Pontes indestrutíveis.

'' Eu pensava que ele era o amor da minha vida, mas ai veio você com os olhos claros a boca rosada, e o seu olhar perante a mim, ai veio o primeiro beijo, a forma de amor, o eu te amo , e a cama, as decepções e por fim o '' Nós Dois '' eu não sei , mas você é totalmente diferente de mim, o diferente que me completa por inteiro, é bem difícil eu me controlar perto de você, então por favor só prometa que vai ficar pra sempre perto de mim, mesmo quando a pior coisa acontecer ''

12Likes
2Comentários
822Views
AA

14. Dias se passaram...

***DIAS PASSARAM***

Sexta-feira , na verdade não sei o real amor que as pessoas sentem pela sexta-feira, por que até então ela é só mais uma ''segunda'' dá semana, que prolonga o feriado que vem pela terça-feira por aqui, meus pais chegam terça-feira dando um ''alô'' mais lido como ''sermão da vida'' ou conversar sobre sexo, e mais algumas coisas desinteressantes. Meu plano de esquecer o Diego está dando certo, Arthur tem me ajudado muito com a tática e não me pergunte qual a tática as vezes alguns choros de ódio fazem prática dessa tática, Arthur está cada vez mais ligado ao trabalho o que me deixa preocupada por que ele não tem tempo para ele, sábado e domingo ele terá uma folga por que agora que ele subiu o cargo na empresa está trabalhando feito um escravo, e eu trabalhando vidrada na escola! Virei muito amiga de Uriel e Giulia, agora Tyler realmente não é uma flor que se cheire ela fala que ''eu vou roubar os amigos dela'' e eu não tenho nem vontade de fazer isso, sempre tento puxar assunto com ela mas ela dá alguns cortes em mim falando que eu só faço isso para tentar ser uma santa, ela me irrita quando quer mas a minha paciência é bem capaz de aturar isso. Chegamos no assunto que é mais complicado e mais difícil de explicar, Pedro! Era isso que vocês queriam que eu falasse né? Para começo de conversa eu não tenho nada com o Pedro e mesmo que role uma química da parte DELE eu evito , evito de todas as formas prolongar algum sentimento mesmo eu achando que estou me entregando, ele é um amor comigo o que faz Arthur xingar ele até não poder mais, Arthur está tendo uma troca de olhares com a Giulia sim minha amiga e Pedro faz questão de importunar ele com isso o que faz ele dizer que ''se você chegar perto da Maria outra vez eu corto seu pau fora'' e isso nunca acontece.. já tive até umas suspeitas que Arthur tenha ciúmes do Pedro nada confirmado ainda, Pedro vai todos dias buscar eu na escola , me liga quando eu saio com o Uriel e morre de ciúmes mesmo não querendo afirmar isso , é simples o fato de quando ele começa a fechar as mãos em punhos e começa a piscar com mais frequência e mexe os pés inquietamente.. ó estou reparando demais do Pedro? Droga, Droga!

- Bora gnoma, ainda não se arrumou não?. - Pedro perguntou entrando no meu quarto, felizmente eu já estava vestida com meu biquíni, sim eu iria na praia com ele!

- É muito longe?.. - Perguntei já pensando no cansaço das minhas pernas, ultimamente ando muito sedentária.

- Vamos de carro gnoma. - Disse adentrando no carro, peguei minhas últimas coisas e dei para ele que resmungou algo inaudível e saímos andando, ainda era de tarde o que me deu a questão de saber se Arthur sabia dessa nossa saída até a praia, deduzi que não pois se não Arthur proibiria totalmente. - No que está pensando?. - Perguntou enquanto ligava o carro, eu ri da curiosidade baixo.

- Arthur sabe que vamos?. - Perguntou mexendo meus dedos no chinelo.

- Obviamente que não, se ele soubesse não deixaria jamais. - Falou e riu ligando o rádio, não demorou apenas 30 minutos para chegarmos em uma praia, imaginava praias lotadas e impossibilitada de ouvir o som do mar, mas essa não, era totalmente vazia o som da água batendo nas pedras do outro lado era totalmente audível o ar passeava tranquilamente por ali sem prédios para impedir o vento de uma mistura de quente com gelado da maré, saímos do carro e eu olhei em volta não tinha uma alma penada por ali! E o cheiro do mar exalava, não que aquilo fosse totalmente horrível mas era algo.. diferente.

- Ué, imaginava praias mais vivas, com mais gente e mais muvuca. - Falei e ele riu baixo me segurando pelas mãos e carregando a prancha mal usada nas outras e me puxando assim que terminou de trancar o carro.

- Queria um lugar calmo.... só pra mim e você. - Ele disse as últimas frases com mais tonalidade e eu estremeci com a voz rouca ou sexy não sei explicar que ele fez, andei tranquilamente pela areia e sentia afofar a cada passo que dávamos , tirei meus chinelos me acostumando aos poucos com a areia quente que agora começava a esfriar, ele colocou a prancha na areia e eu estendi uma canga por ali, esperei ele tirar sua blusa para mim me despir da minha roupa, confesso ele tem um.. um.. corpo excelente! Será que ele malha? Ele se sentou ao meu lado e eu retirei minha blusa e meu shorts em seguida deixando de lado, é ele estava reparando no meu corpo e eu senti minhas bochechas avermelharem e ele sorrir indiscretamente e agora se virar para mim fazendo uma perna de índio e me virar com facilidade ainda com a perna esticada, ficamos conversando por longos tempos e as perguntas do tipo ''Qual sua música preferida? '' ''Qual sua cor preferida?'' ''Qual seu animal preferido?'' ''Qual foi o pior beijo da sua vida'' e assim foi , descobri que ele tem uma leve tara por morenas.. é acho que isso explica tudo, e que ele também já beijou a irmã dele na verdade o primeiro beijo foi com ela, eu fiquei meio abismada e ao mesmo tempo com nojo, nunca beijaria o Arthur, perguntas se formaram na minha cabeça e acabei soltando uma.

- Por que eu? . - Perguntei de repente e ele me olhou agora não entendendo.

- Você o que pequena?.  - Perguntou e eu sorri do apelido, era algum jeito dele demonstrar que estava tentando ser fofo, na maioria das vezes ele me chama de Gnoma ou Pirralha.

- Por que escolheu eu? Para dar essa atenção, para se preocupar... para enfrentar o Arthur? E pra largar particularmente a vida de cafajeste?. - Perguntei e ele balançou as mãos na areia.

- Não tenho uma resposta certa mas acho que vou conseguir explicar em poucas palavras, talvez você não acredite mas eu me cansei e me cansei totalmente dessa vida de pegar todas, pegar todas e não saber nem o nome delas não vou dizer que eu não gostei de dar uns beijos ou até mais.. mas eu cansei, e tudo que eu quero eu achei em você e você nem eu pode desarmar o fato de que rola uma química, rola uma química grande que nenhum dos dois quer admitir, quando eu começar a trabalhar meu sonho é chegar em casa e ter uma baixinha esperando por mim, receber beijos apaixonados é o que eu mais quero cara, e olha to um puto falando isso , mas eu te escolhi por que eu vi em você tudo que eu não tenho em mim. - Ele disse e por um momento a realidade fluiu para longe e eu me vi apenas perdida naquelas galáxias azuis, naquela boca rosada e realmente era mais forte que eu a vontade de beijar ele , e quando eu ia me aproximar a realidade me deu um tapa fortemente na cara e eu olhei ele que me olhava esperando alguma reação, vi suas mãos se mexerem em forma irregular e eu sorri disso o abracei fortemente e ele fungou meu pescoço , me lembrei dos meu creme de morango para hematomas e para hidratar a pele.

- Eu poderia dizer alguma coisa fofa, mas não sou tão boa para isso.. .- Falei assim que soltei ele e ele soltou um riso abafado.

- Ei , que perfume você passa?. - Perguntou e eu o olhei com a sobrancelha arqueada e a boca meio torta e sendo mordida.

- Não passo perfume.. - Falei rindo envergonhada.

- Ahn? E esse cheiro perfeitamente.. é esse cheiro?. - Falou reencontrando o rumo da frase e eu sorri baixo e olhei para ele.

- Creme de Morango, para hematomas e hidratar, como eu sou muito branca qualquer coisa já me deixa meio amarga. - Falei e ele fez uma cara desigual e me puxou para ir para a água, já disse que tenho um pequeno pavor de água?  Mas não me deixei levar, ele me prometeu que me seguraria e eu relaxei.. relaxei até a primeira onda chegar, depois me coloquei em cima da prancha e não sai mais, fechava meus olhos assim que via alguma onda se aproximar, o resto da tarde foi assim e quando chegamos em casa o Arthur estava lá todo jogado no sofá com a gravata pela metade a blusa jogada no canto da sala e ele todo esparramado pelo sofá, eu ri disso e Pedro me encaminhou pela cintura até o banheiro e saindo de lá em seguida , tomei meu banho e logo me joguei na cama , estava exausta.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...