The Lost JEWEl

Diz-se que o amor e para sempre. Mas o amor de David e Sara vai ter muitos obstáculos a ultrapassar. Descobrir que raptaram a filha e mentiram ao dizer que tinha morrido no parto, deixa qualquer casal chocado, magoado. Será que vão David e Sara achar a sua jóia perdida....Matilde. Leiam por favor :D

1Likes
5Comentários
1695Views
AA

2. The dinner

Estava no meu quarto e estava quase pronta para descer. Estava a usar um vestido branco simples, mas que a minha mãe me dizia que ficava muito bem com os meus olhos azuis e meu cabelo loiro.
" menina precisa de ajuda?" Perguntou Marília batendo à minha porta e entrando
" nao Marília obrigada! Marília chega aqui" disse eu preocupada
" o que se passa?" Perguntei eu
" nada menina que pergunta" disse Marília se recompondo tu estives-te a chorar?" Perguntei eu pondo as minhas mãos nos ombros dela 
" oh menina. Ja não sei mais o que fazer, o meu joaozinho esta cada vez pior não aceita a medicação e a próxima que ele tem que experimentar a ver se funciona e muito cara e não vou conseguir pagar" desabafou Marília no meu ombro
" calma calma, olha para mim. Mas o hospital não paga?" Perguntei eu sem saber o que estava realmente a acontecer.
" paga, menina mas a primeira, e se depois ele ate reagir bem? Não vou poder pagar" disse ela chorando
" eu ja sei Marília já sei eu peco aos meus pais, e uma questão de saúde eles vão ajudar" disse eu limpando as lagrimas dela
" nao não menina não faca isso" disse Marília se afastando
" porque?"
" pois eu depois nem a trabalhar 200 anos ia pagar isso de volta aos seus pais" 
" não te preocupes com isso, já ta dito eu vou falar com os meus pais." Disse eu olhando para ela
" a menina e tão boa. Com tão bom coração" disse ela abraçando-me

Quando Marília me abraçou eu senti uma lagrima a tentar descer da minha cara mas contive-me.

Eu desci estava tudo lindo lindo parecia que ia lá o rei William.
Cheio de flores em cada canto da sala.
Uma música de fundo, empregados e mais empregados. Minha mãe com um vestido lilás se aproximou de mim.
" querida esta linda, mas podia por os seus saltos altos" disse minha mãe 
" mãe eu não vou sair de casa, não preciso de saltos altos" disse eu ha do para minha mar
" a menina sinceramente, e sempre inconveniente" 
" eu e que nunca estou bem para a mãe, com licença" disse eu saindo da sala para o jardim

Meu pai apareceu com o seu amigo e com a mulher dele. E eu olhei de lado. 
" filha este e o meu amigo do coracao João dos reis, esta e a minha adorada filha" 
" prazer" disse eu muito rápido
" prazer e todo meu, Sara, tu es muito bonita." Disse ele olhando para mim deixa forma diferente
" obrigada, com licença"

Eu tinha que sair dali. Ele estava me a olhar de uma maneira horrível parecia que me queria... Enfim.
Fui ate a piscina, e sentei-me lá. Estava a pensar na situação da Marília e do Joãozinho. Como havia de pedir o tal dinheiro para meus pais. Mas sabia que tinha de pedir. Eu queria muito ajudar.

O jantar tinha começado e eu já estava farta de estar naquela mesa sempre com aquele homem a olhar para mim, sim o tal amigo de meu pai.
" bem acho que devemos começar a falar, eu gostava de agradecer a todos os que vieram, pois quero que vocês todos façam parte do meu novo projecto com o João dos reis. Continua amigo," disse meu pai
"Bem muito boa noite, o jantar esta otimo" começou o tal João de reis
Olhei para ele com desdenho
" eu quero construir fabricas de tecidos num campo que eu descobri em viagem, aqui mesmo em seatle" 
" muito boa a ideia, e e preciso deitar a baixo alguma coisa?" Perguntou meu pau muito naturalmente
" sim umas arvores, e eu ja tratei das coisas e vamos começar o processo ja depois de amanha" disse o amigo do meu pai
" o que?" Disse eu solevantando-me
" Sara querida que esta a fazer sente-se" disse minha mãe olhando seria para mim
" voces vão deitar abaixo arvores que dão vida que dão oxigénio, e vão por lá fumo fabricas" disse eu em choque
" Sara sente-se" disse meu pai berrando
"Calma Francisco" disse o amigo
" sente-se imediatamente" disse meu pai serio olhando para mim
E eu lá tive que sentar, mas estava tão enjoada do assunto que não consegui comer mais
" muito bem, continue amigo" 
" eu vou chamar pessoas do desemprego, coitadas que não tem nada para começar a trabalhar e ganharem alguma coisa" disse o amigo
" vês Sara isto ate vai ser bom" disse o amigo novamente olhando para mim de outra forma
Eu ri-me ironicamente.
o resto do jantar foi horrível como vocês estão a imaginar.

Estava tão farta que mal os convidados saíram eu tentei subir logo as escadas para ir para o meu quarto
" sara espere" disse meu pai
" sim" disse eu descendo os dói degraus
" isto que não se volte a repetir, e um negocio importante. A menina tem que ficar calada ouviu?" Disse ele zangado
" o pai não percebe..." Disse eu
" Sara pare!" Gritou minha mãe
" suba" disse meu pai

E eu lá subi. Tão nervosa que ate chorei. So queria que fugir dali.
Mas enfiei-me na cama e só acordei no dia a asseguir.

No pequeno almoço, estava tudo calado a mesa estava cheia na mesma. Mas não tinha vontade de comer pois ontem tinha comido tanto tanto.
Eu nao abria a boca a não ter sido a minha mar a me fazer uma pergunta.
" quando e que vai a faculdade?" 
" hoje de tarde" disse eu sem olhar para eles
" muito bem, quero saber de tudo depois" disse seria a minha mãe
" eu queria era falar convosco um assunto" disse eu
Eu sabia que o momento não era oportuno mas mesmo assim arrisquei
" seja rápida que eu tenho que sair" disse meu pai
" o filho da Marília esta mal ele não esta a reagir bem a medicação e eles precisam de dinheiro para o outro tratamento." Comecei
" e então? O que temos haver com isso" disse meu pai
" o que..que... Pai Marília não tem como pagar a medicação do filho que tem diabetes.." Disse eu 
" querida, por acaso não esta a pedir dinheiro para dar a Marília? Pois não"
" pai ou menos aumente o ordenado, ela ganha pouco para os anos que esta nesta casa" referi eu 
Ficou tudo calado, e eu estava chocada a ver os meus pais tão maus que não conseguiam ajudar ninguém 
" mãe..." Disse eu ilha do para ela
" querida eu...vou falar melhor com o seu pai" disse ela
" obrigada" disse eu dando a minha mão. 

Tinha saído de casa logo mal acabou o pequeno almoço e já tinha contado tudo aos meus amigos.
" tas bem?" Perguntou tomas vendo que estava muito calada
" sim só estou a pensar aqui nos meus pais e no que seria eles serem diferentes.
"Nao penses nisso amiga, vá vamos a minha casa lanchar pois temos que falar melhor da tua festa de anos." Disse Lolita
" Lola o meu aniversario e daqui a 1 mês" disse eu rindo-me 
" e então? parece que não podemos planear antes queres ver?"
E lá fomos nos ate casa de Lolita.

Eram 6 horas a tarde o habitual de estar em casa. Os meus pais não estavam. Por isso suspirei de alivio e deitei-me no sofá. 
Mas vi logo que não era por muito e vi alguém a abrir a porta era meu pai
" boa tarde querida" disse ele
" boa tarde pai"
" ainda bem que esta aqui, quero que venha comigo amanha conhecer o pessoal que vai começar a trabalhar no projecto" disse ele indo beber whisky.
" o que pai? Ta a brincar" disse eu espantada
" porque essa relação, a menina tem que estar mais ligada aos negócios do seu pai qualquer dia e a menina a orienta-los" 
" dispenso" disse eu alevantamento-me
" Sara não sei se a menina percebeu mas a menina vai amanha comigo bem cedo" disse ele olhando para mim
" ok pai" disse subindo as escadas ate meu quarto
" aí que ódio" gritei 
Naquela altura estava sempre a fazer o que eles queriam era horrível. 

Mas foi nessa ida a fabrica que mudou a minha vida ou seja alguma.
Ja tínhamos chegado a fabrica e o meu pai reuniu o pessoal todo, nunca tinha visto tanta gente desempregada e pronta a trabalhar
O meu pai começou a falar e a explicar o que devia fazer, eu estava ali especada a pensar que podia estar com os meus amigos. Quando o meu pai acaba toda a gente começa a verificar o espaço a ver se tudo estava a correr bem. Eu tentei sair de lá pois estava com falta de ar. Andei, andei parecia uma barata. Ate que fui contra alguém. Um rapaz lindo moreno cabelo castanho. Feições lindas. Olhos lindos sorriso lindo. " desculpa. Magoei-te" perguntou esse rapaz
" ah não não" disse eu estupefacta a olhar para ele
Ele sorriu mas saiu logo da minha frente como o vento, muito depressa nem perguntei o nome. Devia ter visto quem eu era, a filha do dono, e então não quis mais conversa. Mas sem duvida que ele foi o rapaz mais bonito que vi em toda a minha vida.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...