A vida é imprevisível

Jade é uma menina normal. Pelo menos era. Agora, teve sua vida completamente mudada por um rapaz que vai acabar sendo mais que sua paixão de adolescente. Com 16 anos, tudo pode acontecer. Espero que goste.

2Likes
0Comentários
262Views
AA

3. O tempo passou

Jade on

Os nove meses de gravidez se passaram normalmente. Tive o filho (que é menino), que se chama Ben, e atualmente está com nove anos. Eu e Zayn estamos com 25, os dois. Ainda estamos juntos e estamos morando na grande casa de hóspedes no terreno dos Malik. Ainda não contamos pro Ben que ele é fruto de um amor adolescente. Vai ser difícil, mas vamos ter que contar.

Ben está jogando basquete na quadra. Enquanto eu estou sentada no quiosque assistindo o "jogo". Zayn está usando uma camiseta de rock, um shorts e um boné aba reta. Eu estou usando um shorts jeans curto e uma blusa de alçinhas. Está calor. Muito.

Zayn on

Ben, o meu filho está jogando basquete na quadra, quando Ben para pra perguntar:

-Mamãe, porque você tem cara de adolescente? As mães dos meus colegas na minha classe não têm.

Ainda não contamos pra ele sobre a gravidez na adolescência da Jade. Ele não sabe que somos muuuiiiitooo mais novos que os pais dos colegas de classe dele.

-Ah, filho. Eu sou mais nova que elas.- ela responde.

-E quantos anos você tem?-ele pergunta.

-25.

-Só isso?

-Como só?! Você está aqui não está?- ela falou, brincando. Ele vem pra Jade e ela pega ele no colo.

-Está na hora de descansar, né?-falou Jade.

-É, Ben. Vamos ir pra casa.-falei.

Ele foi quieto até a nossa casa, saltitando o caminho. Eu e Jade fomos de mãos dadas. Mas nossa relação estava caíndo. Eu não queria terminar com ela de jeito nenhum. Ela estava muito cansada desde que Ben nasceu. Primeiro estava preocupada com Ben, depois com a escola do Ben e por último nossa casa própria. Só agora a poeira abaixou e vamos poder voltar a ser como antes.

Será que ela está com disposição pra uma noite quente? Tomara. Porque essa noite, Ben vai dormir na casa da minha Mãe. Agora é sempre com preservativo, temos um pequeno trauma com diversão sem preservativo.

Jade on

Estou cansada. À tarde, vou dormir. Com certeza. Zayn vai cuidar do Ben pra mim. Ou vai dormir comigo e Ben fica jogando videogame.

Passamos a manhã normal, almoçamos e depois tomei um banho e fui dormir. Zayn resolveu deixar Ben jogando joguinho e fomos dormir.

Coloquei uma calçinha e um sutiã, liguei o ar condicionado, fechei a porta e fui deitar.

Depois de uns cinco minutos, a porta se abriu e Zayn veio e tomou um banho. Ele se deitou também, mas só de camiseta. Sem calça e sem cueca. Ok, não era muito normal, mas tudo bem.

Não temos momentos íntimos há um mês. Acho que era isso que ele queria.

Ficamos deitados uns 20 minutos. Eu dormindo, quando Ben, grita:

-Mããããeeeee!

Zayn fica nervoso, sai do quarto e grita de volta:

-Que que é, PORRA?!

-Eu to ouvindo um barulho lá embaixo. Você devia ir lá ver.-Ben fala, tímido. Ele ficou tímido porque nunca tinha visto nenhum adulto praticamente nu. Agora ele deve ter ficado meio frustrado ou constrangido.

-Não tem barulho nenhum. Vai descançar.-Zayn falou.

Voltou pra cama comigo.

-Zayn, querido, você não precisa ficar bravo com ele. Ele é uma criança. Só ficou preocupado.-falei.

-Eu sei, Amor, mas eu quero ficar em paz com você.-respondeu.-Hoje a noite ele vai dormir na casa da minha mãe.

-Jura?Por quê? É um sábado qualquer. Sem nada.

-Pra podermos ficar juntos, namorar...

-Tá, então.

-Você quer?

-Quero.

Voltamos a dormir. Acordei bem depois, e Zayn já havia levado Ben pra casa da avó dele. Zayn estava me cutucando pra acordar.

-Amor. Hora de acordar.-falou.

Eu sorri.

-Então vou ter que te tirar daí.-ele disse e puxou minhas pernas pra fora.

Eu comecei a rir. Ele também. Eu levantei sozinha e arrumei meu cabelo.

-E aí? Dormiu bem?-perguntou.

-Sim.-respondi.-E você?

-Ben ficou me chamando o tempo inteiro. E tive que ir lá ficar com ele.

-Ah. Mas ele é criança, você sabe.

-Mas eu só quero ficar com você... Parece que ele não quer deixar a gente namorar.

-Talvez ele tenha ciúmes.

-Você acha?

-Talvez.

-Todos sabemos que ele gosta mais de você do que de mim.

-Não. Ele ama nós dois.

-Mas ama mais você.

-Não. Ama os dois igual.

-Tá, mas parece que ele não quer me deixar ficar com você.

-Não... Tá tudo bem.

-Mas hoje, vamos fazer uma coisa especial.

-O quê?

-Não posso falar. Espere e veja.

-Tá.

-Mas o quê a gente faz com o Ben? Temos que nos beijar na frente dele? Pra ele ver que você é minha também?

Eu ri.

-É. Talvez funcione.-falei, rindo.

-Quando ele chegar eu vou te pegar na frente dele. Já tá na hora.-ele respondeu, brincando.

Eu ri mais uma vez.

Passamos o restinho da tarde juntos. Conversando, namorando, brincando... Coisas de apaixonados.

Na hora de dormir, tomei um banho e fiquei só de calçinha e sutiã. Saí do banheiro e entrei no quarto. Vi que Zayn estava só de cueca também.

Ele veio até mim e nos beijamos. O beijo esquentou. Me levou para a cama e me jogou nela. Tirei a calçinha e ele a cueca. Pegou um preservativo e colocou.

Zayn veio de novo em cima de mim e penetrou bem rápido, o quê fez com que eu gemesse. Fazia movimentos rápidos. Estávamos num beijo quente, amoroso. Depois ele tirou meu sutiã e começou a dar beijos no meu corpo inteiro, nos meus seios, nas minhas costelas, na minha barriga, até chegar nas minhas intimidades, onde ele lambeu e chupou.

Logo quem começou a controlar fui eu. Fiz ele virar, subi em cima dele e sentei bem em cima de seu membro. Fiz a "cavalgada". Quando eu não estava aguentando mais aquilo tudo dentro de mim, saí de cima e chupei ele.

Depois voltamos na mesma posição do começo e fomos perdendo a força, até que chegamos ao ápice. Caímos na cama exaustos.

-Jade, você é maluca. É muito forte. Cara, relaxa um pouco.-Zayn falou.

-Eu sei, desculpe.-falei. Eu sei que sou selvagem.

-Não. Só to falando pra você dar uma relaxada. Toma um banho de banheira, e nem precisa colocar roupa depois. Bebe uma água.

-Eu sei que sou meio fora de mim no sexo.

-É muito.

Eu sabia disso.

-Vou tomar um banho, colocar uma roupa confortável... Fazer o quê você falou.-eu disse.

-Isso. Vai lá.-ele respondeu. Ele estava morto de cansaço. Mais que eu. Estava bufando. Coitado. Eu peço sempre mil desculpas por deixar ele daquele jeito.

-E você, vai tomar um banho no banheiro do Ben. Pode ir descançar.-mandei.

-Tá.

Cada um foi pra um canto. Eu tomei meu banho, bebi uma água. Fui relaxar. Assim que eu sentei no sofá pra assistir alguma coisa, Zayn me chama lá do quarto do Ben.

Fui até lá.

-Zayn, você me chamou?-perguntei.

-Sim, amor. Olha isso.-ele falou e me entregou um papel meio amassado.

No papel estava escrito um monte de perguntas, como "por que o papai não gosta de mim?", "por que mamãe me deixa de lado pra ficar com o papai?", "o que são os barulhos que eu ouço do quarto do papai e da mamãe?", "será que eles me querem mesmo aqui?", "por que o papai e a mamãe não querem ficar comigo?" e "será que eles me amam?". Eu fiquei chocada. Olhei pro Zayn. Ele também estava chocado.

-E achei mais papéis como esse.-ele falou e me entregou uns 4 papéis.

Em um deles tinha um desenho de todos nós juntos escrito eu te amo. Em outro tinha um desenho de uma carinha triste, e em outro um desenho em que eu estava beijando Zayn e Ben estava do lado com uma carinha triste. E no último Zayn estava me beijando e colocando as mãos na minha bunda e Ben abraçando a minha perna.

-Zayn... Temos um problema.-falei.

-É. Podemos falar com a minha mãe.-ele disse. A Mãe dele era psicóloga e talvez pudesse nos ajudar.

-Zayn, isso é muito sério!Ele acha que não gostamos dele!

-Não, Jade. Ele acha que EU não gosto dele. Ele acha que EU estou levando VOCÊ a não gostar dele. Sabemos que ele gosta mais de você do quê de mim.

-Zayn, o quê vamos fazer? Amor, precisamos fazer alguma coisa.

-Eu sei, Amor. Ele tá certo, nossa relação precisa de um up. Ele precisa de mais amor paterno e materno.

-Amor... Eu não sei o quê vamos fazer.

-Vamos falar com a minha mãe. Mas amanhã. Agora é tarde.

Eu abracei ele. Levamos os papéis para o nosso quarto e deitamos na cama.

-Amor, estou com medo. Não quero que ele seja infeliz! Ele sabe que somos jovens. Mas não sabe que nós tivemos ele na adolescência.-falei.

-E se a gente contar? Tipo, amanhã a tarde, quando ele voltar, vamos conversar. Eu e ele vamos conversar. Depois, vamos conversar todos juntos. Não se preocupe.-Zayn respondeu.-Agora dorme um pouco.

-Tá, Zayn.

Zayn apagou a luz e disse que ia ficar um pouco mais acordado. Ele saiu do quarto e me deixou sozinha.

Depois de uma hora, ouvi uns barulhos no andar de baixo e desci.

Peguei Zayn procurando uma bebida alcoólica. Ele olhou pra mim com cara de quem estava triste. Eu sei que ele só bebe quando está triste.

-Amor, larga isso.-mandei. Ele largou.-Você já tomou alguma coisa agora?

Ele fez que não com a cabeça.

-Eu sei que você está abalado. Mas pare com isso.-mandei. Ele nunca bebe. E vai beber hoje? Não.

-Eu sei. Você sabe que eu não bebo.-ele falou.

-Sim. Mas agora você vai dormir.

-Agora?!

-É. Espera aí.

Ele se sentou numa das cadeirinhas do balcão da cozinha. Eu comecei a fazer uma água com açúcar pra ele.

-Querida, eu tenho um comportamento abusivo com você?-ele perguntou.

-Não. De jeito nenhum. De onde você tirou isso?

-Vai ver o Ben acha que eu tenho um comportamento abusivo com você. Talvez ele ache que eu bata em você, ou que eu faço alguma coisa que faça você se sentir mal.

-Você está maluco.

-Não, não estou. Quando a gente tem nossos momentos, você gosta?

-Claro.

-Fale a verdade.

-Eu gosto. Essa é a verdade.

-É disso que eu tenho medo. De acabar tendo que agir mal com você. Você sabe que passamos por uma situação difícil juntos. Eu não quero fazer você se sentir mal.

-Você não faz eu me sentir mal. Pare com isso. Você acha que estou aqui por quê me sinto obrigada? Não. De jeito nenhum. Eu amo você e quero passar minha vida com você.

-Mas eu sou um homem. Você se sente bem perto de mim?

-Sim. Me sinto ótima. Se eu pudesse, passava o tempo inteirinho com você. Zayn, eu te amo.

-Mas e o Ben?! O Ben, não se sente bem perto de mim. Ele não gosta de mim. Perto de você, ele diz que me ama, mas na verdade...

-Zayn. Ele te ama sim. A gente vai resolver isso. Amor, a gente vai fazer alguma coisa. Somos uma família. Todos nos amamos.

-Eu não sei...

-Sabe sim. Ben te ama, eu te amo. Todos nos amamos.

Fui até ele e o abracei. Ele estava mesmo triste. Nem estava falando muito.

-Eu te amo.-ele falou.

-Eu também te amo.-respondi.-Bebe essa água com açúcar.

Ele me soltou e bebeu a água com açúcar. Achei que ele fosse chorar.

-Calma, Zayn.-falei.-Tudo vai ficar bem.

-Espero que sim.-ele respondeu.

Abracei ele de novo. Dessa vez, beijei ele. E vi que ele não tinha mentido pra mim, porque não estava com gosto de ácool.

-Muito bem. Agora, relaxe. Se acalma.-falei.

-Eu estou bem.-ele disse.

-Não está não, Zayn.

-Sabe de uma coisa? A culpa de tudo isso é minha. Não estaríamos tendo esse turbilhão de problemas se a culpa não fosse minha.

-A culpa não é sua. Zayn, pare com isso.

-Não, Jade. A culpa É minha.

-Pare com isso. A culpa não é de ninguém. Aconteceu. Simplesmente aconteceu.

-Tudo bem então. A culpa não é de ninguém então.

-Isso. Agora tenho que fazer você acreditar que eu realmente te amo e não estou aqui por causa do Ben e que não me sinto obrigada a amar você.

-Ah, tá.

-Amor, você quer se divertir?Quer, não quer?

-Quero.

Tirei a minha blusa e deixei meu sutiã à mostra. Também tirei meu shorts e sentei no colo de Zayn. Passei as mãos pelo pescoço dele e tirei a camiseta dele. Ficamos só de roupas íntimas.

Passei as mãos pelo pescoço dele e o beijei. Quando paramos pra respirar, ele falou:

-Adoro esse tipo de diversão.

-Adora, né?

Ele não passou as mãos no meu corpo, não me lambeu, não me beijou, não fez nada além do que eu deixei. Ele estava se limitando. Não gostei disso. Ele não queria ter o quê ele chamava de "comportamento abusivo". Ah, não. Não gostei nada disso. E estava se limitando muito, porque antes ele não perderia a oportunidade de se aproveitar de mim. Não posso falar nada, porque eu gosto disso.

Coloquei minha roupa de volta e Zayn a dele. Peguei um refrigerante pra cada um.

-Eu quero saber de onde é que você tirou que tem um "comportamento abusivo".-falei.

-Tá. É que assisti um programa em que o cara meio que obriga a mulher a gostar dele, a fazer sexo com ele, a criar os filhos... E acabei me associando a esse cara.-ele falou.

-Você acha que é assim?Eu não acho. Você não abusa de ninguém. Você sabe disso. E não quero que você se sinta desse jeito. Entendeu?-falei.

-Tá. Mas eu sei que você não acha isso. Mas e o Ben? Ele acha. Ele acha que só pelo fato da gente namorar, eu abuso de você.

-Não acha.

-Acha sim, Amor. Ele deve achar que eu fico pegando você só pra me aproveitar.

-Querido, se ele achasse, já teria falado comigo.

-Não teria não.

-Eu vou falar com ele.

-Todos vamos.

-Temos que achar um jeito de envolver só a nossa família nisso.

-Isso mesmo.

Ficamos conversando e acabamos indo dormir ás 4 da manhã.

Zayn ficou um pouco melhor depois da nossa conversa. Espero que melhore mesmo. Não quero ver ele cair.

Zayn on

Tive um dia pesado. Fiquei abalado depois de ver aqueles papéis que achei no quarto do Ben. Fico triste de saber que ele pensa aquilo de mim. Afinal, nós devíamos mesmo ter uma relação melhor. Eu sou pai dele. Já percebemos que ele acha estranho que somos novos. E fez as contas pra saber com quantos anos a Jade tinha quando ele nasceu.

Bom, depois da noite em que tive A Conversa com a Jade, dormi um pouco melhor. Dei graças a Deus que ela não me deixou beber. Eu não queria. Eu não podia.

De manhã, acordamos umas 9 horas. Levantei da cama e nem tirei o pijama. Jade levantou depois de mim.

Ela estava usando um shorts e uma blusa de alçinhas. Estava calor. Minha mãe vinha trazer o Ben às 10.

Ficamos conversando e nos arrumando até as 10.

Logo, minha mãe tocou a campainha com Ben. Jade foi atender. Ben entrou correndo em casa e passou por mim sem nem sequer falar um oi. Entrou no quarto correndo e trancou a porta. Jade voltou pra dentro e falou que ía visitar uma amiga. E que só voltaria ao 12:30. Acho que daria tempo de falar com o Ben.

Tomei coragem e bati na porta do quarto dele.

-Ben.-chamei.

Ele demorou um pouco pra responder.

-Oi Pai.-ele respondeu.

Me sentei no chão. Percebi que ele também tinha sentado no chão, só que do outro lado da porta.

-Olha, Ben. Eu tenho muitas coisas pra falar pra você.-falei.

-Fala então.-ele mandou.

-Filho, me fala por que nossa relação é assim.

-Sei lá. Talvez porque a Mamãe me teve quando tinha 16 anos.

-Não, filho. Eu quero estar presente na sua vida. Eu sou seu pai e preciso passar mais tempo com você, ajudar você. Do jeito que isso está, não dá mais.

-A culpa não é minha, pai.

-Nem minha.

-Então é de quem?

-Não é de ninguém. Simplesmente aconteceu.

-Tá, então.

-Me diz por quê você não gosta de mim.

-Quem disse isso?

-Seu jeito de agir diz isso. Você não me fala nem oi, você só fica atrás da sua mãe, você mal fala comigo, você não vai atrás de mim... Por que filho?

-É porque você não gosta de mim.

-Quer que eu diga uma coisa? Eu e a sua mãe achamos uns papéis aí no seu quarto. E me fale agora, porque você acha que não gostamos de você e que eu não gosto da sua mãe e de você? Filho, eu fiquei muito chateado com isso.

-É só que eu pensava isso.

-Ben. Você não tem que pensar nisso. Só somos uma família porque nos amamos. Nós amamos você. E eu realmente gosto da sua mãe. Isso não tem que ser assim.

-Eu sei, pai.

-Não, Ben. Não sabe. Eu sou seu pai e preciso ser seu amigo. Isso é muito difícil. Talvez mais pra mim do quê pra você.

-Mas a culpa não é minha que você não gosta de mim.

-É você quem não gosta de mim. Ben, pare com isso. Eu sei que você só gosta da sua mãe. Saiba que tudo pode ser mais fácil. É só resolvermos esse problema.

-Mas eu não consigo.

-Consegue. Ben, você pode não gostar de mim e também não me aceitar, mas você querendo ou não, eu sou seu pai.

Ele começou a chorar do outro lado.

-Pai, você não sabe como é difícil pra mim. Na escola, quando me pergutam sua idade, eu tenho que falar que vocês me tiveram com 16 anos. -falou.

-Mas isso não é o quê importa, Ben. O quê importa, é que eu e sua mãe te amamos e queremos o melhor pra você. Ben, eu te amo.-falei.

-Eu também te amo, pai.

Eu sorri quando ele disse isso.

-A gente consegue resolver esse problema, né? Tenho certeza.

-Tá.

-Me fala o quê você tem contra mim.

-Sei lá. Eu achava que você só queria se aproveitar da minha mãe, e não gostava dela de verdade.

-Por quê?

-Porque eu sempre via vocês se pegando.

-Mas não é por isso que você tem que pensar desse jeito.

-Tá.E eu também achava que você não gostava de mim, porque eu não conseguia chegar pra você e falar, pai, que tal nós irmos pescar, ou fazer alguma coisa que pais fazem com filhos.

-Por que não, filho? Você pode e deve falar tudo o quê quiser pra mim.

-Porque eu achava que você só queria a minha mãe, e não eu.

-Filho, eu amo vocês dois.

-Ás vezes você fica nervoso comigo porque eu tento afastar você da minha mãe.

-Por que você quer nos afastar? Não entendo.

-Só pra eu poder passar um tempo com você.

Fiquei sem palavras. Ficamos um tempo em silêncio.

-Pai, eu sei que você está sem palavras.-ele falou.

-Sim.-respondi.

-Eu também fiquei quando você veio falar comigo.

-Jura, Cara?

-Sim. Eu fiquei surpreso por você ter vindo falar comigo.

-Eu fiquei surpreso por você ter respondido.

-Eu quero resolver nossos problemas, Pai.

-Eu também, Filho. Eu quero ser mais que seu Pai, quero ser seu amigo. Eu não posso continuar vendo você me ignorar e não gostar de mim.

-Mas agora que as coisas estão mais claras, eu posso ver a verdade. Pai, agora eu sei que eu gosto de você. Eu amo você. E prometo que não vou mais ignorar você.

-E eu prometo que vou ser mais presente na sua vida, e vou ser um pai melhor.

-Desculpe por todos esses anos.

-Desculpe por fazer tudo o quê fez você pensar aquelas coisas.

-Eu te amo, Pai.

-Eu te amo, Filho.

Ele destrancou e abriu a porta e me abraçou. Ele estava chorando. Eu também estava quase. Uma lágrima caiu dos meus olhos. Peguei ele no colo e abracei ele bem forte.

Não consegui falar nada. Ele olhou nos meus olhos e falou:

-Pai, eu te amo.

-Eu também te amo, Filho.-respondi.

Voltamos a nos abraçar.

-Eu não vou desperdiçar nem mais um segundo da minha vida sem você.-ele falou.

Eu continuei abraçando ele, enquanto acariciava o cabelo liso e loiro dele. Ele nasceu assim por causa da Jade, que era loira, mas tinha o cabelo encaracolado.

Ele limpou as lágrimas. Eu não pude fazer isso. Primeiro porque eu estava segurando ele, segundo porque eu tinha chorado poucas lágrimas.

Coloquei ele no chão.

-Agora, pare de chorar.-falei.

-Tá.-ele obedeceu.-É que eu estou feliz. Muito feliz.

-Eu também estou feliz. Mas a sua mãe vai chegar só 12:30, então, não podemos sair, nem estragar essa casa.

-Eu to com fome.

-Então vamos pra cozinha.

Peguei ele no colo e o levei pendurado nas costas até a cozinha. Coloquei ele sentado no balcão. E cheguei perto dele. Ele passou as mãos pelo meu pescoço e me abraçou bem forte. Eu o abracei de volta.

Depois ele me soltou.

-O quê você quer comer?-perguntei.

-Não sei. O quê você sabe fazer?-falou.

-Ahn, gelo, arroz, comida de microondas, omelete...

-Pode ser omelete. De presunto e queijo.

-Tá.

Fiz uma omelete meio mais ou menos. Ele comeu e falou que pelo menos uma coisa eu sabia cozinhar. E que estava bom. Que ótimo. Já comecei a conquistá-lo.

Depois fomos assisir TV no home lá de casa. Assistimos um filme e logo ouvi o carro chegando. Me levantei e fui falar com a Jade. Ela abriu a porta com um monte de sacolas.

-Querido, torrei uma grana preta.-falou, largando as sacolas no chão.

-Er... Então. Eu conversei com o Ben. Agora estamos bem.-anunciei.

-Ah, que bom! Adorei ouvir essa notícia.

Logo Ben veio correndo.

-Mamãe! Sabia que agora eu e o Papai estamos amigos?-ele falou.

Eu sorri. Jade sorriu de volta. Ben estava rindo.

Passamos o dia juntos, mas à tarde, Jade saiu de novo. Ensinei Ben a lavar o carro. Ficamos conversando. Depois, fomos até o estábulo, andamos à cavalo... Fizemos coisas legais.

Ele se divertiu muito. Eu estava começando a ficar suado, quando resolvi tirar a blusa.

-Pai, por que você tirou a camiseta?-ele perguntou.

-Porque eu estou começando a ficar suado.-respondi.

Ele fez o mesmo. Tirou a blusinha dele. Eu sorri.

Chegamos em casa e falei pra ele ir tomar um banho. E eu fui tomar banho também.

Saí do banho, coloquei um shorts e uma camiseta normal e fui procurar Ben.

Ele estava vestido com uma jaqueta de couro minha, sem blusa nenhuma, um jeans escuro, um all star e tinha penteado o cabelo igual ao meu! E tinha até feito minhas tatuagens, com uma caneta!

-Viu, Pai? Agora estou igual a você!-ele falou.-Olha! E tem até as tatuagens!

-É. Eu vi.-falei.-Mas sua mãe não vai gostar de ver você assim. As tatuagens e o cabelo pode deixar, mas vai ter que devolver minha jaqueta, guardar o jeans e o all star, e colocar uma roupa de ficar em casa.

-Tá bom, Pai.

-Mas antes, vamos tirar umas fotos.

-Ah, e eu peguei seu celular antigo!

Peguei o meu celular e tirei fotos dele.

-Pronto. Agora pode ir colocar uma roupa de ficar em casa.-falei.

-Ok!-ele respondeu.

Logo Jade chegou em casa.

Ben deu um abraço e um beijo nela e depois ela mesma veio me dar um abraço e um celinho.

Passamos o resto da noite juntos. Eu, Jade e Ben. Jade ás vezes tentava me beijar, mas eu não deixava e dava um sinal que era por causa do Ben. Mas ela me olhava com cara de "se-você-não-quer-eu-não-tento-te-beijar".

Na hora de dormir, Jade foi a primeira. Ben estava acostumado a ser colocado para dormir pela Jade, mas hoje seria a primeira vez. Ele se deitou na cama. Eu não sabia o quê fazer. Desculpe, se sou pai de primeira viagem e não sei como se coloca um garoto de nove anos pra dormir.

-Como sua mãe te coloca pra dormir?-perguntei.

-Ela só deita aqui comigo eu me apresento pra ela, e conto meu dia como se ela fosse uma total desconhecida. Mesmo que eu tenha ficado com ela.-ele respondeu.

-Muito bem. Então, você é...?

-Sou Ben Malik, tenho 9 anos e moro em Doncaster. Meu dia foi muito bom. De manhã, acordei na casa da minha avó, e tomei um café da manhã bem gostoso. Depois, eu conversei com o meu avô sobre a empresa dele e de como ele cuida dessas coisas. Logo minha avó me trouxe pra casa. Eu falei oi pra minha mãe, mas não pro meu pai, porque nessa hora eu ainda não tinha feito as pazes com ele. Eu fui para o meu quarto fazer um desenho e pela minha surpresa, meu pai bateu na porta. Eu conversei com ele, e fizemos as pazes depois de 9 anos de isolamento. Depois eu almocei e passei uma ótima tarde com o meu pai. E a noite, fiquei com a minha família inteira. E agora estou aqui. Agora é sua vez. Você é...?

-Sou Zayn Malik, tenho 25 anos e moro em Doncaster. Meu dia foi diferente dos outros. Primeiro, acordei do lado da minha namorada, que estava com preguiça. Eu levantei, nem me troquei e fiquei esperando minha mãe trazer o meu filho. Eu precisava falar com ele. Logo ele chegou e foi correndo para o quarto. Aí eu bati na porta, conversei com ele e fizemos as pazes depois de 9 anos de uma relação nada legal. Depois disso, passei o dia com o meu filho e depois, de noite, fiquei com a minha família inteira e agora estou aqui.

-Seu dia foi legal.

-O seu também. Eu fiz direito?

-Fez muito bem.

-Agora está na hora de alguém ir dormir.

-Tá bom. Boa noite, Pai.

-Boa noite, Filho.

Saí do quarto e fui dormir com Jade. Ela disse que fingiu que estava dormindo só pra me deixar ter um momento com meu filho. Legal. Também me perguntou como foi o dia.

-Foi simplesmente um dos melhores dias da minha vida, Amor.-respondi.

-E por quê você não quiz me beijar, enquanto a gente estava com o Ben?-ela perguntou.

-Porque ele falou que achava que eu estava com você só pra me aproveitar de você.

-Ah, tá. E isso é desculpa pra não me beijar?

-Desculpe, Jade, eu não podia.

-Tudo bem, Amor.

-E você?

-Eu saí com umas amigas e torrei uma grana. Ah, e amanhã eu tenho que trabalhar bastante. Meu escritório estará sendo usado.

-Tudo bem. Eu estou feliz por ter feito as pazes com o Ben...

-Viu?

-Vi, Amor.

-Agora, vamos dormir.

-Boa noite.

-Boa noite.

Jade on

De manhã, acordei do lado de Zayn e dei de cara com Ben sentado no sofá do quarto encarando a nossa cama. Dei um sinal pra ele ir pra cozinha, e fui atrás dele. Ele se sentou no balcão.

-Estou feliz por ter resolvido aquele problema com o meu pai. É a primeira vez que eu pude falar o quê eu sentia de tudo isso. Eu percebi que eu me sentia mesmo triste, por pensar aquelas coisas a respeito do meu Pai. E descobri que estava errado a respeito dele. Coitado. Eu quase estraguei tudo. Quase. Foi legal passar a tarde com ele e ainda tenho muito que aprender com ele.-ele falou.

Dei um abraço nele.

-Ele me contou.-respondi.

-Eu estou me sentindo muito melhor.

-Ele também.

-Eu chorei.

-Ele também.

-Aham.

-Quer café da manhã?

-Quero, Mãe.

Fiz um pequeno café da manhã pra ele. Zayn logo chegou.

-Bom dia.-falei.

-Bom dia, Amor, bom dia Ben.-ele respondeu.

Fui dar um abraço e um beijo nele. Depois ele deu um abraço no Ben.

Tomamos café da manhã juntos e arrumamos Ben pra ir pra escola. Zayn foi levá-lo e eu fiquei em casa, trabalhando.

Quando Zayn voltou, ele veio me ver, enquanto eu trabalhava.

-Oi, Jade.-ele falou.

-Oi, Amor.-respondi.

Ele veio e me deu um celinho.

-Então. Ahn, hoje, eu não vou me esforçar pra fazer comida.-falei.

-Trabalho?-ele perguntou.

-É. A Melissa quer a minha matéria antes da 1 hora. Eu tenho que acabar logo e mandar.-Melissa é minha chefe.

-Então tá.

-E á tarde, tenho que escolher as roupas pra sessão de fotos. Então vou ficar fora até a noite. Desculpe, Zayn.

-Não, tudo bem. É trabalho. Então tudo bem.

Zayn veio sendo muito compreensivo comigo, desde que o Ben nasceu, e eu entrei pra faculdade, e agora tenho esse emprego... Ele é ótimo. Espero um dia poder me casar com ele e não seguir um caminho separado. Ele faz TUDO o quê eu mando. TUDO mesmo. Eu posso mandar ele me dar um avião, ele vai dar.

-Sabe o quê o Ben me disse?-perguntei.

-O quê?-ele falou.

-Disse que estava feliz por ter resolvido o problema de vocês e que queria aprender muitas coisas com você.

Ele sorriu.

-Ele não podia me odiar pra sempre, não é?-ele perguntou.

-Zayn, ele nunca te odiou.-respondi.

-Odiou sim, mas isso não importa. Agora já está tudo bem.

-Não, Zayn.

-Você não sabe o quê ele falou pra mim.

-Hã. Aham.

-Ele falou que não gostava de mim porque achava que eu só queria me aproveitar de você e não gostava de você de verdade.

-Mentira. Jura?Não consigo acreditar.

-Pois é. E falou que queria afastar nós dois só pra tentar falar alguma coisa comigo.

-Nossa. Temos que limpar a mente dele.

-Já está limpa.

-Tá, então.

-Já vou sair e deixar você trabalhando em paz.

Ele já ia sair quando eu levantei e falei:

-Espera aí.

Ele parou e eu o abracei e o beijei. Depois desabotoei a camiseta xadrez. Ficou lindão. Ele sorriu pra mim e voltou a andar. Eu não sei o quê ele ia fazer, só sei que eu ia trabalhar.

Me sentei, terminei de escrever a matéria e enviei por email para a Melissa. Logo imprimi, porque gosto de ter um exemplar comigo. Tenho uma gaveta com tudo que eu já escrevi.

Melissa me respondeu 20 minutos depois, quando eu estava lendo a proposta da semana que vem. Ela escreveu que tinha adorado, que a revista desse mês ficaria ótima e que me ligaria por FaceTime no meu MacBook daqui à 10 minutos. Respondi um ok e que estaria pronta.

Corri pro meu quarto e coloquei uma roupa descente, passei maquiagem bem de leve e arrumei o cabelo. Zayn apareceu atrás de mim.

-Ei, pra onde você vai toda arrumada?-ele perguntou.

-Vou falar com a Melissa pelo FaceTime. Tenho que estar PERFEITA.-respondi.

-Você é perfeita sem maquiagem, de pijama e com o cabelo meio rebelde.

-Awnn. Obrigada, querido. Você também é perfeito naturalmente.

-Eu não uso maquiagem.

-Eu sei. Te amo do jeito que você é.

Ele sorriu e falou que iria buscar Ben só ao meio dia e me mandou ir lá esperar a Melissa.

Quando cheguei no meu escritório, Melissa me ligou no segundo em que eu sentei na cadeira.

-Olá, Jade.-ela falou.-Eu tenho um monte de coisas pra te falar.

-Tudo bem.-respondi.

-Então, hoje a sessão vai ser em vez das 2 horas, à 1 hora. Você tem que ir.

-Certo. Eu vou.

-E também, quem você vai entrevistar essa semana?

-Pensei que poderia ser aquela crítica de moda, Alison McLean. Que tal?

-Ótima idéia. Vai ser perfeito. O público vai gostar.

-Vai. E pensei que ela podia dar uma nota pra nossa revista, de 1 a 5 estrelas.

-Adorei. Pode ser. E que dia você vai entrevistá-la?

-Marquei um horário com ela amanhã às 3 horas da tarde. Vamos à um café e ela vai me responder perguntas que ainda vou criar. Hoje mesmo eu te mando as perguntas por email e você pode mudar, adicionar, eliminar, o quê quiser.

-Muito bem. Me entregue as coisas o mais rápido possível.

-Certo.

-É isso. Obrigada, Jade. Ah! E você vai poder tirar férias de uma semana, se quiser. Mas me avise!

-Certo. Até hoje à uma hora.

-Tchau.

E desliguei. Melissa é legal comigo. Mais legal comigo do quê com algumas outras. É que estou num nível elevado na revista.

Assim: toda semana temos uma edição, e eu tenho 3 sessões, a entrevista, uma das matérias e os comentários da sessão de fotos. Isso é meu. E toda semana eu faço isso tudo.

Eu preciso fazer pra amanhã as perguntas para Alison McLean e os comentários da sessão em que vou hoje. Ah! E decidir as roupas em que vou me encontrar com a Alison e a da sessão.

Hoje mesmo eu começo a fazer o rascunho da proposta da outra semana.

Bom, chega de trabalho.

Quando deu meio-dia, Zayn foi buscar Ben na escola.

Ele voltou com Ben todo sujo e suado, enquanto eu ainda trabalhava nas perguntas para Alison McLean. Terminei isso logo antes de Ben chegar.

Quando Ben chegou, eu ia mandar o email. Ele abriu a porta do escritório e eu levantei pra dar um abraço nele. Zayn estava logo atrás.

-Ben!Como foi o dia na escola?-perguntei.

-Ah, foi tudo bem. Eu não fiz prova, brinquei no primeiro intervalo, e no segundo, comprei um chocolate pra minha namorada.-ele respondeu.

-E quem é sua namorada? Você é meio novo pra namorar.

-Ela estuda comigo, e estamos namorando há uns três dias.

-E você não contou pra mim.

-É, mas você vai conhecer ela na reunião de pais e filhos.

-E você comprou chocolate pra ela?

-E depois dei um beijo na bochecha dela.

-Nossa! Que legal! E qual o nome dela?

-Angelina.

-Legal. Bom, espero algum dia conhecer a Angelina.

-Você vai conhecer ela na reunião de pais e filhos.

-Tá. Tá bom. Filho, hoje a mamãe vai trabalhar o dia inteiro e não vou poder ficar com você à tarde.

-Ah...-ele falou, com ar triste.

-Eu sei, mas a Mamãe não pode fazer nada. E o Papai pode brincar com você te levar pra passear...

-Eu sei, mas eu juro que eu vou ficar com você o máximo possível.

-Tudo bem, Mãe.

Abracei ele de novo e mandei ele ir tomar banho. Zayn veio falar comigo.

-Oi, Zayn.-falei e beijei ele.

-Oi, Amor.-ele respondeu.

-Você já sabia da tal da Angelina?

-Talvez.

-Zayn.

-Tá. Eu já sabia. Mas deixei ele te contar.

-Por que?

-Eu queria que ele te contasse.

-Tá. Ahn, sabia que eu vou pode tirar férias?

-Que ótimo! De quanto tempo?

-Uma semana.

-Legal. Podemos ir pra praia. Eu dirijo.

-Pode ser. Só temos que combinar as coisas.

-É. Ok.

-E depois podemos ir para um outro lugar... Um lugar gostoso, e fértil...

-Jade!

-É! Bom, esquece a parte fértil. Mas um lugar em possamos fazer diversão.

-Tá... Você está louca. Não vamos ir pra um lugar só pra transar.

-Mas eu fiquei com saudades!

-Jade, a gente não transa há dois dias.

-Ah, mas é só a gente aguentar um tempinho e depois a gente viaja.

-Duvido, Jade.

-Duvida? Tá. Você tem razão, mas eu não vou descartar essa ideia.

-Tá, então. Mas a praia...?

-Quase confirmado.

-Tudo bem então. Quando você vai poder parar de trabalhar?

-Hoje? Só na hora de dormir do Ben.

-Tá. Vou deixar você sozinha.

-Ok.

Comecei a preparar uma nota no IPad pros comentários da sessão de fotos. Depois preparei uma outra nota para as perguntas para Alison McLean. A matéria eu ia deixar pra hoje a noite.

Na hora do almoço, saí do escritório e encontrei Ben e Zayn na cozinha.

-O quê estão fazendo?-perguntei.

-Hambúrger. Pro almoço.-respondeu Zayn.

-Mas hambúrger só pode no final de semana.-falei.

-Deixa!Por favor!-falou Ben.

-Essa eu deixo passar.-falei.

Almoçamos e voltei para o trabalho. Daqui a pouco era uma hora! Fui me trocar, peguei minhas coisas e fui para a sessão de fotos.

Dessa vez as roupas estavam melhores do que as da semana passada, e a outra garota, que faz os comentários da sessão da maquiagem, também achou. Ela era minha amiga, até. Ás vezes trabalhamos juntas, e tentamos harmonizar os dois trabalhos. Ela é legal. É tipo eu.

Anotei uns 5 comentários e tirei umas 3 fotos. Ok, agora eu tinha que passar tudo pro computador, arrumar num pequeno texto e mandar para a Melissa. Ok. Agora ficou fácil.

Dirigi de volta pra casa e a primeira coisa que eu fiz foi tirar a roupa. Eu e o Zayn costumamos não usar roupas em casa. Ficar só de roupas íntimas e um hobbie, sei lá.

Zayn estava jogando videogame com Ben no home. Apareci lá na sala.

-A quanto tempo estão jogando?-perguntei.

-Ah, oi, Amor.-falou Zayn, se virando.

-Oi Mamãe!-Ben disse.

-Oi, Amores.-falei.

-Tudo bem? Como foi?-perguntou Zayn.

-Foi tudo bem.

-Então tá.

-Vem cá rapidinho, Amor?

-Vou.

-Vai pro meu escritório.

-Tá.

Fui para o meu escritório e esperei Zayn lá. Depois de uns 5 minutos ele veio e eu fechei a porta.

-Amor, você não tá com saudade?-falei, chegando perto dele.

-Ahn...-nem deixei ele falar nada.

-Eu sei que está... Não está?-interrompi e o beijei. Coloquei as mãos dele na minha cintura. Já que ele não fez isso sozinho, eu tinha que fazer.

Parei de beijá-lo.

-Jade, o quê você tem? Ficou tarada agora?-perguntou.

-Não, só fiquei com saudades, de você, das nossas brincadeiras, do sexo, da diversão... De tudo.

-Tá. Eu também fiquei com saudades. Se eu pudesse eu ficava "brincando" com você o dia inteiro. Mas olha que exemplo eu daria para o Ben.

-Ah, sei. É só a gente fazer uma viagem romântica.

-Eu vou ver. Eu juro.

-Mas não esquece.

-Não esqueço.

Zayn on

Jade está trabalhando demais. Eu sinto saudadede fazer igual fazíamos quando o Ben era pequenininho, ou antes do Ben. A gente ficava o dia intero juntos e ficávamos nos pegando o tempo inteiro. Seria demais. Mas o Ben está lá, então... Não dá.

Jade queria voltar nesses tempos, ela ficava se exibindo e me pegando. Bom, eu só podia deixar ela fazer isso. Eu faria alguma coisa, mas eu não podia. E não posso. O Ben. O Ben! Mas se eu pudesse, daria uma semana com diversão TODOS os dias.

A Jade é e sempre foi ótima comigo. Ela é quem manda em casa. Eu faço tudo que ela manda. Posso fazer TUDO que ela mandar. Faço isso desde que ela ficou grávida, porque, afinal, a culpa foi toda minha. Mas é passado. Simplesmente aconteceu.

Hoje ela ficou o dia inteiro fora e vai trabalhar até a madrugada, como sempre. Ela é ótima. Faz isso só pra sustentar a nossa família. Mas ganha uma grana boa. Eu ganho uma grana da empresa do meu pai, mas Jade insiste em trabalhar por ela. Ela não quer se aproveitar do meu dinheiro de jeito nenhum, ela fala.

Na hora de ir dormir, tomei banho e fui ver o Ben. Ele estava no quarto dele, lendo um livro que ganhou da minha mãe. Ela sabe o quê é bom pra ele.

Deixei ele lendo e fui ver a Jade. Tomando café pra não dormir. Ela estava se matando só pra fazer uma entrevista.

-Jade, vamos dormir.-falei.

-Não dá, amor. Tenho que terminar isso. Mas, amanhã de manhã, vou terminar as coisas, à tarde enviar a entrevista para a Melissa e depois estou livre. E tenho que fazer a matéria para a próxima semana.-ela respondeu.

-Então prometa que vai dormir o mais rápido possível. Quer saber? Vou te esperar. Vou ficar vendo TV lá no quarto. E quero ver você lá antes da uma da manhã.

-Certo. Tá até lá eu consigo.

-E faz tudo certinho.

-Eu vou, Amor. E faça o Ben ir dormir.

-Vou fazer.

-Ok.

Saí e fui fazer Ben ir deitar.

-Ben, hora de dormir.-falei, entrando no quarto dele.

-Oi, Pai. Já vou.-ele disse, fechando o livro.

Ele se deitou na cama e dei boa noite pra ele. Fizemos o lance da apresentação do dia. Ele gosta daquilo.

-A Mamãe vai trabalhar até tarde?-ele perguntou.

-Vai, Filho. Mas ela pediu pra você não se preocupar com ela.-respondi.

-Tudo bem. Você vai esperar ela pra ir dormir?

-Vou.

-Tá. Boa noite, Pai.

-Boa noite, Ben.

Saí do quarto e fui até o meu quarto. Fiquei esperando a Jade. Deu uma da manhã e ela chegou.

-E aí?-perguntei.

-Tudo pronto. É só escolher a roupa que eu vou na entrevista e terminar o rascunho da matéria da semana que vem.-Jade respondeu.

-Só amanhã. Agora, você vai tomar um banho relaxante e vai dormir.

-Tá. Eu vou.

-Isso.

Ela tirou a roupa, e foi tomar banho no banheiro. Ela voltou, colocou o pijama e se deitou ao meu lado. Desliguei a TV, fechei a porta e apaguei as luzes. Jade adormeceu em um segundo. Eu adormeci logo depois.

Se a Jade não dorme com um travesseiro, ela se enrosca toda em mim. Ela fez isso. Se enroscou toda em mim.

Quando acordamos de manhã, Jade não tinha me largado. Ela estava literalmente em cima de mim. E descoberta. Eu estava meio dormindo ainda, quando senti algo me cutucar do meu lado.

-Oi Pai.-era Ben.

Acordei a Jade e ela saiu de cima de mim com um pulo. Ela se levantou e já foi se vestir.

-Oi, Ben.-falei e me sentei.-Jade, volte a dormir, Amor. Descança melhor.

-Não dá, Zayn. Preciso escolher a roupa que vou na entrevista e terminar o rascunho da matéria da semana que vem. E ainda passar as perguntas da entrevista e a pauta final pro IPad.-ela falou.

-Jade, eu posso cuidar das coisas. Não se preocupe com a gente. Pode ir trabalhar tranquila.

-Obrigada, Amor.

Peguei a mão do Ben e fui pra cozinha. Ele sentou no balcão e comeu um pão. Depois dei um copo de leite pra ele. Ele tomou e fui para o quarto se vestir.

Quando ele ficou pronto, fui levá-lo e voltei, Jade estava tomando um café no escritório, escrevendo feito uma louca.

Ela não me percebeu e não parou de escrever.

-Jade.-chamei.

Ela não parou de escrever.

-Jade.-chamei de novo.

Ela não parou. Fui até ela e toquei nela. Ela parou de escrever.

-Jade. Fique calma. Relaxe.-falei.

-Desculpe, Zayn. Melissa antecipou a entrega da matéria da semana que vem, pra sexta feira! Ou seja, tenho 2 dias!-ela disse.

-Calma. Tem tempo.

-Não. Não, não, não. Eu preciso fazer a matéria! Ai Senhor.

-Jade!

-Ah, Zayn. Me desculpe. Me desculpe mil vezes.

-Por que você quer se desculpar?

-Porque eu não tenho tempo pra você e nem pro Ben.

-Não. Deixa isso pra lá. Vou deixar você sossegada.

-Você não precisa sair pra me deixar sossegada. Com você e eu fico sossegada.

Dei um celinho nela e fui embora. Cada dia eu fico mais apaixonado por ela. Ela é perfeita. Não tem absolutamente nada que eu não goste nela.

O Ben está cada dia melhor. As notas dele na escola são boas, ele sabe fazer as coisas direito, sabe lidar com a nossa situação... Sabe de tudo. Isso torna a minha vida e a da Jade bem mais fáceis. Ele é uma criança esperta.

Ás vezes encontro ele subindo em árvores, pulando muros, fazendo coisas travessas, mas ele explica que só quer se divertir. Depois da escola dele, ele toma banho, almoçamos, e vamos fazer alguma coisa juntos. Geralmente vamos caminhar até o estábulo, ou vamos pra floresta subir em alguma árvore. Ele gosta. Que fofo. Legal.

Hoje fomos para a floresta. Mostrei pra ele o caminho secreto que eu e a Jade costumávamos passar. Ele gostou, e prometeu não contar pra ninguém.

Jade está em casa trabalhando. Como sempre. Ela precisa de um tempo.

Jade on

Eu estou trabalhando demais. Falta pouco. Coitado do Zayn... Ele tem sido ótimo comigo. Eu preciso de um tempo pra ele. Pra ele e pro Ben. Cada dia eu os amo mais.

Mas a Melissa me prometeu que quando eu acabar a matéria da semana que vem e quando mandar pra ela a entrevista com a Alison McLean, ela vai me dar férias de uma semana! Graças a Deus! Vou combinar com o Zayn da gente ir na casa da praia que temos. Ele disse que quer dirigir até lá, então é fácil. Não tão fácil, porque passamos uma noite inteira dirigindo. Zayn passou a noite dirigindo. Ben foi dormindo. Dessa vez eu não vou deixar, porque ele passou o dia reclamando, depois.

Hoje, fiz tudo o quê tinha que fazer. Fiz a entrevista, passei para o computador, e enviei pra Melissa. Ela logo respondeu que adorou. Pronto. Uma parte já foi.

Eu escrevi a matéria até a hora do jantar. O rascunho. Zayn veio me chamar para fazer o jantar.

-Zayn, você sabe fazer omelete né?-perguntei.

-Sei, Amor. Quer que eu faça isso pra mim e pro Ben enquanto você trabalha?-ele respondeu.

-Ah, não. Deixa que eu vou lá. Não posso mandar você fazer isso. Eu vou.

Me levantei e fui fazer o jantar. Quando acabamos, saí e voltei ao trabalho.

Passei a matéria para o computador, e mandei para a Melissa. Ela não havia respondido. Recebi no correio a revista dessa semana. Ficou ótima.

Prontoooo! Acabei tudo. Agora: férias! Saí do meu escritório correndo e pulando.

-Zaaaayyyynnnnn!-chamei.

-Oi, Jade!-ele respondeu.

-Adivinha quem acabou o trabalho e agora vai ter férias de uma semana?

-Até que enfim, Jade!

-É. Podemos ir pra praia já amanhã a noite!

-Muito bem, Amor.

-Então, você topa?

-Topo, claro!

-Então avisa o Ben e manda ele fazer a mala.

-Tudo bem. E você vai ter que olhar a mala dele.

-Vou olhar.

-Certo.

-A casa está limpa?

-Sim.

-Então vamos todos fazer as malas.

Fui conversar com Ben no quarto dele.

-Oi Mamãe.-falou.

-Oi, Ben.-respondi.

-Acabou o trabalho?

-Sim.

-Eba!

-Amanhã a noite a gente vai pra praia.

-Oba!

-De noite.

-Uhuu!

-Comece a fazer sua mala.

-Posso levar o Gatucho?- Gatucho é o gato de pelúcia dele. Ele simplesmente ama esse gato.

-Pode.

-Ok!

Ele começou a fazer a mala dele e eu saí do quarto. Zayn já estava fazendo a dele. Só faltava eu. Também fiz a minha e fomos tomar banho.

Zayn foi dar boa noite ao Ben e voltou para o quarto. Ele fechou a porta e se deitou ao meu lado. Me virei para ele. Ficamos cara a cara.

-Eu te amo.-ele falou.

-Eu te amo mais.-respondi.

Dei um celinho nele. Ele me abraçou. Eu amo ele cada dia mais. Zayn apagou a luz e se deitou mais uma vez. Logo ele adormeceu. E eu fui logo depois.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...