The Lost JEWEl

Diz-se que o amor e para sempre. Mas o amor de David e Sara vai ter muitos obstáculos a ultrapassar. Descobrir que raptaram a filha e mentiram ao dizer que tinha morrido no parto, deixa qualquer casal chocado, magoado. Será que vão David e Sara achar a sua jóia perdida....Matilde. Leiam por favor :D

1Likes
5Comentários
1792Views
AA

3. He is beautiful

Ainda na fabrica o tentei encontrar mas nunca mais o vi. Perdi logo a esperança. Ele de certa forma tinha mexido comigo. So queria o voltar a ver. 

Em casa no meu quarto só pensava nele, nos seus olhos castanhos claros. 
Mas sem poder relacionar a um nome. 
Quando desci para o pequeno almoço estava minha mãe a falar com Marília, eu ansiosa por saber. 
Minha mãe senta-se à mesa e eu pergunto-lhe 
" o que se passou ali?"
" bom dia também querida, estava a falar com a Marília por causa do que me falou. Dei-lhe um aumento" disse a minha mãe
" asserio? Obrigada mãe" disse eu agarrando a minha mãe cheia de força.
" aí querida pronto vá e para não dizer que a sua mãe não faz nada por os criados" disse ela
" obrigada. A mãe pode ser assim sempre só que não quer" disse eu olha do para a minha mãe
O meu pai desce, e eu gostava de ver outra vez o rapaz por isso pedi ao meu pai para ir com ele a fabrica
" pai o pai vai à fabrica hoje?" Perguntei
" sim mais tarde querida porque"
" posso ir consigo?" 
" claro eu ate fico contente" disse o meu pai animado.
O que eu queria mesmo era encontrar e conhecer direito aquele tal rapaz.

Eram 4.00h e ja estava meu pai lá a minha espera, a porta da escola. 
" vamos querida." Disse meu pai abrindo-me a porta" 
" vamos lá" disse eu entusiasmada
Chegamos a uma das fabricas do meu pai e eu fiquei na entrada. So via pessoas a trabalhar, mas o pior e que era para um negocio horrível que iam fazer. Eu de repente tive de ir a casa de banho. Eu ate tentar me dar com ela, demorou um bom bocado. A fabrica era mesmo grande, era só corredores e mais corredores. De repente ao virar um corredor vejo o tal rapaz e um senhor, pensei que podia ser alguém próximo por ele ser tão parecido ao tal rapaz. E então eu escondi-me sei lá, 1 impulso.
Mas não deu para eu deixar de ouvir o que eles estavam a falar.
" pai, não aguento. Eu não quero trabalhar mais aqui" disse o tal rapaz
" filho, não podes desistir, nos só nos temos os dois e o meu ordenado não da quase nada, tu não queres entrar para a academia?" Disse o pai do rapaz
"Sim, quero muito mesmo" 
" então mais um bocado de esforço e vamos conseguir" 
E assim saíram do corredor e eu fiquei a pensar naquela conversa.

Fui ter com o meu pai ate ao seu escritório e falamos de tudo, lá esta não me apetecia ouvir.
O meu pai tinha ido fazer a ronda antes de irmos embora e eu como queria mesmo ver de mais perto o rapaz. Foi ate ao centro da fabrica e andei lá. Realmente era mais gente que eu imaginava.
De repente fui contra um ferro. Gritei tanto que ate chorei.
" aí, bolas bolas bolas" gritei eu
" estas bem?" Tinha perguntado alguém
Eu virei-me e quem era? Sim o tal rapaz. Era lindo cada vez que eu pescava os olhos via a beleza a crescer pela parte dele.
" ah sim sim, quer dizer não não" disse eu coxeando
" espera senta-te aqui." Disse o tal rapaz me dando um banco
" obrigada" 
" bem mas tu es a filha do patrão, bem o que anda aqui a fazer e muito perigoso" disse ele
" bem eu ah, por favor não me trates por você. Nos temos a mesma idade né?" Disse eu sorrindo para ele
"Ok posso tentar, eu sou o David. Tu es?" 
Finalmente o nome dele e que nome mais lindo. Meu Deus, David.
" ah, Sara, prazer" disse eu
Ficamos a olhar um para o outro durante segundos mas pareceu minutos. Os olhos castanhos dele são tão lindos que eu só pensava em falar-lhe mais, mas não deu. A sirene tocou não percebi bem para que. So sei que ele tinha-me dito que tinha sido um prazer me conhecer mas tinha de ir. E eu já não o vi mais.

Voltei a pensar no olhar dele. E como eu me senti feliz de ver aquele olhar. Nunca tinha visto nenhum rapaz "por dentro" digamos assim. Eu achava que era amor a 1 vista. Eu acreditava nisso.
Em casa no jantar eu mal falei. Estava a tentar magicar uma maneira de o voltar a ver. E não e que o meu pai surge com algo.
" querida amanha quer vir comigo vamos fazer estudos sobre o material que vamos usar." Disse o meu pai comendo
" ah claro pai eu vou." Disse eu parva 
" mas então eu realmente não entendo a menina, ainda no jantar com o amigo do seu pai, mostrou-se contra esta ideia das fabricas" disse minha mãe
" e continuo a estar, mas agora a mãe diga-me se isso vai fazer com que não se faça" disse eu
" pois querida não vai não pois este projecto vai tornar a família bacelar a outro nível." Disse o meu pai contente com aquele disparate.
" pois" disse eu calando-me continuando a comer
" olhem sabem quem me ligou a dizer que esta a adorar Paris com o seu namorado?" Perguntou a minha mãe excitada
" deixe-me adivinhar" disse eu ironicamente 
" a nossa filha, Francisco" 
" óptimo. Fico feliz por os meus dois primeiros filhos estarem felizes da vida e bem da vida isso e que é importante" disse meu pai
" so falta a menina" continuou vira do-se para mim
" a menina tem que encontrar um namorado, querida, o menino Afonso, filho dos Escobar." Disse minha mãe pousando os braços 
Eu nao queria acreditar no que estava a ouvir
" a sua mãe tem razão, o rapaz é bem parecido e esta muito bem na vida pelo que sei" rindo-se
" ah , eu não quero falar disso. Podemos comer sem falar em casamentos e namoros e assim?" Disse eu recompondo-me

Depois do jantar fui para o meu quarto e só conseguia pensar no dia de amanha. E no David, alias estava contente pois já sabia pelo menos o nome dele.
O meu quarto tinha uma varanda que, tinha uma pescina e um banco tipo baloiço. Eu fui para lá sentei-me e olhei para as estrelas. No entanto veio me a cabeca que faltava pouco de um mes para eu fazer anos. Nao acreditava que ia fazer 18 anos. Ia ficar maior de idade. Bem que podia sair desta casa mas ia viver do que?
Eu olhando para as estrelas fecho os olhos e peço um desejo. Desejei que o meu aniversario fosse diferente aos outros. Sem nada de luxo. So essencialmente as pessoa que adorava. De repente toca o tele e eu vou a correr para dentro atender que estava na minha mesinha de cabeceira.
" oi, doidinha" disse Lolita
" oi!"disse eu sorrindo
" então como foi encontras-te o tal rapaz?" Perguntou ela 
" sim encontrei. Ele e lindo. E chama-se David. Lola" disse eu saltando para a minha cama
" hum. E o teu pai sabe que o conheces-te?" Perguntou Lolita
" não! Achas? Eu não quero misturas entre o meu pai e eu!" Disse eu seria
" Sara, desculpa o que eu te vou dizer mas, amiga, eu já te vi a babar por rapazes e depois não acontecer nada" 
" eu sei Lola. Mas eu desta vez acho que estou apaixonada. Tu sabes o que é. Sentes algo dentro de ti a mexer-se na barriga. O coração bate forte e não consegues respirar. Tu sentes isso pelo tomas." Disse eu suspirando
" ai sarita. Eu acredito em ti amiga claro. Mas vai com calma não o conheces de lado nenhum e pode ser sei lá um maluco qualquer!" Disse Lolita preocupada
" eu sei que ele não e. Eu sinto. Bem tenho de desligar. Amanha falamos melhor. Beijos" disse eu
" beijos doidita!" 
E assim acabei por dormir pensando nele.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...