gemia , me deixava ainda mais louco, ela me arranhava se contorcendo enquanto eu enfiava e chupava seus seios, gozamos, não estava muito preocupado se sentia prazer ou não, só queria expulsar todo aquele desejo de dentro de mim, nós transamos mais uma vez e eu até continuaria mas só tinha duas camisinhas. - Nossa ! - falou com um olhar de quem queria mais - Guilherme você é demais. Voltamos para a festa e para o meu desgosto Jenna estava se agarrando com o Henrique, me subiu um ódio, uma vontade de socar sua cara, eu fui pra perto deles e quando cheguei ele estava a chamando para um lugar mais calmo, eu não iria deixar, chamei Jenna para ir embora, ela falou que não ia, fez umas graças mais acabo cedendo e nós fomos. Durante todo o caminho para a casa ela ficou quieta, estava com uma cara magoada, eu a magoei tentando me livrar daquele desejo e acabou sendo inútil, me acalmei um pouco, mas continuava desejando minha irmã.

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...