In love With My Idol

Sabe quando você acorda sonhadora? Eu acordava assim todos os dias, acordava com esperança de ter uma grande mudança na minha vida, mesmo que todas as noites eu tenha os mesmo sonhos, e acordasse sabendo que nada aconteceu, eu tinha essa grande esperança de amor e um grande medo. Medo do futuro, medo de nunca poder chegar perto de você, medo de nunca poder te abraçar, medo de não poder ter só um pouquinho de você para mim. Exatamente isso que eu sentia antes de descobrir que o mundo da voltas. Na verdade nao sabia que milagres aconteciam, mesmo acreditando nisso mais que tudo.

20Likes
14Comentários
1459Views
AA

3. Dias Raros

 

"Ser fã é agradecer pela existência de alguém, quando ele talvez nem saiba da sua."

 

Hoje é um dia raro. Eu considero raro, pois dificilmente os feriados caem nas terças-feiras. Eu já havia acordado fazia um tempo, mas fiquei na cama admirando os posters que estavam fechando toda a minha parede. Ouvi uns passos no corredor, deduzi que estavam vindo em direção ao meu quarto. Fechei os olhos rapidamente.

- Filha! Acorde. O almoço está pronto. 

Tentei ignorar minha mãe, mas ela abriu a janela fazendo com que luz do dia viesse diretamente sobre meu rosto.

- Mãe! – resmunguei – Fecha isso! 

– Vamos Raynara! Levante. Nunca vi dormir tanto.

Permaneci com os olhos fechados e só soltei um gemido baixo. Puxei o lençol cobrindo todo o rosto, e em seguida o abaixei deixando abaixo dos olhos, abrindo-os lentamente e vendo minha mãe ao lado da porta com as mãos na cintura como nos filmes americanos, soltei risos leves diante daquela situação mas ela me encarava friamente.

– Ta ok. Você venceu! Já estou indo. 

Sentei-me na cama e fiquei a encarando por alguns segundos, até que ela abriu a porta do quarto e se retirou. Voltei a deitar quando ouço uma voz vindo das escadas “ E, não demora!” . Levantei-me com os olhos quase fechados que, ainda estavam tentando se acostumar com a luz que se espalhava por todo o ambiente.

Agarrei a escova de minha penteadeira e penteei meus cabelos louros bagunçados o mais rápido possível – foi muito difícil, já que eles desciam pelas minhas costas. Minha mãe estava desesperada para corta-los, mas eu insistia para isso não acontecer. Com apenas 1,62 metros e maravilhosos olhos verdes, mamãe costumava me chamar de “Porcelana”. Eu deixava, mesmo sendo vergonhoso pois não tenho mais seis anos de idade, mas não queria entristecê-la.

Estou um pouco nervosa, aliás hoje vou perguntar para os meus pais se eles permitem eu concorrer para a Top Life Model’s, claro que mamãe permitiria já que ela apoia todos os meus sonhos e sempre me incentiva neles, mas seria difícil convencer o papai pois havia um único problema, eu não terminaria os estudos e, claro que ele pretendia que eu fizesse algum vestibular, coisa que eu não queria. Depois de longas noites de briga, discussão e eu me trancando no quarto fazendo greve social, meu pai finalmente autorizou eu me formar em dança e modelo. Eu queria que ele realmente me apoiasse nas minhas escolhas e sonhos pois sempre me pego imaginando na capa da revista vogue e, dançando no palco da Broadway.

Estou no primeiro ano do ensino médio e, não era esse futuro que meu pai estava planejando para mim, talvez que eu me formasse em Direito, Medicina ou Engenharia ou apenas seguisse o rumo da minha irmã mais velha, Rayanne. Ela está na universidade de Odontologia, está com 19 anos e acredito que tem um grande futuro pela frente, já que sempre se dedicou muito aos seus estudos. Desviei-me dos meus pensamentos com um barulho que estava vindo do outro lado da porta. Era meu cachorro, Joe da raça Golden Retriever, ele tinha apenas 4 meses e já era maior que a minha poodle de 6 anos, Meggie.

- Bom dia rapaz! – agachei-me para acaricia-lo que, logo lançou suas duas grandes patas sobre meus ombros.-

Ouvi algum barulho, a campainha estava tocando, Joe rapidamente correu para receber quem é que fosse nos visitar. Então, revolvi ir ao banheiro e fazer minha higiene bucal. Comecei a ouvir conversas paralelas, estava curiosa para saber quem era, por isso nem troquei de roupa, quando passo o dia todo em casa costumo permanecer de pijama, afinal é a minha camisola preferida dos Ramones.

Desci as escadas devagar... Ao ouvir meus passos, mamãe logo se manifestou.

- Até que enfim sua irmã veio almoçar! – demorei um pouco para raciocinar, temi em pensar que a Mari estava ali conversando com eles sobre a Top Life Model’s, mas me deparei com uma morena, alta de magníficos olhos verdes, que estava vestindo uma saia de cintura alta e uma blusa social. Era a Rayanne.

- Raaaay! Pensei que nunca mais iria vim nos visitar! – fui em sua direção, e a abracei. Lembrando-me do fato de como eu parecia uma criança ao seu lado.

Dificilmente ela vinha nos visitar então sempre quando ela está aqui é só motivo de festa, nós eramos muito apegadas mas desde o momento em que a realidade caiu e ela seguiu sua vida, as coisas realmente mudaram é como se eu fosse filha única, já havia me acostumado com o fato de que ela não irá morar com nós novamente. 

Mamãe resmungava, as únicas palavras que saiam da sua boca naquele momento era " A comida vai esfriar, a comida vai esfriar, vamos crianças venham comer ". Resolvemos sentar todos a mesa, em seguida começamos a se servir, só ouvia o barulho dos talheres e da mastigação de todos que estavam ali, o silêncio permanecia. Então, resolvi quebra-lo.

- O que veio fazer aqui Rayanne? – eu já sabia a resposta, veio passar o feriado mas o estranho é que ela mora em outra cidade que é muito longe, então teria que voltar hoje. É de costume vir nos finais de semana.

- Aleluia você perguntou! – Ray estendeu as mãos para o ar, fazendo uma expressão engraçada que me fez rir de forma curiosa, realmente ela não era aquela pessoa séria que transparecia ser.

- Como assim? Não estou entendendo! – disse confusa. 

-Ontem, recebi uma ligação dos pais da Mari... – minhas mãos começaram a suar. Mamãe continuou. – E, ela me contou sobre um concurso da Top Life Model’s!

- Mamãe, eu iria te contar hoje. Eu juro. – Meu pai me encarava muito sério de uma forma em que me deixou com medo.

- Deixe sua mãe continuar! – Papai me interrompeu.

- Então conversei com seu pai e sua irmã e... estaremos torcendo por você!

 

Por favor, comentem sobre o que acharam da fanfiction. Obrigada :) xx

 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...