Natal: Uma história de Amor

Quatro amigas dividiam um apartamento em Londres. Cada uma delas tinha um motivo e uma ambição para estar lá. Mas todas encontraram o amor. Uma delas era festeira, divertida e desapegada. Ela achava impossível se apaixonar. Até que conheceu ELE. O menino da sua vida. Ela demorou para admitir o que sentia. E quando admitiu já era tarde demais, ele estava em Nova York. Será que tudo acabou? O que dois corações insanos são capazes de fazer? Seria impossível, se não fosse Natal!

"Natal: Uma magia inexplicável invade os corações das pessoas e faz com que elas sejam felizes. Cada um tem algo que quer e deseja. Todos tem algo que desejam mais que tudo: Dinheiro, Poder, Paz, Saúde, Proteção ou Amor. Cada pessoa recebe o que merece. Por isso o Natal é o dia mais mágico do ano. É o dia em que o impossível se torna um sorriso. Que a incerteza, se torna a razão. E que a vida de tantas pessoas caibam em um só coração."

3Likes
2Comentários
327Views
AA

2. Natal: Uma História de Amor II

Amanda’s POV

A Selena dançava como ninguém, ela rebolava, descia até o chão quando necessário e fazia movimentos incríveis não me surpreende que ela seja tão “amiga” de tantos garotos. Muitos a desejam. Não reclamo, alguns gostam de mim, mas só tenho olhos para o Mathew. A Barbie conversava um pouco dançava em cima da mesa. E a Luana simplesmente observava a diversão.

Meu celular começou a vibrar e vi uma mensagem. “Amanda, eu preciso da sua ajuda. Vi a carta que a Sel escreveu. Sei que todo ano depois do Natal vocês viajam para algum lugar legal. E sei que este ano não voltaram para Londres porque terão seu Gap Year. Mas, por favor, você podia tentar adiar essa viagem? Eu sei que deveria estar feliz aqui em Nova York com meus pais. Formando-me em uma das melhores universidades. Mas o que importa se ela não vai estar aqui comigo? Ajude-me!” Era uma mensagem do James. Sempre soube que eles formavam um casal fofo demais. Mesmo ela fingindo não gostar dele e ele fingindo que só queria ela por uma noite. Respondi rapidamente “Claro!”.

A Sel dançava como se o mundo fosse acabar no instante seguinte e ela precisasse aproveitar cada segundo. Alguns meninos a puxavam e ela dançava um pouco com eles, mas sempre voltava ao seu centro e mexia como poucos conseguiam fazer. A Bah já estava paquerando alguns meninos. A Lua se divertia ouvindo a banda tocar. Meu celular apitou novamente e vi a mensagem do Clark “O meu obrigado chegará em 5, 4, 3, 2, 1...” Virei-me para o lado e o Mathew estava lá parado me chamando para dançar.

– O que está fazendo aqui?

– O James me mandou uma mensagem dizendo que você estava aqui e me disse que achava que você me queria tanto quanto eu te quero. – Ele disse com um sorriso malicioso.

Lua’s POV

Dia 23 de dezembro- Londres- Casa do Edward.

A festa acabou e surpreendentemente, tive que dar a chave de casa para a Selena. Fui para a casa do Edward, a Barbie saiu com um menino gatinho. E a Amanda com o Mathew, acho que foi ponto para ela. Geralmente a Selena saia com alguém da balada e fazia o cara levar ela pros lugares que mais amava como para o London Eye, Starbucks, Hyde Park, eles sempre concediam todos os seus pedidos. Inclusive ano passado ela fez um menino no quarto dia antes do Natal leva-la de trem a Paris. E a chave ficava com a Amanda ou comigo. Hoje ela simplesmente pegou a chave e voltou para casa.

O Edward era incrível, ele tinha um sorriso maravilhoso e o poder de acalmar meu coração. Ele assistia romances comigo. Fazia brigadeiro. Ele é maravilhoso. Conheci ele pela Sel, os dois eram melhores amigos. Viviam juntos, sorrindo pra lá e para cá. Agora entendo o porquê. Desde que começamos a namorar, a Drumont se afastou dele. Acho que ela tem em mente que eu seja uma amiga ciumenta. Tenho mais ciúmes dela do que dele. A Bah era apaixonada por ele. Passou. Eu espero.

– Hey! Você viu que a Amanda saiu da festa com o Mathew?

– Vi sim!

– Acho que sua amiga fisgou o garanhão.

– Pois é! E você viu que estranho que a...

– Selena voltou SOZINHA para casa?

– É! Eu vi, quase não acreditei.

– Deve estar preparando uma surpresa de Natal.

– Ou alguém roubou o coração dela.

– Você acha? A Sel não costuma se apaixonar. Ela é mais do tipo que aproveita cada segundo. Quem seria o sortudo?

– Sortudo por quê? – Disse com ciúmes forçado.

– Porque ele iria pegar a melhor amiga da minha namorada linda, gata, gostosa e ainda levaria a menina mais badalada do colégio.

– Repete a parte sobre a sua namorada.

– Ela é linda, gata, gostosa, cheirosa e eu amo ela- Ele disse me dando um selinho a cada adjetivo.

Barbie’s POV

Dia 22 de dezembro – Londres – Casa de um menino

Eu realmente não tenho a mínima ideia de porque aceitei vir para a casa desse menino. Qual era o nome dele mesmo? Eu não sentia que era com ele que eu queria estar. Sabia que queria o Tony. Mas realmente ele é um babaca, galinha. Eu não sei o que vejo nele. Não sei se vejo algo nele. Às vezes sonho com aquele idiota. E às vezes acordo ao seu lado. Quando estamos juntos ele me trata como seu eu fosse uma rainha. Quando está com os amigos me ignora. Quando estou com minhas amigas ele se faz de idiota.

Acho que o único que me fazia esquecer o Tony era o Clark, mas... Se a Selena souber disso ela me mata. Sempre tive uma quedinha por ele. Mas ela é incrível e eu acho que é com ela que ele quer estar que é o nome dela que faz o coração dele acelerar. Calma Bah! Que merda eu estou falando?

– Barbie! – Fui interrompida de meus pensamentos para ver o menino que eu não sei o nome falando comigo de toalha, amigo você está de parabéns em...

– Sim...

– Se quiser tomar banho pode ficar á vontade eu pego uma toalha para você!

Inevitavelmente eu dei um sorriso malicioso para o Deus Grego parado na minha frente- Quero sim!

Tomei um banho sem lavar meu cabelo, usando a touca de banho da mãe dele, assim espero. Sai e fui para a sala pegar minhas roupas. Enrolada na toalha.

– Tony?

– Barbie?

– O que você está fazendo aqui?

– Tony, Bah vocês já se conhecem?

– Sim e muito bem! – Ele respondeu em um tom irritado.

– Ah! Tony a chave do seu carro está em cima da mesa.

– O que ela esta fazendo aqui de toalha e você também seminu?

– Por enquanto nada!- O menino disse dando um sorrisinho malicioso para mim.

Tony deu um soco na sua cara e os dois começaram a se bater. Até que eu coloque uma calcinha e um sutiã e fui intervir a briga.

Os dois pararam instantaneamente. E começaram a me fitar. O menino que eu não sei o nome estava sangrando e o Tony por cima dele. Ele foi tentar se levantar e acabou batendo a cabeça no balcão e desmaiando.

– Tony! – O menino gritou abaixando para ver se ele ainda estava vivo.

– Ele vai ficar bem. Coloque uma roupa e eu vou ver seus ferimentos. Enquanto isso, cuidarei deste aqui- Disse apontando para o lindo garoto caído ao chão.

Coloquei a cabeça dele sobre minhas pernas e comecei a acaricia-lo, ele não demorou muito para reagir. Logo acordou.

– Bah, porque você faz isso comigo? É tão torturante te ver com outro cara no mesmo dia que nós...

Fiz sinal de silêncio para ele.

– A minha gata é a mesma que a que você fica falando o tempo todo?

– É... – Ele disse bem baixinho.

– Desculpa cara, você não avisa. Já chega socando.

Cuidei dos ferimentos do menino e descobri que seu nome era Robert.

Amanda’s POV

Dia 22 de dezembro- Londres- Casa do Mathew

Esse com certeza era o melhor Natal de todos, o Mathew foi super cuidadoso comigo e não fez nada que eu não quisesse, assistimos filmes, comemos pipoca, jogamos videogame e dormimos de conchinha. Foi maravilhoso.

– Mandy, como o James sabia que eu e você...

– Ou ele é um detetive, muito esperto. Ou alguma das minhas amigas bocas grande contou pra ele ou... Ele sabia que você gostava de mim e que eu tinha uma quedinha por você e para me agradecer por adiar a nossa viagem de Gap Year ele resolveu nos presentear. – A ultima parte saiu sem querer.

– Por que ele pediu pra vocês adiarem a viagem? Ele não esta em Nova York?

– Está... Mas ele recebeu uma carta da Selena e...

– Ela enviou uma carta pra ele? Comecei a gostar dela. Ele falou que ela era a única pessoa que o fazia querer ficar.

– Ow. Amigos fofos esses nossos!

– Sempre soube que ia dar certo! Ele não perde uma!

Eu sorri e provoquei – E você perde?

– Você Nunca!

Estava quase dizendo pro Clark que eu amava ele. Não acredito que tudo isso aconteceu.

Os beijos foram ficando mais intensos até que nos separamos pela falta de ar. Á Tarde ainda passeamos por Londres. E ficamos juntos até que.

– 18 horas? Não acredito.

– O que tem ás 18 horas?

– A Selena vai me matar! Vem, nós temos que ir para a pista de patinação no gelo.

Sel’s POV

Não estava a fim de ficar com ninguém então voltei para casa, sozinha. Assisti alguns filmes e dormi depois de algumas horas.

No dia seguinte comprei uma roupa para ir patinar. A Lua e o Edward já haviam chegado. A Barbie tinha medo dessas coisas, mas ela, o Tony e um tal de Robert já estavam nos esperando. Logo ao chegar, recebi um telefonema da Amanda.

– Alô. Selena?

– É.

– Eu vou chegar um pouco atrasada. O Mathew pode ir comigo? Nós perdemos o horário passeando. – Ai como senti saudades dessa segunda parte. Sempre obrigava algum ficante meu a me levar aos lugares mais lindos de London. Ou até mesmo em Paris.

– Claro.

O Mathew era amigo do James. E ele me irritava, mas tudo para ver as amigas felizes né?

Patinamos por horas. Inclusive, fiz o meu show para qual treinei o ano inteiro.

A Amanda chegou. Pedi seu celular para ver as horas, Mas ela negou alegando que ele estava sem bateria. O que eu sabia que era mentira. Ela devia estar com medo de alguém ver as mensagens românticas dela.

– Estou tão feliz que vão adiar sua viagem. – Tony comentou.

– Nós vamos?- Respondi indignada.

– Foi o Mathew que me contou.

– Ah! Meninas eu preciso falar com vocês. – A Amanda disse nos puxando para longe da pista de patinação.

– Diga!- Falei alto.

– O Mathew, marcou um jantar com os pais dele e eu queria ir para oficializar nosso namoro. Mas o problema é que é no dia 25.

– A gente ia comemorar o melhor Natal da nossa vida em Cancun. E você quer me convencer a ficar por causa de um jantar que pode muito bem ser adiado?

– Amanda, me desculpa, mas a Sel ta certa não quero perder o melhor dia da minha vida por causa de um jantar. – Barbie concordou.

– Bah! Você não vai perder nada. Aliás, a gente pode ir para a Irlanda o que você acha? A gente passa uns dias na casa da minha vó. Ela vai estar em Los Angeles. – Tony falou sorrindo para Barbie que pareceu se contentar em ir para a Irlanda.

A Lua e o Edward não se manifestaram. Acho que também queriam aproveitar o dia juntos. Só eu achei essa decisão injusta? Perdemos horas planejando nosso roteiro de viagem. Olhando cidade por cidade. E elas querem adiar o primeiro e o melhor dia da viagem por causa daqueles garotos. A Lua eu entendia, os dois namoram sério há algum tempo. Mas o Tony e a Barbie nunca se quer fingiram gostar um do outro. E o Mathew e a Amanda? Eles se conheceram ontem.

– Eu vou sozinha então!- Disse batendo o pé.

– Ela não pode ir!- A Amanda disse mais para ela do que para as outras pessoas - Selena, me escuta bem. Imagina se fosse o James aqui, com você te pedindo para ficar. Imagina que ele vai te apresentar para os pais dele! Imagina que vocês estão apenas tentando aproveitar os últimos dias que podem ficar juntos. – Se ele estivesse ali, seria apenas uma miragem porque nós não temos nada! Por mais que eu queira. Eu abri meu coração para ele e ele me respondeu “Obrigado, o texto é muito lindo, de verdade” Nossa, quanto romantismo! Não, obrigada prefiro me divertir no meu Gap Year do que ficar aqui me iludindo.

– Foda-se ele! – Gritei e sai chorando dali.

Fui para a casa da Yasmim. Eu não estava mais aguentando. Estava doendo saber que minhas amigas preferem os meninos com que elas dormiram uma noite do que a amiga que sempre esteve as apoiando. Inclusive quando elas choravam por eles.

James’ POV

Dia 22 de dezembro- Nova York- Aeroporto.

Se eu fosse para casa, não conseguiria sair. Não me deixariam voltar para Londres. Não tinha nenhuma desculpa que pudesse dar eles e convence-los. De todos da minha família só minha irmã sabia que eu gostava dela. Ela já brincou com a minha irmã. A Bella tem 12 anos. Um dia a levei no parque de diversões e fui para uma danceteria lá perto. Quando fui busca-la ela me contou que a menina que eu tinha mostrado pra ela era muito legal. E que as duas foram em vários brinquedos juntas. Por que minha querida irmã não me ligou? Devia ter ficado naquele parque!

Se tudo der certo este voo vai sair dia 23 á noite. Não posso dormir duas noites no aeroporto. Tenho que procurar um hotel.

Depois de encontrar um hotel ligarei para Bella e explicarei pra ela o que está acontecendo. E quando eu já estiver em London invento uma desculpa.

Encontrei um hotel três estrelas. Perto do aeroporto e decidi me instalar por lá. Não seria por muito tempo.

Não conseguia tirar aquelas palavras doces da minha cabeça. E se não desse tempo? E se a Amanda não conseguisse adiar a viagem da amiga? Resolvi mandar uma mensagem para ela. “Tudo em cima?” esperei sua resposta, mas lembrei de que ela devia estar ocupada, por que eu dei uma ocupação para ela, o Mathew me deve essa. Rindo da situação, disquei o numero da minha irmã.

– Alô?

– Oi Bella, é o Clark! Avisa a mamãe que eu não chegarei a tempo do Natal.

– Por quê?

– Lembra aquela menina linda, legal, simpática, maravilhosa que brincou com você no parque?

– A sua namorada?

– A que deveria ser minha namorada. E que se tudo der certo será!

– Ow. O James esta apaixonado. Na verdade ela já estava. Mas agora vai virar homem e tomar uma atitude.

– Bella. Ninguém pode ficar sabendo de nada.

– Você vai mesmo trocar sua família por uma garota?

– Ela é a garota da minha vida!

– Mas não foi você que disse que desistiu dela depois da clareira?

– Não foi depois da clareira. Foi depois que ela não quis ficar comigo. E ela me explicou tudo em uma carta muito linda.

– Então leia para mim! Quero ver se ela vale tanto a pena como você diz?

– Desde quando você decidi o que vale ou não na minha vida?

– Desde que você me contou seu segredo e eu posso falar pra mamãe.

– Ok! – peguei a carta no meu bolso, senti o perfume dela mais uma vez e comecei a ler aquelas palavras lindas! A Bella começou a chorar do outro lado da linha.

– Vocês valem a pena. Queria que meu namorado escrevesse uma coisa fofa assim para mim!

– Que namorado?- Perguntei irritado e ela desligou na minha cara.

Yasmim’s POV

A Selena chegou chorando na minha casa. Eu odiava ver ela naquele estado. Geralmente ela possui um sorriso lindo que alegrava a todos. Mas hoje ela estava deprimida.

– Sel? O que aconteceu?

– As meninas querem adiar a viagem porque estão com seus namoradinhos.

– E você esta pior pela viagem, por elas ou por ele?

– Eu não sei. Posso dormir aqui?

– Claro meu anjo.

Fiz com que ela se sentasse no sofá e sentei ao lado dela. Não disse uma palavra. Acariciei seus cabelos. E a deixei chorar, por para fora toda a raiva que sentia ela acabou adormecendo no sofá. Levei-a uma coberta. E fui dormir. Queria entender o que se passava na cabeça dela. Mas sabia que ela precisava de tempo.

Amanheceu e ela ainda dormia um sono profundo e delicioso. Aposto que sonha com o James dava pela expressão de ternura que ela fazia.

Sempre soube do rolo desses dois. Ela gostava dele, mas o rejeitava, pois tinha medo de ser rejeitada. Ele se sentia magoado, mas não parava de ama-la.

Dia 23 de dezembro- Londres- Uni Station

Sai para comprar o café. Quando voltei, ela já estava acordada. Sorrindo.

– A dor passou né?

Ela assentiu

– Tudo passa.

Ela sorriu. E disse:

– Só não passa a falta que ele me faz. Saber que ano que vem eu vou estar lá e ele não. Que eu nunca mais vou ver ele na minha vida.

– Minha linda, eu sei como é o Ygor esta em Amsterdã. Eu o vejo todo o final de semana. Mas mesmo assim eu já tenho medo de com o tempo ele se esquecer de mim.

– É diferente! Ele é seu namorado.

– O James é seu. Ele é seu cumplice, seu amor, seu coração.

– Como pode saber? Nós só conversamos por mensagens e convivemos muito pouco. Não é algo que marque a vida de uma pessoa.

– Não importa a quantidade e sim a qualidade. Quando vocês estavam juntos parecia que fogos de artificio estourariam por vocês.

– Sabe... Elas não tinham o direito de adiar essa viagem. Eu precisava dela pra recomeçar. Pra voltar a ser a Selena.

– Eu sei que você esta com raiva. Mas quer uma dica?

– Sim.

– Tudo tem um porquê. Até mesmo a pedra que está no chão. Foi por causa de uma pedra que eu conheci o Ygor. Talvez esses três dias que a viagem será adiada poderão ser os três melhores dias da sua vida.

Amanda’s POV

Cadê a Sel? Meu deus ela sumiu e a culpa é toda minha. Será que ela fez alguma besteira? Será que antecipou a viagem? O que eu respondo pro James agora? Eu o deixo desistir?

O Mathew é tão incrível que me ajudou a procurar minha amiga sem dizer se quer uma palavra. Ele sabia que nenhuma palavra se adequava ao momento. Eu já estava quase indo a delegacia fazer um B.O. Coisas horríveis passaram pela minha cabeça. E outras maravilhosas como saber que ela podia ter encontrado ele e os dois podiam estar se amando.

Recebi uma mensagem da Yasmim “Eu estou bem! - Selena”.

Ela estava sem o celular. Que ótimo! Ela estava com a Yasmim. Isso é bom, mas eu não sei onde é a casa dela. Mas como ela está bem sei que vai voltar para casa ainda hoje.

Sel’s POV

Dia 24 de dezembro- Londres – Uni Station.

Fui para casa de madrugada peguei minhas coisas coloquei em uma mala. E voltei para a casa da Yasmim. Deitei-me e dormi mais algumas horas. Ouvi meu celular tocar, mas eu não queria atender.

A Yasmim se levantou parecendo um zumbi. Atendeu o celular.

– Alô? Você acha que isso é hora de ligar pra alguém?

– Desculpa. Não desiste de mim.

A pessoa logo desligou.

–Pessoas passam cada vez trotes piores. - Ela resmungou.

– Já vou indo!

– Já? Fica para o café!

– Não posso!

Ela me abraçou. E começou a chorar dizendo que ia sentir muito minha falta e que era pra eu a chamar no Skype todos os dias.

A Yasmim ligou a televisão alegando que assim não se sentiria tão sozinha. Na verdade era somente drama. Prestei atenção no que dizia o jornal.

“Descobriram que no dia 20 de dezembro um avião que tinha como destino Nova York caiu matando dezenas de pessoas que esperavam comemorar uma data linda com sua família.”

Meu coração parou por alguns segundos. Senti uma apunhalada no peito. Eu só conseguia me lembrar do rosto dele dizendo. “Embarco dia 20 de dezembro”. Fiquei tonta por alguns segundos. A Yasmim percebeu, pois logo me apoiou com o ombro.

– Sel!

– Eu não acredito. Deixa-lo ir já doeu tanto. Perder ele é como perder meu coração. – Disse entre soluços.

– Você não sabe se foi o voo dele!

– E se for?

– Não é!- Ela disse sendo firme. Mas não podia ter certeza. Mais do que nunca eu precisava daquela viagem. Só que eu não iria para Cancun eu iria para Nova York. Por quê? Eu precisava vê-lo nem que uma última vez.

Peguei minha mala e sai correndo do apartamento da Yasmim. Cheguei ao aeroporto. Limpei minhas lágrimas e corri para as bancadas de atendimento. Enquanto corria tive a impressão de ter visto o James. Mas acho que era apenas uma ilusão do meu coração.

James’ POV

Eu cheguei às 5 horas da manhã em Londres. Vi no noticiário que o avião que saiu logo após o meu dia 20, havia caído então decidi ligar para minha mãe. Para avisá-la que estava bem.

– Alô.

– Mãe. Eu estou bem. Não se preocupe comigo.

– Ah, filho ainda bem. Acabou de sair no jornal que o avião caiu e o meu coração já estava quase saindo pela boca. Então me conte como foi...

Deixei meu celular cair quando a vi ali naquele aeroporto. Ela estava linda. Corri em sua direção, mas não consegui encontra-la. Deu-me um aperto no coração. Ela foi embora. Tudo foi em vão.

Pedi para a moça do atendimento chama-la e dizer que o amor da vida dela estava a esperando. E ela apenas zombou da minha situação.

Sel’s POV

Os voos para Nova York já tinham se esgotado. O meu voo para Cancun ainda demoraria cerca de duas horas então fui para o lado de fora do Aeroporto ver a neve que caia. Quando o vi ali sentado no chão chorando.

– Por que você está chorando?

– Porque eu perdi o amor da minha vida para sempre.

– Já disse isso para ela?

– Não deu tempo. Eu plane... – Ele finalmente tirou a cabeça do joelho e olhou para mim.

– Eu aposto que ainda da tempo de dizer a ela tudo o que sente.

James’ POV

Meu coração disparou ao ver os olhos dela brilhando. Seu sorriso iluminando aquela madrugada escura.

– Selena. – Ele disse enquanto tirava um desenho de seu bolso. – Nunca pensei que pudesse gostar de mim. Sempre que dava esperança ao meu coração. Algo acontecia e ela morria. Sempre que me rejeitava eu sentia meu coração se despedaçar. Não demonstrava a dor. Mas a sentia. Quando encontrei sua carta, senti seu perfume, pedi para pular do avião de paraquedas porque a única coisa que vale mais que a vida é o amor. Eu precisava de você. Eu queria você. Eu amo você. Não precisamos de muitas palavras, não precisei te ver dançar para que me seduzisse. Os seus olhos fizeram isso por você. O teu sorriso alegrava meu dia. Teu abraço me levava para o paraíso em segundos. Eu gosto de você muito antes daquele jogo. Eu gostava da menina que eu via sorrir a toa. Que fazia gracinha pra provocar as pessoas. Que sabia ser menina e sabia ser mulher. Eu me apaixonei por ela. E quando achei que estava conseguindo esquecê-la, os nossos olhares passaram a se cruzar e meu coração sentiu a necessidade de amá-la. Sim. Eu namorei com outras garotas. Mas não era com elas que eu queria estar não era nelas que eu pensava quando desenhava um coração ou escrevia uma música. Não era pra elas que eu tocava. Era pra vocês, sempre foi pra você, pensando em você. Você aceita namorar comigo?

Sel’S POV

– Sim. – Disse em meio a um milhão de lágrimas que escorriam pelo meu rosto e faziam enxergar que era ele o único que meu coração desejava. Pela primeira vez consegui admitir que ele era o único que tinha a capacidade de mudar meu humor, meu sentimento, minha paz.

Nós nos abraçamos e depois de muitos selinhos. Beijamo-nos. Sentia o calor que percorria meu corpo e uma sensação de felicidade suprema que eu não queria que acabasse nunca mais.

No caminho para casa, conversamos sobre o plano dele. Sobre o nosso dia perfeito e foi assim. Andamos por toda a cidade: London Eye, Starbucks e para o Hyde Park. Escureceu e ele disse que não tinha me dado o presente de Natal dele ainda.

Ele me levou para minha casa onde, convidou todos para passarem o Natal em um lugar especial. Depois de patinar comigo, ele nos levou a um parque com a grama coberta pela neve com uma árvore gigante decorada. Uma mesa linda com várias coisa deliciosas. Começaram a estourar fogos de artificio e a contagem regressiva era encantadora: 5, 4, 3, 2, 1... Ele pegou sua guitarra um microfone e cantou I should I Have kissed you. A nossa música. Os três outros casais se beijaram.

– Posso fazer com que esse arrependimento não volte nunca mais?

– Claro! – Ele disse sorrindo e eu o beijei.

Selando o Natal com uma história de amor e amizade. Quatro amigas que moravam juntas e amavam o Natal mais que quase tudo. Quatro meninos que se encantaram por elas. E a magia que o Natal exercesse sobre cada coração.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...