Meu querido irmão

Os conflitos são grandes na cabeça de Jenna, ser afastada daquele que mais ama, crescer praticamente sozinha, descobrir que tudo o que acreditava era mentira e sentir despertar um sentimento proibido, perigoso e ardente como brasa que envolve todo seu corpo. [...] Aviso: º O começo da história não fui eu que criei, li uma história que gostei muito e ocasionalmente decidi dar continuidade a ela.

14Likes
8Comentários
1020Views
AA

7. Caminho desviado

Nos despedimos de todo mundo, o Vini foi buscar o carro e saímos. A casa da Bia é bem pertinho, até lá não leva nem dez minutos de carro, mas nós levamos quase uma hora graças ao Vini. Logo que saímos da praia ele pegou um caminho diferente do que nos levava a casa da Bia.
- Vini, ta louco é? Você pegou a rua errada. – eu avisei.
- Calma Jen, nós só iremos desviar um pouquinho o caminho. - ele disse e me olhou com malicia. 
Eu entendi logo o que ele estava querendo, pra falar a verdade eu também estava, fazia algum tempo desde a última vez que nós dois ficamos juntos. Perdi minha virgindade com o Vini faz quase um ano, foi pouco tempo depois de ter me afastado do Gui, nós namoramos desde a infância, mesmo ele sendo um pouco galinha eu acho que ele gosta de mim , ele é lindo, tem um ar selvagem, seus olhos são cor de mel, lábios grossos que parecem que parecem que vão me devorar quando nos beijamos, ele tem vinte e dois anos Não rola esse lance de amor entre a gente, acho que para ser amor deveria ser mais forte, o que rola entre a gente é mais desejo . Resolvi provocar um pouco ele, levei uma de minhas mãos até seu membro e comecei a cariciar por cima da bermuda.
- Você vai acabar me fazendo bater com o carro. – ele disse meio sem folego.
- Então é bom você arrumar um lugar para gente ir logo, pois eu não vou parar. – falei maliciosamente.
Ele deu um sorriso com malicia que eu adorava. Começou a correr mais com o carro, eu continuava acariciando seu membro que estava rígido. Ele fez uma curva e entramos em um motel, ele já tinha reservado
- Desde quando você está planejando isso? – eu perguntei surpresa 
- Desde que você falou que iria embora, eu estava planejando te levar para minha casa, mas ai você falou que iria embora, eu achei até melhor, pois você iria ficar de frescura lá em casa por causa da galera, então eu fui buscar o carro e liguei para o motel para fazer a reserva. – ele confessou.
- Fazendo coisas pelas minhas costas – eu briguei, ele riu e me agarrou.
- Vai dizer que você não está gostando? – ele perguntou
- Na verdade não. – eu cheguei meus lábios para bem perto de seu ouvido. – estou adorando. – sussurrei e ele enlouqueceu.

Fomos para a suíte, ele foi me jogou na cama e ficou por cima de mim, começou a me beijar ardentemente , suas mãos grandes e fortes percorriam meu corpo com ferocidade, nossas respirações eram ofegantes, ele desamarrou e puxou minha saída de praia com facilidade, ele apertava minha coxa como se fosse arranca-la .Nem percebi que já estava sem biquíni, ele foi me beijando e chupando do pescoço até chegar em meus seios  ele chupava com vontade e apertava, eu cravei minhas unhas nas costas dele e o puxei para mais perto, meu corpo estava repleto de desejo, ele foi descendo mais seus beijos pela minha barriga, chegou em minha perna, me chupando e apertando, me olhou com cara safado.
olhei para ele e mordi meus lábios,foi até minha bucetinha e começou a lamber devagar brincando com meu clitóris, eu gemia alto de prazer e segurava sua cabeça a puxando para que ele me chupasse ainda mais, ele entendia o recado e além de me chupar ainda mais forte começou a penetrar um dedo em mim, dando estocadas fortes, meus gemidos eram ainda mais intensos , meu corpo se contorcia de prazer e a cada gemido meu ele aumentava suas investidas, eu não aguentava mais, sentir minhas pernas dormentes, ele voltou a subir seus beijos indo até meu ouvido – você é uma delicia – ele sussurrou, resolvi retribuir o prazer, me virei ficando por cima dele, ele me olhou mordendo a parte inferior dos lábios, eu sorri e levei meus lábios até seu pescoço o chupando, fui descendo pela barriga , cheguei em seu membro ereto e rígido, comecei passando a língua pela cabeça depois comecei a chupar com vontade me esforçando para engolir tudo, ele segurou meu cabelo fazendo com que eu fosse mais rápido, eu o olhava maliciosamente, eu podia sentir seu pênis pulsando dentro de minha boca até que ele gozou. Ele levantou e me colocou de quatro pedindo para que eu empinasse, ele umedeceu minha bucetinha e penetrou seu pênis de uma vez, eu soltei um leve grito, ele dava estocadas fortes e rápidas me fazendo gemer e gritar de prazer, eu me empinava mais querendo que ele fosse ainda mais fundo, ele levou as mãos até minha cintura puxando meu corpo depois se virou e sentou me colocando em seu colo, eu quicava e rebolava em seu pênis enquanto ele apertava e chupava meus seios, gozamos juntos quando não conseguimos mais segurar, nosso suor se misturava enquanto nos beijávamos, a respiração ofegante, deixamos nossos corpos caírem na cama mantendo a falta de espaço entre nós ele me olhava satisfeito com um sorriso lindo que eu adoro.
- Nós combinamos bem né Jen? – ele perguntou. Realmente não nos amamos, nós simplesmente combinamos e estamos felizes com essa química, até o momento isso basta.
- Combinamos perfeitamente. – eu respondi. 

Ficamos mais um tempo deitados, depois tomamos banho e fomos para a casa da Bia, ele me deixou lá e foi para casa colocar ordem , quando eu quisesse era só ligar para ele que ele viria me buscar. A Bia estava trancada no quarto, deu um sorriso forçado ao abrir a porta para mim, eu a abracei, odiava ver ela triste. A Bia é a mais velha das meninas, tem dezenove, mas parece ser a mais nova, ela é uma boneca , loiras dos olhos cristalinos. Essa tristeza era por causa do namorado, ou melhor, ex namorado dela que a traiu e quando ela me contou na noite anterior o meu conselho foi que ela bebesse todas e esquecesse ele.
- Bii, você não pode ficar assim por causa daquele miserável.- eu tentei consolar.
- Eu sei amiga, mas é que eu fico pensando sabe, eu acho que vou morrer sozinha. – ela disse cheia de drama.
- Olha só, vamos parar com isso, ontem foi meu aniversário, mas você acha que nós podemos chamar aquela baladinha de comemoração? – eu perguntei já sabendo a resposta.
- Bom se fosse comemoração iria ganhar o prêmio de pior feita até agora. – ela respondeu exatamente o que eu queria.
- Então minha querida me responde, o que isso significa? – eu fiz uma nova pergunta.
- Significa que nós precisamos de um grande evento. – ela afirmou.
- E como eu vou fazer um grande evento sem a sua ajuda? A Gabi e a Lili não dão conta. – eu reclamei
- O que nós não fazemos pelas amigas, senhorita Jenna se prepara que a comemoração dos seus dezessete aninhos vai entrar para a história. – ela disse já mais animada. A Bia pode ser uma super nerd, mas ninguém organiza uma festa como ela. Isso realmente iria dar o que falar.

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...