Irresistible

”Until I met you, I could not imagine going through life with one person. Now I can not imagine going a day without you.”

”Até conhecer você, não me imaginava passando a vida com uma única pessoa. Agora não consigo imaginar passando um dia sem você.”

17Likes
9Comentários
7083Views
AA

16. Capítulo 16

- Elen? O que voc... – Ele disse tentando levantar.

- Shhh... – Eu me deitei na cama ao lado dele, me enfiando debaixo do edredom.

- Você não precisa fazer isso por mim... – Ele disse enquanto eu tentava o beijar. – Sério, você não...

- Você poderia calar a boca, por favor? – Eu disse olhando pra ele.

- Tudo bem. – Ele começou a me beijar também. Eu estava por cima dele, ele estava nu, eu tinha esquecido que ele costumava dormir pelado. Ele pôs a mão dentro do meu short, até que ele o tirou. Sem sutiã, e sem calcinha. Nós fizemos, e foi ótimo. Eu quero dizer, não pelo prazer, mas foi amável, ótimo, romântico e inesperado. Era quase quatro da manha, e eu caí no sono ao lado dele. Quando eu acordei, lá estava ele, e a única coisa que eu podia lembrar e pensar era nele. Era interessante lembrar que eu não conseguia pensar em Niall quando eu estava com Harry. Ele acordou e olhou pra mim.

- Oi... – Ele sorriu e se espreguiçou.

- Ei... – Eu continuei olhando pra ele. Na verdade, a gente ficou olhando um para o outro.

- Você está bem?

- Sim... Estou ótima agora. – Eu me sentei e fiquei com meus braços apoiados nos meus joelhos com o lençol por cima de mim.  – Me desculpe pelo que eu disse ontem.

- Cale a boca. – Ele sentou também. – Eu te entendo, eu sei que está sendo difícil pra você.

- É... Mas você está fazendo isso tudo mais fácil. – Eu olhei pra ele e sorri. Ele me beijou. Enquanto ele me beijava, meu telefone tocou.

- Alô? – Eu disse.

- Elen! O que aconteceu com você, garota? – Sam disse nervosa.

- Ei ei, oi pra você também. – Eu disse. – E graças a Deus você apareceu.

- Eu apareci? Você estava tipo desaparecida! Eu não sabia onde você estava.

- Claro. Eu não pude falar nada pra você, porque eu não tenho o seu numero, you bitch. – Harry riu ao meu lado.

- Onde você está? – Ela perguntou.

- No quarto de alguém em Paris. – Eu disse devagar.

- Alguém quem? – Sam estava muito curiosa.

- Sam quer saber... Posso falar pra ela? – Eu tampei o telefone com a mão e perguntei a Harry.

- Ok... Mas diz a ela que é segredo. – Harry disse.

- Eu estou com Harry. – Eu disse.

- O QUE? Eu sabia! – Sam gritou.

- Ei, eu não quero ficar surda, pelo amor de Deus. – Eu disse. Harry estava rindo ao meu lado.

- E o Niall? É verdade o que vi na TV?

- Sim... É verdade. – Eu disse com uma voz mais baixa.

- Nossa... Eu não imaginava que ele seria capaz de fazer isso.

- É... Eu também não.

- Você não esta bem, né? – Ela me conhecia melhor que ninguém.

- É... Eu estou ficando melhor. – Eu fiquei em silencio por uns segundos.  – Olha, eu te ligo mais tarde, ok? Aí nós conversamos melhor.

- Ok, bitch, te amo. – Ela disse.

- Te amo também. – Eu disse desligando o telefone.  – Bem, eu tenho que trabalhar. – Eu tentei me levantar da cama.

- Nãããão. – Harry me puxou e eu caí sobre ele. – Não vai.

- Mas eu tenho que trabalhar! – Eu disse a ele. Eu estava sentada em cima dele.

- Apenas cinco minutos mais, isso é tudo que eu preciso. – Ele virou rapidamente e ficou em cima de mim.

- Você nunca fica cansado não? – Eu ri.

- Não! – Ele disse com um sorriso safado.

- Mas eu fico, me deixe ir... – Eu tentei sair, mas ele prendeu meus braços.

- Não! – Ele sorriu. – Não até eu terminar com você.

- Oh my... Harry! Isso é tão antirromântico. – Eu disse.

- Diz que você não gosta... – Ele continuou olhando pra mim.

 - Droga... – Eu disse. Ele me beijou, e nós fizemos de novo. Durante o ‘’coito’’, nós fomos um pouco barulhentos, e eu fiquei preocupada.

- Espera espera espera... – Eu disse batendo nos braços dele.

- O que? – Ele parou. Ele estava ‘’agindo’’ em mim.

- Nós estamos muito barulhentos, preciso ver se não tem ninguém em casa. – Eu tentei me levantar.

- É verdade... – Ele se levantou também, eu pus o lençol em volta de mim e saí do quarto.

- Pépé? Raul? – Eu gritei andando pela casa. – Eu acho que estamos sozinhos.

- É... Não tem carro nenhum lá fora. Estamos sozinhos. – Harry disse. Ele estava nu.

- Harry! – Eu ri.

- O que? Não tem ninguém aqui. – Ele estava rindo também.

- Eu sei, mas... – Eu me sentei no sofá.

- Por que você esta com esse lençol por cima? Tira isso! – Harry tentou tirar, mas eu puxei.

- Não! Não quero que você veja minhas dobrinhas.

- Sabe... Nós já transamos, eu acho que já vi... – Ele estava tentando ser sarcástico.

- Eu sei, mas nós estávamos na horizontal, é diferente.

- Ah, fala sério... Eu amo o seu corpo. Você é gostosa. – Ele pôs a mão por baixo no lençol.

- Sério? – Eu fiquei sem graça.

- Sim... Na verdade, eu adoro suas dobrinhas. – Ele começou a beijar meu pescoço. Eu fiquei em pé, de frente pra ele e deixei o lençol cair. Ele sentou no sofá, e eu sentei em cima dele e nós fizemos no sofá. Sabe... Eu costumava ouvir muitos boatos safados sobre Harry, que ele era o melhor com as mulheres, que ele não pode ficar sem sexo, que ele enlouquece a todas... É verdade! Eu o amava como meu amigo, mas a atração entre a gente era muito forte! Eu o desejava.

  Depois ‘’disso tudo’’, nós nos arrumamos para ir à padaria. Estávamos dentro do carro dele.

- Sabe... Eu ainda estou meio dormente com tudo que aconteceu de ontem pra hoje... – Harry disse prestando atenção no trânsito.

- É... Eu também. – Eu fiquei em silencio durante um momento. – Olha... Eu realmente quero esquecer Niall, e eu sei que você vai me ajudar. Eu quero tentar. – Eu disse segurando sua mão esquerda.

- Você está fazendo a coisa certa. – Ele sorriu pra mim. Eu sabia que mais cedo ou mais tarde, os paparazzis iriam descobrir tudo, e eu tinha que estar preparada pra isso.

- Elen... – Harry me chamou. Nós já tínhamos chegado à padaria, nós estávamos na cozinha. – Se você não se importar, eu gostaria de contar ao Niall sobre a gente, antes que ele descubra pela internet ou algo parecido.

- Eu estava pensando nisso também... Okay, conta pra ele. – Eu disse. Harry estava saindo da cozinha. – Ei, espere... Se alguém perguntar se estamos namorando, o que eu digo?

- Diga a verdade a eles. – Ele disse sorrindo e me abraçando pela cintura.

- Qual? Que estamos somente transando? – Eu olhei pra ele.

- Nossa... Que menina má. – Ele riu me beijando no pescoço.

- Bom dia. – Uma funcionaria disse sem graça ao entrar na cozinha.

- Bom dia. – Harry e eu dissemos sorrindo. O dia foi normal, e a noite eu fui para casa com Harry.

  Chegando em casa, eu jantei com ele, meus avós e com Raul, e depois fui tomar banho. Eu estava saindo do banheiro, quando...

- OMG Harry! Você me assustou! – Eu dei um pulo quando vi Harry sentado na cama.

- Calma, menina. – Ele sorriu.

 - O que você está fazendo aqui? – Eu peguei meu pijama dentro da gaveta.

- Eu vou ligar agora para o Niall... – Ele disse segurando o celular.

- Bem... Ligue então. – Eu me sentei na cama ao lado dele.

- Ok... – Ele ligou. Ele colocou no viva voz. – Ei, Niall.

- Oi, Haz, e ai? – Niall disse com a voz meio fraca.

- Nada novo... E aí, você está bem?

- É... Você sabe... Tentando sobreviver, mas estou bem. – Ele forçou uma risada.

- Bem... Eu queria te dizer uma coisa, mas eu estou com medo de como você vai reagir. – Harry disse.

- Fala aí, então.

- Você ficaria muito zangado ou chateado se eu te dissesse que eu tenho visto a Elen? – Harry fechou os olhos com medo da resposta.

- O que? Ela está aí? – Ele se alterou.

- Sim... Mas não é o que estou tentando dizer...

- Então o que?

- Niall... Elen e eu... Nós estamos...

- Espere... Você está tentando me dizer que você e ela estão meio que namorando? – Niall aumentou a voz.

- Tipo isso... – Harry disse. Niall não disse nada, ele ficou em silencio por mais ou menos um minuto. – Niall? Você está aí?

- Sim... Eu estava... Você está falando sério? – Niall perguntou.

- Sim... Olha, me desculpe, mas eu não podia...

- Não, Harry, está tudo bem. Ela precisa seguir em frente, e eu não estou triste, porque pelo menos é você que está cuidando dela. – Ele respirou fundo. – Só não a magoe do jeito que eu fiz antes...

- Okay... Mas você está bem? – Harry perguntou. Eu estava quieta, roendo as unhas, ouvindo tudo.

- Não, mas eu vou ficar. Obrigado por ser honesto comigo. – Niall disse. – Escuta, eu tenho que ir, cuide bem dela, ok ?

- Ok. Se cuida, irmão. – Harry disse e eles desligaram. Eu não sabia o que dizer. – Viu? Tudo está bem agora.

- Sim. – Eu fingi um sorriso. Nada estava bem. – Eu tenho que ir ao banheiro. Eu... Eu me esqueci de escovar os dentes. – Eu corri para o banheiro. Eu me sentei no vaso sanitário e comecei a chorar. Eu odeio admitir isso, mas eu ainda o amava, e ninguém podia saber. Harry era um cavalheiro, mas Niall... Ele era o MEU amor.

- Elen? – Harry bateu na porta do banheiro.

- Oi... Já estou saindo. – Eu abri a porta.

- O que aconteceu? Dor de barriga? – Ele brincou.

- Não, seu bobo. Eu me distraí checando meu celular.

- Ok... – Ele pôs as mãos na minha cintura. – Eu não vou poder ir a padaria amanha.

- Por que? – Eu perguntei.

- Eu tenho um encontro com alguns amigos, nós vamos passar o dia juntos.

- Hum... E eu conheço esses amigos? – Eu coloquei minha mão em seu pescoço.

- Sim... Nick, Ed, Rita...

- Ok. – Eu o beijei. – Babe, eu tenho que dormir, estou cansada.

- Ah... Não vai rolar nada hoje? – Ele fez aquela cara de safado.

- Nããão. Amanha! – Eu disse sorrindo e o empurrando para sair do meu quarto.

- Ok, sua bruxa. – Nós rimos, e ele saiu.

  Os dias foram se passando e tudo estava bem normal. Não tinha um só dia que eu não pensava em Niall. Sabe, Harry era perfeito demais, bom demais, e isso era estranho. Com Niall, eu costumava brigar às vezes sobre coisas simples.

  Um dia eu estava no meu quarto com meu notebook, olhando o perfil do Niall no Twitter. Tudo normal... Falando sobre futebol, comida, sendo engraçado do jeito que ele sempre foi... E eu não vi nenhuma foto dele com nenhuma menina. E um momento, Harry entrou no meu quarto.

- Ei, El, nós estamos atrasados para aquele evento! – Ele disse animado. – Você ainda não está arrumada?

- Eu me esqueci! Omg! – Eu me levantei da cadeira e corri para o banheiro, e eu deixei meu notebook ligado. Quando saí do banheiro, Harry estava olhando meu notebook.

- Você ainda procura saber sobre ele, né? – Harry disse fechando o notebook.

- Bem... Eu... – Eu estava só de toalha. – Eu só estava olhando...

- Do jeito que você fala dele, eu pensei que você não queria saber de nada. – Ele se levantou.

- É só o Twitter... Eu fui parar na pagina dele sem querer... – Eu abri o guarda-roupa para procurar um vestido.

- Ok... É um evento sobre moda, então ponha algo formal.

- Tudo bem. – Ele estava saindo do meu quarto e eu segurei as mãos dele. – Ei, foi só o Twitter, relaxe.

- Eu sei... Mas às vezes eu sinto que você ainda o ama como antes. – Harry disse olhando em meus olhos.

- Mas eu não amo! Eu estou com você, certo? – Eu pus minha mão em seu rosto. – Você está na minha vida agora.

- Eu sei... Desculpe-me. – Ele me abraçou.

- Não precisa... Está tudo bem. – Eu o beijei no pescoço. – Agora saia que eu preciso ficar fabulosa. – Eu fechei a porta.

  Eu me vesti... Vesti um vestido longo preto com um decote V nas costas. Maquiagem leve nos olhos e um batom vermelho, cabelos ondulados e presos na lateral esquerda.

- Nossa! Você está deslumbrante! – Harry disse olhando para mim.

- Bem... Obrigada. – Eu sorri. Bem lá no fundo, eu não queria ir para o evento. Essa seria a primeira vez que Harry e eu sairíamos em público, e isso seria muito estranho.

  Chegando lá, muitos repórteres e fotógrafos vieram em nossa direção. Todos queriam tirar algo de Harry, e eu estava apenas ao lado dele. Então uma repórter fez uma pergunta estranha e inadequada.

- Ei, Elen. Qual é sua relação com o Niall agora que você está namorando seu melhor amigo? – Eu fiquei realmente nervosa com a perguntar dessa mulher.

- Bem... Estamos bem... Bem... – Eu não sabia o que dizer, eu fiquei sem palavras.

- Nós somos bons amigos, até porque não há nada acontecendo entre Elen e eu. – Harry disse. Ele falou a coisa perfeita. Nós entramos, e eu estava muito nervosa.

- Vinho, Senhor Styles? – O garçom perguntou.

- Sim, por favor. – Eu tomei a primeira taça de vinho numa golada só.

- Vá com calma. – Harry disse.

- Vá com calma você, eu estou bem. – Eu tomei outra taça de vinho. Alguns amigos de Harry eram bem chatos, eles só queriam falar sobre moda (obviamente) e coisas fúteis. Eu fiquei entediada, então fui até o terraço do local e continuei bebendo.

- Elen... – Harry me encontrou. – Eu te procurei em todo lugar. O que aconteceu?

- Nada... – Eu me virei, olhando para a paisagem.

- Qual é... Diga. – Harry agarrou minha cintura.

- Nada.

- Elen...

- Não é nada, Harry! Pelo amor de Deus. – Eu me distanciei um pouco dele.

- Qual é o seu problema, ein? – Ele olhou seriamente pra mim. – Suas mudanças de humor me deixam louco!

- Nada, Haz... Eu só não curto muito seus amigos... Esse não é meu mundo. – Eu disse desviando o olhar para baixo.

- Não é somente isso.

- Não, Harry... Eu gosto de você, mas...

- Oh, você gosta de mim... Você costumava me dizer ‘’eu te amo’’. – Harry fez uma feição de decepção.

- Eu te amo sim, como amigo.

- Mas eu não entendo... Eu faço tudo certo, por que você está agindo assim?

- Harry... Você é muito perfeito! Muito certo. Quando eu estava com o Niall, era bom por que... – Eu fui interrompida por Harry.

- Niall... Era previsto, você ainda o ama.  – Ele parou por alguns segundos e  se virou indo embora.

- Não... Eu não o amo. – Eu segurei o braço direito dele por trás. – Escute... Vamos devagar! Eu não sei se estou realmente pronta pra isso. É tudo muito grande... Começamos logo assim, vindo para um evento desse porte.

- Okay... Mas eu não entendo. Todas as garotas querem um cara perfeito, querem que seja assumido tudo, e você diz totalmente ao contrário.

- Eu sei... Eu sou louca! Desculpe-me. – Eu me encostei-me à parede olhando para baixo.

- Eu só espero que... – Ele ficou sem palavras. – Esquece. – Ele saiu do terraço. Fomos para casa em silêncio. Não dissemos uma só palavra depois disso. Chegando em casa, eu fui direto para o meu quarto, sem sequer dizer boa noite. Eu sentei na cama e liguei para Sam.

- Sam? – Eu disse com uma voz de choro.

- El? O que aconteceu? – Ela ficou preocupada.

- Estou ficando louca!

- É sobre Niall, né?

- Talvez... Eu... Eu estou magoando Harry... Ele é muito perfeito pra mim... Você sabe.

- Elen... Qualquer garota adoraria um cara perfeito. Seu problema é que você ainda ama o Niall, e isso é óbvio, até o meu bebê que ainda nem veio ao mundo sabe disso. – Sam disse.

- Eu não o amo, Sam! – Eu tentei negar.

- Sério, Elen? Tentando mentir pra mim?

- Merda! Ok, é isso! Eu ainda o amo... Mas eu não quero! Estou ficando louca! – Depois de dizer essas coisas, eu ouvi um barulho na porta. – Espere aí, Sam. – Eu me levantei da cama para ver, era Harry. – Sam, eu te ligo daqui a pouco.

- Desculpe-me, eu não queria ouvir... – Harry estava um pouco perdido.

- Quanto você ouviu? – Eu fiquei preocupada.

- O bastante... – Ele sentou-se na cama. – Eu acho que é melhor eu ir embora.

- O que? Não, por favor, não vá! – Eu não queria que ele fosse embora. Eu fiquei desesperada.

- Eu não tenho razão para estar aqui. – Ele entrelaçou os dedos das mãos, e olhou para baixo.

- Não? E nossa amizade? Acima de tudo nós somos amigos!

- Eu sei... Mas você não sabe como é ser magoado desse jeito.

- Ah é verdade, eu não sei... – Eu disse sarcasticamente.

- Desculpe... – Ele se levantou e ficou de frente pra mim, olhando em meus olhos enquanto eu estava sentada na cama. – Eu vou ficar mais uma semana, isso é tudo que posso fazer.

- Obrigada. – Eu me levantei e o abracei. Ele saiu do meu quarto, e eu liguei para Sam de novo. – Sam, desculpe, eu tive que resolver um problema.

- Okay... Você acha que seus avós me deixam ficar aí por um tempo?

- Aqui em casa? – Eu perguntei animada.

- Sim.

- Claro! Mas... Por quê?

- Eu quero ter meu bebê aí, com você do meu lado.

- Que lindo, Sam! Claro que você pode vir. Mas não é perigoso você voar assim? Se você quiser, eu vou pra aí.

- Não. Está tudo bem. – Ela disse.

- Ok então. Venha quando quiser. – Eu disse animada.

- Eu vou em dois dias, eu meio que já comprei as passagens. – Ela disse.

- Louca! Bem, te vejo em dois dias. Tchau, bitch.

- Tchau. E fique melhor, okay? Tudo vai ficar bem. – Ela disse, e desligamos. Eu fui dormir e no dia seguinte eu fui para padaria como de costume.

Join MovellasFind out what all the buzz is about. Join now to start sharing your creativity and passion
Loading ...