Pontes indestrutíveis.

'' Eu pensava que ele era o amor da minha vida, mas ai veio você com os olhos claros a boca rosada, e o seu olhar perante a mim, ai veio o primeiro beijo, a forma de amor, o eu te amo , e a cama, as decepções e por fim o '' Nós Dois '' eu não sei , mas você é totalmente diferente de mim, o diferente que me completa por inteiro, é bem difícil eu me controlar perto de você, então por favor só prometa que vai ficar pra sempre perto de mim, mesmo quando a pior coisa acontecer ''

12Likes
2Comentários
806Views
AA

12. Ciúmes.

- QUE PORRA É ESSA?. - Arthur entrou gritando no quarto e eu me desfiz da mão de Pedro que cobria meus quadris, me levantei em um pulo e Pedro fez o mesmo , pelo menos ele estava vestido com algo. - PEDRO EU VOU TE MATAR. - Gritou Arthur exalando fúria nos olhos e indo para cima de Pedro eu caminhei rapidamente para sua frente e o segurei pela cintura fazendo a maior força - que no estado que ele estava eu parecia apenas uma formiga - eu o olhei e ele ainda encarava Pedro. 

- Qual é cara? Ela só dormiu comigo por que estava com medo nem encostei na gnoma. - Ele disse e Arthur conseguiu relaxar soltando seu ar e tirando minhas mãos da cintura dele. 

- Podia ter dormido comigo. - Ele disse sem gritar e agora me olhando com um olhar de medo, de raiva e da super vontade de me proteger até do chão errado que eu piso. 

- Eu fui.. Mas a porta estava trancada o corredor escuro, então vim pro quarto do Pedro. - Falei e agora olhei para Pedro que ainda estava sonolento e me olhando de uma forma carinhosa, Arthur nos encarou e logo depois deu as costas me trazendo junto com ele, e me colocando contra a parede. 

- Ele vai te machucar de uma forma que você sendo fraca como é não vai suportar.. Não cai nessa furada!. - Falou em um tom implorando e eu respirei fundo e o abracei escondendo meu rosto em seu pescoço. 

- Não estou em furada nenhuma, Pedro é um bom amigo. - Falei e ele sorriu tristemente e Pedro apareceu agora com um olhar baixo, é.. eu completaria que ele estava escutando a conversa, e mesmo Arthur e ele serem grandes amigos, Arthur quer proteger a pirralha dele mas infelizmente eu estou mais exposta ao mundo do que ele, vai ser dolorido como tudo é, mas eu passo por cima e sigo em frente, por maior que a dor seja a vitória será maior ainda. 

- Arthur, não ousaria magoar ela, gnoma é sua irmã porra, eu saberia que cortaria o que eu tenho de mais precioso se eu vacilasse com ela. - Ele disse , pelo que eu entendi ele estava afim.. De mim? Que coisa.. Que coisa.. Nossa cala a boca, o que eu menos quero é meu apaixonar por um Deus grego desses. 

- Tamo junto brother, se magoar ela magoou sua cara!. - Ele disse e eles deram um toque com socos e batidas tão insensíveis, deixei eles conversando e vi que tinha perdido o horário da escola, merda merda merda! Ótimo jeito de começar o ano, me joguei na cama e fiquei fitando o teto e meus olhos lacrimejaram ao lembrar da minha mãe e do meu pai, sentia tanta falta.. Peguei meu celular e sabia que mamãe estaria acordada a essa hora, disquei o número da mesma e em 4 "pipipipi" ela atendeu. 

' Ligação ' 

- Maria? Ah meu Deus que saudades!. - Ela dizia em inglês e eu até tinha esquecido de como era falar assim. 

- Oi mamãe, estou morrendo de saudades também, como está por ai?. - Perguntei cruzando minhas pernas curiosa com as notícias, onde morávamos era um bairro pequeno o que deixava o velho ditado bem falado pela região "notícia ruim corre rápido". 

- Ah filha mesma coisa de sempre, estamos pensando em ir para o Rio no feriado de agora. - Ela disse e eu sorri aberto.

- Que legal! . - Falei animada com a ideia. - Arthur vai adorar saber. - Completei e ela riu baixo quase em um sussurro. 

- Podemos pagar a viajem do Diego se quiser. - Ela disse, meu coração rachou e senti pequenas gotas de sangue pular para fora dele, respirei fundo para não soltar lágrimas teimosas que queriam sair, chorar estava fora dos planos a partir de agora tenho que fazer uma lista de planos que eu tenho para completar. - Filha?. - Me chamou e eu percebi que a linha estava muda.

- Nós.. Terminamos. - Falei e pude ouvir o "o" de chocada dela. 

- A filha eu lamento.. Queria tanto te abraçar agora, meu amor eu vou desligar para fazer o café de seu pai,eu te amo. - Ela disse em uma voz lamentadora e com piedade. 

- Mande beijo para o papai amo vocês. - Falei e desligamos. 

Caminhei pelo quarto e fiquei vendo que quando não ia para escola ficava imperativa, saí do quarto e lavei meu rosto amassado, desci e procurei algo na cozinha, Arthur de fato já tinha ido trabalhar Pedro estava vendo algo desinteressante na televisão e logo depois ficou arrumando a sala o que eu achei um milagre ver um homem arrumando a casa ri com o pensamento e ele continuou a fazer o que fazia sem se intimidar como ali, subi e me joguei na cama, já que não fui para a escola vou hibernar.  

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...