Live, Love Dream?

Sam é uma garota bem nova, que já sabe o quê quer da vida e vai se tornar independente bem rápido. Talvez um cara mude a vida dela completamente, mas para o lado bom...

0Likes
0Comentários
313Views
AA

8. Tudo novo-Zayn

Zayn on

Oi. É a primeira vez que eu estou falando o quê eu acho disso tudo. Caramba... Como uma garota pode mudar minha vida completamente? Essas meninas têm alguma coisa...

Eu e a Sam estamos bem. Ela só está meio abalada com a notícia. Isso vai deixar nos aproximar bastante, se é que dá pra eu me aproximar mais ainda dela. A Sam é perfeita. Me deixa louco.

Hoje eu passei o dia com ela. Ela estava acabada. Eu precisava fazer alguma coisa. Dei o meu jeito. Agora, eu precisava contar pro meu pai e pra minha madrasta. Eu gosto dela. A minha mãe também faleceu a bastante tempo, no meu parto. Mas eu trato a minha madrasta como mãe.

Minha madrasta estava lavando a louça do jantar e meu pai estava no escritório.

Passei pela cozinha, e cheguei no escritório.

-Ei, Pai.-eu falei, entrando no escritório e fechando a porta.

-Zayn.-ele disse. Mau sinal. Ele estava estressado. Ele sempre está estressado por causa do trabalho. Mas hoje seria pior.

-Eu tenho uma notícia pra te dar.

-Pode falar. O quê que é?

-Ahn... Você sabe... Eu e a Sam tivemos nossa primeira vez aqui, e eu contei pra você.

-Sim.

-Mas não contei um detalhe porque não era certeza.

Aí ele parou de olhar pro computador e olhou pra mim.

-Zayn...-ele falou.

-Pai, a Sam está grávida.-confessei de uma vez.

-Mas você disse que usaram preservativo.

-E usamos. Só que estourou.

-Ah, não. Diga que não é verdade.-nessa ele gritou.

-É verdade. Sam fez o teste.

-A culpa não é de vocês. Foi o preservativo que estourou.

-Então você não está bravo?

-Sim. Estou sim. Mas pelo menos você vai fazer igual a todos, sair de casa e cuidar da sua vida.

-Mas...

-Mas nada. É isso. Você vai sair de casa antes do bebê nascer.

-Mas eu quero morar com a Sam.

-Ela não comprou uma casa que está quase pronta?

-Vou ver.

-Então vai logo.

Saí do escritório e fechei a porta. Lisa estava na cozinha, ainda. Quando passei por lá, ela me parou.

-Por quê seu pai gritou com você? Você está bem?-ela perguntou. Ela é sempre atenciosa comigo.

-Ah, Lisa...-falei, chamando-a pelo nome.

-O quê aconteceu? Você tá com uma cara estranha desde hoje de manhã, depois que voltou da casa da Sam. Aconteceu alguma coisa lá?

-Não. Tá tudo bem entre a gente. Quer saber? Vou direto ao ponto. A Sam está grávida.

Ela ficou boquiaberta.

-E você é o Pai, certo?-Lisa perguntou.

-É. Sou eu.-respondi.

-Você é tão novo pra lidar com isso...

-É que o preservativo estourou.

-Ah... Claro. Tem tanta coisa que precisam saber...

-Como assim, tanta coisa?

-Você acha que vai poder ficar sentado no sofá o tempo inteiro?

-Eu acho que o filho vai nascer e só.

-Não. Não é tão fácil. Você vai ter que cuidar da Sam, do filho e da casa.

-Estou vendo.

-E também, vai fazer tudo o quê todos mandarem.

-Aham.

-É uma experiência legal, mas tem que tomar cuidado.

Lisa sempre me dá conselhos. E sempre dá tudo certo no final. Eu adoro ela. E acho que ela me adora também. Quando minha mãe morreu, eu tinha menos de um ano. E Lisa não conhecia meu pai. Ela veio pra cidade em que eu e meu pai morávamos e eles acabaram se conhecendo. Aí se casaram. E agora estamos aqui.

Nathan veio me buscar de van, pra irmos andar de lancha amanhã de manhã. Arrumei algumas coisas e fui. Já era noite, então estava tudo escuro. O carro do Nate é uma minivan. Aproveitei pra contar a novidade pra ele e pro Max.

-E aí, Zayn?-Nathan perguntou.

-Tenho algumas coisas novas.-respondi.

-O quê é então?-Max disse.

-Ele tá com uma cara esquisita.

-É. Sam está grávida.

Os dois ficaram boquiabertos.

-Mas eu posso explicar.-falei.

-Então explique.-Max disse.

-Daquela vez que a gente transou, o preservativo estourou.

-Nossa cara... Você tá fodido.-Nathan falou.

-Nossa, obrigado pelo apoio.

-Nós vamos apoiar você.

-Eu sei, que vão. Mas a culpa não foi nossa.

-É... Um pouco. Pro negócio estourar a coisa tem que ser fera.

-Desculpe, se somos meio assim.

-Vocês deviam ter tomado mais cuidado.

-A gente sabe... Mas também tem um detalhe. A ideia foi da Sam.

-Ela é meio taradinha.

-Eu percebi isso.

-Mas ela é tranquila.

-É. Já fizemos o teste, e deu positivo.

-Então é certeza.

-É.

-Mas tá tudo bem. Ela aceitou bem né?

-Aceitou.

-Mas agora você vai ter que cuidar do Zayn júnior.

-Vou.

-Eu acho que não tem nenhum problema.

-É. Dinheiro não vai ser problema.

-Você vai herdar uma puta empresa do seu pai, Cara. Não fala nada.

-Mas idaí? Eu quero a Sam. Não dinheiro.

-Eu acho que você quer os dois.

-Talvez. Mas eu preciso mais da Sam.

-Mas com dinheiro você tem muitas mulheres atrás de você.

-Isso virou uma escolha entre a Sam e o Dinheiro?

-Acho que sim.

-Prefiro a Sam.

-Eu também preferiria.

-Ei, Cara. Ela já tem dono.

-Ela vai preferir você do quê o Nathan.

-Vamos parar com essa ideia?

-Vamos.

-Por quê as mulheres têm que ser perfeitas? Sedutoras... Sei lá.

-Todas são assim.

-Você não vê a Dorrie e a Mackenzie?

-Mas elas têm outros caras. Então não podemos ver.

-Na verdade eu só quero a Sam.

-Ela é mesmo bonitinha.

-Bonita e minha.

-Quanto ciúmes.

-Mas por quê elas são tão sedutoras?

-Elas querem os seus olhos só pra elas.

-Também.

-Mas mais sedutoras que as da Playboy elas não são.

-São sim.

-A sensualidade feminina não pode ser simplesmente fotografada e colocada numa revista.

-E ainda que aquelas que aparecem na revista são putas. Você não quer uma garota de verdade, Nathan?

-Elas são de verdade.

-Não são.

-São putas.

-Isso mesmo, concordo com o Max. Putas não sabem cozinhar.

-É só ensinar elas.

-Ah, cara...

-Ele não quer entender.

-É caso perdido.

-Sou nada. Quer ver que eu encontro uma garota que não é puta e não sabe cozinhar?

-Duvido.

-Eu também.

-Você quer chegar em casa cansado, depois de um longo dia de trabalho, e ver ela sentada no sofá com outros caras?

-Eu nunca me casaria com elas.

-Aham, sei.

-Acho que todos sabemos por que não casar com uma puta.

-Elas não têm dinheiro.

-E vão querer trabalhar igual antes do casamento.

-Gente, vamos mudar de assunto.

-Boa, Zayn.

-Vamos fazer um jogo. Cada um conta o melhor momento da sua vida.

-Tá.

-Começa, Max.

-Bom, acho que foi quando descobri que passei para a faculdade. Eu estava muito aflito, porque vi gente que achei que fosse melhor do que eu. Mas, eu estava errado. Eu ganhei essa.

-Certo. Nathan.

-Ah... Acho que foi quando eu conheci a Dorrie. Eu tinha uns 9 anos, e ela era toda popular, com muitas amigas atrás dela. Admito que gostei dela até ela namorar Ben Stevenson. Eu estava no pátio da escola, quando ela chegou com as amigas atrás e falou "Saia daí, queremos sentar". Aí eu pulei para o lado e elas sentaram. Dorrie no meio. Elas começaram a falar de dança, aí eu disse que também sabia dançar. Aí a Dorrie se levantou e eu dancei com ela. Desde então, ficamos amigos.

-Nossa, acho que esse ganha.

-E o seu, Zayn?

-Ahn... Já sei. Foi quando conheci a Sam. Estávamos no colegial. Eu sentava na diagonal dela. E foi bem na hora em que o professor saiu da classe, e estávamos esperando o próximo chegar, que o lápis dela caiu no chão. E quando eu fui catar, tive uma surpresa. Ela estava de shorts e eu fui me levantando e admirando as pernas dela. Eu devo ter falado baixinho um wwwwoooowwww. Ela me olhou com uma cara estranha, e eu devolvi o olhar. Entreguei o lápis não mão dela. Foi a primeira vez que toquei nela. O resto do dia fiquei observando ela, os amigos, e no final do dia... Outra surpresa. O namorado dela. Mas, acho que agora aquele filho da puta já está com outra.

-Sem dúvida.

-E quem ganhou?

-Sei lá. Vamos mais uma vez com outro momento.

-Boa. Max?

-O segundo melhor momento foi quando eu fui pra Espanha no intercâmbio. Foi a melhor viagem que eu já fiz.

-Legal. Nathan?

-Foi quando eu perdi a virginidade. Cara, que beleza.

-Tá.

-Qual foi o seu?

-Ah... Não sei. Acho que foi quando eu beijei a Sam.

-É tudo sobre a Sam!

-Ué?! Eu não posso gostar dela?

-Não, deixa ele.

-É. Me deixa.

-Cara, me deixa dar um conselho pra você.

-Vai então.

-Vai começar...

-Ahn.

-Então, você está totalmente fodido, agora. Você vai ter que fazer o pai dela gostar de você.

-Tá.

-Ele já sabe disso, Nate.

-Deixa ele contar mais.

-E seus pais têm que gostar dela.

-Tá.

-De novo...

-Max, deixa ele contar!

-Então, você já deve ter contado pra eles. Se mude da sua casa o mais rápido possível. Sei lá, vai pra algum apartamento, ou qualquer coisa. Mas saia de lá! Pega a Sam e vai pra algum lugar.

-Ela disse que comprou uma casa.

-Então vai morar com ela.

-Eu vou ver.

-É uma ótima ideia. Porque assim, você vai ficar sem os seus pais e vai poder fazer as coisas do jeito que você quiser, Cara.

-Tá.

-Ele tem razão.

-Tem.

-Eu sempre tenho razão.

Continuamos conversando e passamos um dia legal, lá na praia. Eu estava meio desanimado, mas estava louco pra voltar pra casa e ver a Sam. Eu ia chegar as duas da manhã, mas mesmo assim queria ver a Sam.

Eu acabei chegando em casa à meia noite. Abri a porta de casa e caminhei até o meu quarto. Estava arrumado, porque Lisa sempre arruma. Sentei na minha cama e fiquei pensando nas coisas que os garotos me disseram hoje.

Eles falaram coisas sobre a Sam que eu não sabia, por exemplo, ela era a garota mais desejada da escola. E também que era meio popular, e que era famosa por divertir as festas.

A Sam me diverte muito. E eu gosto muito dela. E agora ela vai ter um filho meu. Nossa, o quê eu fiz. Pelo menos ela é mulher da minha vida. E quero ficar ao lado dela pra sempre.

Fiquei lá parado, sentado na cama, por um tempão. Depois a porta se abriu e Lisa entrou.

-Oi, querido. A quanto tempo você chegou?-ela perguntou e se sentou ao meu lado.

-Há meia hora, acho.-respondi.

-Já tomou banho?

-Tomei banho antes de voltar.

-Você viu a Sam hoje?

-Não. Não deu tempo.

-Eu vi.

-Jura?

-Ela estava numa loja lá na cidade, quando encontrei ela. Conversamos um pouco. Disse que estava com saudades. Logo vi ela com as amigas em um restaurante. E depois voltei.

-Eu não sabia que ela ia pra cidade hoje.

-É, mas ela estava lá. E não estava com uma cara meio triste. Estava até um pouco feliz.

-Feliz?

-Ela vai ter um filho seu. É por causa disso. Se fosse de qualquer idiota ela ficaria triste. Mas não está porque é você. Ela te ama, Zayn.

-Então ela não está preocupada?

-Um pouco, mas está até meio felizinha, porque isso vai garantir que fiquem juntos, vai aproximar vocês. E disse que a casa que ela comprou é na verdade um apartamento na cidade.

-Ahn...

-E ainda que já estão teminando de arrumar as coisas. Disse que em um mês ela já pode ir.

-O problema é que eu quero ir com ela.

-Fale com ela.

-Vou falar.

-Aposto que ela quer ir com você também.

-Será?

-Claro que sim. Vai ser vocês e o filho.

-Espero que seja.

-Ela disse que o lugar tem três quartos, quatro banheiros, uma sala de jantar integrada com a cozinha, uma sala de TV e uma varanda no quarto master.

-Nossa. É um lugarzinho grande.

-É no Plaza Woods.-é o maior e mais luxuoso prédio da cidade.

-Está explicado.

-O pai dela tem bastante dinheiro, não é?

-É, mas eu não quero o dinheiro dela.

-E nem ela quer o seu. Mas agora, pense que você está começando a se tornar totalmente independente. Vai morar sozinho, arrumar um emprego... Vai se tornar um homenzinho.

-Por que não homenzão?

-Porque pra nós você sempre será um garotinho que gosta de jogar futebol.-ela me entende como se fosse minha mãe. Eu ri.

-Talvez.

-Sabe que quando me casei com seu Pai, ficamos preocupados com você. Você era apenas um bebêzinho, e iria passar sua vida com a gente. Ficamos preocupados se aquilo iria dar certo.

-Não precisavam.

-Queríamos o melhor possível. Tentávamos esconder ao máximo, mas você soube e aceitou bem.

-Claro que sim.

-Você sabia que a madrasta má das historinhas eram de mentira.

-É.

-E você me chamava de boadrasta em vez de madrasta.

-Ás vezes.

-Lembro de cada momento engraçado... Lembra daquela vez que nós fomos na praia com um casal de amigos e o filho deles? E que a gente não conseguia achar o hotel? Foi um caos, mas no final achamos.

-Esse dia foi o ponto máximo. O meu pai estava muito estressado. Mas ele fica nervoso muito fácil. É normal. Já estamos acostumados.

-Mas ele é muito amável.

-É.

-Agora, vá se trocar e dormir. Melhor você descansar e acordar bem amanhã.

-Ótima ideia. Boa noite.

-Boa noite.

Ela me deu um abraço e depois saiu. Fiz o que ela falou. Fui me trocar e dormi. Adormeci rápido, pensando na Sam, e no nosso futuro filho. Ah, Senhor. Vão ser longos nove meses.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...