Irresistible

”Until I met you, I could not imagine going through life with one person. Now I can not imagine going a day without you.”

”Até conhecer você, não me imaginava passando a vida com uma única pessoa. Agora não consigo imaginar passando um dia sem você.”

17Likes
9Comentários
6829Views
AA

8. Capítulo 8

No dia seguinte teve outro show em Dublin. A família do Niall compareceu para nos ver, e ver os meninos também. Foi um dia muito legal, nós saímos para jantar juntos, foi uma noite especial, apesar de toda tensão da noite interior.

  Os meninos tiveram dois dias de folga, e nós voamos de volta para Londres. Eu senti falta da minha casa e de toda aquela ‘’gentalha’’. Estava de manhã, e eu estava em aula, meu professor estava falando sobre um livro de literatura antiga que ele pediu para a classe ler, quando Louis me mandou um SMS.

  ‘’Querida Elen! Td bem? Vc pode me mandar o numero do celular da Esther? Xx’’

  Eu estava tipo ‘’OH MY HOLY COW!’’ Eu enviei o numero pra ele, e ele me mandou outra mensagem.

  ‘’Me passa o numero da Yuka tbm, Liam tá pedindo...’’

  Como? Eu fique de boca aberta! Obvio que eu mandei o numero da Yuka também. Na hora do intervalo, eu fiquei doida pra contar isso pra Sam. Eu finalmente a encontrei na biblioteca junto com Esther e Yuka.

- ELEN! Você não vai acreditar nisso! – Esther estava surtando, quase pulando em cima de mim.

- O que, menina? – Eu puxei a cadeira e me sentei, colocando a mochila em cima da mesa.

- Louis me convidou pra sair, e Liam convidou Yuka! – Ela não conseguiu esperar Yuka dizer isso.

- Sério? OMG! Maravilha! – Eu fingi que estava surpresa. – Vocês são demais, hein. – Eu levantei minha mão direita pra fazer ‘’high-five’’ com elas. Elas correram para o banheiro porque elas não podiam gritar na biblioteca.

- Eu sabia disso... – Eu disse pra Sam tirando um livro de dentro da mochila.

- Eu também. – Sam deu um sorrisinho. – Então... Você está bem, El?

- Mais ou menos. – Eu disse cabisbaixo. Era impressionante como Sam sabia quando eu estava bem ou não. Ninguém percebia só ela.

- O que aconteceu? – Sam parou de ler o livro e olhou pra mim.

- Se lembra na nossa segunda noite em Dublin? – Eu perguntei.

- Sim... Noite maravilhosa! – Ela ficou animada por um momento.

- Só pra você... – Eu abaixei minha cabeça. – Niall fez uma surpresa linda pra mim, com velas perfumadas no quarto.

- Awww, que lindo! – Ela disse interessada.

- Então eu encontrei uma rosa na cama e de repente ele estava atrás de mim... E queria fazer ‘’coisas’’... – Eu estava um tanto desanimada.

- E o que você fez? Eu posso ver no seu rosto que você desapontou o menino, né? – Sam fechou o livro.

- Sim... – Eu olhei pra baixo. – Eu não estou pronta pra isso, entende? Tem uma mistura de sentimentos dentro de mim, é um passo enorme pra mim.

- Eu sei, El. Eu senti isso também. – Sam segurou minha mão esquerda. – Se Niall realmente gosta de você, como eu acredito que ele goste, ele vai te entender. Você vai saber o tempo certo de fazer tudo. – Ela sorriu pra mim. Fiquei muda por uns 20 segundos. Pensando em tudo.

- Obrigada, Sam. – Eu sorri e a abracei. Eu me sentia tão agradecida a Deus por ter Sam na minha vida. Ela era minha irmã! A melhor pessoa que eu conhecia.

- Holy Crap! Eu estou atrasada! Preciso ir. – Eu disse me levantando e correndo em direção a saída da biblioteca. Saí da escola, e fui correndo para o curso de culinária. Para minha alegria, o curso era bem perto da escola.

- Senhorita LeFèvre, você está atrasada... De novo! – Meu professor disse.

- Me desculpe, Professor Oliveira, eu tive alguns problemas... – Eu disse sentando-me em meu lugar. O professor Oliveira era um dos cheffs mais famosos na Europa, ele tem doze ou treze restaurantes no continente. Ele era português, e muitas das vezes nós conversávamos em português, pra matar a saudade da língua.

  A noite caiu e eu estava em casa, na minha cama lendo um livro francês, quando alguém me ligou... Harry!

- El? – Ele disse com uma voz fofa.

- Baby boy! Como você está? – Eu perguntei jogando o livro ao meu lado na cama.

- Bem, entediado aqui em casa, e você?

- A mesma coisa...

- Onde Niall está? – Ele perguntou com a boca cheia, acho que ele estava comendo.

- Ele saiu com uns amigos, o que você está comendo?

- Tacos. Está delicioso! – Ele falou de boca cheia de novo. – E por que você não foi com ele?

- Eu nunca comi isso... E eu não fui com ele porque não queria o incomodar.

- Eu tenho mais Tacos aqui, se você quiser eu posso ir pra aí e você prova, pra ver se você gosta.

- Okay! Pode vir. Eu ficarei te esperando. - Eu desliguei o telefone, antes eu dei meu endereço, porque ele ainda não sabia. Apesar de tudo que aconteceu entre Harry e eu, nós nos tornamos amigos, eu não vou negar, eu me sinto ‘’viva’’ ao lado dele, me sinto a vontade. Ninguém estava em casa. Yuka tinha saído para o parque de diversões com Liam, Esther passou a tarde com Louis e certamente ela estava com ele a noite também, Sam estava na casa do Zayn e eu estava sozinha. Depois de mais ou menos vinte minutos, Harry chegou com na minha porta com uma sacola com Tacos dentro de vasilhas. Nós nos sentamos no sofá, estávamos comendo e assistindo ‘’Ps: Eu te amo’’, é um ótimo filme. Era mais ou menos onze horas da noite e Esther chegou:

- Eita... – Ela abriu a porta toda animada, mas quando viu Harry, ficou tímida. – Boa noite. – Ela fechou a porta. – Eu nunca vou me acostumar com isso. – Ela sorriu e passou na frente de Harry com vergonha. Esther era maluca por ele. Na primeira vez que ela o viu, logo perguntou se poderia segui-la no Twitter, me recordo da reação dela até hoje. Esther tinha ido para o seu quarto, e eu continuei sentada no sofá com Harry. De repente meu celular vibrou, era Niall.

- Hey, babe... – Eu disse.

- El... Eu liguei pra dizer que eu te amo... – Niall estava completamente bêbado.

- O que? Onde você está, Niall? – Eu alterei minha voz.

- Eu te amo, e você sabe que eu nunca vou encontrar alguém como você... – Niall disse com aquela típica voz de bêbado.

- Niall, eu não entendi... – Eu me levantei do sofá. – Dá pra me dizer onde você está? – Eu fiquei nervosa.

- Elen, é o Josh... Niall está bem, ele só está um pouco bêbado.

- Um pouco? – Eu disse em alto tom e interrompendo Josh. – Olha... Leva ele pra casa! Por favor!

- Okay, eu vou fazer isso. – Josh disse, ele estava completamente sóbrio, diferente do Niall.

- O que aconteceu? – Harry perguntou se levantando do sofá e parando na minha frente. Ele estava preocupado.

- Niall está totalmente bêbado... – Eu joguei meu celular no sofá.

- Hum... Ele faz isso as vezes. – Harry pôs a mão direita no meu ombro esquerdo. – Ele é apenas um garoto descobrindo o mundo, fique calma.

- Você fala isso como se você o mais velho. – Eu sorri pra ele.

- Eu me sinto mais velho que ele. – Ele sorriu de volta.

- Sabe... No começo eu pensei que ia ser estranho ser sua amiga, com tudo que aconteceu com a gente... – Eu disse docemente.

- É, eu sei... Eu também pensei. – Ele sentou-se no sofá de novo.

- Você acha que ainda é estranho? – Eu olhei em seus olhos. Ele levou mais ou menos dez segundos pra responder.

- Não... Eu sou seu amigo... – Ele disse seriamente, bebendo refrigerante que estava em cima na mesa de centro. Continuamos conversando e assistindo TV, mas eu ainda estava preocupada com o Niall. Harry dormiu no sofá aquela noite. Quando eu acordei para ir a escola, eu o chamei.

- Hey, Harry... Time to get up! – Eu toquei o braço dele.

- Hum... – Ele deu uma bela espreguiçada e coçou os olhos. – Que horas são? – Meu Deus, aquela voz rouca pela manhã, era tão bom de ouvir... Me matou!

- Cedo... – Eu peguei minha bolsa do chão. – Eu estou indo pra escola, você quer ficar aqui? – Eu perguntei olhando pra ele.

- Não... Eu vou te levar. – Ele se levantou, ficando apenas sentado no sofá.

- Não... Não precisa... Mesmo. – Eu disse colocando a mão no ombro dele, o impedindo de se levantar.

- Tudo bem, não tem problemas, eu quero te levar. – Ele calçou seus tênis e pegou suas chaves. – Vamos? – Ele perguntou com um sorriso doce nos lábios.

- Tudo bem então. – Eu o segui. Ele me levou até a escola. Quando chegamos lá, todo mundo estava olhando pra mim.

- Obrigada por me trazer aqui. – Eu disse olhando pra ele, com a mão na maçaneta da porta do carro.

- De nada. – Ele me deu um beijo no rosto e eu saí do carro.

  Eu estava dentro da sala, esperando pelo professor e decidi ligar para Niall. Ele não atendeu então eu deixei uma mensagem.

    ‘’Niall, eu sei o que aconteceu noite passada... E eu estou realmente zangada com você. Quando você acordar e ler isso, me liga. ’’

  Eu sei que eu sou chata em relação a isso. Para algumas pessoas é normal ficar bêbado até cair, mas eu não gostava quando Niall fazia isso. Com apenas três cervejas ele já ficava voando! E eu não queria que ele ficasse doente, ou coisa parecida.

  Intervalo da escola. Eu estava conversando com Luca e Harry me enviou um SMS:

     ‘’Niall acabou de me ligar, e ele ouviu sua mensagem... Ele está com medo! LOL’’

  Eu não pude conter minha risada, Luca olhou pra mim com cara de ‘’is this bitch crazy?’’.

     ‘’Ele tem que estar mesmo! Eu estou irritada com ele!’’ Enviei o SMS para Harry. De repente meu celular tocou, era Niall.

- Hey, El... – Niall disse como se nada tivesse acontecido.

- Já tomou remédio pra dor de cabeça? – Eu perguntei com voz séria.

- Já, logo antes de ligar pra você.

- Okay. Eu vou falar com você mais tarde, tenho aula agora, tchau. – E antes que ele dissesse algo, eu desliguei.

  Eu estava saindo da escola, completamente faminta. Pra minha sorte e encontrei Sam na porta da escola e nós fomos almoçar juntas em um restaurante pobre e barato. Eu dei uma olhada no cardápio, e tinha Tacos lá. Escolhi isso!

     ‘’Comendo Tacos de novo... Obrigada por me apresentar a essa comida. LOL’’ Eu mandei um SMS para o Harry.

- Com quem você está falando? – Sam perguntou colocando sua mochila pendurada na cadeira.

- Harry... Nós comemos Tacos ontem a noite, e eu me lembrei dele agora. – Eu disse deixando meu celular na mesa.

- Eu acho que ele ainda gosta de você. – Sam disse.

- Ainda? Ele nunca gostou de mim. E não, ele é meu amigo. Só. – Eu disse tentando processar o que Sam tinha dito.

- Você talvez possa vê-lo como um amigo, mas pra ele, você é mais que amiga. – Ela disse.

- Não, eu não acredito nisso. – Eu sorri, apenas pra disfarçar.

- Você não quer acreditar, é diferente, mas tudo bem. – Nós paramos de falar sobre isso. Nós comemos e depois Sam foi fazer compras com Zayn e eu fui para o apartamento do Niall. Eu tinha as chaves.

- Oi, El. – Niall disse sentado no sofá, assistindo TV e comendo.

- Olá. – Eu estava pensando tanto sobre o que Sam tinha me dito que eu tinha até me esqueci de ficar irritada com Niall.

- Me desculpa! – Niall se levantou do sofá.

- Pelo o que? – Eu perguntei confusa.

- Por beber... Você não está braba comigo?

- Ah... Sim, estou! – Eu não tinha nada de brabo naquele momento. – Não beba demais na próxima vez, okay? – Eu pus minhas mãos em seu rosto.

- Okay... – Niall disse com um rosto angelical.

- Promete?

- Sim.

- Tudo bem... O que você está comendo? – Eu me sentei no sofá, relaxei e pus meus pés em cima da mesa de centro.

- Oreos... – Ele estava surpreso. – Só isso? Você não vai gritar, berrar, ou coisa parecida? – Ele estava parado ao lado do sofá olhando pra mim.

- Eu não sou sua mãe, sou sua namorada... – Eu dei uma mordida no biscoito. – Eu deixarei Maura saber disso.

- Você contou pra ela? – Ele perguntou com os olhos arregalados.

- Não... Ainda! – Eu estava sorrindo. Era legal ver a cara de desespero dele.

- Por favor, não fala nada pra ela! Ela odeia quando eu fico bêbado... – Eu estava relaxando enquanto ele estava pirando.

- Eu não sei... – Eu me levantei do sofá e fui lavar minhas mãos na cozinha. – Ela precisa saber.

- Não, não precisa! Foi a ultima vez que eu fiz isso. – Niall estava de frente pra mim.

- Como eu vou saber que isso é verdade? – Eu disse cruzando meus braços.

- Eu te prometo!

- Mas eu preciso de uma prova... – Eu estava olhando profundamente em seus olhos azuis.

- Hum... O que você quer? – Ele estava com uma ‘’dirty face’’. Ele me puxou pra perto dele com a mão direita, e colocou a mão esquerda no meu pescoço. Eu pude sentir sua respiração na minha boca. Nariz com nariz. Eu pus minhas mãos na nuca dele.

- Você estava fazendo alguma coisa antes de eu chegar? – Eu perguntei com um sorriso.

- Alguma coisa como o que?

- Se divertindo... Sozinho... – Eu fiquei com vergonha.

- Não. Eu serei honesto, eu fiz isso pela manha... – Ele abaixou a cabeça.

- Hum...

- Desculpa. – Ele sorriu colocando meu cabelo atrás da minha orelha.

- Não, tudo bem. – Eu o beijei. – Eu gostaria de te ver fazendo isso algum dia... – Eu dia bem perto dele. Ele estava com uma feição de surpreso, ele não esperava por isso.

- Sério? Você está bem? – Ele riu.

- Sim, eu estou bem. – Eu ri. – Eu só acho que você não conhecia esse meu lado...

- Não... Não mesmo! – Ele me apertou minha cintura. – As vezes você me surpreende. – Eu não disse nada. Apenas o beijei bem forte. Estava ficando cada vez mais quente. Nós estávamos de frente para a pia da cozinha, eu estava apertando seu pescoço, sua mão direita nas minhas costas e a esquerda no meu bumbum. De repente eu comecei a descer, beijando seu pescoço, deslizando minhas mãos nos seus braços. Eu estava de joelhos e ele tirou sua camisa, ele estava de joelhos também.  Ele estava me beijando com suas mãos nos meus ombros, e ele tirou minha jaqueta. Ele me empurrou vagarosamente para o chão, com sua mão esquerda na minha cintura e a direita na minha cabeça. Ele estava por cima de mim. Apoiando seu corpo em seus braços comigo no meio.

- Você realmente quer fazer amor aqui e agora? – Niall perguntou olhando pra mim.

- Nós não vamos fazer amor... – Eu disse. – Nós não precisamos fazer amor para sentirmos prazer. – Eu o puxei de volta pra mim, e o beijei.

- Olha, eu não sei o que você fez com a antiga Elen, mas eu gosto de você... – Ele disse sorrindo e falando entre o nosso beijo. Ele estava desabotoando minha blusa, e ele viu meu sutiã preto, ele tirou minha blusa. Ele beijou meus ombros, eu apertei suas costas. Eu pude sentir sua ‘’excitação’’. Com sua mão esquerda, ele abriu minhas calças e começou a me apalpar por cima da calcinha. Eu apertei seus ombros fortemente. Ele estava apertando minha ‘’friend’’, ele parou de me beijar, e eu pude ver um sorriso em seus lábios. Suas mãos subiram direto para os meus seios, e eu pus minhas mãos dentro de suas calças, ele estava me beijando. Sua mão direita no meu pescoço, e a esquerda no meu seio. Eu tinha acabado de ‘’tocá-lo’’ e ele deu um gemido baixinho. Ele estava pegando fogo. Eu o empurrei, e ele ficou sentado, eu fiquei sentada de frente pra ele, o empurrei pra baixo, naquele momento eu estava sobre ele. Eu estava sentada nele, com minhas mãos no seu peitoral, olhando pra ele, profundamente.

- Cara, você é muito linda... – Ele disse com suas mãos na minha cintura. – Você é muito bonita pra mim.

- Cala a boca! – Eu pus meu dedo indicador nos seus lábios. – Não diga merda nesse momento. – Eu sorri e me abaixei para beijá-lo. Suas mãos estavam no meu bumbum. Ele estava me apertando forte. Eu pus minha mão direita dentro de suas calças, ‘’tocando’’ ele. Eu estava pronta pra tirá-lo da calça, quando o telefone tocou.

- Você pode responder se você quiser. – Eu parei de beijá-lo.

- Não não... A secretária eletrônica vai atender. – Ele me puxou de volta e me beijou.

     ‘’Olá! É o Niall, eu não estou em casa ou eu realmente não quero atender, deixe sua mensagem após o bipe. ’’

     ‘’Niall, querido, é a Lou. Bem, só liguei pra avisar que eu consegui aquele trabalho pra Elen que você me pediu. Quando você chegar em casa, me ligue pra acertarmos tudo. Tchau. ’’

  Eu parei de beijá-lo. Franzi pra ele. Ele estava com os olhos fechados, como se ele estivesse pensando ‘’merda! O que eu vou falar agora?’’.

- Pode explicar isso? – Eu me levantei e me sentei de frente pra ele.

- Bem... Você conseguiu um emprego! – Ele tentou brincar.

- Eu não estou brincando, Niall. – Eu fiquei de pé e fui direto para o banheiro. Eu estava vestindo apenas calça jeans e sutiã. Eu parei de frente para a pia do banheiro, me apoiando. Niall se levantou e foi atrás de mim.

- Olha, Elen... Eu fiz isso porque eu quero você perto de mim. Eu não consigo mais ficar longe de você, e eu pensei que você também iria gostar disso. – Ele se encostou à parede do banheiro, com uma feição de desapontado.

- Baby, eu amei tudo isso! – Eu me virei pra encará-lo e coloquei minhas mãos em seu peitoral. – Mas eu acho que eu tenho que conseguir um trabalho sozinha. Eu sou orgulhosa, você sabe.

- Mas não é pra sempre, apenas enquanto nós estivermos em turnê. E você vai trabalhar com comida, eu sei que você ama. – Niall disse com exaltação em seus olhos. Ele estava parecendo um garotinho de oito anos de idade.

- Eu não sei... – Eu estava confusa. Noventa e nove por cento de mim queria ir nessa turnê, mas... – Como eu posso resistir a essa carinha, né? – Eu dei um pequeno sorriso.

- Sério? – Ele abriu um sorriso.

- Sim. Mas depois da turnê eu vou largar isso e conseguir um trabalho sozinha! – Eu disse a ele, perto do seu rosto.

- Fechado! – Ele me abraçou, na verdade ele me esmagou. Ele me largou e me beijou com as mãos nas minhas bochechas. – Agora vamos voltar aonde paramos. – Ele disse com uma ‘’dirty face’’.

- Hum... Me desculpa, mas eu não posso. – Eu disse com ‘’pena’’.

- O que? Por que não? – Ele disse um pouco desesperado.

- Eu tenho trabalho pra amanha, eu preciso fazer. Desculpa. – Eu disse com as mãos na nuca dele.

- Droga! Eu realmente não tenho uma folga... – Ele saiu do banheiro como se fosse uma criança zangada.

  Eu passei a tarde fazendo meu trabalho pra escola de inglês. Estávamos sentados no sofá, eu com um livro e um caderno no colo, e ele com um saco de biscoitos na mão. Ele estava assistindo futebol.

  Já era de noite, era nossa ultima noite juntos antes dele viajar definitivamente em turnê. Eu não podia ir com ele no começo, eu tinha que trancar minha matricula na escola, o qual seria muito doloroso pra mim, porque eu amava aquela escola e tudo que tinha nela. E também tinha o curso de culinária, eu estava quase terminando, e só de pensar que teria que abandonar meu professor... Era triste. Parecia o fim do mundo. #DramaQueen Eu passei o começo da noite no apartamento do Niall. Nós comemos, assistimos TV, jogamos videogame. Foi muito legal.

- Passe a noite aqui... Comigo. – Niall disse com seus braços ao meu redor. Estávamos deitados no sofá com a TV ligada.

- Mas você precisa descansar, será uma longa viagem. – Eu disse acariciando suas mãos. Ele estava ‘’cheirando’’ meu cabelo.

- Eu sei, mas eu descanso melhor ao seu lado. – Ele sorriu pra mim. Eu só pude sorrir e deitar minha cabeça em seu peito. O único pensamento na minha mente era: como você conseguiu isso? Ele é lindo, romântico, cavalheiro. Ele é muita coisa pra você. Eu franzi pelos meus pensamentos.

- O que foi? – Niall perguntou.

- Nada...

- Fala. – Ele disse em meu ouvido.

- Hum... É que... Às vezes eu penso que você é muita coisa pra mim.

- Essa foi a coisa mais estúpida que você já disse. – Ele riu.

- Não ria, tá. – Eu belisquei a mão dele.

- El... Eu nunca vou ser muita coisa pra você, na verdade, eu nunca vou ser o bastante pra você. Você merece o melhor, e eu não sei se sou o melhor no momento.

- É claro que você é! – Eu levantei minha mão direita pra acariciar o rosto dele. – Desde que eu vim pra cá, você tem sido uma das pessoas mais importantes pra mim. Acho que se eu ficasse muito tempo longe de você, não iria suportar. E eu sei que você não aguenta ficar longe de mim também. – Eu sorri.

- Convencida! – Ele me apertou.

- Só falei a verdade! – Eu ri. Ele começou a fazer cócegas em mim. Por que ele gostava tanto de fazer isso? Isso doía tanto, mas era engraçado. Eu estava gritando de tanto rir. De repente ele estava em cima de mim no sofá, rindo e um pouco ofegante. Nós estávamos olhando um para o outro.

- Sabe... – Ele disse com seus braços segurando o seu corpo.

- O que, Nialler? – Eu sorri.

- Imagine se nós ficássemos noivos.

- Noivos? – Eu perguntei. Meu cérebro entrou em pânico. NOIVOS? Mas nós acabamos de começar a namorar. Eu obviamente queria ficar noiva, mas... Nossa!

- Sim... Um dia vamos ficar noivos... Ou você não quer se casar? – Ele disse com uma feição confusa.

- Claro que quero, só estou surpresa. – Eu sorri.

- Acho que todos iriam ficar.

- Seus fãs iriam enlouquecer. – Eu me assustei em meio ao que disse.

- Acho que teríamos que contratar mais seguranças. – Ele riu.

- Com certeza! – Nós nos ajeitamos no sofá, e continuamos vendo TV. Ele estava sentado com as pernas em cima da mesa de centro, e eu deitada com a cabeça no colo dele. Eu não conseguia dormir, nem ele. Nós apenas estávamos calados. Ele me fazia cafuné, era tão bom. Ele tinha me dado seu casaco, pois estava um pouco frio. Ele não costumava usar perfumes para ficar em casa, apenas quando ele saía para algum evento. Mas aquele casaco tinha o cheiro dele! Ele não precisava de perfume pra ser cheiroso, ele tinha seu próprio cheiro, e era maravilhoso. Eram quatro e trinta e dois da manhã, nós acabamos dormindo, e nós tínhamos que levantar às seis da manhã. O tempo voou e era cinco e vinte da manhã quando eu senti meu celular vibrando no meu bolso. Eu me levantei do sofá sem Niall perceber. Eu fui para a varanda atender:

- Alô? – Eu não tinha visto quem era na tela do celular.

- Elen? – Era meu pai! Merda! Quase cinco meses depois ele me ligou.

- Por que você está me ligando a essa hora? Deve ser uma ou duas horas da manha aí. – Eu estava falando em voz baixa.

- Eu sei, eu só fiquei preocupado com você, filha.

- Sério? Depois de eu já ter feito tudo aqui em Londres sem uma palavra vinda de você... Você está preocupado comigo agora? – Eu disse. Meu relacionamento com meu pai não era o melhor.

- Eu sou seu pai, Elen! – Ele aumentou sua voz. – Olha, eu vi na internet que você está namorando um rapaz...

- Ah, aí está o motivo da ligação... – Eu disse de um jeito sarcástico.

- Eu só estou querendo cuidar de você.

- Não precisa, okay? – Eu fiquei nervosa. – Eu estou bem com ele.

- Eu quero conhece-lo.

- O que? – Minha voz estava desesperadora. – Por quê?

- Porque eu quero!

- Não... Sem chance! Isso não vai acontecer!

- Por quê? Eu tenho que conhecer o tipo de garoto que minha filha está namorando. Eu só quero o melhor pra você.

- Não! Eu sei que se você não gostar dele você vai fazer do impossível pra me ver longe dele.

- Mentira, Elen.

- Verdade! Se lembra do Carlos? – Eu perguntei. Eu escutei um barulho vindo da sala. – Eu tenho que ir.

- Essa conversa ainda não acabou! – Ele disse e eu desliguei.

- Merda! Merda! – Eu disse em voz alta. Eu estava encostada na grade da varanda.

- O que aconteceu, El? – Niall perguntou com voz sonolenta.

- É... Nada... – Eu me virei pra ele um pouco surpresa.

- Eu não vou sair daqui até você me falar o que está acontecendo. – Ele se encostou na parede.

- Então você vai ficar aí pra sempre. – Eu disse o empurrando e indo em direção à sala.

- Ei ei, não precisa descontar em mim. – Niall disse indo em minha direção e coçando os olhos.

- Desculpa, é que eu não esperava isso logo de manhã... – Eu parei, coloquei a mão direita na cabeça.

- Me conte, talvez eu possa ajudar. – Ele ficou de frente pra mim, com as mãos no meu rosto.

- Meu pai me ligou...

- Isso é bom, pelo menos sabemos que ele está vivo. – Ele brincou.

- É... – Minha feição não era a melhor.

- Mas o que ele te disse?

- Ele quer te conhecer.

- Que legal! Eu adoraria conhece-lo também.

- Não! Isso não está nos meus planos. Meu pai... É... Estranho! Ele vai fazer de tudo pra gente terminar. Aconteceu a mesma coisa com o Carlos, e eu nem cheguei a namorar com ele. Ele ama me controlar, quer mandar em mim, mandar eu fazer coisas que eu não quero!

- Hum... Quem é Carlos? Eu pensei que eu tivesse sido o primeiro...

- Eu gostava do Carlos, e eu acho que ele ainda gosta de mim, quando meu pai descobriu, ele fez muitas coisas pra nós não nos vermos mais.

- Mas por que ele fez isso? – Ele franziu.

- Porque ele gosta de me controlar! Essa é uma das razões pela qual eu vim pra Inglaterra! E ele é empresário, no meio do mundo dos negócios ele é reconhecido, e ele não me quer ver namorando qualquer um. E pra ele qualquer um é todo mundo!

- Se acalme, El. – Ele colocou as mãos na minha cintura. – Ele vai gostar de mim, eu te prometo.

- Não, Niall. Você não conhece meu pai, você não sabe como ele é. – Eu fiquei nervosa.

- Shhh, Calma, baby... – Ele disse me abraçando.

- Niall, eu não quero te perder, e ele... Ele está tentando fazer isso... – Eu disse com feição de medo.

- Você não vai me perder! Eu não vou deixar isso acontecer. – Ele beijou minha testa e depois colocou suas mãos no meu rosto.

- Eu vou conhecer o seu pai, e ele vai gostar de mim.

- Eu gostaria de ser uma pessoa positiva assim como você. – Eu estava olhando para os olhos azuis dele. Nos abraçamos de novo, eu estava com medo.

  Ele foi tomar banho, nós precisávamos estar no aeroporto às seis horas da manhã. Ele ficou pronto, com as duas malas que ele estava levando.

  Nós estávamos no aeroporto. Estava quase impossível sair do carro, tinha muitas fãs lá, e muitos paparazzis. Quatro seguranças nos ajudaram a sair do carro, e nós conseguimos. Eu encontrei os outros meninos lá. Sam e as mães dos meninos também estavam lá.

- Olha, eu não sei se vou poder ir em turnê com você essa semana, mas eu vou tentar, okay? – Eu disse olhando para o Niall, de frente pra ele.

- Tudo bem, El. Eu vou sentir sua falta. – Ele disse com a mão esquerda na minha bochecha.

- Eu também... – Eu o beijei. As fãs estavam nos olhando, e quando eu o beijei, todas gritaram. – Me promete que você vai tomar cuidado?

- Eu prometo. – Ele disse perto de mim. Ele estava indo para o avião.

- Tchau, meninos. – Eu disse para os meninos. A banda e o resto do pessoal já tinha ido. – Hey, Harry.

- Oi... – Ele voltou, e sorriu pra mim.

- Eu sei que você é o mais novo, mas tome conta do Niall por mim. – Eu estava ajeitando a gola da blusa dele. – Eu sei que ele não é mais uma criança, mas...

- Tudo bem, Elen. Deixe isso comigo.

- E se cuide também. – Eu sorri.

- Eu vou. Sem confusões, hein? – Ele colocou a mochila no chão.

- O mesmo pra você, Curly. – Nós rimos. – Eu vou sentir sua falta, sabia.

- Eu também... – Ele me abraçou. – Espero te ver em breve. – Eu o larguei, e ele segurou minha mão direita.

- É... Talvez. – Eu sorri. – Bem, vai lá, você precisa entrar no avião.

- Tchau, El. – Ele disse indo em direção ao avião. Todos estavam dentro do avião. Sam estava ao meu lado, mas ela não disse uma palavra. Ela estava quase chorando, mas ela conseguiu segurar. Fizemos um drama danado, mas foi nossa primeira experiência como namoradas dos meninos do One Direction. Ela olhou pra mim.

- Mas o que diabos aconteceu aqui? – Ela disse.

- Bem, os meninos foram embora? – Eu respondi confusa.

- Não... Você e Harry... – Sam disse fazendo uma cara de ‘’dã!’’.

- Ah, o que tem eu e ele? Você sempre insinuando as coisas... – Eu disse andando em direção a saída do aeroporto. As fãs ainda estavam lá e foi meio difícil sair do aeroporto. 

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...