Pontes indestrutíveis.

'' Eu pensava que ele era o amor da minha vida, mas ai veio você com os olhos claros a boca rosada, e o seu olhar perante a mim, ai veio o primeiro beijo, a forma de amor, o eu te amo , e a cama, as decepções e por fim o '' Nós Dois '' eu não sei , mas você é totalmente diferente de mim, o diferente que me completa por inteiro, é bem difícil eu me controlar perto de você, então por favor só prometa que vai ficar pra sempre perto de mim, mesmo quando a pior coisa acontecer ''

12Likes
2Comentários
810Views
AA

5. Eyes, mouths, his voice attracts me...

Eu me lembro perfeitamente que estava dormindo no sofá na noite anterior ,  e acordei na cama, me levantei bocejei e escovei meus dentes jogando uma água fresca no meu rosto , tomaria banho assim que eu come-se , arrumei a pequena bagunça da minha cama e desci as escadas, o Arthur dormia no sofá e o Pedro assistia televisão.

- Bom dia. - Falei e ele sorriu se levantando e me dando um beijo estalado na bochecha.

- Fiz pão na chapa. - Falou e eu assenti, fui até a cozinha me sentei e comi o pão estava deliciosamente delicioso! Tomei um suco como conjunto e lavei o resto, até que esses dias ele estava sendo legal me surpreendeu bastante, me joguei no sofá e coloquei no desenho. - Ei tá tendo final de futebol , muda de canal. - Ele disse pra pegar o controle da minha mão , puxei o mesmo e ele ficou me encarando se levantou e foi pegar o controle, fiquei de pé no sofá e o Arthur se movia algumas vezes por causa do barulho, mas se limitava a acordar.

- Não, eu quero ver bob esponja cara. - Falei ainda em pé no sofá levantando meus braços pequenos ao máximo que eu podia.

- Que bob esponja, deixa de ser bebê, eu quero assistir futebol. - Ele disse e subiu em cima do sofá , ele era completamente mais alto que eu, pegou o controle sem nem ficar na ponta do , ele desceu e eu não pensei duas vezes pulei nas costas dele, e ele se assustou mas manteve a posse , coloquei minhas mãos para frente tentando pegar o controle e ele ria e esticava a mão para frente.

- Bosta, não muda de canal! . - Gritei fazendo o Arthur abrir os olhos e nos olhar.

- O que está acontecendo aqui? . - Ele disse pasmo e eu me coloquei no chão e encarei o Pedro, ele ainda estava com o controle na mão e tinha acabado de mudar de canal para ver o jogo de futebol estúpido, um bando de homem correndo atrás de uma bola idiota para fazer um gol.

- Ele não quer me deixar ver meu desenho, eu vejo toda manha ué, depois ele vê essa bosta de futebol. - Falei tentando puxar de novo o controle , tentativa negada, ele desviou e olhou o Arthur, que olhou para a televisão e eu mordi os lábios para que ele trocasse de canal.

- Ta louco! Hoje é a final? Senta ai pra gente ver. - Arthur disse me ignorando, dei um grito fino e o Pedro debochou da minha cara , dei um tapa forte deixando-lhe a marca dos meus dedos em sua pele forte, Arthur me olhou e eu virei o rosto, subi as escadas, e liguei a televisão do quarto mesmo a televisão do quarto não ser tão grande como a da sala dava para ver o meu bob esponja pela manha, me deitei na cama e fiquei vendo até terminar e começar o jornal, desliguei a televisão e tomei um banho , desempacotei minha mochila que era branca e umas borboletas rosas ,azuis, pretas, roxas, amarelas, vermelhas pela mochila, ela era grande caberia todos meus materiais por lá, tinha um pingente  do lado dela pendurado junto ao zíper era fofo porém eu arranquei por que estava muito criança, isso não é legal para uma pessoa que acabou de fazer 17 anos e está completando o terceiro colegial,  deixei a mochila separada ao canto e vesti meu chinelo, o shorts que eu estava usando era curto porém foi o que minha mãe comprou mesmo meu pai não gostando do shorts e falando que era péssimo para meu corpo, eu até gostei dele, ele não era apertado e eu fiquei aliviada com isso, vestia uma blusa que realçava meus seios eu não me importava com isso, mas acho que para andar na rua não é o melhor traje, mas estamos no Brasil hello! Me levantei e como a minha escola eu poderia ir com a roupa que eu quisesse eu separei uma calça rasgada e um vans - que minha mãe disse que era muito famoso  - da cor azul claro , uma blusa branca e que agarrava um pouco na minha barriga, a qual eu não tinha, mas gostei dela por que meus peitos não ficavam tão amostra assim, era bem fresquinha também , coloquei separada e desci, já poderia encarar o Pedro agora , depois da cena patética do ''Quero ver futebol'' , eles estavam com duas garotas na sala, uma sentada ao lado do Arthur, e outra ao lado de Pedro que sorriu falsamente ao meu ver, depositando um selinho em Pedro , eu virei o rosto e o Arthur me olhava.

- Ahn, essa daqui é minha irmã , Maria. - Arthur disse e elas me deram um tchauzinho.

- Não forcem simpatia, não costumo ser amiga de putas. - Me atrevi a falar e uma delas me fuzilou no olhar e a outra apenas joguei as pernas por cima do Pedro e fez ele pegar na perna da mesma, ele não deteve ela.

- Maria.. Não seja grossa com nossas convidadas. - Pedro disse me encarando e dando uma piscada, coloquei um chinelo e deixei meu cabelo jogado para os lados, passei pelos dois e dei um suspiro longo abrindo a grande porta da sala.

- Vai pra onde Maria?. - Perguntou Arthur preocupado.

- Não muito longe. - O tranquilizei e fechei a porta, na verdade eu nem sabia pra onde ir , eu só queria sair daquele casa, por que infelizmente aquele Pedro me fazia querer beijar ele, e mesmo eu amando o Diego, olhos, bocas e a sua voz me atraia de um modo que me fez querer entender que era só uma queda pelo amigo do meu irmão , é só uma fase por que estou longe do Diego, decidi ligar para o mesmo já que ontem ele disse que iria me ligar e não cumpriu sua promessa.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...