Pra te fazer lembrar

Mikaella e Ketlin são apenas duas jovens comuns que sonham encontrar um amor de verdade, mas até esse amor verdadeiro chegar, elas duas vão ter que enfrentar vários golpes da vida. Mas uma questão fica no ar: Será que uma grave perda de memória irá acabar com esse amor verdadeiro?

23Likes
28Comentários
23582Views
AA

29. O que fazer?

Harry POV On

Assim que o elevador se abre e vejo a cara dos meninos, sei que alguma coisa ruim aconteceu. Caminho rápido em direção á eles com Ketlin logo ao meu lado.

- O que houve? - Pergunto.

- É a Mika... - Zayn começa e eu fico mais nervoso ainda.

- Fala logo o que aconteceu! - Ele olha de mim para Ketlin e fala de uma só vez.

- A Mikaella, ela sumiu. Não está em nenhuma parte do hospital.

- O que? - Eu e Ketlin afarmos juntos.

- Como assim ela simplesmente sumiu? - Ketlin pergunta parecendo nervosa também.

- Ninguém sabe ainda. Desci para fumar com o Zayn e quando subimos não achamos ela - Louis diz e vejo que os outros meninos não estão aqui.

- E onde  está o resto do pessoal? - Ketlin pergunta olhando ao redor procurando os meninos.

- Liam e Niall resolveram procurar pela Mika assim que souberam que ela sumiu. - Ketlin assente e se senta em uma cadeira mostrando certo cansaço.

- Não acredito que a Mikaella fez isso. - Ela levanta a cabeça olhando para nós. - O que vamos fazer? Procurar também, certo?

- Sim, só estavamos esperando vocês dois. Ah e também ficamos sabendo da confusão com a Luana. - Louis fala e eu apenas balanço a cabeça.

- Esses paparazzi não perdem tempo, mas vamos ao que importa: Para onde vamos? - Assim que falo isso, Ketlin se levanta e se aproxima para ouvir melhor.

- Como o Niall e o Liam estão procurando por essas redondezas do hospital, acho melhor irmos mais adiante. - Zayn fala e concordamos.

- Vocês sabem para onde eles vão depois que terminarem por aqui? - Ketlin pergunta e Louis balança a cabeça respondendo:

- Não, mas eles prometeram ligar informando se acha-lá ou não.

Depois de alguns minutos combinando para onde vamos, saimos do hospital em direção ao nosso carro. Como já são quase 2hrs da manhã, não tem muitos paparazzis na porta do hospital e os poucos que restam estão desmaiando de sono.

Optamos por procurar Mikaella em algumas ruas com pubs e baladas, além de alguns restaurantes aberto a essa hora. Nunca se sabe. Mikaella pode está em qualquer lugar daqui de Londres.

- Estou com medo. Minha amiga completamente sozinha essa hora da madrugada e ainda por cima sem conhecer nada daqui. - Ketlin estremesse pensando o pior e eu a abraço tentando passar conforto.

- Acho que todos nós estamos com um certo medo por ela - Zayn completa.

- Mas vamos acha-la, vocês vão ver. - Prometo para ela e para mim mesmo.

***

Já são 5:30 da manhã e estamos voltando para a casa sem sinal nenhum de Mikaella. Estamos todos acabados. Ketlin já chorou muito; Zayn e Louis juntos já fumaram os dois maços de cigarros deles e eu, apenas tentando controlar minha revolta por não encontra-lá.

Liam e Niall ligaram no meio da madrugada dizendo o que não queriamos: Não a encontraram e por isso estavam voltando para a casa, até porque não tinha sentido ficar no hospital. E no caso, se ela voltass para lá, deixamos um dos nossos seguranças no hospital.

Depois que os dois ligaram, com muita insistência minha, Louis refez todo o caminho por qual já tinhamos passado, e nada, da mesma forma.

Quando chegamos em casa, Niall e Liam estavam na sala esperando por nós. Estavam com o mesmo rosto que nós quatro, cansados mental e fisicamente.

Ketlin saiu do carro e já correu para os braços de Niall, que a recebeu com um abraço de consolo do qual precisava e logo sumiram de vista. Zayn subiu para o quarto logo seguido por Louis e Liam.

Sem saber o que fazer, apenas deitei no sofá e tentei pensar o que fazer para acabar com isso.

Como eu queria que estivess tudo bem, eu sentado aqui no sofá e Mikaella descesse as escadas sorridente ou mesmo com o jeito marrento dela. Mas a verdade é outra, nem tão cedo ela irá ser a mesma, nem mesmo sei quando ela voltará.

- O que faço?! - sussurro para mim mesmo.

Respiro fundo, vejo que o sol já está nascendo e resolvo tomar um banho para clarear minha mente.

Assim que a aguá quente cai sobre meu corpo, permito-me relaxar pelo menos por alguns minutos. Tenho que fazer algo e só não sei o quê. Acho que em situações como essa, depois de termos procurado Mikaella em todos os lugares, o certo é pedir ajuda da polícia. Alguém pode ter raptado ela ou agredido...

Impesso minha mente de criar mais ideia ruim. Já estou mal, não preciso ficar pior agora.

Quando saio do banho, resolvo descer para tomar um café. Preciso me manter mais acordado do que nunca, além de eu duvidar que eu durma em uma situação dessas.

Quando chego ao primeiro andar, Liam está na cozinha, na certa, com a mesma ideia que eu.

- Talvez tomar um café me matenha mais aitvo. - Ele diz me oferencendo uma xícara.

- Valeu. - Pego e tomo um gole. - Por que você acha que ela fugiu? - Pergunto e ele apenas balança a cabeça.

- Não faço ideia. Não precionamos ela em nenhum momento, que eu me lembre pelo menos.

- Sim, ela também parecia feliz, alegre por ir embora do hospital - Suspiro derrotado - Realmente não sei. Só tenho certeza que temos que fazer algo.

- Eu acho melhor ligar para a polícia. Eles têm que fazerem algo. - Liam diz e eu concordo.

Logo ele pega o celular e disca o número da polícia. Quando atendem, ele começa a narrar o que houve e explicar que não achamos Mikaella em lugar algum.

Volto para a sala e espero Liam terminar a ligação. Depois de alguns minutos ele aparece nervoso na minha frente. Me levanto num pulo.

- O que foi? - Pergunto.

- Esses otários acham que está muito cedo para procura-lá. - Liam diz jogando o celular no sofá.

- Como assim muito cedo? É para esperar ela morrer e aí procurar pelo o corpo dela? - Grito e logo meu estômago se embrulha de medo ao pensar em encontrar somente o corpo de Mikaella.

- Eles só acham adequado procurar por algo a partir de 48 horas de desaparecida. - Ele se senta no sofá, colocando as mãos no rosto e eu me viro indo até a janela, estremecendo de raiva.

Ouço passos descendo a escada  e me viro. Ketlin aparece seguida de Niall, ela com os olhos inchados, sem dormir, na certa.

- O que está havendo? Ouvi o Harry gritar - Ela pergunta se aproximando de nós.

- Ligamos para polícia fazer algo sobre a Mika e eles simplesmente falaram que não. - Passo a mão nos cabelos, cada minuto mais nervoso.

- Somente quando completar 48 horas. - Liam completa.

- Olha Harry, nós já procuramos ela por tudo que foi lugar e não a achamos, acho melhor... - Isso foi a gota d'água.

- Não acredito no que você disse, Niall - olho para ele indignado e logo ao lado, para Ketlin - Ah claro, você está com ela - Aponto para Ketlin - Por que deve se preocupar com a Mikaella?

- Harry... - Ketlin começa mas Niall fala a interrompendo:

- Você não entendeu o que eu quis dizer - ele dá um passo em minha direção tentando se defender mas é só uma perda de tempo.

- Entendi sim e quer saber? Pode ficar os dois pombinhos aí, eu procuro por ela. Diferente de vocês, eu não vou deixar para lá - Termino de falar isso e sinto uma lágrima em meu olho direito, limpo a mesma e saio a caminho da porta, mas não antes de lembrar do Liam e me vejo perguntando:

- Você quer ir comigo? - ele me olha tristemente como se tivesse pena de mim. Reviro os olhos.

- Foda-se vocês - Saio batendo a porta com toda a força.

Pego o meu carro e dou a partida ainda sem saber para onde ir. Resolvo apenas andar por aí, sem destino, apenas procurando.

- Só volto para casa quando encontra-la - Digo sozinho dentro do carro.

Faço uma lista mental dos lugares que ela poderia ter ido mas não tenho muita certeza pois são um pouco longe do hospital para ir andando. Se bem que não importa, já estou aqui e vou procurar.

Saio em direção á Oxford Street. Lá tem muitas lojas e quem sabe ela está olhando alguma vitrine como todo turista. Quando chego por lá, está lotado. Não que eu me surpeenda, só que isso complica o trabalho de procura-la.

Com o carro acho meio difícil de ajudar, então decido estacionar e descer. Antes de tirar o cinto de segurança, vejo um fresh de longe sobre meu carro. Nem preciso virar, já sei do que se trata. Alguma fã me viu. Não posso parar para atender ninguém agora. Preciso fazer algo. Mexo no porta-luvas do carro e encontro uma máscara que cobre parte do rosto e também uma boina. Isso está ótimo para passar despercebido.

Quando saio do carro, o resultado é o esperado. Ninguém me nota e assim sigo, procurando por Mika em toda a rua.

Uma hora depois, estou de volta ao carro e sem notícias, novamente, de Mikaella. Olho o celular e vejo que já são 8 horas.

Olho para o outro lado da rua e vejo o Hayde Park. Um lugar enorme e as chances de encontra-la são inda maiores. Me animo com isso e deixo o carro para trás, xingando-me mentalmente por não ter começado pelo o parque.

Já estive nesse parque e para atravessa-lo é uma caminhada longa, de quase 1 hora, mas ok, tempo é o que não me falta.

A manhã está boa para andar e não sentir calor por aqui. Muitas pessoas já estão fazendo caminhadas e outras apenas curtem o sol frio dessa manhã. Vejo também muitos casais namorando e família curtindo seus filhos.

Sorrio tristemente. Isso me lembra á ela, na verdade, tudo me lembra. Acho que talvez por não saber o que ela quer no futuro, se teria uma família grande ou se apenas um filho já estaria bom. Olhando esses casais de namorados tenho uma vontade enorme de tê-la em meus braços. Talvez uma das piores dores seja essa: Querer algo impossível de se ter no momento.

Balançando a cabeça, continuo à andar tendo a certeza que estou agindo como um bobo apaixonado.

*

Duas horas depois estou dentro do meu carro nervoso, cansado e sem saber o que mais fazer. Já procurei Mikaella em todos os lugares, mas simplesmente não consigo encontra-la.

Andei grande parte do Hyde Park, não só atravessei ele, como também andei em outros cantos do mesmo. Assim que cheguei ao outro lado tive que pegar um táxi para me trazer de volta ao meu carro. Não estou aguentando mais andar. Meus pés estão me matando.

Taco a cabeça no volante tentando clarear mais minha mente mas não ajuda em nada. Levanto a cabeça e olho para o céu pedindo ajuda de alguma força para traze-la de volta para mim Estou fazendo tudo o que posso e nada.

Mais na frente, vejo o London Eye e me lembro instantaneamente do dia em que deio o cola á ela. Em sua surpresa e na minha felicidade. Respiro fundo e resolvo ir até lá. Quero ter certeza da realidade do meu sentimento por ela, quero a força que preciso nesse momento. Talvez lá eu pense melhor.

Como o caminho de carro não é tão longo, logo chego. O sol está mais quente e mais pessoas aparecem por aqui. Continuo com o meu disfarce e saio do carro na intenção de sentar logo perto do rio e da roda gigante. Escolho um lugar onde não tem ninguém próximo, apenas uma rua na frente e no outro lado, o rio.

Tiro minha máscara, ficando apenas com a boina e deixo meus pensamentos me inundarem, estou aqui para isso. Quero apenas lembrar dela...

Sinto uma vibração no meu bolso e vejo que é meu celular.

- Niall - digo em voz alta balançando a cabeça e desligo a ligação. Quando voltar tenho que me desculpar. Exagerei um pouco.

Volto á olhar para o rio, imaginando o que ela pode está fazendo agora. Pego uma pedra na intenção de jogar na água, mas a pedra se bate contra a grade e vai em outra direção. Aguardo algum som dela caindo no chão, mas tudo o que ouço é um "Ai!".

Meu corpo todo se arrepia e me viro rapidamente para o local do som. Demora alguns minutos até eu exergar a pessoa dona da voz. Um suspiro de alívio invade meu corpo e me levanto indo em sua direção.

- Mikaella!

 

Bom gente, capítulo postado. Esse cap. foi um dos mais difíceis de fazer, sem a ajuda das minhas amigas acho que não teria nada até agora. Como não tem muito comentários, não sei o que vocês acham. Mas enfim, é isso e espero que vocês gostem. 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...