Imagines

Oi, aqui eu vou postar um imagine por capítulo, então me peçam imagines com os minos que eu faço pra vocês ��❤️

11Likes
23Comentários
929Views
AA

2. imagine hot Zayn- cap. único

(S/n) era a filha perfeita, boas notas, comportada e delicada. O extremo oposto de seu namorado Zayn, que era provavelmente a pessoa mais grosseira e sem respeito por nada. Mas amava muito, fazia de tudo pra ficar com ele, principalmente por que seus pais eram contra ela sair com Zayn, tanto que era proibida de vê-lo, mas ela não ligava. Ele era muito importante pra ela. Claro que apesar da ser tão impenetrável, ele amava (S/n)com todo seu coração, tinha um ciúmes incontrolavel. Já havia perdido a conta de quantos caras ele já tinha batido ou ameaçado por olhar de maneira maliciosa pra sua namorada.

Ela era linda por fora e por dentro, ele era apaixonado por (S/n).

Era sexta-feira, o dia em que (S/n) dizia pros pais que ia pra casa de sandy, sua melhor amiga, quando na verdade saia com Zayn. Sandy dava cobertura caso a mãe de(S/n) ligasse, por isso eram melhores amigas. (S/n)estava na casa da amiga, se arrumando pra ver o namorado, vestiu a calça jeans clara, uma blusa preta simples e a jaqueta de couro preta, roupas perfeitas pra andar de moto com Zayn. Passou rímel apenas, ele não gostava de maquiagem e ela gostava de agrada-lo.

-está bom?- (S/n)perguntou se fitando no espelho, quando se tratava de Zayn, queria estar sempre bonita.

-está maravilhosa amiga, como sempre- sandy disse e sorriu ao ouvir a buzina da moto do garoto.

-ok, obrigada pela força- (S/n)disse abraçando a amiga e indo em direção a porta.

Girou a maçaneta nervosa, nunca se acostumava em ver Zayn, a porta abriu facilmente e ela viu o garoto sentado na moto. Ele havia tirado o capacete e bagunçava o cabelo escuro, usava uma calça preta e jaqueta de couro. Ela respirou fundo e andou até ele que deu um sorriso sacana quando a viu, "gostosa" ele pensava sempre que a via.

-oi- ela disse tímida, e sentindo o perfume tão bom de Zayn.

-e ai- ele disse abraçando (S/n) e dando um selinho nos lábios gelados dela.

- onde vamos?- ela perguntou pegando o capacete que era de uso exclusivo dela.

-minha casa- ele disse sem tirar o sorriso malicioso do rosto.

Ela sorriu de volta pondo o capacete na cabeça e se sentando na garupa, abraçando-o com mais força do que realmente era necessário. Gostava de ficar perto dele, principalmente porque não o via com tanta freqüência.

Ela estava distraída abraçando Zayn, quando ele arrancou com a moto acelerando. Ela gostava de sentir o vento no rosto e aquela amostra grátis de liberdade, Zayn era tudo pra ela, ele a tirava do tédio que era viver corretamente.

O prédio dele era enorme, tinha pelo menos 100 andares. Ele morava no 84, e o lugar era enorme, principalmente porque eram um apartamento por andar. Ele entrou primeiro sendo seguido por (S/n),ela tirou a jaqueta e colocou junto com a bolsa na mesa de jantar.

-pedi pizza- Zayn falou sorrindo. O sorriso mais lindo que ela já vira.

-Eba. Estou faminta- ele riu e a abraçou.

-você fala como uma velha sabia?- ela fez cara de ofendida, e ele riu.

-eu falo da maneira correta- ela corrigiu.

-o errado é sempre mais prazeroso -ele disse e a pressionou contra a bancada da cozinha, fazendo(S/n) suspirar.

-eu já percebi isso- ele sorriu e a beijou , ele gostava do fato dela não ser atirada como as outras garotas, ele gostava do jeito delicado que ela o tocava.

Pegou-a no colo e andou até o sofá, onde se sentou é a garota colocou cada perna de um lado, beijando-o enquanto mexia os quadris sobre seu membro. Ela sabia o quanto ele gostava de comandar, então abriu o zíper da própria calça enquanto ele fazia o mesmo com a dele. Ficou nua da cintura pra baixo, assim como Zayn,(S/n) voltou a mesma posição se antes só que agora sentando em seu membro ereto. Começou os movimentos lentos, queria que durasse bastante, ela apoiava as mãos nos ombros do rapaz que segurava a cintura definida da namorada, auxiliando os movimentos. Ela fechava os olhos com força e mordia os lábios, ele fazia o mesmo, até ela se inclinar, beijando-o. Passaram a se olhar nos olhos, estavam muito conectados, principalmente porque nunca tinham transado olhando na janela da alma. Ela se movia mais rápido e ele só conseguia gemer o nome dela, que buscava se conter pra não gritar. Na intenção de aprofundar mais, ele a abraçou e ela retribuiu, ficando mais próximos. Então ele gozou, e ela logo depois. Deitaram abraçados no sofá, as bochechas estavam coradas e a respiração falha. como o belo "cavalheiro" que ele era, empurrou-a do sofá, na intenção de ir até a cozinha beber algo.

-troglodita- ela murmurou fazendo zayn se virar pra ela.

-como é?- ele perguntou com o maxilar tenso.

-nada- ela respondeu se levantando e vestindo apenas a calcinha novamente.

Ele fez uma expressão de vitória, como se soubesse o medo que causava em (S/n).Ela se sentou relaxadamente no sofá cinza dele, esperando ele voltar e se sentar perto dela.

-quer beber alguma coisa?-ele perguntou mordendo uma maçã.

-sim, uma águ..-foi interrompida pelo toque irritante do celular que ela prometera a si mesma que ia trocar.

Levantou em direção da mesa e viu o nome "mãe" no visor.

-oi mãe- Zayn sorriu perverso e sentou a garota na mesa, tirando a calcinha dela, se sentou de frente pra intimidade dela e fez sinal pra que ela continuasse a conversa com a mãe. Ele sabia muito bem como provocar.

-oi filha- ele deu um "selinho" no colo da menina, próximo da real área que queria acertar.- está se divertindo?

-muito- ela falou olhando pros olhos castanhos de Zayn que traziam uma perversidade impressionante, então ele fez o que ela mais temia, encostou os lábios lentamente e passou a língua espalmada pela área úmida. Não conteve um suspiro.

-tudo bem?- a mãe disse preocupada.

-tudo, eu acabei de ver uma foto do zac efron sem camisa.- o garoto não gostou nada, e a mãe riu. Como "vingança" deu um chupão digno de tirar o fôlego. (S/n)prendeu a respiração e ele deu um tapa na coxa dela em reprovação.

-bom, só liguei pra dizer que eu e seu pai te amamos e - outro chupão, e ele começou a fazer movimentos circulares com a língua- e já estamos com saudades.

-que bom mãe. Também te amo- Ele soprou a intimidade da garota, vendo ela dar um grito contido.

-o que aconteceu?-perguntou preocupada.

-bati o dedo em um móvel- a mãe riu, mas(S/n) quase tinha um ataque epiléptico com a língua do namorado, então ele pegou realmente pesado: passou a barba por fazer por toda a extensão da intimidade da garota. Ela afastou o telefone da orelha e tapou, pra poder gemer, mas Zayn empurrou o aparelho de volta pra orelha dela e mandou ela fixar quieta.

-bom, boa noite, te vejo domingo.- a mãe disse fazendo a garota ficar confusa

-domingo? Mas amanhã é sábado- ela disse é a mãe riu de novo.

-mas a Sandy disse que você ia ficar aí até domingo.- ele lambeu mais uma vez, ela arfou.

-ah sim, claro eu tinha esquecido-ele riu sem som e pressionou o clitoris dela com a língua." Filho da puta" ela pensou enquanto dava boa noite e desligava o telefone.

Deu um grito de alívio e lançou o celular longe.

-ei, minha parede- ele reclamou parando o trabalho tão bem feito.

-cala a boca e continua logo-ela disse pegando o cabelo dele e pressionando contra si.

Ele sorriu convencido de que sabia muito bem o que estava fazendo,ela apenas gemia e movia os quadris na intenção de ter a língua dele mais perto se si. E gozou pela segunda vez na noite.

-você tem um gosto muito bom- ele disse beijando a garota que mal conseguia conter o coração no peito. Ouviram o interfone.

-prefiro a pizza- ela disse, ele se soltou dela e foi atender o entregador.

Comeram enquanto conversavam sobre a semana.

- eu fiz um grafite novo- ele comentou enquanto bebia um copo de cerveja.

- sério? Onde? Eu quero ver- ele riu.-o que foi? Eu amo sua arte, você sabe disso.

-eu te levo lá amanhã, não é exatamente perto daqui.- ela sorriu.

-me diga que ninguém viu- ele sorriu, da ultima vez que ele grafitou na cidade, foi preso. É.

-ninguém viu. Eu fiz mais pra mim do que pra incomodar alguém.- (S/n) o encarou e depois encarou o copo de cerveja.

-eu nunca bebi álcool- zayn gargalhou e sorriu malicioso.

-claro que não, com os seus pais é capaz de nem poder usar listerine porque é muito forte- dessa vez, (S/n) gargalhou.- então, amanhã você vai ter a pior dor de cabeça da sua vida.

-porque?- ela perguntou fazendo uma careta de quem não entendeu.

-porque nós vamos tomar um porre- ela sentiu um frio na barriga quando ouviu a voz do namorado parecer mais profunda.

Ele se levantou e abriu um dos armários mais altos, que ela provavelmente não alcançava. Tirou de lá duas garrafas, Jack e vodka.

-vamos começar pelo básico.- ele entregou a ela um copinho com vodka.

-ok...o que faço agora?- ele deu um sorriso.

-vira com tudo- e(S/n) obedeceu, sentindo aquele líquido descer quente pela língua e garganta, mas gostou de sentir que era uma adolescente normal.-a eeee-ele comemorou e preparou mais copinhos.

Depois do que pareceu ser o décimo terceiro, ela já se sentia aérea, sentia como se pudesse ficar acordada por cinco dias seguidos sem fazer nada além de dançar. Então ele preparou mais copos, e depois de alguns minutos e conversas sem sentido ela apagou. Zayn riu ao ver a garota com o rosto colado na mesa, ele realmente gostava dela, e não mudaria nada nela.

Pegou- a no colo e tirou a blusa dela, querendo deixar ela mais confortável. Deitou-a na cama com os edredons azuis escuros, e deitou ao lado dela, dormiu tão pesadamente quanto (S/n).

Quando acordou no dia seguinte sentiu uma dor insuportável.

-ahhhhhh- ela gritou com o rosto afundado no travesseiro.

-vejo que já sentiu os efeitos da ressaca (S/n)- ela assentiu e ele riu.-vem, vou te dar um banho, temos um longo dia hoje.

-ok- ela não conseguiu levantar sozinha, então ele a pegou no colo. Ele tirou o sutiã e calcinha dela, colocando-a sentada no chão do chuveiro. Zayn tirou a cueca boxer que usava e entrou no box com ela, sem qualquer intenção maliciosa, ele gostava de ser o primeiro a mostrar as coisas que a sociedade e os pais dela, julgavam erradas. Foi o primeiro a ensinar a ela o prazer, o primeiro que mostrou maconha pra ela e o primeiro que deu um banho de vodka na garota. Claro que não podemos dizer que eram influências boas, mas ele vivia assim e (S/n) gostava disso. Ele passou shampo na garota e ela fechou os olhos, ele achava ela linda, não conseguia olhar pra mais nenhuma garota que não fosse (S/n), pra ele, nenhuma ia conseguir ser tão (S/n).

Terminou de dar o banho nela e a enrolou na toalha, mandando ela esperar ele tomar o banho dele.

-Zayn, não tem mais nenhuma blusa limpa minha aqui- ele concordou e foi até o armário pegar uma blusa dele pra ela. Era preta e tinha o símbolo dos rolling stones como estampa. Ela vestiu por cima do sutiã e deu um no na barra da blusa pra ficar mais feminino e conseguiu com sucesso.

Vestiu um jeans todo rasgado e secou o cabelo naturalmente liso, passou apenas rímel.

Zayn vestia uma camisa da vans branca com o escrito em azul escuro, e o jeans escuro surrado de sempre. Simples? Sempre. Perfeito? A cada segundo do dia.

Desceram até o estacionamento do prédio e subiram na moto. Atravessaram a cidade e começaram a entrar numa área bem afastada, cheia de árvores e ar puro. Ele estacionou numa das vagas pra turistas visitarem a região, estava um dia nublado mas agradável.

-quer ver o grafite?- ele perguntou encarando a floresta densa em frente a eles.

-obviamente- (S/n) respondeu animada pra ver o trabalho do namorado,mas sentindo uma dor insuportável na cabeça.- depois que a gente vier embora, podemos passar na farmácia?

-dor?- ela assentiu e ele sorriu.

Zayn puxou a garota pela mão pra dentro da floresta, ela via mas árvores, flechas azuis desenhadas com tinta, que ele provavelmente tinha feito pra não se perder ao achar a arte. Logo chegaram a uma clareira e no centro tinha apenas uma parede toda quebrada com o desenho mais perfeito que ela já tinha visto na vida. Se soltou do garoto e foi ver o desenho mais de perto, era uma menina de olhos fechados deitada numa cama de flores, na cabeça dela tinha uma coroa de flores brancas e vestia um vestido branco rendado.

-é... é você- ele disse parecendo inseguro pela primeira vez.

-eu? Você me vê assim? Meu deus, quem me dera ser tão linda- ele se abaixou e tirou de dentro da mochila uma coroa de flores igual a do desenho e pôs na cabeça dela.

-eu não te vejo assim. Você é assim (S/n), você é linda.- ela sentiu vontade de chorar, ele nunca dizia essas coisas, era Zayn, ele não era assim.

-eu te amo tanto Zayn- ele sorriu e a abraçou.

-eu te amo também (S/n). Com todo meu coração.- eles se beijaram ali, só haviam os dois no mundo inteiro. Toda a ternura e carinho estavam naquele beijo, eram só Zayn e (S/n). Apenas eles.

Nem perceberam quanto tempo ficaram ali, só que agora estava mais quente e tinham mais carros estacionados. Ela tirou a coroa pra poder por o capacete e ele levou os dois pra farmácia. Os dois entraram lá e compraram o tal remédio, estavam no caixa quando o que ela mais temia aconteceu.

- (S/n)? O que significa isso?- era a mãe de (S/n).

-mãe?-ela perguntou segurando a mão do garoto.

- eu não acredito. Eu confiei em você. Você não pode andar com esse tipo de gentinha!-ela gritou.

-gentinha?- a garota perguntou com raiva- ele é muito mais humano que você.

-como é? Você vem pra casa AGORA- ela gritou, estava muito nervosa. Em outras circunstâncias, (S/n) teria obedecido. Mas queria poder ficar com Zayn sem se preocupar com os pais.

-não.- respondeu simplesmente e viu os olhos da mãe ficarem estreitos.

-não? (S/n) você vai comigo agora, solte este moleque e venha.

-não mae, eu vou ficar com ele.

-então nem precisa voltar mais pra casa- a mãe disse querendo parecer indiferente. Mas (S/n) realmente estava indiferente.

-melhor pra mim " mãe"- ela fez aspas com as mãos.

Deram as costas pra furiosa mãe e subiram na moto, sem direção específica. Zayn queria chorar, chorar de raiva, de decepção e de frustração por fazer (S/n) passar por isso. Mas não conseguiu derrubar nenhuma lágrima. Já (S/n) chorava e soluçava abraçada com o garoto.

Entram no prédio sem nem se olhar no rosto, ela foi diretamente pra sacada do apartamento dele e se sentou no chão, pegando o maço de cigarros verdes que estava escondido atrás do vaso de plantas.

-não (S/n), não faz isso- Zayn alertou se sentando ao lado dela e tirando o maço da mão dela.

-eu quero. Preciso me acalmar Zayn.-ele suspirou.

-eu estou aqui, você não precisa disso.

Ele derrubou uma lágrima silenciosa e ela o abraçou.

Agora tudo ficara mais claro, nunca precisaram esconder nada, quando se ama não se importa com quem está envolta. Eles eram felizes na presença do outro, ninguém ia mudar ou interferir na relação dos dois. Ele só precisava dela e ela dele.

"As vezes, a melhor maneira de se encontrar é se perder na vida de alguém"

E eles estavam completamente perdidos.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...